Nossos Vídeos

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

8 aspectos que todos deveriam saber sobre AUTISMO


Sempre que se fala em AUTISMO associamos ao termo à palavra ESPECTRO, porque este transtorno envolve situações e apresentações de sintomas muito diferentes umas das outras, mas com similaridades, especialmente na falta de percepção social.

Nem todos têm dificuldade de lidar com pessoas autistas, considerando-as a princípio “estranhas”, mas no geral, com algumas informações simples é possível tanto compreender melhor a situação da pessoa com autismo quanto ter um melhor relacionamento. Desta forma, é de fundamental importância que informações sejam difundidas ao máximo na sociedade.

Veja a seguir alguns fatos importantes de saber sobre o TEA (Transtorno do Espectro Autista) de um modo mais geral.

1. O autismo tem um ESPECTRO gigantesco – e foi por isso que, no começo deste artigo, a palavra espectro teve sua definição informada. Mesmo que se tenha uma ideia de comportamentos comuns ao autismo, um autista ainda é extremamente diferente dos outros que você conheceu ou teve contato. O transtorno é o mesmo, mas o restante não!

2. Rotina e previsibilidade ajudam na interação – flexibilidade é uma habilidade importante, mas no caso de pessoas com o espectro autista, ter uma rotina de tarefas e poder prever situações ajuda a sentir segurança. Grandes surpresas e mudanças bruscas de planos podem causar uma grande bagunça nos pensamentos deles e ter um impacto em seu comportamento social. É como se fosse necessário ter uma agenda interna para se organizar. Enquanto ela está organizada, tudo fica mais fácil de lidar, para o autista e para as pessoas que convivem com ele.

3. A linguagem é processada de modo diferente – alguns autistas, dependendo de seu nível de autismo, precisam de mais tempo para aprender a falar, por exemplo, mas outros têm imensa facilidade. Costuma ser extrema a relação com a linguagem, para mais e para menos. Os autistas entendem muito além do que você imagina. Pode ser que pareçam não estar entendendo, mas a realidade é que estarão muito avançados do pensamento sobre o que acabaram de ouvir e nem sempre conseguem articular o pensamento com o que precisam responder. Por esse motivo, muitos pensam que lhes falta entendimento, quando na realidade lhes sobra e nem sempre querem expressar ou não sabem como fazê-lo.

4. Autistas levam tudo “ao pé da letra” – linguagem figurada, piadas de trocadilhos e mentiras são problemáticas para o autista. Tudo o que dizemos é interpretado por eles do jeitinho que foi falado. O “pé da letra” é como se a letra tivesse pé mesmo, ele não associaria, a princípio, a algo literal. Certamente, uma vez que lhes é explicado o significado, conseguem lembrar o que significa, como se fosse um sinônimo e, ao longo da vida, fazem uma coleção destes sinônimos, o que facilita demais suas interações.

5. São obsessivos com coisas que lhes interessa – todo autista tem um assunto que lhe interessa muito. Interessa tanto, que se torna até obsessivo encontrar informações sobre o tema até que se esgote e ele domine completamente aquilo. Pode ser um seriado, um animal, um lugar. Não importa. Se lhe chama a atenção, se torna perito em pouco tempo. O tema pode mudar durante sua vida, algumas vezes, mas tudo o que ele gostar muito terá sua atenção incondicional. Esta obsessão pode, inclusive, prejudicar para aprender outras coisas, então é importante que aprenda a regular seu tempo para a pesquisa do tema amado.

6. Autistas precisam de auxílio nas relações sociais – este é o grande nó do transtorno e o ponto mais em comum para todo o espectro. Alguns darão a impressão de serem isolados do mundo e outros de pertencerem demais, mas se você prestar muita atenção nos comportamentos, verá que na verdade todos têm dificuldade na interação, tanto os distantes quanto os que excedem, porque não percebem bem as relações humanas. É preciso que alguém lhes informe como se comportar em determinadas situações para aprender melhor como interagir.

7. Eles possuem alguns sentidos mais aguçados do que o normal – autistas possuem uma sensibilidade maior em alguns de seus sentidos. O auditivo parece predominar neste caso. Muito barulho costuma causar perturbação na maioria deles, mas pode se manifestar em outros sentidos, como no paladar, quando não conseguem comer determinados alimentos por causa de sua textura ou no olfato, quando sentem cheiros excessivamente a ponto de ser incômodo.

8. Eles não são distantes, são diferentes – nem todos nós temos o mesmo senso de distância social. Em alguns países, culturalmente falando, a distância para conversar com uma pessoa deve ser maior, senão é considerada inclusive falta de educação. O mesmo acontece com os autistas. Não é que sejam pouco amorosos ou distantes das pessoas. Ocorre que são apenas diferentes. Eles têm afeição ao seu modo próprio e possuem dificuldade em demonstrar, mas precisam de interação como todos nós, porém ela acontece de um modo peculiar. Ele tem que ter empatia pela pessoa, confiar nela e só então consegue criar laços. Nem sempre demonstra, mas eles certamente existem.

Não é nem tão difícil assim entender um autista, quando se consegue compreender o modo como vê o mundo. Claro que há níveis, então autistas mais severos são mais difíceis de entender, porque se mostram menos do ponto de vista de interação social. O que precisamos é compreender as diferenças para conseguirmos enxergar além dos preconceitos em relação ao que nos é estranho. Se conseguir alongar seu olhar e ser informado sobre o transtorno, perceberá o quanto os autistas podem lhe surpreender!

Janaina Spolidorio


Especialista em educação, Janaína Spolidorio é formada em Letras, com pós-graduação em consciência fonológica e tecnologias aplicadas à educação e MBA em Marketing Digital. Ela atua no segmento educacional há mais de 20 anos e atualmente desenvolve materiais pedagógicos digitais que complementam o ensino dos professores em sala de aula, proporcionando uma melhor aprendizagem por parte dos alunos e atua como influenciadora digital na formação dos profissionais ligados à área de educação.



12º Festival Paulista de Circo reúne mais de 50 atrações gratuitas em Piracicaba

Com nomes do circo tradicional e do contemporâneo, evento ocorre de 16 a 18 de agosto no Engenho Central e outros bairros com programação para toda a família
Gran Circo Stopim - Foto: Nilton Russo

Um dos mais tradicionais eventos circenses do Estado de São Paulo, o Festival Paulista de Circo chega à sua 12ª edição. E neste ano a abertura contará com a Festa no Picadeiro no dia 16/08, a partir das 20h. Trata-se de uma grande celebração realizada por um coletivo integrado por artistas de diversas gerações com números aéreos, palhaçaria, equilíbrios, manipulação de objetos, danças e uma banda ao vivo que incorpora a função do apresentador no espetáculo. O grupo é dirigido por Erica Stopel, do Zani.

Realizado pela APAA (Associação Paulista dos Amigos da Cultura), em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado e a Prefeitura de Piracicaba, o Festival Paulista de Circo conta com mais de 50 atrações totalmente gratuitas para a população. As apresentações acontecem no Engenho Central de Piracicaba (SP), e em outros pontos da cidade, como nos bairros Água Branca e Parque dos Eucaliptos.


Com uma programação recheada de mágica, dança, malabares e gargalhadas garantidas, o Festival conta com atrações como o Karaokê da Palhaça Rubra, o Gran Circo Stopim da Cia dos Palhaços e Globo da Morte do Circo Miller.

“Investir em ações culturais nas cidades de todo o Estado de São Paulo é reconhecer e legitimar a potência dos municípios como polos fundamentais de produção de arte e cultura”, explica Danielle Nigromonte, diretora executiva da APAA.

Confira a programação completa:
Local: LONA PIOLIN
Apresentador: Kerson Formis
Capacidade: 900 Lugares


Sexta–feira, 16/08/2019

10h
– Spadoni, O Circo e Suas Tradições, do Circo Spadoni (Apresentação para escolas)
Classificação: livre

14h – Bravíssimo, do Circo Stankowich (Apresentação para escolas)
Classificação: livre
Duração: 70 minutos
Ficha Técnica: Marcio Antonio Stankowich – Diretor Artístico
Marlon Stankowich – Diretor Geral
Marcio Antonio Stankowich Júnior – Mágico
Kamila Stankowich – Mágica e Dançarina
Erika Stankowich – Dançarina
Karina Kelly A. Gomes Oliveira – Produção Cultural
Israel Evans – Acróbata
Donizete Ribeiro Marques-assistente de Palco e encenação (vingadores)
Jakson Santos Lopes – Assistente de Palco
Diógenes Luiz da Silva – Acrobata e encenação (Vingadores)
Thalissa Fabbri Rodrigues Onofre – Acróbata
Simone Barreto de Sousa – Sonoplasta
Luiz Felipe de Sousa Siqueira do Nascimento – Malabarista
Marcos Leandro Kuntz – Acrobata e Assistente de Palco
Fabiano Silva – Mestre de Pista
Erika Andrade Elias Lobo – Dançarina
Cibele Ap. Ferreira Queiroz – Dançarina
Taise Bertola – Dançarina
Zelandia Stankowich – Coreógrafa
Marcio Alessandro – Assistente de Palco e encenação
Laís Goulart – Dançarina
Lucas Felipe Silva da Rosa – Palhaço
Robson Gomes – Técnico de palco e montagem
Yasmim Camargo – Bailarina e acrobata

