Nossos Vídeos

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Sistema público brasileiro de saúde completa 30 anos e demonstra sua força no meio da pandemia da Covid-19

Sistema público brasileiro de saúde completa 30 anos e demonstra sua força no meio da pandemia da Covid-19

O Sistema Único de Saúde é um dos maiores sistemas de saúde pública do mundo. Ele garante acesso integral, universal e gratuito para toda a população do Brasil, abrangendo desde o simples atendimento para avaliação da pressão arterial, até o transplante de órgãos. Esse complexo sistema está presente na vida de todos os brasileiros e completa, neste sábado (19/09), 30 anos da Lei 8080/1990 que o criou e levou a uma trajetória de muito esforço e desafios enfrentados, diariamente, para proporcionar e garantir o direito universal à saúde como dever do Estado.

Hoje, com a pandemia, é possível constatar a força e importância desse sistema de saúde, que atende cerca de 70% da população. Sob a gestão e união dos três entes – governo federal, estados e municípios – foi possível garantir assistência aos pacientes infectados pela Covid-19 e o atendimento daqueles que necessitam de tratamentos especializados.

"Não existe outra saída para o nosso país com relação a saúde, que não seja o Sistema Único de Saúde forte e eficiente", afirma o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Os próximos 20 anos já estão sendo elaborados pela atual equipe do Ministério da Saúde. "Estamos montando ações estruturantes com projetos estratégicos em todas as áreas, como Saúde Digital, Projeto Genoma entre outras que estão sendo finalizadas", aponta o ministro.

EVOLUÇÃO DO SISTEMA

O sistema público de saúde no Brasil antes de 1988 atendia a quem contribuía para a Previdência Social. A saúde era centralizada e de responsabilidade federal, sem a participação dos usuários. A população que poderia usar recebia apenas o serviço de assistência médico-hospitalar. Antes da implementação do SUS, saúde era vista como ausência de doenças. Na época, cerca de 30 milhões de pessoas tinham acesso aos serviços hospitalares. As pessoas que não tinham dinheiro dependiam da caridade e da filantropia.

Durante esses 30 anos, a evolução do sistema público de saúde foi importante para todos, sem discriminação. Atualmente, o sistema é descentralizado, municipalizado e participativo, com 100 mil conselheiros de saúde. Hoje, saúde é vista como qualidade de vida.

O SUS não é apenas assistência médico-hospitalar. Também desenvolve, nas cidades, no interior, nas fronteiras, portos e aeroportos, outras ações importantes. Realiza vigilância permanente nas condições sanitárias, no saneamento, nos ambientes, na segurança do trabalho, na higiene dos estabelecimentos e serviços. Regula o registro de medicamentos, insumos e equipamentos, controla a qualidade dos alimentos e sua manipulação. Normaliza serviços e define padrões para garantir maior proteção à saúde.

DESAFIOS DA SAÚDE

Os desafios de um sistema de saúde são constantes e novas demandas sempre surgem, seja em um enfrentamento de uma nova doença - como a Covid-19 - ou até mesmo na incorporação de novos medicamentos e de tecnologias de ponta.

O grande desafio, sobretudo, é a oferta de serviços. A demanda é sempre crescente, as mudanças tecnológicas são frequentes e a absorção disso no sistema sofre com duas consequências: a primeira é a oferta do serviço que precisa ser eficiente para atender em quantidade suficiente e em tempo oportuno todas essas demandas e necessidades, e a segunda é o desafio do financiamento, alocação de recursos para se ter uma base do melhor resultado possível.

"O sistema de saúde nunca está completo, sempre tendo demandas agudas, como por exemplo no caso da pandemia ou demandas que são cronicamente alimentadas por conta do envelhecimento populacional", pontua a médica oncologista e chefe de gabinete da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (SAES) do Ministério da Saúde, Maria Inês Gadelha.

FORTALECIMENTO

A participação de todos, inclusive da população, é fundamental para o desenvolvimento e aprimoramento da saúde. O papel do Ministério da Saúde, além das pactuações com os estados e municípios - na tripartite - é desenhar tecnicamente critérios em todas as áreas para o fortalecimento da saúde do Brasil para os brasileiros.

A população brasileira deposita bilhões de reais para o SUS. São cerca de R$ 500 mi por dia. "Precisamos ter efetividade, transparência e responsabilidade pelo recurso público, pois não estamos falando de dinheiro, estamos falando da saúde das pessoas", defende o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello.


***


segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Vacinação: obrigatoriedade é constitucional e protege cidadãos

"Constituição é o limite entre imposições estatais e a autonomia individual", afirma Mérces da Silva Nunes


O assunto já tem o mínimo regimental de quatro votos para ser julgado no Supremo Tribunal Federal (STF). A pauta: a obrigatoriedade de vacinação de crianças e adolescentes pelos pais. Afinal, o Estado pode obrigar o cidadão a manter seus filhos menores de idade imunizados? Até onde vai o poder de autoridade do Estado em relação à liberdade individual?

Para a especialista em Direito Médico, Mérces da Silva Nunes, não há dúvidas sobre o tema. “O limite entre imposições estatais e a autonomia individual das famílias é a Constituição”. Segundo ela, a Constituição Federal estabelece que ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa, a não ser em virtude da lei. “E a Lei nº 8.069/90, o Estatuto da Criança e do Adolescente, impõe aos seus responsáveis legais o dever de proteger a saúde desta população. Ela dispõe que a vacinação das crianças é obrigatória nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias, levando em conta que a proteção é indispensável para evitar que essa população fique doente, em decorrência de doenças para as quais há vacinas comprovadamente seguras e eficazes”.

Confira entrevista com Mérces de Silva Nunes sobre o tema:

O STF está para julgar recurso extraordinário com agravo no qual se discute se os pais podem deixar de vacinar os seus filhos, tendo como fundamento “convicções filosóficas, religiosas, morais e existenciais”. Hoje, o que diz a lei sobre a vacinação?

Mérces da Silva Nunes: O Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90) assegura o direito à vida e à saúde de crianças e adolescentes e impõe aos seus representantes legais o dever de proteger a saúde desta população, sob pena de responsabilidade. O parágrafo 1º do artigo 14, do ECA, dispõe que a vacinação das crianças é obrigatória nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias. E a legislação assim determina porque a proteção das crianças e adolescentes é indispensável para evitar que essa população fique doente, em decorrência de doenças para as quais há vacinas comprovadamente seguras e eficazes e para impedir que essa mesma população não atue como agente propagador dessas doenças. O Programa Nacional de Imunização (Ministério da Saúde) dispõe sobre a vacinação infantil e estabelece que as vacinas já comecem a ser aplicadas ainda na maternidade, logo após o nascimento do bebê.

Em sua opinião, qual o limite entre imposições estatais (especialmente as relacionadas a saúde das crianças) e a autonomia individual de uma família?

Mérces da Silva Nunes: A Constituição Federal é o limite. O artigo 5º, inciso II dispõe que “ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei” e o inciso VIII, assegura que “ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;” Da interpretação conjugada dos referidos incisos infere-se que o limite da autonomia individual de uma família, em relação à vacinação obrigatória, é a Lei, o próprio comando normativo inserto no Estatuto da Criança e do Adolescente que, em seu artigo 14, §1º estabelece a obrigatoriedade da vacinação, nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias. Portanto, o Programa Nacional de Imunização (PNI/MS), que estabelece o cronograma de vacinação infantil obrigatória, dá efetividade ao ECA e deve ser concebido como verdadeiro instrumento de proteção da vida e da saúde da criança e do adolescente.

Sendo a decisão do STF de repercussão geral, ela incidirá sobre as demais instâncias. Caso a decisão seja favorável à liberdade individual da família, qual o prejuízo para a saúde pública isso poderia causar?

Mérces da Silva Nunes: Na hipótese de a decisão do STF favorecer o direito à liberdade individual da família em detrimento do interesse coletivo, haverá um sério e irreversível dano à coletividade. Primeiro, a própria Constituição Federal terá sido diretamente violada em disposições específicas contrárias a este posicionamento do STF que, na qualidade de guardião a CF, deveria ser o primeiro a procurar manter a integridade e a inviolabilidade da Lei Maior. Segundo, o próprio ECA terá sido violado em sua essência, que é a de proteger a vida e a saúde de crianças e adolescentes. Além disso, a a sociedade ficará injustamente exposta ao risco de contaminação por doenças que poderiam ser evitadas. E a eventual contaminação dessas crianças e adolescentes - que deixaram de ser imunizados - representará um ônus para a sociedade, pois o Sistema Único de Saúde deverá atender essa população e tratar as sequelas permanentes deixadas pelas doenças.

Perfil da fonte:

Mérces da Silva Nunes possui graduação em direito - Instituição Toledo de Ensino - Faculdade de Direito de Araçatuba, mestrado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006) e Doutorado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Advogada - sócia titular da Silva Nunes Advogados Associados. Autora de obras e artigos sobre Direito Médico.


***


domingo, 20 de setembro de 2020

Reforma Tributária: Criação de novo tributo divide opiniões entre tributaristas

Imposto, que encontra resistências na sociedade e no Congresso, também não é unanimidade entre especialistas


Um dos diversos aspectos presentes na Reforma Tributária, a proposta de uma “nova CPMF” – como vem sendo chamado o novo tributo sobre transações ventilado pelo ministro Paulo Guedes – está cercada de polêmicas e encontra forte resistência tanto na sociedade como no Congresso, antes mesmo de ser enviada.