20h – Abertura – Festa no Picadeiro
Classificação: livre
Duração: 80 minutos
Ficha Técnica: Direção: Erica Stoppel
Direção musical: Simone Julian
Iluminação: Gita Govinda
Equipe artística: Deco Sabatino , Mariana Maekawa, Jan Leca, Fernando Sampaio, Fernando Paz, Filipe Bregantim, Pâmela Amy, Mariana Per, Verônica Santos, Tatilene Santos, Bárbara Francesquine, Izabela Duprat, Luara Bolandini, Erica Stoppel.
Banda: Simone Julian, Filipe Bregantim, Martim Gueller, Fernando Paz, Nereu Afonso
Produção: Sandra Miazawa
Elenco: Bárbara Francesquine, Deco Sabatino , Erica Stoppel, Fernando Paz, Fernando Sampaio, Filipe Bregantim, Izabela Duprat, Jan Leca, Luara Bolandini, Mariana Maekawa, Mariana Per, Martim Gueller, Nereu Afonso, Pâmela Amy, Simone Julian, Tatilene Santos, Verônica Santos.
Direção Erica Stoppel

Sábado, 17/08/2019

14h30 – Cabaré Sabatino Bros com Irmãos Sabatino
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Elenco: André Sabatino, Martin Sabatino, Luciene Bafa, Mariana Maekawa e Hernani Albuquerque
Concepção e roteiro: Martin Sabatino
Direção: André Sabatino
Sonoplastia: Fábio Patu
Produção: Felipe Junqueira
Sinopse: Um cabaré comemorativo, que marca os 10 anos de pesquisa da Cia. Irmãos Sabatino, números aéreos virtuosos e seletos escolhidos para essa grande festa. Reforçando o conceito da companhia: "Quem não voa com asas, voa com calos" o espetáculo possui números de Barra fixa, trapézio duo, báscula, pendulo humano, improvisos e palhaçadas com convidados para lá de especiais.

17h30 – La Gran Arena com Arena Circus
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: Linconl Martins- Acrobata
Jessica Nogueira - Acrobata
Jacqueline Gomes- Contorcionista
Guemera Jorge- Equilibrista
Cesar Rodrigues- Apresentador
Samara Montalvão- Cômica
Alfredo Munoz- Equilibrista e Diretor Técnico
Viviane Rabelo- Acrobata e diretora Artística
Ozeas Barros- Cenógrafo e Figurinista
Solange Souza – Coreógrafa
Bruna Moretti- Sonoplasta
Nadia Hiniz- Iluminadora
Sinopse: A arte circense é uma das mais antigas da história da humanidade e este espetáculo mostra a importância do resgate dos valores desta tradição. O Show “GRAN ARENA” é inspirado nos anos 40 contando a história do Circo. O espetáculo inicia com um cortejo com os artistas e a fanfarra de músicos no qual o elenco convida o público para assistirem ao Gran Arena Circus recém instalado na cidade. Uma mulher misteriosa de nome Rosalinda se apresenta querendo se incorporar na trupe do circo, com o tempo a tal se revela como uma grande atração.

20h30 – As Voltas Que o Mundo Dá, da Cia K
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: Concepção do Espetáculo: Cia K
Direção Geral: Kiko Caldas
Figurinos: Daniela Garcia
Roteirista: Claudia Vasconsellos
Fotografia: Ligiane Braga
Produção: Carrapeta Produções
Técnico de Palco: Edilson Assalti Jr
Elenco: Kiko Caldas; Celia Borges; Hugo; Robson Cruz, Laúcia Almeida, Veronica Piccini

Domingo, 18/08/2019
14h30 – Rudá um Sonho Real com Circo Rudá
Classificação: livre
Duração: 72 minutos
Ficha Técnica: Gustavo Lobo – Direção e Criação
Alain Bradette – Criação Musical
Mauriomar Cid – Cenografia
Waldir Correia – Figurino
Daniela Lobo – Financeiro
Sarah Antunes – Produção Executiva
Raphael Neves – Produção
Gabriel Picasso – Ass. de Produção
Barbara Tomimatsu – Ass. de Produção
Paulo Prado – Programação Visual
Rosa Santos – Marketing
Mariana Fernandes – Marketing
André Cajaiba – Criação e Operação de Luz
Cassiano Procópio – Contra Regra
Emerson Santos – Operação de Som
Elenco: Eder Moraes Cunha; Gustavo Lobo; Hugo Giampietro; Jode Manzato; Lucas Lopes; Núria Volpe; Plínio Augusto;Zeca Padilha
Sinopse: Rudá – Um Sonho Real é um espetáculo circense que resgata brincadeiras de rua, mostra uma época em que vivíamos soltos e conhecíamos todo o nosso quarteirão.
Conta a história de um personagem que revive encontros e despedidas gravados em sua memória em uma época que não éramos perseguidos pelo relógio.

17h – Rudá um Sonho Real com Circo Rudá
Classificação: livre
Duração: 72 minutos
Ficha Técnica: Gustavo Lobo – Direção e Criação
Alain Bradette – Criação Musical
Mauriomar Cid – Cenografia
Waldir Correia – Figurino
Daniela Lobo – Financeiro
Sarah Antunes – Produção Executiva
Raphael Neves – Produção
Gabriel Picasso – Ass. de Produção
Barbara Tomimatsu – Ass. de Produção
Paulo Prado – Programação Visual
Rosa Santos – Marketing
Mariana Fernandes – Marketing
André Cajaiba – Criação e Operação de Luz
Cassiano Procópio – Contra Regra
Emerson Santos – Operação de Som
Elenco: Eder Moraes Cunha; Gustavo Lobo; Hugo Giampietro; Jode Manzato; Lucas Lopes; Núria Volpe; Plínio Augusto;Zeca Padilha
Sinopse: Rudá – Um Sonho Real é um espetáculo circense que resgata brincadeiras de rua, mostra uma época em que vivíamos soltos e conhecíamos todo o nosso quarteirão. Conta a história de um personagem que revive encontros e despedidas gravados em sua memória em uma época que não éramos perseguidos pelo relógio.

20h30 – Cabaré LaMínima com Cia. La Mínima
Classificação: Não recomendado para menores de 6 anos
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Concepção: LaMínima
Elenco: Fernando Sampaio, Fernando Paz e Filipe Bregantim
Cenografia: LaMínima
Música Original: Marcelo Pellegrini
Figurinos: Inês Sacay
Operação de som: Luana Alves
Contrarregagem: Karen Furbino
Direção de Produção e Administração: Luciana Lima
Produção Executiva: Priscila Cha
Assistência de Produção: Chai Rodrigues


Local: LONA ARRELIA
Apresentador: Palhaço Tico Toco
Capacidade: 600 Lugares



Sexta–feira, 16/08/2019

10h – Mistureba com Nostalgia e Tradição (Apresentação para escolas)
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Arthur Guimarães; Brendon Martinelli; Bruna Guimarães; Diógenes Luís da Silva; Ítalo Camargo; Jefferson Willians Ferreira Jr.; Lara Camargo; Yasmin Camargo
Técnico de som: Simone Barreto
Produção e Direção Artística: Lara Camargo
Produção: Gisele Sant´Ana
Sinopse: “Mistureba”, projeto idealizado por Lara Camargo, é um espetáculo circense que resgata a história do circo, mesclando as variáveis vertentes dessa arte que encanta crianças e adultos. Do circo tradicional ao mais moderno grupo “Nostalgia e Tradição” mostra que há espaço para todo mundo se divertir. Os palhaços Pipoquinha e Risadinha vão animar o espetáculo que ainda terá números de malabares, lira, faixa, tecido e muito mais.

14h – Os Mequetrefe com Parlapatões (Apresentação para escolas)
Classificação: livre
Duração: (?)
Ficha Técnica: Roteiro: Hugo Possolo
Direção: Alvaro Assad
Elenco: Raul Barretto
Hugo Possolo
Fabek Capreri
Alexandre Bamba
Ator substituto: Tadeu Pinheiro
Assistente de Direção: Joana Penido Magalhães
Cenografia e Figurinos: Hugo Possolo
Trilha sonora: Raul Teixeira
Iluminação: Reynaldo Thomaz e Alvaro Assad
Adereços: Ateliê Palhassada e Agentemesmo Queimando o Dedo na Cola Quente
Costureiras Figurinos: Alice Correa e Cleide Niwa
Programação Visual: Karolyna Motarroios
Desenhos: Hugo Possolo
Fotos: Luiz Doroneto
Assessoria de Imprensa: Flávia Fusco Comunicação
Produção Executiva: Erika Horn
Coordenação de produção: Raul Barretto e Hugo Possolo
Realização: Parlapatões
Agentemesmo Produções Artísticas

Sábado, 17/08/2019

14h – A Brincadeira Contínua da Cia. Tem Sim Sinhô
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Autor e Diretor do espetáculo: Israel Stallin
Elenco: Israel Stallin; Lemuel Oliveira e Francisco Gomide.
Concepção: Cia Tem Sim Sinhô
Cenografia e Figurinos: Cia Tem Sim Sinhô
Sinopse: A brincadeira Continua - é um espetáculo de brincantes como um teatro de revista, intercalando cenas de palhaços com números de equilíbrio e magicas; o repertorio musical conta com cantigas de palhaços e músicas populares. É mágico, simples e belo o encanto dos bonecos de reisado que dança e brinca com o público que já está envolvido com as músicas ao som da sanfona, zabumba, pandeiro e triangulo. Um circo sem lona, onde os Palhaços Siriguela, Lemuel e Alecrim, com suas brincadeiras singelas e atrapalhadas, encantam e arrancam gargalhadas de todo as idades.

16h – Casasa da Cia Kawa
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Concepção: Cia. Kawa
Elenco: André Sabatino e Mariana Maekawa
Direção: Tato Villanueva
Trilha Sonora: Arturo Cussen
Figurino: Helen Quintans Carnielli
Fotos: Paula Poltronieri
Produção: Felipe Junqueira
Sinopse: Um espetáculo que traz à cena a comicidade e o teatro físico e agrega as habilidades circenses dos artistas André Sabatino e Mariana Maekawa. Cenas divertidas colocam em xeque os conceitos e paradigmas de um casal perfeito, mostrando quem nem tudo é como nos contos de fada. Todos nós esperamos o grande amor de nossas vidas, mas não temos o controle de quando o cupido vai nos acertar e nem por quem iremos nos apaixonar. Assim aconteceu com Ioni e Tino que mostram de forma inusitada a arte do encontro, a conquista, a convivência e o que todos os casais vivem no dia a dia. O abrir de uma porta, o vaso gigante, o banco de uma praça e uma bicicleta fazem o cenário deste romance. Malabarismo, equilibrismo, acrobacias, parada de mão, dança e bicicleta acrobática completam o espetáculo.

19h – Concerto em Ri Maior da Cia. dos Palhaços
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: Criação e Realização: Cia dos Palhaços - Direção Artística: Felipe Ternes de Oliveira
Direção Musical: Eliezer Vander Brock - Elenco: Eliezer Vander Brock (Palhaço Wilson) - Felipe Ternes de Oliveira (Palhaço Sarrafo)
Técnico de Som: Henrique Rocha Rodrigues - Criação e Operação de Iluminação: Anriaider Silva de Conto
Figurinos: Fabianna Pescara e Renata Skrobot - Produção: Fabrício de Angelis e Nathalia Luiz.
Sinopse: Uma comédia musical que surgiu em 2005 a partir de jogos de improvisação de palhaço com a música. Na peça, o maestro e palhaço Wilson Chevchenco apresenta um concerto baseado em sua origem russa e conta com a ajuda de Sarrafo, seu fiel amigo, para executar as obras de sua família e ser compreendido pela plateia, já que não fala o idioma português. O concerto conta ainda com um coral, que é integrado pelo público. Também são utilizados vários instrumentos como piano, violão, acordeom, gaita, castanholas e harmônica. A peça tem muita música, dança, improvisação, participação da plateia e, claro, muita palhaçada.

Domingo, 18/08/2019

13h30 – Karaokê da Palhaça Rubra com Palhaça Rubra
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: Concepção do Espetáculo: CIA K
Direção Geral: Kiko Caldas
Figurinos: Daniela Garcia
Roteirista: Claudia Vasconsellos
Fotografia: Ligiane Braga
Produção: Carrapeta Produções
Técnico de Palco : Edilson Assalti Jr
Elenco: Kiko Caldas, Celia Borges, Hugo, Robson Cruz, Laúcia Almeida, Veronica Piccini

16h – Circo Caravana com Caravana Tapioca
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Anderson Machado e Giulia Cooper
Direção: Anderson Machado
Figurino: Luciano Pontes
Cenário: Anderson Machado
Costureira: Maria Lima
Fotos: Marilia Chalegre
Realização: Caravana Tapioca
Sinopse: O excêntrico casal de artistas viajantes, Cavaco e Nina, apresenta um espetáculo de variedades circenses com as melhores atrações que encontraram em suas apresentações pelo mundo. O grande faquir encantador de serpentes e a foca equilibrista são alguns dos números que prometem surpreender e encantar pessoas de todas as idades. Música ao vivo, malabarismo e comicidade embalam essa fantástica viagem ao mundo do circo

19h30 – Cabaré CyrKlos da Cia Tempo Cyr Whell
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Direção: Cesar Rossi
Concepção: Cesar Rossi
Elenco: Ronaldo Aguiar (apresentador e palhaço); Cesar Rossi (Roda Cyr); Duo Gravita (Mão a Mão); Caio Stevanovich (malabarista); Brabara Francesquine (Dança com Bambolê); Doug SDM (dança e magia); Thaina Feroldi (contorcionista);
Iluminador: Thiago Zanotta
Produção: Cia Tempo Cyr Wheel
Dj e som: Kamie Jannuzzi
Sinopse: O cabaré da Cia Tempo Cyrklos é um espetáculo inovador, que une diferentes artistas com técnicas das mais variadas. Um apresentador cômico que traz nas suas entradas esquetes e falas divertidas, além de se apresentar com o seu número de palhaço bailarino. O apresentador faz o fio condutor do espetáculo e convida para o picadeiro os artistas para seus números de alto desempenho e virtuose. O espetáculo conta com diferentes disciplinas circenses, tais como números de Mão a Mão, malabarismo, dança com bambolês, contorcionismo, acrobacias e pirâmides, roda cyr, magia e dança palhaços contemporâneos e muito mais.

Local: LONA PIMENTINHA
Apresentadora: Palhaça Chiquita
Capacidade: 300 Lugares


Sexta–feira, 16/08/2019

10h – Palhaços, a Velha e Boa Gargalhada do Circo e Teatro Gelatina (Apresentação para escolas)
Classificação: livre

14h – Circo a Céu Aberto com Palhaço Piter Crash (Apresentação para escolas)
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: Coordenação geral: Michelle Murriêta França
Produção: Lasca Produções Artísticas
Direção:Fabiano Freitas
Elenco: André Fioroti; Fabiano Freitas; Mathias Mafort; Michelle Murriêta; Thadeu Ferreira da Costa
Contra-regragem: Thadeu Ferreira da Costa
Sinopse: Com cenário que simula um picadeiro de circo tradicional e trilha sonora ao vivo, o palhaço Piter Crash resgata a atmosfera poética do encontro, do aplauso e do riso. Ao lado de seus fiéis escudeiros, recria números inspirados em esquetes clássicas e revela a potência de um humor em estado puro.

Sábado, 17/08/2019

13h30 – Show de Mágicas e Palhaçadas com Palhaço Bochecha
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: Direção: Le Allvez
Elenco: Henrique Guzzo – Palhaço Bochecha
Música: Rafael Vichi
Sinopse: Apresentação solo do Palhaço Bochecha; lúdica e interativa de ponta a ponta. Com participação especial do carismático Bob, seu amigo guaxinim (boneco de pelúcia que apronta um bocado). Mágicas, Brincadeiras e Alusões ao Universo Circense tradicional preenchem o roteiro de 60 minutos com muito humor e alegria.

16h30 –The Bigosty Show da The Bigosty Show
Classificação: livre
Duração: 40 minutos
Ficha Técnica: Criação e interpretação: Esteban Hetsch
Músicos: Diego Calasso e Nando Vicencio
Direção de arte: Esteban Hetsch, Maira Mesquita e Talma Salem
Produção: Stefania Faro
Sinopse: THE BIGOSTY SHOW’S é um espetáculo circense musical para toda a família, que traz a essência dos shows de variedades dos anos 40 e 50, onde a figura do showman representava a multidisciplinaridade dos artistas daquela época.
As improvisações humorísticas permeiam a dramaturgia, trazendo um frescor ao espetáculo que revisita antigos números circenses.
Equilíbrios, garrafas sonoras, aros gigantes, bolinhas de ping-pong. Tudo isso e muito mais embalado ao som de uma banda irreverente. O espetáculo tem como figura central Bigosty, um showman em decadência que tenta levar adiante seu trabalho que parece não ter mais espaço em meio aos grandes espetáculos.

19h30 – Fábrica de Brinquedos da Cia LaMala
Classificação: livre
Duração: 45 minutos
Ficha Técnica: Direção: Marcelo Lujan
Elenco: Marina Bombachini / Carlos Cosmai
Operação de som: Eduardo Cosmai
Desenho de Luz: Sylvie Laila
Figurino: Emilia Reily
Concepção, cenografia e adereços: Cia LaMala
Fotos: Ligiane Braga
Sinopse: Através de técnicas circenses e do teatro físico a Cia Lamala cria o ambiente de um laboratório, onde são criados brinquedos e mecanismos que os animam. Um inventor maluco, seus brinquedos inusitados e uma boneca que tem vida, e surpreende até mesmo seu criador, todos interagindo de maneira lúdica e proporcionando uma deliciosa e mágica visita ao imaginário infantil. “Fábrica de Brinquedos” é um espetáculo extremamente visual onde a gestualidade e a movimentação são os elementos primordiais para a comunicação com o público. Voltado a todas as idades, evoca o universo infantil por meio da brincadeira e do riso. O inventor desta fábrica, quando cria mecanismos que animam o brinquedo doa a ele a alma que encanta e provoca a criança que existe dentro de todos nós, fazendo manter vivo o espírito do brincar e a vontade de criança de animar o mundo. Idealizado a partir da junção de habilidades diversas dos dois integrantes da companhia, desde a acrobacia, principal habilidade da dupla, passando pela música até a criação e demonstração do funcionamento de uma engenhoca, o robô Jorge, feito com material reciclado.