O caso é uma fixação do ministro da Economia, que vem buscando apoios para fazer a proposta caminhar, defendendo o novo tributo para concretizar sua ideia de desoneração da folha de pagamentos e aumentar a oferta de empregos formais.

Para se ter uma dimensão da proposta, se ela for levada adiante e arrecadar os R$ 120 bilhões previstos pelo governo, o novo imposto seria responsável por uma das maiores fontes de receita para a União, ficando atrás apenas do Imposto de Renda, da Cofins e da arrecadação previdenciária.

O professor e especialista em Direito Tributário Caio Bartine não é totalmente contrário ao imposto sobre transações digitais sugerido por Guedes, desde que ocorra a redução na tributação da contratação de mão de obra como contrapartida. “Se a alíquota for de 0,2%, apenas em transações digitais, não sei se isso irá gerar um ônus muito grande para o consumidor, como vejo muitos falarem. Particularmente, acho mais importante diminuir o impacto da mão de obra, para que tenhamos mais empregos formais, consequentemente aumentando a receita. E também existe a possibilidade de que, sem a aprovação desse tributo, resolvam aumentar outros impostos como IPI, ICMS e ISS, aí sim o impacto sobre o consumidor poderá ser bem maior”, acredita o professor.

Apesar disso, Bartine pondera que não é apenas a criação de um novo imposto que irá aliviar as contas públicas. “Antes de se pensar em reforma tributária, o Brasil precisa pensar em uma reforma administrativa. Temos um inchaço da máquina pública, pois grande parte das despesas são destinadas para folha de pagamento de servidores. E não vai ocorrer diminuição de carga tributária, se não diminuir a despesa pública. Não existe mágica nessa equação”, completa.

Outro especialista em Direito Tributário, o advogado Eduardo Natal não acredita que a ideia do novo imposto seja a proposta ideal para o país. “Isso não soluciona os problemas sérios que temos de complexidade tributária, ou de sobreposição de incidências de tributos, principalmente quando falamos em consumo”, aponta o tributarista.

Para Natal, uma reforma tributária deveria ser mais profunda, organizada e voltada não somente para aspectos ligados ao consumo. “Com essa visão, no final das contas, a classe menos abastada é que vai acabar pagando esses tributos. O debate deveria caminhar com uma profundidade maior com relação a outros vetores de incidência tributária”, reforça o especialista.

Desestímulo na Economia e ausência de justiça fiscal

Doutor e Mestre em Direito Tributário, o professor André Felix alerta que essa reforma caminha em um sentido totalmente inoportuno e que tributar fortemente o consumo não é uma realidade em países desenvolvidos. “A tributação sobre o consumo não realiza justiça fiscal, pois quem sente a tributação efetivamente é o consumidor com menor capacidade contributiva. Países desenvolvidos não privilegiam esse tipo de tributação, a incidência é maior sobre renda e patrimônio. Além do mais, a tributação sobre consumo não incentiva a economia”, finaliza o professor.

PERFIL DAS FONTES

Eduardo Gonzaga Oliveira de Natal – sócio do escritório Natal & Manssur, Mestre em Direito do Estado – Direito Tributário – pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Pós-graduação em Direito Tributário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/COGEAE). Pós-graduação em Direito Societário pela Fundação Getúlio Vargas (FVG/GVLAW). Especialista em Estratégias Societárias, Sucessórias e Tributação pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Sócio fundador do escritório há mais de 20 anos. Membro da Academia Brasileira de Direito Tributário (ABDT) e da International Bar Association (IBA). Autor do livro “A Dinâmica das Retenções Tributárias”

Caio Bartine – Advogado na área de Direito e Processo Tributário. Doutor em Direito, com MBA em Direito Empresarial (FGV). Professor de planejamento tributário do MBA em Marketing da FIA/USP. Professor de pós-graduação da Escola Paulista de Direto – EPD. Coordenador de Direito Tributário do Curso Damásio Educacional. Coordenador dos cursos de pós-graduação de Direito Tributário e Processo tributário. Procurador-Chefe da Procuradoria Nacional de Justiça do Conselho Federal Parlamentar. Vice-Presidente do Instituto Parlamentar Municipal – INSPAR.

André Félix Ricotta de Oliveira – formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Doutor e Mestre em Direto Tributário pela PUC/SP, Pós-graduado “lato sensu” em Direito Tributário pela PUC/S, Pós-graduado em MBA em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas. Ex-Juiz Contribuinte do Tribunal de Impostos e Taxas da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo. Presidente da 10ª Câmara Julgadora. Coordenador do IBET de São José dos Campos. Professor da Pós-graduação em Direito Tributário do IBET e Mackenzie. Professor do Curso de Direito da Estácio. Professor de Cursos de Direito da APET. Presidente da Comissão de Direito Tributário e Constitucional da OAB-Pinheiros (SP).


***


sábado, 19 de setembro de 2020

Receitas práticas para o dia a dia ajudam criar a motivação necessárias para cuidar do corpo

Vivi Freitas, personal trainer / Foto: Valterci Santos

Personal Vivi Freitas em parceria com a ANZ Suplementos divulga receitas práticas e fit para quem quer entrar em forma para o verão


Faltam poucos dias para a primavera e com ela chaga também as temperaturas mais quentes e os preparativos para o verão. A ideia de grande parte, não apenas mulheres, é de entrar na estação mais querida pelo brasileiro, com o corpo em dia.

Estão sendo meses de isolamento social que fazem com que a ansiedade aumente e o consumo de bebidas e alimentos também seja maior, aliado a falta de exercício físico, compromete a saúde e a estética do corpo.

A personal Vivi Freitas afirma que, com uma alimentação saudável aliada a uma rotina de exercícios físicos, realizados inclusive em casa, é possível chegar no verão com um corpo bem mais bonito. “Nesse período de isolamento, onde alguns ainda estão com o receio de retornar às academias, adaptamos a performance dos exercícios para que sejam realizados em casa, de forma que o aluno saia do sedentarismo, ou aumente a quantidade de exercícios que fazia”, explica.

Além dos exercícios direcionados e dos aulões gratuitos, a personal ainda publica mensagens motivadoras a quem se espelha em sua rotina saudável. Os treinos dividem espaço com as receitas fit e de fácil preparação. “Sou mãe de três, sendo duas filhas ainda bebês. Sei da dificuldade de organizar a casa, trabalhar e ainda se alimentar bem. Receitas práticas para o dia a dia ajudam criar a motivação necessárias para cuidar do corpo”, afirma Vivi Freitas.

Em parceria com a ANZ Suplementos, a personal vem desenvolvendo receitas fáceis, fit e boas para sacear a vontade de comer doces durante o dia, ou ainda substituir a proteína no café da manhã ou lanche da tarde. “O ideal é sempre incluir uma proteína nas refeições e diminuir a quantidade de carboidrato ingerido. No entanto, nem sempre temos vontade de preparar algo, ou ainda incluir o ovo (puro). Por isso opto por receitas que dão sabor, saciam e são de baixa caloria”, explica Vivi.





Para o café da manhã a indicação é a Panqueca de Whey.

Ingredientes

½ xícara de whey protein sabor baunilha da @anz_suplementos

½ xícara de iogurte grego light

3 claras de ovo

1 banana (amassada)

½ xícara de aveia em flocos

Extrato de baunilha a gosto (opcional)

Modo de Preparo: Misture todos os ingredientes em uma tigela. Em uma frigideira antiaderente, untada com óleo de coco ou outro óleo vegetal, adicionar um pouco de massa e deixar até́ borbulhar. Virar para dourar o outro lado. Fazer uma torre com as panquecas. Cobrir com calda Mrs Taste sabor de chocolate com avelã zero açúcar, zero calorias da @anz_suplementos.

O proprietário da ANZ Suplementos, Luiz Renato Annuzzi explica que qualquer pessoa pode consumir o Whey Protein, inclusive as pessoas que não fazem exercícios físicos. “O Whey é indicado para as pessoas com dificuldade para ganhar massa muscular, mas se trata de um suplemento alimentar e não substitui uma refeição”, alerta.

Segundo Annuzzi uma pessoa precisa de 1 a 1,2 gramas de proteína para cada quilo de seu peso total, ou seja, quem pesa 70 quilos deve ingerir entre 70 e 84 gramas do nutriente por dia. “Se a pessoa praticar esporte e a intenção for aumentar a massa muscular, a quantidade pode ser aumentada. Mas vale ressaltar que o Whey Protein pode ser substituído na alimentação por files de frango grelhado, queijo minas ou ovos cozidos”, finaliza.


***


Poder público ainda não está preparado para atender as exigências da LGPD

Gestores públicos precisam investir em proteção de bancos de dados e compreender seus direitos e deveres em relação ao uso da informação, alerta especialista da Innocenti Advogados


Depois de muito vaivém, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) entra em vigor neste mês. Enquanto a discussão acerca dos impactos da nova lei para as empresas já está bastante avançada, pouco se tem falado na preparação necessária do poder público para atender as exigências da legislação.