Domingo, 18/08/2019
13h30 – Circo Sem Fronteiras com Palhaços Sem Fronteiras
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Gabi Winter; Geisa Helena; Fernando Paz; Filipe Bregantim; Luciana Viacava
Sinopse: Espetáculo circense para crianças e adultos, um misto de diversão e comicidade, o espetáculo de variedades “Circo Sem Fronteiras” é composto por números do repertório dos Palhaços Sem Fronteiras, habilidades circenses e humor físico. O Palhaços Sem Fronteiras Brasil é uma organização que trabalha com palhaços e artistas circenses profissionais apresentando em áreas de crise humanitária. Esse espetáculo é constantemente apresentado nos projetos internacionais e nacionais, como nos trabalhos realizados em: El Salvador, Colômbia, México, Altamira - Para, Ocupa Riso - SP, Refugiado - SP e na Cracolândia.



16h – Circo Malabarístico com Irmãos Becker
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Direção: processo colaborativo Grupo Irmãos Becker
Trilha sonora: Renato Enoki
Iluminador: Marcos Diglio
Figurino: Julia Toro
Técnico de som: Paulo Cezar/ Mafê Vieira
Produção e concepção: Cristina Becker
Tempo de montagem: 02 horas
Tempo de desmontagem: 20 minutos
Espaço: 04m profundidade, 07m largura, 05m altura
Elenco: Grupo Irmãos Becker
Classificação etária: livre

20h – No Pocket – Um Espetáculo para Todos os Bolsos do Coletivo Nopok
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: Concepção: Coletivo Nopok
Direção: Sergio Machado
Elenco: Daniel Poittevin e Fernando Nicolini
Figurino: Karlla Tavares
Cenografia: André Bethlem
Iluminação: Dodô Giovanetti
Trilha: Coletivo Nopok e Alexis Graterol
Operador de som: Alexis Graterol
Fotografia: Renato Mangolin
Design gráfico: Caco Chagas
Audio Visual: Suma Filmes
Produção: Cida de Souza
Realização: Nopok Produções Artísticas
Sinopse: No Pocket – Um espetáculo para todos os bolsos é um espetáculo de circo que utiliza as charlas clássicas, a música, a dança e a comédia física na criação de gags e cenas cômicas. Este espetáculo é uma sucessão de números que exploram o virtuosismo técnico acompanhado por música ao vivo. O fio condutor da sua dramaturgia é a relação direta dos artistas com o público, sendo este um importante elemento no jogo estabelecido.


Local: PALCO FIGURINHA
Apresentador: Nelson do Bigodinho

Sábado, 17/08/2019
13h30 – O Guru – Mágica, Adivinhação e Malabarismo do Circo de Xullé
Classificação: livre
Duração: 20 minutos
Ficha Técnica: Katina Sousa - Palhaça Edufina
Vladimir Vaz- Palhaço Pirulito
Sonoplastia :Regie Mendes
Sinopse: Dois artistas mequetrefes, Pirulito e Edufina descobrem um circo em falência e decidem aproveitar a oportunidade para se promoverem, porém, como o circo está com grandes dificuldades, apenas um deles poderá ser contratado. Para o internacional não reconhecido Circo de Xullé. Entre mágicas, palhaçaria, malabarismo e algumas trapaças, o público se surpreenderá com o final desta história.


14h – Ilusionismo Teatral com Mágico Deck
Classificação: livre
Duração: 40 minutos
Ficha Técnica: Espetáculo de ilusionismo
Criação: Henrique Messias
Textos: Henrique Messias
Sinopse: Uma viagem para o mundo da mágica, trazendo os clássicos da mágica com poesia humor e emoções. Magica arte de encantar e emocionar fazendo o quem assiste o personagem principal.

15h – Gran Circo Stopim da Cia dos Palhaços
Classificação: livre
Duração: 45 minutos
Ficha Técnica: Criação e Produção: Cia dos Palhaços
Roteiro e Direção: Felipe Ternes
Elenco: Eliezer Vander Brock (Palhaço Wilson), Felipe Ternes (Palhaço Sarrafo) e Nathalia Luiz (Palhaça Tinoca)
Figurinos: Fabianna Pescara e Renata Scrobot - Criação de Sonoplastia: Célio Savi
Operação da Sonoplastia: Vinicius Luisi Moraes - Iluminação: Anriaider Silva de Conto
Assistente de Produção: Fabrício de Angelis - Fotografia: Nilton Russo
Sinopse: Uma homenagem aos grandes circos que já existiram, reunindo acrobatas, malabaristas, domadores, mágicos, poodles amestrados, bailarinas, homem-bala, músicos e apresentadores, todos interpretados por apenas três palhaços: Sarrafo, Tinoca e Wilson. Um grande espetáculo de circo, ou melhor, uma grande brincadeira de circo com interação da plateia do início ao fim.

16h – Malabares da Cia Braquiara
Classificação: livre
Duração: 7 a 10 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Danieli Maimoni, Jesica Guadalupe Cheirano e Katina Sousa
Dramaturgia: Comédia/circense
Direção: Cia. Na Braquiara
Canovaccio: Cia. Na Braquiara
Sinopse: Um número de extrema habilidade malabarística está pra acontecer, quando duas palhaças percebem que estão com os figurinos trocados. E agora?

16h20 – A disputa, o caçador e o mergulho do Circo de Xullé
Classificação: livre
Duração: 20 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Katina Sousa - Palhaça Edufina
Vladimir Vaz- Palhaço Pirulito
Sinopse: Dois artistas mequetrefes, Pirulito e Edufina descobrem um circo em falência e decidem aproveitar a oportunidade para se promoverem, porém, como o circo está com grandes dificuldades, apenas um deles poderá ser contratado. Para o Internacional não reconhecido Circo de Xullé. Entre mágicas, palhaçaria, malabarismo e algumas trapaças, o público se surpreenderá com o final desta história.

16h40 - El Chicote da Cia Braquiara
Classificação: livre
Duração: 7 a 10 minutos

Ficha Técnica: Elenco: Danieli Maimoni, Jessica Guadalupe Cheirano e Katina Sousa
Dramaturgia: Comédia/circense
Direção: Cia. Na Braquiara
Canovaccio: Cia. Na Braquiara
Sinopse: Duas palhaças utilizam a tradicional técnica do chicote numa demonstração de habilidade e precisão, criando uma tensão no público... e nelas também. Será que conseguem?

17h - O Homem Banda
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Criação e atuação: Mauro Bruzza
Sinopse: “Quando ao longe surge um harmonioso acordeom acompanhado de chocalhos, pratos, bumbos e apitos e imagina-se que aí vem a banda... E vem mesmo, mas não uma banda comum, mas sim uma banda inteira orquestrada apenas por um homem só! É ele quem chega, MauroLauroPaulo, um músico inventor que traduz sua profunda inquietude através de uma parafernália cheia de sonoridades!”

Domingo, 18/08/2019

13h30 – O Homem que vira frango – Cia Moscas Volante
Classificação: livre
Duração: 20 a 30 minutos
Ficha Técnica: Junior Taz
Sinopse: Após extensivo treinamento em técnicas orientais de transmutação corpórea, Nélson do Bigodinho se torna o único ocidental capaz de virar frango ao vivo. Será que o público vai acreditar nesse tremendo charlatão?

14h – À Beira com Jan Leca
Classificação: livre
Duração: 7 minutos
Ficha Técnica: Concepção e interpretação: Jan Leca
Olhar cênico: Vincent Kuentz
Figurino: Matilda Lindberg
Sinopse: Em face de cada grande decisão mora um abismo. Já sentiu a vertigem? Através da técnica de corda bamba, o equilibrista envolve o público em uma história de transformação. Entre o chão e a corda, leveza e tensão, o personagem descobre na instabilidade o seu conforto

14h20 – Abracadabra – A Vida é Mágica com ROKAN, o Mágico dos Dedos de Ouro e Ranny
Classificação: livre
Duração: 50 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Apresentado por Rokan (o Mágico dos Dedos de Ouro) e Ranny,
Sinopse: O Espetáculo "ABRACADABRA – A VIDA É MÁGICA” apresentado por Rokan (o Mágico dos Dedos de Ouro) e Ranny, leva entretenimento de qualidade, propiciando momentos de lazer e encantamento à crianças e adultos, já que a linguagem da magia é bem aceita em todas as faixas etárias.


15h30 – O Zé – Palhaço Jeca
Classificação: livre
Duração: 10 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Palhaço Jeca - Reinaldo Facchini
Sinopse: O Palhaço Jeca vem para o picadeiro trazendo a alegria e a esperteza do matuto da roça, mostrando seus poderes mentais e fazendo um resgate da Cultura Popular Brasileira.

15h40 – Cinco Mil Anos de Circo – Cia Moscas Volantes
Classificação: livre
Duração: 20 a 30 minutos
Ficha Técnica: Junior Taz
Sinopse: As técnicas de circo mais incríveis são milenares. E todo esse conhecimento passa de geração em geração, de mestre para aluno, ao longo de milênios. E com a ajuda de Nélson do Bigodinho, a plateia poderá testemunhar um evento raríssimo no universo: o nascimento de um palhaço!