No entanto, é preciso lembrar que o Estado é o grande detentor de informações pessoais dos cidadãos. “O poder público tem domínio sobre uma enorme quantidade de dados pessoais e de dados sensíveis, como informações financeiras e fiscais (Imposto de Renda), de educação (histórico escolar), de saúde (prontuário médico) e de consumo (Nota Fiscal Paulista), entre inúmeras outras”, afirma Vitor F. Oliveira, especialista em Direito Administrativo da Innocenti Advogados.

Para o especialista, o setor público deve se organizar, seja com o treinamento de pessoal e criação de cargos previstos na lei, seja com procedimentos, criação de comitês e assessoria jurídica adequada.

O advogado recorda que, por vários anos, os dados foram coletados sem a devida preocupação quanto à forma de tratamento, armazenamento e finalidade, o que os torna suscetíveis tanto a vazamentos quanto a usos indevidos.

Além disso, alguns dados sob o poder da administração pública são considerados sensíveis, pois tratam de origem racial, étnica, convicção religiosa, convicções filosóficas ou políticas, saúde, vida sexual, genética, entre outros. “A negligência em protegê-los repercute diretamente na esfera pessoal, profissional e social das vítimas”, ressalta Oliveira.

Nesse sentido, chamam a atenção casos recentes que violaram a privacidade das pessoas. Durante a pandemia de Covid, por exemplo, os vazamentos de informações médicas de algumas pessoas infectadas causaram abalos físicos e morais às vítimas. Pessoas infectadas pelo coronavírus e até profissionais da saúde que têm contato com pacientes infectados foram hostilizadas.

Os princípios gerais da LGPD garantem os direitos sobre os dados pessoais, mas garantem também informações de interesse de toda a sociedade. “A mudança da cultura de proteção de dados é urgente e o poder público ainda tem muito a avançar nesse sentido”, completa.


***

STF decide que o IPI incidente na revenda de produtos importados é constitucional

Empresário do setor lamenta a decisão e diz que ela vai contra a OMC


O STF julgou no final de agosto que é constitucional a incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no desembaraço aduaneiro de bem industrializado e na saída do estabelecimento importador para comercialização no mercado interno. Com a decisão, os importadores pagam duas vezes o imposto: a primeira no desembaraço aduaneiro de produto industrializado e a segunda na saída do estabelecimento importador para comercialização no mercado interno, que representa violação ao princípio da isonomia, previsto no artigo 150, II, da Constituição.

No passado, alguns casos chegaram a ser julgados favoravelmente aos importadores pelo STJ, e estima-se que 14 mil empresas brasileiras tinham o processo finalizado ou estavam em processo com liminares para não pagar IPI em duplicidade. Com a queda dessa liminar, o impacto será de aumento de recolhimento de R$68,6 bilhões aos cofres públicos e, consequentemente, aumento de custos do produto final.

Segundo o advogado Alexandre Dalla Vecchia, o impacto imediato no setor de importação é a oneração do produto importado mesmo que pronto e acabado, em um setor que já sofre com a alta carga tributária e volatilidade do dólar. “É recomendável aguardar a finalização do julgamento e, até lá, certamente as empresas que ostentam decisões favoráveis com exclusão do IPI na revenda do produto vão se valer das decisões conquistadas no âmbito do STJ”, explica. “Os desdobramentos de cada caso é particular, e é provável que com o trânsito em julgado já conquistado por alguns importadores, que algum sigam em frente mesmo que com essa decisão contrária em face de todo esse contexto”, completa Vecchia.

A decisão foi recebida com repúdio pelos empresários do setor. O diretor da ES Logistics, Fabiano Ardigó, afirma que essa decisão vai contra a Organização Mundial do Comercio (OMC). “Vemos com preocupação o que aconteceu. O cancelamento da bitributação abriria uma nova perspectiva para o setor de importação no Brasil”, afirma. “Empresas que estavam com liminares com autorização de não recolher o IPI não terão condições de conquistar essa mesma vantagem. A reincidência do imposto na revenda de importados impacta diretamente no valor do produto final pago pelo contribuinte e essa bitributação é um retrocesso para o mercado de importação brasileiro”, completa Ardigó.

A advogada responsável pela área de comércio internacional da Catta-Preta & Salomão Advogados, Maria Eugênia Catta-Preta, dedicou sua dissertação de mestrado na FGV/SP ao tema da não incidência do IPI na revenda de mercadorias nacionalizadas já que, segundo ela, essa discussão é complexa e antiga no país, iniciando-se em 1999 nos tribunais. “Considero que foi uma perda muito grande no debate jurídico a realização de um julgamento virtual, e que não levou em consideração a criação de disparidade entre empresas, inclusive entre importadoras, gerada pelo Judiciário. Lutamos todos os dias para o direito acontecer da forma mais justa possível, mas o direito nos tribunais tem cada vez mais relação com política e economia, do que ele em si”, lamenta Maria Eugênia.

Segundo a advogada, a interpretação da lei precisa acompanhar a evolução do tempo. “Tanto no STF como no STJ, não houve uma análise adequada do contexto apresentado e dos acordos de comércio internacional firmados no âmbito da OMC pelo Brasil. Foi feita uma análise bem superficial que favorece a concorrência desleal e fora dos compromissos internacionais assumidos, o que abre espaço para mais discussões, inclusive nos organismos internacionais. A violação dos Acordos da OMC coloca o país em uma posição delicada que pode ter consequências para a economia como um todo”, alerta a especialista. “Para a indústria nacional, a múltipla incidência do IPI certamente desestimulará investimentos em tecnologia e modernização, e poderá colocar o país em posição ainda mais desfavorável no cenário do comercial internacional”, destaca.

***


sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Como um e-commerce esotérico se tornou uma startup milionária



Conheça a história da Ephemeris e como ela se tornou a startup milionária que busca ser a maior player do mercado esotérico mundialmente


Para desenvolver uma startup precisa de muito mais que uma boa ideia. O processo de criar uma solução inovadora envolve estudar o mercado e resolver o problema de um determinado nicho. O caminho normal de uma startup segue os seguintes passos: identificar um problema, criar um protótipo (conhecido como MVP) e então conseguir investimento anjo para lançar a solução e escalar os serviços da empresa. A solução geralmente vem em forma de tecnologia e conteúdo, como aplicativos e sistemas. Durante essa trajetória, é sabido pelas empresas de Venture Capital, que apenas 1 a cada 6 startups no mundo conseguem alcançar sucesso, 5 morrem ainda no primeiro ano

Com o objetivo de hackear esta estatística, seguindo um movimento inverso ao usual, Daniela Vianna e Guilherme Verri, empreendedores natos, inovaram na própria estratégia de lançamento da empresa. De forma bastante ousada, a dupla não começou pelo desenvolvimento de um app, seguido pela busca do investimento - como de praxe neste ecossistema -, ao invés disso, lançaram a Ephemeris Co como uma loja de e-commerce, que na primeira semana já entregava mundialmente um produto tangível, feito sob demanda. O mercado? O de astrologia, um dos mercados que mais cresce no Brasil e no mundo.

Daniela Vianna, CEO e co-fundadora, conta que o primeiro passo rumo ao que se tornou uma startup milionária, não foi identificar o problema mas sim o mercado e a partir disso oferecer um produto para aquele mercado, analisando como ele reage, compra e funciona. E só então, a partir deste entendimento granular (e remunerado), expandir para a oferta de conteúdo e serviços, que têm o processo de desenvolvimento mais custoso e demorado.

A estratégia funcionou. Impressionantemente, em menos de seis meses, a empresa que até então se autofinanciou, recebeu aporte de investidores e já fatura mais de U$ 1 milhão por ano: "Nosso sucesso como E-commerce nos permitiu a criação de uma base fiel de consumidores de produtos que agora passam a ser também consumidores de conteúdo via aplicativo e assinaturas online. O que a gente fez, com sucesso, foi o caminho reverso, ao invés de começar com um app, começamos com o produto tangível - isso nos permitiu não só nos autofinanciar como também, paradoxalmente, nos tornou muito atrativos aos olhos de investidores, acelerando nossos planos como startup. Com a marca consolidada e um fluxo de caixa saudável, passamos agora a desenvolver outras tecnologias para as duas pontas do mercado, os amantes da Astrologia e os Astrólogos, fazendo também o link entre elas, capacitando aqueles que querem se tornar astrólogos, tarólogos, e numerólogos em geral com o aplicativo, cursos, comunidades e sessões específicas", aponta Daniela.

A Ephemeris hoje possui três linhas de produtos disponíveis no seu website www.ephemeris.co, colares, pulseiras e posters customizados com o mapa astral do cliente, acompanhados por relatórios completos e aprofundados contendo a interpretação do mapa, lunação e o movimentos planetários ocorridos no dia do nascimento. Atualmente a empresa entrega cerca de 1500 unidades mensais, distribuídas para todo o mundo. A tecnologia é Brasileira e a produção é toda feitas nos Estados Unidos.

Mas o objetivo dos sócios é ir além, para dezembro deste ano a empresa lança uma caixa mensal disponível para assinantes, contendo produtos selecionados para ajudar no alinhamento com os movimentos astronômicos daquele mês. A partir de janeiro já será possível fazer parte da assinatura online, recebendo meditações, guias personalizados e conteúdos curados via email e aplicativo; com esta bagagem e força de vontade, o futuro já está traçado.

Sobre Daniela Vianna



Daniela Vianna é empresária, empreendedora serial e estrategista de marketing. Atualmente é CEO da Ephemeris.Co, a startup que desenvolveu ferramentas inteligentes para criação de artes personalizados e está revolucionando a maneira como o mundo pensa e consome produtos e serviços relacionados à astrologia.

Seu caminho para o sucesso começou com seu envolvimento precoce no mundo das startups em 2012. Teve premiações importantes durante competições de negócios como o primeiro lugar na Batalha de Startups e no Startup Weekend, que a levaram a se tornar mentora da aceleradora Americana TechStars.

Daniela é fomentadora ativa do ecossistema de empreendedorismo no Brasil e no mundo e participa constantemente de eventos como jurada e mentora. Suas últimas contribuições incluem participação na banca de jurados do Founders Institute e do Elas Inovam - programa que guia mais de 1000 mulheres inscritas nos caminhos da inovação. 



***


quinta-feira, 17 de setembro de 2020

"Empresária da Maquiagem" é aposta de Catlen Guerra para empoderar mulheres

Influenciadora digital é a 1ª brasileira a dar aulas de maquiagem na M.A.C dos EUA; agora Catlen ensina mais da profissão para tornar mulheres independentes


Catlen Guerra é influenciadora digital com mais de 110 mil seguidores no Instagram. Conhecida por sua atuação no universo das makes no Brasil, Estados Unidos e Europa, Catlen agora está prestes a reunir mais de 300 novas mulheres em sua 16ª turma do “Empresárias da Maquiagem”, um curso que já formou 10 mil mulheres e visa trazer a independência financeira feminina por meio da make ou aprimorar quem já atua na área.

“Minha missão é chegar ao número de 1 milhão de mulheres impactadas e transformadas por meio da maquiagem profissional. Meu princípio é semear e ajudar outras pessoas a crescerem. Eu ensino que não há problema em ensinar tudo que sabemos, por isso, eu passo tudo que sei sobre maquiagem, marketing digital e todas as ferramentas que uma maquiadora precisa, para se tornar independente financeiramente em 3 meses”, explica Catlen.

Destinado as mulheres, a influenciadora digital explica que para participar é necessário ser determinada e resiliente, assim como ela precisou ser quando iniciou no ramo aos 19 anos. “Os alunos podem até entrar sem material, porque ajudo na busca pela monetização até mesmo antes de tê-lo”, diz. Com dois anos de validade, é possível aprender todo o conteúdo em 12 semanas e tirar certificado. Após esse período, há suporte e apoio por mais 1 ano e nove meses. “Formamos uma base de apoio e uma comunidade de ajuda mútua muito importante para as mulheres”, explica Catlen.

Catlen Guerra já participou de feiras, eventos e congressos de maquiagem em Paris, Nova York, Philadelphia, Orlando, Miami, Boston e Berlim, na Alemanha, além de ser a primeira brasileira a dar aula de maquiagem na M.A.C da Times Square de Nova York - a loja referência da marca. Fez seu primeiro curso de maquiagem aos 13 anos e nunca mais parou, buscando especializações no exterior e capacitando maquiadores já formados. Catlen também é especialista em colorimetria e é pioneira no ensino a distância em colorimetria na maquiagem.

Entre as celebridades e famosos que Catlen já trabalhou, estão: cantoras Aline Barros, Perlla, Rebeca Nemer e Cassiane, além da atriz Fabiana Karla. “Sou grata por todas as coisas que aconteceram até aqui e sei que isso é só o início do melhor que está por vir. Sou completamente grata e feliz por ter um propósito na vida, bem definido por Deus. Sou feliz por poder fazer a diferença na minha geração e na vida de outras mulheres”, conclui a influenciadora.

Interessadas podem conhecer mais sobre o Empresárias da Maquiagem pode acessar o link: www.catlenguerra.com até o dia 14/09.

Sobre Catlen Guerra

Catlen Guerra é maquiadora profissional, empreendedora e empresária. Já formou mais de 10 mil alunos no mundo e é a primeira brasileira a dar aulas na M.A.C da Times Square, em Nova York, além de capacitar maquiadores formados na Europa e em todo o Brasil. Fez seu primeiro curso de maquiagem aos 13 anos e passou a atuar na área aos 19 anos, quando assumiu a escola de maquiagem da família, no Rio de Janeiro. Desde então, buscou referências e especializações no exterior. Hoje, além de palestrantes dos principais eventos de maquiagem do mundo, também é especialista em colorimetria, além de ser pioneira no ensino a distância nesse tema.

***



quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Artista plástico Elvis Mourão terá tênis com seu nome

Depois de finalizar uma mostra na Galeria Alma da Rua, na Vila Madalena e de ter uma de suas obras elogiadas pelo cantor Chris Brown nas redes sociais, o artista anuncia o lançamento de seu primeiro produto: um sneakers que levará sua marca

Elvis Mourão, um dos artistas plásticos e ilustrador mais atuantes da cena do grafite de São Paulo, tem atraído muitos fãs para suas divertidas ilustrações em preto e branco com intervenções de rosa. O artista anunciou agora o lançamento de seu primeiro produto e o convite veio da indústria mineira de calçados esportivos Lejon, que proporcionou ao artista criar seu primeiro tênis exclusivo com sua marca.

Muito versátil, Elvis já estampou desde espaços externos como no LollaPallooza, Fachada de shopping Centers, um mural de sete metros em Venice Beach na Califórnia, até um piano customizado para o Pullman Hotels.

Para a Ray-Ban, estampou seus desenhos em uma linha exclusivas de óculos para o dia dos namorados, chamado Amor e Arte que rendeu o prêmio de design chamado “Lusos” em 2018.

O artista emocionou e divertiu a criançada com uma icônica coleção de monstrinhos para a marca de tênis Lejon Footwear. Agora em parceria com a mesma indústria, terá um modelo de tênis que levará seu nome. Para os amantes do skate, um sneakers de cano alto composto por quatro cores: verde, preto, azul e marrom.

Os tênis já podem ser adquiridos em várias lojas de tênis no Brasil, também através da loja virtual da Lejonfootwer. A marca Lejon é uma empresa Mineira fundada em 2001 e focada no público do skate.

Segundo o artista sua inspiração para sua arte é a natureza, as pessoas, os animais ou seja: a vida. “Eu pretendo trazer mais artes para as ruas do Brasil e do mundo. Gosto de tirar sorrisos com meus desenhos, tirar a pessoa da rotina, fazer as pessoas olharem pro lado e perceberem que ao redor dela há arte”. finaliza

Confira alguns trabalhos do artista   aqui.




terça-feira, 15 de setembro de 2020

Camomila: uma aliada natural da beleza

O extrato da planta possui benefícios que vão além do clareamento

"Quando o assunto é cuidado com a saúde estética, os dermocosméticos com formulações naturais são cada vez mais procurados. Isto porque eles contam em sua composição com ingredientes mais puros, que vêm diretamente da natureza, como os extratos e óleos vegetais, e os corantes e pigmentos naturais. Além disto, eles também são livres de compostos que geralmente estão presentes nos produtos convencionais, como parabenos, fragrâncias e corantes sintéticos.

A farmacêutica responsável e CEO da Naiak, Romy Tokarski Gaya, explica que as plantas medicinais são largamente utilizadas nas formulações destes produtos. “Elas possuem ativos que ajudam na melhora da saúde, textura e integridade de pele, cabelo e unhas”, pontua. A de maior destaque é a camomila, planta milenar, presente principalmente na Europa e nas Américas. Rica em compostos bioativos, como sesquiterpenos (α-bisabolol), flavonoides (apigenina, luteolina e quercetina), mucilagens, cumarinas e poliacetilenos, que agem em sinergia promovendo múltiplos benefícios para a estética. “A camomila oferece uma variedade de benefícios tanto para o corpo quanto facial. Vai muito além da tão conhecida ação clareadora “, destaca. Confira o potencial do uso da camomila no cuidado estético:

Clareamento da pele – condições que geram o escurecimento da pele, como melasma, mancha hepática e hiperpigmentação pós-inflamatória, provocada principalmente pela acne, são comuns na população, explica Romy. Segundo um estudo feito por Sehgal e colaboradores em 2011, o extrato de camomila possui ação que ajuda a evitar o escurecimento da pele, podendo auxiliar no tratamento do melasma. Outro estudo, recente (2019), feito por Imokawa reúne achados sobre os benefícios da camomila no controle das machas hepáticas. Neste mesmo artigo, o autor cita um estudo clínico que mostrou o potencial da planta na redução da hiperpigmentação da pele, ao ser associada à exposição dos raios UVB.

Auxiliar no tratamento da acne - uma das doenças dermatológicas mais comuns, a acne possui a sua patogênese atribuída a hiperproliferação de bactérias Cutibacterium acnes e mecanismos inflamatórios, além de outros fatores. Assim, devido a presença de flavonoides e do α-bisabolol, a camomila possui atividade farmacológica anti-inflamatória e purificante da pele, e devido a presença de mucilagens, ajuda a promover um efeito protetor e cicatrizante, destaca Romy. Seu extrato pode ser incorporado em géis, espumas, loções e sabonetes.