16h40 – À Beira, com Jan Leca
Classificação: livre
Duração: 7 minutos
Ficha Técnica: Concepção e interpretação: Jan Leca
Olhar cênico: Vincent Kuentz
Figurino: Matilda Lindberg
Sinopse: Em face de cada grande decisão mora um abismo. Já sentiu a vertigem? Através da técnica de corda bamba, o equilibrista envolve o público em uma história de transformação. Entre o chão e a corda, leveza e tensão, o personagem descobre na instabilidade o seu conforto


17h – Tetéo um Palhaço por Vocação com Palhaço Tetéo
Classificação: livre
Duração:
Ficha Técnica:


Local: TEATRO EROTIDES DE CAMPOS
Capacidade: 412 Lugares

Sábado, 17/08/2019
20h – Experiências Mágicas com Grupo Fundo Falso
Classificação: livre
Duração: 75 minutos
Ficha Técnica: Direção e Dramaturgia: Ricardo Malerbi
Concepção: Ricardo Malerbi
Cenário: Grupo Fundo Falso
Figurino: Grupo Fundo Falso
Trilha Sonora: Edson Pardini
Iluminação: Otávio Dias
Elenco: Edson Pardini
Sinopse: O espetáculo Experiências Mágicas diverte a plateia, desafia a imaginação, estimula o raciocínio, incita o pensamento e cria encantamento. Neste espetáculo os números apresentados são escolhidos a partir da interação com o público. O espetáculo parte do improviso com números de mágica e comicidade, fazendo a obra ser diferente a cada apresentação. O artista aborda a lógica e a coloca em cheque, num clima de diversão e interação despretensiosa e surpreendente.

Domingo, 18/08/2019
20h – O Retorno do Homem Mente com Cia Caixa Mágica
Classificação: Recomendado a partir de 10 anos
Duração: 55 minutos
Ficha Técnica: Direção: Ricardo Malerbi
Elenco: Álvaro Lages e Wagner Messa
Produção: Cia Caixa Mágica
Coreografia: Chris Belluomini
Roteiro, figurino e cenografia: Cia Caixa Mágica e Grupo Fundo Falso
Trilha sonora: Ale Souza e Fabio Ribeiro
Design: Morandini
Fotografia: Ícaro Bueno
Sinopse: A Cia Caixa Mágica, traz aos palcos seu mais inovador e original projeto: “O retorno do Homem Mente“ conta a estória de um entertainer que busca atrações inéditas para seus espetáculos pelo mundo e, dessa vez, traz aos palcos um homem cheio de poderes mentais inacreditáveis e surpreendentes, mas que não consegue se readaptar ao mundo do show business. O que começa com uma relação complicada entre o entertainer (e seu gosto estético duvidoso) e sua atração (um homem pródigo no conhecimento da mente humana), se transforma em uma história de rica interação e crescimento dos dois personagens. “O retorno do Homem Mente” é um espetáculo cheio de humor, superpoderes mentais, mistério, reviravoltas incríveis e a interatividade que torna o espetáculo diferente a cada apresentação!

Local: ESPAÇO EXTERNO


Sexta a domingo, das 9h30 às 20h
Intervenções Circenses

Classificação: livre
Duração:
Ficha Técnica: Bruno Peruzzi (Palhaço Tico Toco)
Sinopse: Tico Toco, Mestre de Cerimoniais da Lona Arrelia, responsável por receber e aquecimento de plateia, anunciando os respectivos espetáculos a serem apresentados.

Sábado (17/08/2019)

16h – Esquadrão Bombelhaço
Classificação: livre
Duração: 60 minutos
Ficha Técnica: (?)
Sinopse: Um batalhão de bombeiros composto por palhaços corre para acabar com um incêndio que tomou conta do picadeiro. Um carro entra em alta velocidade com o esquadrão e seus equipamentos de combate ao fogo. A tropa atrapalhada inicia seus procedimentos de salvamento entre trombadas, tropeços, saltos na pizza e bofetões.

21h30 -
Cortejo Circo Calavera – Cumbia Calavera
Classificação: livre
Duração: 90 minutos
Ficha Técnica: Cortejo musical com números circenses
Direção Musical e Regência: Domingo Duclos
Direção de Percussão: Fernando Lima
Direção Artística: Diego Martínez e Jorge Zagarzazu
Produção: Danilo Diniz Jacques Gonçalves
Elenco: Mário Eliseo Garay Olivares - Clarinete e Claves de Fogo;
Maria Tereza Gandra de Meira - Saxofone Soprano, perna de pau e bambolê
Domingo Aguiar Duclos - Saxofone alto
Rafael Rossini Rahme - Saxofone alto
Danilo Diniz Jacques Gonçalves - Saxofone tenor
Marina Beraldo Bastos - Saxofone tenor
Vinicius Botelho Centurion - Trompete e monociclo
Matheus Diniz Ferreira da Penha Ribeiro- Trompete
Pedro Cauê Levy Marques – Trombone
Douglas Rogério Anfra – Sousafone
Alicia Estrella Arteaga Ramirez - Cowbell
Renata Espoz Jerez – Guacharaca
Ruana Negri Crusca - Guacharaca
Josefina Siro - Prato e monociclo
Diego Martinez González – Prato
Franco Maximiliano Garcia – Caixa
Mateus Marques Levy – Alfaia
Fernando Delfino Lima – Chico
Sinopse: Grupo latino-americano que propõe uma releitura instrumental de cumbias clássicas e que apresenta também composições próprias, difundindo melodias e elementos rítmicos da cumbia chicha, da cumbia colombiana e da música folclórica andina. Formada por integrantes vindos de diversos países -Argentina, Brasil, Chile, Cuba, Togo e Uruguai, o grupo se apresenta de forma performática, baseada na iconografia da Fiesta de los Muertos do México.
Devido a seu repertório cativante e a sua formação de fanfarra livre para movimentação o grupo promove um divertido cortejo musical e circense atrativo para todas as idades, a Cumbia Calavera celebra a vida e reverencia a morte, derrubando fronteiras e aproximando culturas através da música.

21h50 – Dança Vertical com Cia Base
Classificação: livre
Duração: 15 a 20 minutos
Ficha Técnica: Direção e Concepção: Cristiano Cimino
Produção: Cia Base
Elenco: Flora Barros, Paulos Spinelli, Launda Varone, Guemera Jorge, Jessica Guedes, Carolina Clara, Luma Tomao, Adriana Sabbag.
Sinopse: O espetáculo performático vertical da premiada Cia Base, Flying Colors, coloca bailarinas e acrobatas flutuando, dançando e colorindo fachadas de prédios pontes e guindaste, fazendo o público inverter seu olhar para uma nova perspectiva de palco numa atmosfera mágica, colorida e surpreendente para as crianças e adultos.


Domingo, às 16h

Mira com De Pernas Pro Ar
Classificação: livre
Duração: 45 minutos
Ficha Técnica: Direção: Raquel Durigon e Luciano Wieser
Atores e Bonequeiros: Luciano Wieser – Raquel Durigon - Taydú D. Wieser - Jonatan O. Borges - Denissom Gargione
Contrarregra: Laurem Hartz
Criação, concepção dos bonecos e Direção de Manipulação: Raquel Durigon
Construção dos mecanismos de manipulação: Luciano Wieser
Trilha Sonora: Jackson Zambelli e Sergio Olivé
Operador de Som: Gabriel Gonçalves
Produção e Realização: Grupo de teatro De Pernas Pro Ar
Sinopse: Raro são os trabalhos de dramaturgia para bonecos gigantes, o grupo de Teatro DE PERNAS PRO AR se aventurou a propor ao público um “olhar” aumentado, agigantado sobre nossas mais puras relações, é através das brincadeiras infantis, que este estranho mundo se revela “Mira, extraordinárias diferenças, sutis Igualdades”.
Bonecos Gigantes, livremente inspirados nas obras do artista plástico Espanhol Joan Miró, representam estranhas formas de vida com capacidade de mostrar a realidade de forma simples e simbólica. Relações lúdicas, corriqueiras sugerem o desprendimento da aparência real dos bonecos, nos fazendo mergulhar na nossa própria identidade.


Local: TRAVE DE AÉREOS | GLOBO DA MORTE



Sexta–feira, 16/08/2019

19h30 – Força Capilar com Yasmin Camargo
Classificação: livre
Duração: 8 minutos
Ficha Técnica: Yasmim Camargo: Acrobata; Lara Camargo: Operadora de Guincho
Sinopse: Força Capilar! Atração Especial para a trave ao ar livre... Com Auto Grau de Dificuldade e Adrenalina, embalado à muita Dança, Malabares e Acrobacias Aéreas a Artista leva Ao Pé da Letra a Frase “Força Na Peruca!”

21h30 – Globo da Morte
Classificação: livre
Duração: 3 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Roither de Paula Sbano; Luis da Silva Globista
Sinopse: Dois motoqueiros nas duas motos enfrentam o perigo da esfera metálica; coragem, habilidade e perigo no espetacular globo da morte

Sábado, 17/08/2019
15h45 – Iluminayê com Luara Bolandini (TRAVE)
Classificação: livre
Duração: 4 minutos
Ficha Técnica: Performance aérea: Iluminayê
Supervisão artística: Erica Stoppel
Interpretação: Luara Bolandini
Assessoria de criação e preparação técnica: Bel Mucci e Iara Gueller
Sinopse: Iluminayê é uma performance aérea que evoca a energia do amor e da paixão. A brasilidade e o espírito festivo se expandem na ocupação do espaço aéreo em giros e voos.