Alterações dermatológicas inflamatórias – O extrato da camomila tem sido utilizado, de forma segura, para auxiliar no tratamento de algumas doenças de pele, como psoríase e dermatite, por ajudar na redução da inflamação, feridas e coceiras, pontua a farmacêutica. Um estudo feito por Santos e colaboradores, em 2019, demonstra como o uso do extrato, em diversas formas farmacêuticas (cremes, loções, óleos e entre outros) é benéfica em auxiliar no tratamento de eczemas e irritação após exposição solar em excesso, rosácea e dermatites.

Efeito antiaging na pele – em 2015, um estudo feito por Jadoon et al, mostrou que a presença de compostos como terpernos, polissacarídeos, α-bisabolol e apigenina, tem relação com os benefícios antiaging do uso camomila, na pele. De acordo com o autor, o uso tópico do extrato auxilia no aumento da hidratação da pele, na reparação do estrato córneo e na redução da perda de água.

Saúde capilar - a presença da apigenina, um flavonoide de cor amarelada, é uma das principais responsáveis pelo efeito de clareamento natural dos fios. Este composto é capaz de se complexar a alguns minerais e revestir a queratina, e assim, quando há incidência de luz, gerar o aumento dos reflexos luminosos no cabelo, esclarece Romy. Além disso, um estudo feito por Feda (2002) mostrou que o uso do extrato de camomila promove crescimento, limpeza e amaciamento dos fios.


Sugestão de produtos:



 

Chamomile Blond – Formulado para realçar a beleza natural, é um spray iluminador 100% natural e vegano, formulado à base do extrato natural de camomila e enriquecido com D-pantenol, proporcionando brilho, hidratação e clareamento gradual dos fios. É livre de agentes clareadores artificiais, não danificando os fios.

Chamomile & Aloe – Uma espuma de limpeza 100% natural, vegana e livre de parabenos, com extratos de camomila e aloe vera, que remove as impurezas da pele de forma suave e auxilia na hidratação cutânea.

Flor de Chamomile
– é um óleo 100% natural, vegano, livre de parabenos, corantes, aromatizantes e não é testado em animais! Rico em ativos concentrados do extrato de camomila e dos óleos de argan e jojoba, propiciando leveza, hidratação e efeito calmante. Pode ser usado para o cuidado na pele e nos cabelos!

Compre em nossa loja virtual: www.naiak.com.br


***

Maratona da Criatividade: Full Sail University empodera alunos brasileiros para melhorar o mundo com produção de curtas-metragens


Luz, câmera, ação e é só começar a gravar um vídeo de até três minutos com propostas criativas para solucionar problemas relacionados ao Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 elaborada pela ONU. O Brasil vai disputar com USA, Índia, Colômbia e México. As inscrições se encerram no dia 30 de setembro.


Brasil, setembro 2020: Muitos dos diretores de cinema mais renomados do mundo começaram a produzir seus filmes ainda quando criança, entre eles Steven Spielberg. Na época, ele fazia pequenos filmes caseiros, usando uma câmera Super-8, com as suas três irmãs mais novas como atrizes. Mas sua carreira começou pra valer aos treze anos de idade, quando venceu um concurso de curtas com um filme de 40 minutos que falava sobre guerra. A partir daí foi só sucesso: aos dezesseis anos teve o seu primeiro filme, Amblin (1963) premiado no Festival de Veneza e com vinte cinco anos de idade já trabalhava em Hollywood.

Histórias como a desse vencedor de quatro Oscars e diretor de filmes, que já arrecadaram cerca de dez bilhões de dólares, podem se repetir no Brasil. E o desafio internacional para escolas brasileiras vai começar com a pergunta. Qual o impacto que você quer causar no mundo? Esta questão será feita para estudantes de 50 escolas convidadas do Brasil para o projeto Maratona da Criatividade, promovido pela Full Sail University, localizada na Flórida (Estados Unidos).

Para participar, os alunos de escolas convidadas precisarão fazer um curta metragem de 3 minutos retratando alguma maneira de solucionar os problemas listados na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, que vão desde acabar com a fome e a pobreza do mundo, promover saúde, bem-estar, energia, saneamento a todos até uso sustentável dos ecossistemas.

As escolas dividirão os alunos em grupos de no máximo cinco integrantes. O vídeo a ser produzido deve ter, no máximo, três minutos, além de ser postado no Facebook com as diretrizes do concurso, e a criatividade deverá ser o personagem principal.

Mas, nesse roteiro, os estudantes não estarão sozinhos, eles receberão mentoria online com profissionais especializados em sustentabilidade, audiovisual, edição, design thinking, multilinguagens e outras áreas. Tudo para ajudar os grupos na concepção de seus vídeos.

Para Carol Olival, Community Outreach Director, a Maratona da Criatividade vai ensinar o aluno, a partir do 9.º ano, a produzir vídeos de até três minutos, em inglês. E como o tema é focado nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) será, acima de tudo, uma oportunidade que as escolas brasileiras estão recebendo de agirem como agentes promotores de sustentabilidade, enquanto desenvolvem habilidades importantes para o aluno

“Nesse desfio global o participante vai aprender a ter uma postura empreendedora, trabalhar bem em equipe e ser bom comunicador", comenta Carol ao informar que as inscrições estarão abertas apenas para as escolas até 30 de setembro. É grátis e o prazo é inegociável.

Cronograma:

13 de outubro Anúncios de abertura

17 de outubro Aula Virtual: Sustentabilidade e Escrita de Roteiros

24 de outubro Aula virtual: filmagem e edição

7 de novembro - Prazo para envio de vídeo

21 de novembro Cerimônia de Prêmio Virtual



Premiação:

1º lugar Regional: Troféu Maratona de Criatividade; Os Mentores do Grupo e alunos do ensino médio da equipe vencedora receberão um GoPro Hero8, mas o Black Bundle que inclui GoP¬ro Hero8 Black, Shorty grip, Head Strap, um cartão SD de 32GB e bateria sobressalente

Prêmio de Menções Honrosa: Troféu da Maratona de Criatividade 2020.

1º lugar global: Troféu Global Creativity Marathon 2020. Os Mentores do Grupo e alunos do ensino médio da equipe vencedora receberão um cartão-presente de $100 e uma semana de experiência virtual na Full Sail Labs.



Serviço: Maratona da Criatividade

Inscrição: As escolas podem se inscrever até dia 30/09 no e-mail: colival@fullsail.com

Regras: O vídeo deverá ser enviado em formato MP4 ou MOV. Qualquer comentário que não seja em inglês na entrada do vídeo deve ser acompanhado de legenda.

Qualquer terceiro não é elegível e não pode incluir nomes / logotipos de marcas registradas ou com direitos autorais, exceto do Patrocinador.

A universidade mantém, também, um canal no Telegram, onde posta diariamente todas as atividades que acontecerão no próprio dia. Para fazer parte desse grupo basta acessar o link https://t.me/fullsailbrazilcommunity

Confira também nosso cursos, eventos e palestras que serão disponibilizados online no mês de setembr http://www.experienciafullsail.com.br/

Para mais informações sobre os programas, cursos, estúdios da Full Sail University e também bolsas de estudo e desenvolvimento de carreiras, visite o site http://www.fullsail.edu.



Sobre a Full Sail:

Localizada na Flórida (EUA), a Full Sail University é reconhecida como uma das mais importantes universidades na indústria do entretenimento. A instituição oferece mais de 90 cursos, voltados para as áreas de entretenimento, media, artes e tecnologia. Todos eles de associados, bacharelados e mestrados, além dos Labs, curso de verão intensivo com duração de uma semana,

Hoje conta com mais de 16 mil estudantes de 73 países diferentes. A universidade já formou profissionais cujos projetos foram reconhecidos nas principais premiações do segmento, como Grammy’s e Oscars.


***

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Advogadas denunciam falhas da legislação eleitoral brasileira


Com minirreformas que acontecem nos anos que antecedem as eleições, o Brasil se destaca mundialmente no processo de organização estrutural dos pleitos. No entanto, uma parte importante do processo eleitoral ainda é problema, já que muitas campanhas acontecem sub judice, devido aos prazos curtos para o reconhecimento do registro de candidatura e julgamento de um número crescente de ações judiciais para as quais a sentença pode ser proferida após a diplomação e posse.

“A legislação eleitoral brasileira é uma colcha de retalhos mal costurada e cheia de pontos soltos. É preciso que o contencioso eleitoral seja um meio de instrumentalização da democracia e não mera justificativa para acessar o judiciário”, critica a advogada eleitoralista e administrativista e sócia do escritório Garcia e Macedo Advocacia, coordenadora institucional da Abradep, Viviane Macedo. Ela participou, nessa terça-feira, dia 18 de agosto, da videoconferência “Processo Eleitoral” no 1º Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral (Conbrade).

Macedo enfatiza, ainda, que, no processo contínuo de normatização eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem transbordado, e muito, no poder regulamentar que seria apenas o de organizar a eleição propriamente dita (convocação de mesários, compra de urnas eletrônicas, datas, apuração e divulgação do resultado). “Além de discutir a aplicação da lei alterada a cada dois anos, há resoluções do TSE que acabam criando direito, o que força o Congresso Nacional a incluir artigos nas leis que tratam da matéria, quando deveria ser o contrário, já que cabe ao poder Legislativo julgar e ao poder Judiciário julgar. Nesse cenário, não há nem a separação do poder, o que garante a representação popular por meio da eleição direta e periódica”, aponta.

A advogada Maria Claudia Bucchianeri destaca a dificuldade imposta pela legislação eleitoral, para o julgamento das ações relativas aos crimes eleitorais. “Como pode uma pessoa sofrer quatro ações diferentes pelo mesmo fato? Como cada ação pode ser distribuída a juízes diferentes, em ritmos de tramitação distintos, com sentenças diferentes, se tem como base o mesmo acervo probatório?”, questiona.

Bucchianeri ressalta que o artigo 96B da lei nº 9504/97 (Lei das Eleições) representa uma possibilidade de racionalizar o sistema, já que reúne ações sobre matérias iguais para um julgamento único. No entanto, esse dispositivo corre risco graças a uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI) que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

A advogada, professora, doutora em Direito Público pela UFMG e coordenadora da Transparência Eleitoral, Marilda Silveira, aponta a importância de se resguardar a estabilidade jurídica do processo eleitoral. “Os ministros e desembargadores passam pela Justiça Eleitoral rapidamente e é natural que resgatem conhecimentos que já dominam em outras áreas. Mas o universo do Direito Eleitoral é muito diferente das demais especialidades do Direito. A legislação eleitoral não existe para ‘pegar pessoas’, mas para resolver problemas de instabilidade. A rotina de cassações que acontece no Brasil, todas as semanas, é uma solução ruim e ineficaz”, conclui.


***

Saiba como utilizar produtos de limpeza da maneira correta



Entender a função de cada produto, quantidade e como usá-lo faz toda diferença no dia a dia


Já são alguns meses em casa, seguindo o distanciamento social que a pandemia de covid-19 impôs e, como nem todos têm - ou tinham - afinidade com a limpeza do lar, ficou ainda mais evidente a sua importância. Se, antes da pandemia, delegávamos a função a diaristas, ou até mesmo empregadas domésticas, passamos a ser nós os próprios responsáveis pela limpeza e manutenção e, com isso, as dúvidas em relação ao modo de uso, quantidade e quais cuidados devemos ter com os produtos de limpeza surgiram. Para esclarecer o assunto, Renato Ticoulat, presidente da Limpeza com Zelo, rede especializada em residências, traz alguns pontos importantes.

Utilize luvas

Embora possa parecer inofensivo, alguns produtos utilizados diariamente, como detergente, podem causar alergias sérias. Por isso é recomendado usar luvas em todas as tarefas da casa, desde que cada cômodo tenha o seu par, e jamais utilizar o mesmo na limpeza do banheiro e da cozinha, por exemplo, para evitar a contaminação cruzada.

Nunca misture dois ou mais produtos químicos

Misturar água sanitária e sabão em pó talvez passe a impressão de potencializar os resultados, mas a verdade é que a combinação emite gases nocivos a nossa saúde. Cada produto deve ser administrado separadamente e é importante ler os rótulos e seguir a recomendação do fabricante.

Concentração dos produtos

É importante observar a função de cada produto e saber seu índice de concentração: quanto maior, menos quantidade deve ser utilizada para, assim, evitar desperdícios. Também é fundamental saber se o produto deve, ou não, ser diluído em água.

Armazenamento em segurança

Atualmente, embora os apartamentos têm espaços reduzidos, não é necessário uma grande área para guardar os produtos de limpeza. Basta ter organização e separá-los de acordo com o seu uso, como produtos para as roupas, limpeza da cozinha, do banheiro, etc. Por ser inflamáveis, devem ser armazenados longe do fogo.

Outras dicas

Por ter em sua composição diferentes agentes químicos, os produtos podem causar alergias. Nesse caso, deve-se procurar por ajuda médica. E, como estamos intensificando o uso de álcool em gel, principalmente nas mãos, por conta da pandemia, é válido ter um cuidado extra e evitar proximidade com fogo após o uso. Também é recomendado utilizar panos diferentes para cada cômodo da casa e a limpeza fica mais fácil quando começamos de dentro para fora.

Sobre Limpeza com Zelo

Focada em limpeza residencial, é uma spin off da rede de franquias Jan-Pro, líder em limpeza comercial no mundo e que está presente no Brasil há 10 anos. O objetivo da rede é oferecer às residências brasileiras a mesma qualidade garantida aos escritórios, que faz uso de produtos e equipamentos com tecnologia de ponta, aprovados e com certificação Green Seal, garantindo sua aplicação sustentável. Atualmente a rede conta com 27 unidades. Para mais informações, acesse: www.limpezacomzelo.com.br

***


Setembro Amarelo evidencia alerta para os sintomas da depressão

Mesmo com aulas remotas, escola ainda pode ser aliada da família para observar e se aproximar de crianças e adolescentes


Setembro foi eleito o mês da prevenção ao suicídio pela Associação Brasileira de Psiquiatria e pelo Conselho Federal de Medicina e traz uma reflexão importante sobre o assunto. É um tema delicado e muito evitado, mas é preciso manter o diálogo aberto em casa e observar possíveis sinais de que a criança precisa de ajuda. A escola, que sempre foi um ponto de apoio para a família, agora ficou atrás das telas. O isolamento causado pela pandemia, fez o caminho mudar.

A observação do comportamento da criança é feita no dia a dia, com a convivência. As aulas remotas mudaram a forma de lecionar e de administrar o relacionamento com as famílias. “Isso nos trouxe o alerta e fez com que procurássemos outras maneiras de aproximação dos estudantes. Incentivamos nossos profissionais a manterem esse contato mais próximo e um canal aberto com cada aluno e cada família, além de trabalhar o tema ‘Estou aqui por você’ em nossas unidades”, conta Marizane Piergentile, diretora de educação da rede Adventista do ABCDM e Baixada Santista.

“Sempre observamos de perto o comportamento. Os professores sabem o que é o normal de cada um. Ao perceber mudanças que possam indicar o início de depressão ou de ansiedade procuramos, junto aos pais, acompanhar essa criança e, se necessário, encaminhar a profissionais da área médica”, complementa a diretora.

Quando a pressão aumenta para a criança ela precisa saber que tem pontos de apoio para procurar. Esse lugar pode ser preenchido por uma ou mais pessoas, como pais, amigos e professores. Marizane alerta para o cuidado com o tema. “É uma conversa delicada, mas os pais precisam estar atentos. Nem sempre a criança consegue identificar que precisa de ajuda, mas ela pode demonstrar com atitudes esse pedido.”

Alguns pontos de atenção para perceber quando agir são: agressividade, choro fácil, isolamento, excesso ou perda de sono e/ou fome. “Além disso, qualquer comportamento diferente deve ser observado. Tudo isso pode ajudar a dar sinais de alerta aos pais e educadores para buscar acompanhamento profissional”, afirma Piergentile.

Sobre o Colégio Adventista

As regiões do Grande ABC e Litoral Paulista contam com 8 unidades de Educação Adventista, que atende alunos do maternal ao ensino médio. A rede, presente em mais de 145 países representada por cerca de 8.500 instituições, faz a diferença ao redor do mundo com os mais de 105 mil professores capacitados e comprometidos com a formação de qualidade de cerca de 1,9 milhão de alunos.

Unidade Santo André I
Avenida dos Andradas, 367, Vila Assunção – Santo André – SP
Telefone: (11) 4468-5800 - https://santoandre.educacaoadventista.org.br/

Unidade Santo André II
Rua Teófilo Otoni, 20, Jardim Utinga, Santo André- SP
Telefone: (11) 4463-9800 - https://utinga.educacaoadventista.org.br/

Unidade São Bernardo
Rua Dois de Outubro, 33 – Pq. Nova Petrópolis – São Bernardo do Campo – SP
Telefone: (11) 4334-7800 - https://saobernardo.educacaoadventista.org.br/

Unidade São Caetano
Rua Marlene, 500 – Vila Gerty – São Caetano do Sul – SP
Telefone: (11) 4233-3800 - https://saocaetano.educacaoadventista.org.br/

Unidade Diadema
Rua Manoel da Nóbrega, 400 – Diadema – SP
Telefone: (11) 4099-6800 - https://diadema.educacaoadventista.org.br/

Unidade Mauá
Rua Amador Bueno, 43 – Vila Dirce – Mauá – SP
Telefone: (11) 3579-3999 - https://maua.educacaoadventista.org.br/

Unidade Praia Grande
Rua Jorge Hagge, 335 - Aviação - Praia Grande/SP
Telefone: (13) 3596-9393 - https://praiagrande.educacaoadventista.org.br/

Unidade Santos
Rua Guararapes, 39 - Vila Belmiro - Santos/SP
Telefone: (13) 3257-1800 - https://santos.educacaoadventista.org.br/


***

NÓS TEMOS UM PRESENTE PARA VOCÊ








Independência da cerveja: descubra como a bebida trazida pelos portugueses caiu no gosto dos brasileiros

Independência da cerveja: descubra como a bebida trazida pelos portugueses caiu no gosto dos brasileiros

O beer sommelier da cervejaria Berggren, Robson Vergillio, fala sobre as primeiras cervejas produzidas no país e explica como elas chegaram no Brasil



No dia 07 de setembro é comemorada a Independência do Brasil. A data celebra a Declaração da Independência do país do Império Português, promulgada em 1822. Muitos não sabem, mas uma das bebidas mais consumidas em nosso país, a cerveja, chegou antes da independência e foi bastante consumida pelos portugueses que moravam aqui. Se antes o mercado era limitado e com pouca variedade, hoje os consumidores podem explorar novos sabores e estilos com as cervejas artesanais.