17h – Globo da Morte
Classificação: livre
Duração: 3 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Roither de Paula Sbano; Luis da Silva Globista
Sinopse: Dois motoqueiros nas duas motos enfrentam o perigo da esfera metálica; coragem, habilidade e perigo no espetacular globo da morte

17h30 – Iluminayê com Luara Bolandini (TRAVE)
Classificação: livre
Duração: 4 minutos
Ficha Técnica: Performance aérea: Iluminayê
Supervisão artística: Erica Stoppel
Interpretação: Luara Bolandini
Assessoria de criação e preparação tecnica: Bel Mucci e Iara Gueller
Sinopse: Iluminayê é uma performance aérea que evoca a energia do amor e da paixão. A brasilidade e o espírito festivo se expandem na ocupação do espaço aéreo em giros e voos.

21h45 – Globo da Morte
Classificação: livre
Duração: 3 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Roither de Paula Sbano; Luis da Silva Globista
Sinopse: Dois motoqueiros nas duas motos enfrentam o perigo da esfera metálica; coragem, habilidade e perigo no espetacular globo da morte.

Domingo, 18/08/2019
14h – Arco Reflexo Double Lira com Gêmeas Dias
Classificação: livre
Duração: 6 minutos
Ficha Técnica: É um double lira, envolvendo as artistas Nathália Dias e Nayara Dias, incluindo um técnico para operar o motor.
Sinopse: Biologicamente falando o Arco Reflexo é o impulso, desde a origem até a efetuação da resposta do nosso corpo. Ele é responsável em transmitir ao nosso cérebro a dor, o calor ou o frio. Ao mesmo tempo, dentro de um arco, o reflexo das imagens que sensações podem transmitir? Ao nosso cérebro, à nossa percepção? A sincronia de pernas e braços seria mero instinto? O nosso corpo voluntariamente ou não reage aos estímulos. Sejam eles os movimentos, o giro que desnorteia, o avesso que confronta, ou a própria alma refletida do outro lado.

15h45 – Arco Reflexo Double Lira com Gêmeas Dias
Classificação: livre
Duração: 6 minutos
Ficha Técnica: É um double lira, envolvendo as artistas Nathália Dias e Nayara Dias, incluindo um técnico para operar o motor.
Sinopse: Biologicamente falando o Arco Reflexo é o impulso, desde a origem até a efetuação da resposta do nosso corpo. Ele é responsável em transmitir ao nosso cérebro a dor, o calor ou o frio. Ao mesmo tempo, dentro de um arco, o reflexo das imagens que sensações podem transmitir? Ao nosso cérebro, à nossa percepção? A sincronia de pernas e braços seria mero instinto? O nosso corpo voluntariamente ou não reage aos estímulos. Sejam eles os movimentos, o giro que desnorteia, o avesso que confronta, ou a própria alma refletida do outro lado.

16h45 – Globo da Morte
Classificação: livre
Duração: 3 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Roither de Paula Sbano; Luis da Silva Globista
Sinopse: Dois motoqueiros nas duas motos enfrentam o perigo da esfera metálica; coragem, habilidade e perigo no espetacular globo da morte

18h – Arco Reflexo Double Lira com Gêmeas Dias
Classificação: livre
Duração: 6 minutos
Ficha Técnica: É um double lira, envolvendo as artistas Nathália Dias e Nayara Dias, incluindo um técnico para operar o motor.
Sinopse: Biologicamente falando o Arco Reflexo é o impulso, desde a origem até a efetuação da resposta do nosso corpo. Ele é responsável em transmitir ao nosso cérebro a dor, o calor ou o frio. Ao mesmo tempo, dentro de um arco, o reflexo das imagens que sensações podem transmitir? Ao nosso cérebro, à nossa percepção? A sincronia de pernas e braços seria mero instinto? O nosso corpo voluntariamente ou não reage aos estímulos. Sejam eles os movimentos, o giro que desnorteia, o avesso que confronta, ou a própria alma refletida do outro lado.

18h30 – Globo da Morte
Classificação: livre
Duração: 3 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Roither de Paula Sbano; Luís da Silva Globista
Sinopse: Dois motoqueiros nas duas motos enfrentam o perigo da esfera metálica; coragem, habilidade e perigo no espetacular globo da morte

21h30 – Globo da Morte
Classificação: livre
Duração: 3 minutos
Ficha Técnica: Elenco: Roither de Paula Sbano; Luis da Silva Globista
Sinopse: Dois motoqueiros nas duas motos enfrentam o perigo da esfera metálica; coragem, habilidade e perigo no espetacular globo da morte

Local: BAIRROS


Sábado, 17/08/2019
11h – Xinfrin com Cia Pé de Cana
Local: Varejão Municipal - Avenida Thales Castanho de Andrade, 300 – Pq. dos Eucaliptos
Classificação: livre
Duração:
Ficha Técnica: Elenco: Suelen Zacharias (Palhaça Ripa), Denis Menezes (Palhaço Capivara) e Hugo Delariva (Palhaço Fiofó).
Sonoplasta/Contrarregra: Calini Detoni.
Dramaturgia: Comédia/circense.
Direção: Suelen Zacharias, Denis Menezes e Hugo Delariva.
Sinopse: Depois de viajar um ano e percorrer treze estados brasileiros, essa trupe mambembe vem através desse espetáculo contar histórias que viveu e aprendeu no decorrer das suas andanças. Num roteiro rabiscado em papel de pão e por meio das linguagens circense, da música e do palhaço, eles mostram um pouco da bagagem que acumularam pelos caminhos e pessoas que passaram, compartilhando de forma poética e muito divertida essas experiências com o público.

14h – Xinfrin com Cia Pé de Cana
Local: Centro Comunitário Bosque dos Lenheiros - Rua Pau Brasil, s/n – Bosque dos Lenheiros
Classificação: livre
Duração: livre
Ficha Técnica: Elenco: Suelen Zacharias (Palhaça Ripa), Denis Menezes (Palhaço Capivara) e Hugo Delariva (Palhaço Fiofó).
Sonoplasta/Contrarregra: Calini Detoni.
Dramaturgia: Comédia/circense.
Direção: Suelen Zacharias, Denis Menezes e Hugo Delariva.
Sinopse: Depois de viajar um ano e percorrer treze estados brasileiros, essa trupe mambembe vem através desse espetáculo contar histórias que viveu e aprendeu no decorrer das suas andanças. Num roteiro rabiscado em papel de pão e por meio das linguagens circense, da música e do palhaço, eles mostram um pouco da bagagem que acumularam pelos caminhos e pessoas que passaram, compartilhando de forma poética e muito divertida essas experiências com o público.

Domingo, 18/08/2019
11h – Xinfrin com Cia Pé de Cana
Local: Varejão Municipal Água Branca - Avenida Edna Rontani Bassete, 522 – Água Branca
Classificação: livre
Duração: livre
Ficha Técnica: Elenco: Suelen Zacharias (Palhaça Ripa), Denis Menezes (Palhaço Capivara) e Hugo Delariva (Palhaço Fiofó).
Sonoplasta/Contrarregra: Calini Detoni.
Dramaturgia: Comédia/circense.
Direção: Suelen Zacharias, Denis Menezes e Hugo Delariva.
Sinopse: Depois de viajar um ano e percorrer treze estados brasileiros, essa trupe mambembe vem através desse espetáculo contar histórias que viveu e aprendeu no decorrer das suas andanças. Num roteiro rabiscado em papel de pão e por meio das linguagens circense, da música e do palhaço, eles mostram um pouco da bagagem que acumularam pelos caminhos e pessoas que passaram, compartilhando de forma poética e muito divertida essas experiências com o público.

14h – Xinfrin com Cia Pé de Cana
Local: Vida Nova Piracicaba - Avenida Aureliano Fernandes de Araújo Neto, 571 – Vale do Sol
Classificação: livre
Duração: livre
Ficha Técnica: Elenco: Suelen Zacharias (Palhaça Ripa), Denis Menezes (Palhaço Capivara) e Hugo Delariva (Palhaço Fiofó).
Sonoplasta/Contrarregra: Calini Detoni.
Dramaturgia: Comédia/circense.
Direção: Suelen Zacharias, Denis Menezes e Hugo Delariva.
Sinopse: Depois de viajar um ano e percorrer treze estados brasileiros, essa trupe mambembe vem através desse espetáculo contar histórias que viveu e aprendeu no decorrer das suas andanças. Num roteiro rabiscado em papel de pão e por meio das linguagens circense, da música e do palhaço, eles mostram um pouco da bagagem que acumularam pelos caminhos e pessoas que passaram, compartilhando de forma poética e muito divertida essas experiências com o público.

Serviço:

Evento: 12º Festival Paulista de Circo

Data: 16,17 e 18 de agosto

Horário: abertura para o público acontece no dia 16/08, às 20h. As outras atrações variam conforme programação

Locais: Engenho Central de Piracicaba (SP) e em outros pontos da cidade, como nos bairros Água Branca e Parque dos Eucaliptos.