Segundo dados divulgados pela startup myTapp, em 2018, o Brasil contava com 889 cervejarias operantes e cadastradas no MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Já em fevereiro deste ano, o mercado abrigava por volta de 1.171 estabelecimentos. “Por conta da facilidade de conseguir informações através da internet, os brasileiros estão mais informados e interessados em descobrir os sabores, estilos e combinações que uma cerveja artesanal é capaz de proporcionar”, explica Robson Vergillio, beer sommelier da cervejaria Berggren.

O início de tudo

Quando as primeiras indústrias de cervejas nacionais foram implantadas no país, as bebidas recebiam o nome de cerveja barbante, já que elas eram envasadas como os “growlers” de hoje em dia e os barbantes é que seguravam as rolhas das garrafas para evitar que saltassem por conta do gás da bebida engarrafada. “No fim do período monárquico, as cervejarias brasileiras deram os primeiros passos, e foi a família real portuguesa responsável por trazê-las ao Brasil”, afirma Vergillio.

Para evitar que a bebida conquistasse o paladar de todos, e no intuito de incentivar o consumo do vinho que era produzido em Portugal, a produção da cerveja era apenas para as famílias de imigrantes. “No Brasil, as primeiras cervejas vendidas recebiam o nome de Gengibirra e Caramuru. A Gengibirra era feita com cascas de limão, água, farinha de milho e gengibre, e custava 80 réis. Já a Caramuru, levava em sua receita gengibre, milho, água e açúcar mascavo, e tinha um preço mais acessível, custava 40 réis”, ressalta o beer sommelier.

A partir de 1840, os primeiros alemães começaram a chegar ao Brasil e fizeram com que a bebida ficasse ainda mais relevante no país, pois eles foram os responsáveis em dar continuidade na cultura cervejeira implantada pelos colonizadores. Depois disso, a cerveja caiu no gosto dos brasileiros e foi crescendo cada vez mais através de grandes cervejarias que foram surgindo no decorrer da história do Brasil. “Hoje é possível encontrar facilmente, em qualquer local, cervejas cada vez mais elaboradas e que levam em sua composição chocolate, café e manga”, finaliza Vergillio.

Sobre a Berggren

A Berggren é uma cervejaria que foi oficialmente inaugurada em novembro de 2015. Quem está à frente dos trabalhos é o Diretor Geral Lucas Berggren. A empresa teve seu projeto iniciado entre 2008/2009, quando a família Berggren começou a estudar o funcionamento dos equipamentos para a montagem da fábrica e entre 2013/2014 a família, que tem atuação na indústria têxtil, ganhou um fôlego financeiro e deu retomada definitiva ao projeto.

Produzindo cervejas de estilo clássico, e outras inspiradas na Escola Americana, a Berggren Bier conta com uma fábrica piloto (com laboratório e estrutura de envase) para testar as cervejas – algo presente em poucas cervejarias do país.


***

Kopenhagen inaugura nova loja em Guarulhos



"A loja será aberta ao público dia 5 de setembro e tem estrutura diferenciada com área específica para Pets, coworking rotativo e espaço Kids"


No coração de Guarulhos, em frente ao Bosque Maia, vai inaugurar uma nova franquia Kopenhagen que além das tradicionais delícias da marca icônica de 92 anos, ainda vai oferecer aos clientes: estacionamento, espaço para pets, coworking rotativo para clientes, mesas ao ar livre e espaço Kids.

A loja é nova, mas os franqueados à frente de mais esse empreendimento, Carlos e Ana Paula Escarlate, já possuem outra franquia da marca no Shopping Maia.

“Abrimos a nossa primeira loja Kopenhagen em 2012, a segunda que é a do Shopping Maia foi inaugurada em 2015 e agora, em plena pandemia, fomos surpreendidos com a oportunidade de mudarmos a nossa primeira loja de endereço para um espaço maior e ponto privilegiado. Nosso novo espaço está formatado para ser uma das lojas mais completas e modernas da rede. Vamos oferecer aos nossos clientes uma estrutura diferenciada e inédita aqui em Guarulhos e, além do espaço físico totalmente desenvolvido para oferecer o máximo de conforto e conveniência, vamos colocar à disposição dos clientes toda a nossa expertise de oito anos à frente de duas franquias da marca, que sempre foram sinônimo e referência de excelência e qualidade! ”, explica o franqueado Carlos Escarlate.

A loja será aberta ao público no próximo sábado, dia 5 de setembro, e está seguindo todos os protocolos de higiene e saúde para receber aos clientes com o máximo de segurança e conforto. Aos clientes que preferirem a loja também vai operar em sistema delivery pelo whatsapp.


SERVIÇO

Endereço: Av Paulo Faccini 1487
Contato para Delivery: (11) 99278-4023 ou (11) 99331-0280
Horário de atendimento: Terca a sábado: 9h às 22h, domingo e segunda: 9h às 21h


SOBRE A KOPENHAGEN


Marca de luxo com 92 anos de história que se mostra ousada e inovadora. Esta é a Kopenhagen, líder e precursora no segmento de chocolates finos no Brasil que, desde 1928, está presente nos mais doces momentos dos fãs e apreciadores dos sabores únicos de seus produtos.A Kopenhagen demonstra ser a escolha certa na hora de presentear ou degustar clássicos, como Nhá Benta, Língua de Gato, Chumbinho, Lajotinha, Bala Leite ou Cherry Brandy. Hoje, a marca possui mais de 400 lojas espalhadas pelo Brasil, duas delas lojas-conceito, uma na cidade de São Paulo, na Rua Oscar Freire, e a outra no Rio de Janeiro, no Village Mall.


***



domingo, 13 de setembro de 2020

4ª Semana do Médico-veterinário foca o mercado no pós-pandemia




Painéis serão on-line e trarão luz aos desafios e às oportunidades de um futuro próximo


De 08 a 11/09, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) realizará a 4ª edição da Semana do Médico-veterinário (SMV), para celebrar o dia dos profissionais (09/09). Os painéis serão on-line e abordarão não apenas os entraves trazidos pela pandemia de Covid-19, mas as oportunidades que o momento representa.

“Diante dos desafios, profissionais e empresas da Medicina Veterinária têm diversas possibilidades de crescimento. É preciso atenção e visão estratégica para aproveitá-las”, frisa o presidente do CRMV-SP, médico-veterinário Mário Eduardo Pulga.

A 4ª SMV está alinhada a duas campanhas realizadas pelo Regional no 1º semestre: “Cuidando de quem cuida” – com publicações sobre saúde física, emocional e financeira, tanto no âmbito profissional quanto no pessoal –, e a “Tem sempre um médico-veterinário cuidando de você” – com material cujo foco foi a valorização dos profissionais nas variadas frentes de atuação.

Assim como as campanhas, a SMV aproveita este período de mudanças cruciais para fomentar diálogos que vão na direção do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de número três da Organização das Ações Unidas (ONU): “Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades”.

Habilidades humanísticas e de gestão são demandas iminentes

Para aproveitar as oportunidades e driblar os desafios, o cenário requer bom planejamento e preparo multidisciplinar. “Além dos pilares básicos – boa formação, especialização e certificações –, o profissional deve buscar habilidades humanísticas e de gestão que agreguem visão estratégica e boa comunicação”, frisa Pulga.

Neste sentido, dois dos painéis da 4ª SMV trarão discussões sobre o que deve ser prioridade quando os assuntos são carreira profissional, negócios, comunicação assertiva e inteligência emocional para lidar com a nova realidade de mercado e de relações sociais.

Protocolos sanitários exigem rigor

A necessidade de investir nessas habilidades não significa que o aspecto técnico ficou em segundo plano. Pelo contrário. Com o risco de contaminação pelo Sars-Cov-2, os protocolos sanitários foram intensificados.

“Essas condutas exigem um rigor que já deveria ser uma preocupação dos médicos-veterinários, como agentes de saúde que são”, enfatiza Rodrigo Rabelo, diretor do Grupo de Estudos de Medicina Veterinária Intensiva da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), que participará do painel da SMV sobre protocolos sanitários.

Um novo olhar sobre a Medicina Veterinária

Diante dessas demandas de diferentes naturezas, novas necessidades se apresentam também às instituições que atuam junto aos setores da Medicina Veterinária. As entidades precisarão reavaliar diretrizes continuamente, a fim de identificar condutas inovadoras, prezando pela ética e profissionalismo.

Por isso, a 4ª SMV contará, ainda, com um painel sobre as novas perspectivas para a Medicina Veterinária enquanto classe profissional. A conversa será em torno dos impulsos de aperfeiçoamento gerados por este ambiente de transformações aceleradas.

Confira a programação da 4º Semana do Médico-veterinário:

08/09, das 19h às 21h

Painel: Novas perspectivas para a Medicina Veterinária

Palestrantes: Mário Eduardo Pulga, presidente do CRMV-SP; João Abel Buck, presidente da ABHV; e Márcio Thomazo Mota, presidente da Feveresp e integrante de comissões do CRMV-SP.

INSCREVA-SE

----------------------------------------------------------

09/09, das 19h às 21h

Painel: Profissionais e negócios no pós-pandemia

Palestrantes: Marco Antônio Gioso, prof. livre-docente da FMVZ-USP; Jane Albinati Malaguti, consultora do Sebrae-SP; Danielle Lima, consultora de carreira.

INSCREVA-SE



----------------------------------------------------------

10/09, das 19h às 21h

Painel: Protocolos sanitários: o que aprendemos com a Covid-19?

Palestrantes: Andréa Figueiredo, superintendente do Mapa em SP; Rodrigo Rabelo, membro do Grupo de Trabalho de Medicina Veterinária da Amib; e Leonardo Burlini, coordenador técnico do CRMV-SP.

INSCREVA-SE



----------------------------------------------------------

11/09, das 19h às 21h

Painel: Inteligência emocional e comunicação: as novas habilidades essenciais

Palestrantes: Sílvia Correa, médica-veterinária com atualização em neurociência e comportamento humano; Joelma Ruiz, psicóloga com atuação em terapia do luto para médicos-veterinários; e Ana Maria Paes Julião, consultora empresarial com atuação em Comunicação e Empreendedorismo.

INSCREVA-SE


----------------------------------------------------------

*Os interessados farão um cadastro e a inscrição nos painéis escolhidos pela plataforma Sympla. As palestras acontecerão no Zoom. Todas as instruções serão enviadas aos inscritos por e-mail.



Sobre o CRMV-SP

O CRMV-SP tem como missão promover a Medicina Veterinária e a Zootecnia, por meio da orientação, normatização e fiscalização do exercício profissional em prol da saúde pública, animal e ambiental, zelando pela ética. É o órgão de fiscalização do exercício profissional dos médicos-veterinários e zootecnistas do estado de São Paulo, com mais de 39 mil profissionais ativos. Além disso, assessora os governos da União, estados e municípios nos assuntos relacionados com as profissões por ele representadas.


***




sábado, 12 de setembro de 2020

Cuidado com o chip da beleza - Por: Rodrigo Ferrarese




*Por Rodrigo Ferrarese


Embora alguns implantes ajudem na perda de peso e na redução da celulite, hormônios não devem ser prescritos para fins estéticos. Lembre-se: efeitos secundários podem ser bons, ou ruins.

Vamos começar pelo nome: esqueça o termo “chip da beleza”. Primeiro, porque não se trata de um chip, mas sim de implantes, que são tubos de material inorgânico utilizados como uma via de administração de medicamento. Depois, porque a informação de que esse implante está relacionado à beleza não tem qualquer apoio da medicina ou de estudos clínicos.

O nome “chip da beleza” surgiu com o uso da gestrinona, medicamento muito usado no tratamento de endometriose, e que apresenta como efeito secundário uma ação androgênica, ou seja, aumenta os níveis de testosterona no organismo.

Observou-se então que o implante de gestrinona pode auxiliar a mulher a ter seu metabolismo acelerado e a melhorar seu perfil de musculatura e massa magra. Associada a exercícios físicos e dieta correta, o hormônio permite uma melhor definição do corpo, perda de peso e diminuição da celulite. Ainda, o “chip da beleza” melhora a disposição e aumenta a libido.

Mas é bom lembrar que assim como qualquer implante hormonal, o “chip da beleza” também pode apresentar efeitos colaterais negativos. No caso da gestrinona, é possível citar maior oleosidade e queda de cabelo (calvície), acne, aumento de retenção hídrica (inchaço), sangramento irregular, entre outros.

Assim, a gestrinona deve ser utilizada apenas para cumprir seu papel primário, que é o de tratar doenças como endometriose, adenomiose, miomatose (miomas), tensão pré-menstrual (TPM), reposição hormonal da menopausa, ou mesmo como método anticoncepcional.

Sobre Dr. Rodrigo Ferrarese

O especialista é formado pela Universidade São Francisco, em Bragança Paulista. Fez residência médica em São Paulo, em ginecologia e obstetrícia no Hospital do Servidor Público Estadual. Atua em cirurgias ginecológicas, cirurgias vaginais, uroginecologia, videocirurgias; (cistos, endometriose), histeroscopias; ( pólipos, miomas), doenças do trato genital inferior (HPV), estética genital (laser, radiofrequência, peeling, ninfoplastia), uroginecologia (bexiga caída, prolapso genital, incontinência urinaria) e hormonal (implantes hormonais, chip de beleza, menstruação, pílulas, Diu...). Mais informações podem ser obtidas pelo canal no YouTube e também pelo Spotify ou pelo site https://drrodrigoferrarese.com.br/


***



sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Senado deve votar proposta que transfere recursos do Fust para famílias de baixa renda


O Plenário do Senado deve votar na próxima semana uma proposta que transfere recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para as famílias que integram o CadÚnico (Cadastro Único) para programas sociais do governo. A medida seria válida enquanto durar a emergência de saúde pública internacional causada pelo novo coronavírus. 

O objetivo da proposta é garantir que a população de baixa renda tenha acesso a serviços como telefonia fixa, móvel e internet para enfrentar os efeitos do isolamento social. A ideia é transferir R$ 100 diretamente para cada família, que teria liberdade para escolher as operadoras disponíveis. 


***

APRENDA A FAZER PANETONES ARTESANAIS E 

GANHE DINHEIRO NESSE FINAL DE ANO.

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Setor automotivo também tem de cuidar da segurança por causa do coronavírus




Protocolo do Sebrae faz algumas recomendações para o segmento, principalmente na higienização e contato entre para funcionários e clientes


Em meio à crise do novo coronavírus, o Sebrae está elaborando alguns protocolos para orientar alguns setores de como proceder nesse período para proteger tanto funcionários como clientes. Um deles é o segmento de automotivos que, assim como os demais, deve adotar sempre a regra básica, que é usar o álcool 70% para higienização das mãos e solas do sapato, além do borrifador ou tapete com desinfetante. A crise causada pela doença mudou a dinâmica das grandes cidades, fechou escolas, trouxe a necessidade do trabalho remoto e parou a economia do país.

O protocolo elaborado pelo Sebrae é para orientar o pequeno negócio do setor automotivo. O principal objetivo é com a segurança e a saúde de trabalhadores, gestores e clientes, além de trazer informações para que o consumidor conheça as boas práticas do segmento se sinta confiante para voltar à rotina. Uma das recomendações é que os funcionários tenham um espaço para guardar bolsas e itens pessoais e que tragam o mínimo possível, de objetos pessoais para o trabalho.

É importante criar rotinas de higienização de superfícies como mesas, bancadas além de telefones, monitores, teclados, canetas, entre outros e instale placas ou similares com orientações de como proceder a lavagem das mãos, higiene respiratória e outros cuidados necessários e que o ambiente de trabalho tenha boa ventilação. As máscaras faciais são sempre necessárias, assim como a adequação da capacidade de público do estabelecimento, de modo que seja possível minimizar o contato.

A regra básica é manter o distanciamento mínimo entre pessoas nas filas na entrada ou para o pagamento e instalar, se for possível, barreira de vidros/acrílicos nos caixas para manter a distância e o contato entre colaborador e cliente. Outra dica é planejar um espaço separado para recepção de mercadorias, estoques e outros insumos.

Os colaboradores devem ser orientados sobre a prevenção de contágio pelo coronavírus (Covid-19) e a forma correta de higienização das mãos, com utilização de água e sabão em intervalos regulares. A empresa automotiva, conforme os protocolos do Sebrae, deve orientar os trabalhadores com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus antes de ingressar no ambiente de trabalho e instituir mecanismos e procedimentos para que os funcionários possam reportar aos empregadores se estiverem doentes ou experimentando sintomas.

As pessoas do grupo de risco e acima de 60 anos, assim como colaboradores que residem com pessoas do grupo de risco, não devem exercer atividades de contato com o público direto. É importante manter distância segura entre os trabalhadores, considerando as orientações do Ministério da Saúde e as características do ambiente de trabalho.

Conforme a protocolo do Sebrae, é importante também priorizar medidas para distribuir a força de trabalho ao longo do dia, evitando concentrá-la em um turno só.


Cuidados pontuais
  • Em relação aos clientes, uma das sugestões é fazer agendamento e verificar se o cliente não tem sintomas do covid-19.
  • No caso de idosos, se possível, tente a implantação do sistema leva e traz, para que o cliente não necessite se deslocar até a oficina.
  • Como sempre, organize uma área de chegada para clientes disponibilizando álcool 70% para higienização das mãos e tapete com desinfetante para higienização das solas dos calçados e realize o controle de entrada e saída para evitar aglomerações.
  • Conforme o protocolo do Sebrae para o setor automotivo, se for possível, crie e sinalize um local para o cliente parar e deixar o veículo, garantindo o distanciamento mínimo recomendado entre os clientes.
  • Também defina procedimentos para higienização do veículo, limpando os pontos críticos de contato, como: maçaneta externa, chaves, interior da porta, volante, câmbio, freio de mão, encosto de braço, cinto de segurança.
  • Plastifique itens de maior contato, como volante, câmbio, alavanca e freio de mão. Importante também forrar os bancos com plástico. Na entrega do veículo, informe que o mesmo foi protegido nas partes de maior contato e posteriormente higienizado.
  • É importante evitar contatos muito próximos, como abraços, beijos e apertos de mão e diminuir a intensidade e a duração da proximidade pessoal entre trabalhadores e o público externo.


***