Valor: gratuito

Classificação: conforme programação

* programação sujeita a alteração sem prévio aviso


Sobre o Festival Paulista de Circo

O Festival Paulista de Circo é realizado APAA (Associação Paulista dos Amigos da Cultura) em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado e a Prefeitura de Piracicaba, e busca resgatar a tradição dos circos brasileiros e estimular o intercâmbio entre os diferentes grupos circenses do Estado de São Paulo. O evento acontece anualmente e aborda diferentes temas da cultura circense em sua programação, que traz desde palestras para formação de artistas do meio a apresentação de espetáculos. A programação é gratuita para todos os interessados.

Saiba mais em: http://www.festivalpaulistadecirco.com.br/


Sobre a APAA – Associação Paulista Dos Amigos Da Arte

A APAA é uma Organização Social de Cultura que trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da APAA, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos como o Teatro Sérgio Cardoso e Museu da Diversidade Sexual, em São Paulo, e Teatro Estadual de Araras.

Saiba mais em: https://apaa.org.br

Conheça também as redes sociais da APAA:
Instagram: https://www.instagram.com/omelhordaculturasp

Facebook: https://www.facebook.com/omelhordaculturasp
Twitter: https://twitter.com/apaacultural


Lembrancinhas personalizadas para festas e corporativo

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Formulário FRIDA para vítimas de violência contra a mulher



"Formulário FRIDA materializa a vontade da Lei Maria da Penha", diz conselheiro do CNMP


“O Formulário Nacional de Risco e Proteção à Vida (FRIDA) é uma ferramenta de avaliação de risco que vem para materializar a vontade da Lei Maria da Penha. Isso porque os dados colhidos contribuem para a prevenção da violência doméstica contra a mulher e para evitar a escalada da agressão até o feminicídio”. A afirmação é do presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais do Conselho Nacional do Ministério Público (CDDF/CNMP), conselheiro Valter Shuenquener, no dia (7 de agosto) em que a Lei Maria da Penha completa 13 anos.

O conselheiro explica que o formulário, disponibilizado pelo CNMP, traz perguntas cujas respostas contribuem na identificação, de forma objetiva, do grau de vulnerabilidade em que a vítima mulher se encontra. “A aplicação do questionário reduz a probabilidade de uma possível repetição ou ocorrência de um primeiro ato violento contra a mulher no ambiente de violência doméstica”, destaca, reforçando o alinhamento à norma que faz aniversário nesta data.

Ainda para o presidente da CDDF/CNMP, a Lei Maria da Penha é uma das melhores do mundo no tema. "Ela é reconhecida internacionalmente pelo seu caráter de vanguarda, pois aposta na prevenção, na articulação entre as instituições e na especialização das varas e promotorias de Justiça”, afirma. “É nesse mesmo contexto em que surge o FRIDA”.

O FRIDA

Desenvolvido no âmbito do programa Diálogos Setoriais: União Europeia-Brasil, que tem o CNMP como um dos responsáveis, o FRIDA é um formulário que apresenta duas partes: a primeira traz 19 perguntas e uma escala de classificação da gravidade de risco, e a segunda é composta por questões destinadas a avaliar as condições físicas e emocionais da mulher, para prevenção do agravamento da violência em curto prazo.

A coleta sistematizada e padronizada de informações, por meio do FRIDA, contribui para a fundamentação e avaliação de medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha. Além disso, previne o agravamento da violência para vítimas sobreviventes de feminicídios e/ou vítimas indiretas, e facilita o encaminhamento das mulheres às redes de serviços especializadas nesse tipo de atendimento.

A avaliação de risco deve ser realizada no primeiro contato que a mulher estabeleça com um serviço – seja uma delegacia de polícia, centro de referência, serviço de saúde ou por meio das equipes multidisciplinares de promotorias, defensorias ou juizados e varas especializadas. O FRIDA é preenchido por profissional devidamente capacitado, que, durante o atendimento, precisa informar à vítima sobre o uso do instrumento, sua finalidade e a importância de registrar as respostas para cada pergunta.

Até o momento, a CDDF/CNMP e a Delegação da União Europeia no Brasil já realizaram cursos para apresentar a ferramenta nova, instruções de uso e diretrizes de implementação em seis estados, com cerca de 500 profissionais capacitados. Hoje, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos utiliza o FRIDA nas ligações recebidas pela Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência.

Desigualdade de gênero

“A desigualdade fomenta a opressão e, portanto, a violência contra as mulheres”. A frase é da secretária de Direitos Humanos e Defesa Coletiva da Presidência do CNMP, Ivana Farina, também na data em que a Lei Maria da Penha completa 13 anos. Farina integrou a comissão organizadora das cinco conferências regionais de promotoras e procuradoras de Justiça realizadas pelo Conselho no primeiro semestre de 2019.

O objetivo das conferências foi debater iniciativas e ações que visam à equidade de gênero em cargos de liderança no âmbito do Ministério Público brasileiro. Nos eventos, foram colhidas as manifestações das promotoras e procuradoras de Justiça sobre o fluxo e os obstáculos para ingresso, lotação, permanência, capacitação e movimentação na carreira, refletindo sobre problemas, soluções e boas práticas.


Sacolinhas personalizadas para festas e eventos corporativos

Hipertensão arterial atinge mais de 60% dos idosos no Brasil

XXVII Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão

No Brasil, a hipertensão arterial - HA atinge 32,5% (36 milhões) de indivíduos adultos, mais de 60% dos idosos, contribuindo direta ou indiretamente para 50% das mortes por doença cardiovascular (DCV).

Junto ao Diabetes Mellitus, suas complicações (cardíacas, renais e AVE) têm impacto elevado na perda da produtividade do trabalho e da renda familiar, estimada em US$ 4,18 bilhões entre 2006 e 2015.

Em 2013 ocorreram 1.138.670 óbitos, 339.672 dos quais (29,8%) decorrentes de DCV, a principal causa de morte no País.

A Sociedade Brasileira de Hipertensão, trabalha intensamente para reduzir estes números acima, por meio de Campanhas de Detecção de Suspeitos, programas de educação permanente para os profissionais de saúde que atendem pacientes hipertensos e particularmente em seu Congresso, que neste ano chega à sua XXVII edição.

A ser realizado em São Paulo, no Hotel Tivoli Mofarrej, de 7 a 9 de agosto, o XXVII Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão 2019 transcorrerá junto ao Congresso da Liga Mundial de Hipertensão (World Hypertension League), com a presença de 21 palestrantes internacionais.
Em 7 de agosto haverá amplo debate sobre as medidas para aumentar o diagnóstico, tratamento e controle desta condição que está envolvida no desenvolvimento das doenças cardiovasculares, a principal causa de morbimortalidade no país e no mundo. Brasil e Liga mundial produzirão algumas recomendações para o enfrentamento à HA.

A SBH tem como um dos seus objetivos qualificar/ampliar a prevenção, o diagnóstico, o tratamento e o controle da hipertensão, e com isso impactar os indicadores de morbidade e mortalidade cardiovascular no Brasil.

O Sistema Único de Saúde é responsável por 80% dos atendimentos em suas 35.000 Unidades Básicas de Saúde. A Sociedade Brasileira de Hipertensão faz todos os anos uma atualização para os profissionais que trabalham no SUS. 
 
Neste ano esta atualização ocorrerá no dia 7 de agosto das 8h às 12h, para os profissionais da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. O programa pode ser acessado no endereço: https://sistemacenacon.com.br/site/sbh2019/mensagem

Carlos Alberto Machado
Presidente do XXVII Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão 2019

Dra. Frida Plavnik
Presidente da Sociedade Brasileira de Hipertensão 2019 

 

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Será que você domina os seus sentimentos ou eles te dominam?


Na vida você tem 2 opções, ou você reage aos comandos, ou você dá comandos


Essa é uma pergunta que eu tenho feito para mim mesmo nos últimos anos, e graças a alguns cursos, vivencias e pessoas que serviram de inspiração eu cheguei a conclusão em determinado momento que os sentimentos é que me dominavam, eu não tinha controle nenhum sobre eles, agia sob impulso, muitas vezes descontrolado.

Vou te contar como eu cheguei a essa conclusão e porque esse assunto é tão relevante para qualquer pessoa que que queira melhorar seu desempenho em qualquer área da vida.

Um belo dia, chegando no meu escritório, tive uma situação de atrito bem intensa com um dos sócios da empresa. Eram 08:00 da manhã e nós já estávamos com um grau altíssimo de estresse e nos descontrolamos emocionalmente de maneira intensa, dissemos o que não pensávamos, agredimos um ao outro verbalmente e naquele momento só não partimos para uma agressão física pois pessoas que estavam ao redor conseguiram intervir.

Tá, e onde eu quero chegar com isso?
O motivo para nossa discussão foi ridículo, ridículo mesmo. Foi um problema tão insignificante que nós não precisamos pensar nele nem sequer um segundo, ele se resolveu de maneira natural, sem nosso envolvimento.

Nós quase nos agredimos fisicamente, xingamos um ao outro, ficamos alguns dias sem se falar e sabe porquê? Pois não tivemos o mínimo controle emocional para saber lidar um com o mal dia do outro, os 2 cederam para os instintos mais primitivos que existem dentro de cada um.

Agora diz pra mim, existe alguém, pode ser no ambiente de trabalho, família ou amigos que você se distanciou por alguma briga e nem se lembra o motivo real hoje em dia?

Quando faço essa pergunta em treinamentos que tenho feito a imensa maioria das pessoas responde que sim, que perderam contato com pessoas que gostavam e não sabem o motivo real de isso ter acontecido, simplesmente aconteceu.

Na vida você tem 2 opções, ou você reage aos comandos, ou você dá comandos, o mesmo vale para os seus sentimentos.

O sentimentos irão surgir, e pode ser que uma raiva intensa tenha uma ação enorme sob você e você reaja da pior maneira possível, deixando que esse sentimento domine e dite o que deve ser feito daquele momento em diante, ou você pode compreender o porque desse sentimento ter aparecido e tirar o máximo de proveito positivo daquela situação.

Lembre se que na vida tudo é opção, ou você domina ou será dominado.


Vinicius Lopes é Treinador Comportamental, Master Coach e seus treinamentos e workshops tem como principais públicos-alvo vendedores, líderes e gestores, inteligência emocional, empreendedores e motivacional.

Site: http://viniciuslopestreinamentos.com/






Sacola personalizada para lembrancinha de casamento

Desemprego entre jovens pode ser reduzido com a formação profissional

80% dos alunos de baixa renda que passaram pela educação profissional do Programa Formare ingressaram no mercado de trabalho.


O caminho a percorrer para a conquista do primeiro emprego não é fácil. A principal porta de entrada, principalmente para os jovens de baixa renda, é a educação profissional. Missão que o Programa Formare, da Fundação Iochpe, vem realizando há mais de 30 anos, com a oferta de cursos profissionalizantes gratuitos voltados para preparar os novos profissionais. A abordagem pedagógica é orientada pelo desenvolvimento de competências para o trabalho e para o exercício da cidadania.

Em maio, o Programa comemorou o número total de 22.500 jovens alunos de baixa renda formados. Para Cláudio Anjos, diretor-executivo da Fundação Iochpe, a formação profissional é a oportunidade dos jovens brasileiros ingressarem no mercado de trabalho e continuarem estudando para desenvolver uma carreira profissional de sucesso. "Hoje mais de 80% de todos os alunos formados entram no mercado de trabalho, graças aos cursos e às 46 empresas parceiras, presentes em 14 Estados e em mais de 47 municípios, que contratam e apostam na qualificação do Formare. O impacto social, cultural e econômico é extremamente positivo para esses jovens, suas famílias e para a geração de novos profissionais para o país", destaca Anjos.

Em 2018, o Formare comprovou a dimensão do seu impacto por meio de pesquisa com os ex-alunos de baixa renda que passaram pela formação profissional do Programa. O estudo aponta que os alunos conquistam maiores salários e têm uma presença mais ampla no mercado de trabalho formal e no ensino superior do que jovens brasileiros em condições parecidas, identificados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Pnad-IBGE).

O estudo recente, intitulado "Trajetória e impacto do Formare na vida profissional dos ex-alunos", feito pela consultoria Plano CDE sob encomenda da Fundação Iochpe, mostra que egressos do Programa Formare de 20 a 22 anos têm salário médio de R$ 1,6 mil, 23% maior que o ganho médio (R$ 1,3 mil) da mostra comparativa do público com o mesmo perfil socioeconômico da Pnad de julho de 2018. A comparação da taxa de ocupação formal dos dois grupos revela que 60,4% dos ex-alunos do Formare têm carteira assinada, enquanto apenas 38,9% dos outros jovens estão trabalhando formalmente. Na educação, 62,5% dos ex-Formare seguiram estudando e se matricularam em cursos superiores contra um índice de 16,3% da amostra registrada pela Pnad.

"Um curso como o Formare, que promove o contato direto dos jovens com o mundo do trabalho, traz uma experiência profissional rara nessa faixa etária, algo que a escola não proporciona, e dá aos jovens grande estímulo à continuidade dos estudos, seja no ensino superior ou técnico", avalia o economista Rafael Camelo, diretor de avaliação e planejamento da consultoria Plano CDE.

A despeito do elevado desemprego da população brasileira jovem, bem acima da média nacional, o Formare tem efeitos sobre a taxa de ocupação formal dos jovens, que têm 2 vezes mais chances de estarem trabalhando formalizados após a conclusão do curso. No aspecto educacional, mais de 60% dos ex-alunos do Formare seguiram estudando ao fim do projeto social. A maior parte deles (77,4%) cursa uma graduação, enquanto 17,5% fazem curso técnico. Dos 36,9% que não estão estudando, 19% já obtiveram o diploma de ensino superior e 34% concluíram curso técnico.


Gisa Fernandes: do primeiro emprego à carreira de engenheira

Gisa Fernandes começou sua trajetória profissional na Iochpe Maxion, multinacional brasileira do setor de autopeças que já formou 900 jovens pelo Formare, desde 1996. Durante esses 22 anos, o Programa foi a porta de entrada para uma carreira de sucesso para diversos jovens profissionais. Um dos exemplos é Gisa Fernandes, que participou do Curso de Mecânico de Montagem de Produtos oferecido pelo Programa Formare na empresa Maxion - Cruzeiro (SP), em 2000.

"Antes do Formare eu não tinha expectativa nenhuma de profissão ou emprego, não acreditava e nem sabia do potencial que eu tinha. Ao ingressar no Programa, com ajuda e orientação dos meus educadores, pude abrir meus horizontes e descobrir tudo o que eu era capaz de fazer".

Desde então, Gisa foi contratada, passou por diversas áreas da empresa e, hoje, é Engenheira de Melhoria Contínua. A experiência com o Formare foi tão marcante na sua vida, que hoje tornou-se educadora voluntária, ensinando Inglês Básico para os novos alunos do Programa na Maxion e, ainda, realiza palestras para jovens e adolescentes de outras instituições da cidade.


Everton Alves: de aluno do Formare à Sócio-Diretor de Operações e Vendas

Everton Alves foi aluno do programa Formare em 1999, na quarta turma da unidade de Contagem (MG) da Maxion. Com 17 anos, já sabia que queria seguir carreira na área de análise de sistemas. Para ter a chance do primeiro emprego, aproveitou a oportunidade de estar em um curso de qualificação profissional para iniciar sua trajetória.

Cerca de dez anos depois de sair do Formare, Everton voltou à Maxion como educador voluntário das disciplinas de Informática e Raciocínio Lógico. "Eu era o único educador que não era funcionário da empresa, ia uma vez por semana dar aulas. Fiz isso por dois anos. Eu queria levar outra visão de mundo aos jovens do Formare, de uma pessoa que passou pelo que eles estavam passando, que entendia os questionamentos deles", comenta.

Desde então, sua carreira profissional continuou em ascensão. Em 2009, começou a trabalhar na Samba Tech, empresa de tecnologia de informação, como gerente de projetos. Três anos depois, assumiu a área de operações e logo em seguida foi promovido a diretor de Operações. Em 2014 tornou-se sócio-diretor de Operações e Vendas, cargo que ocupa atualmente.


:: Sobre o Formare

O Formare é um programa social desenvolvido pela Fundação Iochpe em parceria com empresas de médio e grande portes para a oferta de cursos de formação inicial profissional a adolescentes e jovens de baixa renda.
Os cursos são realizados em período integral, no contraturno escolar dos alunos, dentro das empresas, com aulas teóricas e práticas ministradas por funcionários capacitados para atuar como educadores voluntários. A empresa é transformada em um ambiente de aprendizagem e de qualificação profissional; os profissionais se tornam professores voluntários.
A capacitação dos funcionários e os cursos, com carga horária mínima de 800 horas, são desenvolvidos pela equipe pedagógica da Fundação Iochpe conforme características e demandas de cada empresa e a realidade do mercado de trabalho local. A certificação do Formare é chancelada pelo Ministério da Educação (MEC).

Mais informações: http://fiochpe.org.br/


Sacola personalizada para lembrancinha de 15 anos

Como superar os traumas deixados por catástrofes

Quando acompanhamos pelas mídias as grandes tragédias e catástrofes, nos sentimos compadecidos por vários dias, até semanas. Depois de um tempo não lembramos mais e continuamos nossas vidas. No entanto, para quem viveu a tragédia o pesadelo não acabou. Muitos perderam tudo, inclusive a quem mais amavam, e a dor da saudade pode ser ainda mais torturante que o momento da catástrofe. Muitos se sentem abandonados por Deus.

Os prejuízos econômicos, perdas de vidas, de meios de subsistências, as lesões corporais, são os danos visíveis, porém o efeito mais difícil de mensurar são os impactos psicológicos, as feridas da mente.

Buscando aliviar a dor, muitas pessoas optam pelo uso de substâncias químicas, como álcool e drogas. Outras se tornam apáticas a tudo, como uma forma de defesa, evitando sentir a dor e, em alguns casos, chegam a se tornarem agressivas. O extremo é o desejo de tirar a própria vida. As taxas de suicídio são um exemplo disso, elas duplicaram após o furacão Katrina em 2005, nos EUA.

No Brasil os dados não são diferentes. Em Mariana, 16,4% das vítimas do rompimento da barragem de Fundão (2015) apresentavam comportamento suicida em 2017. Das 271 vítimas entrevistadas, 28,9% sofriam de depressão, segundo o projeto “Pesquisa sobre a Saúde Mental das Famílias Atingidas pelo Rompimento da Barragem do Fundão em Mariana (Prismma)”, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

“Trauma”, em grego, quer dizer ferida. Da mesma forma que a medicina cuidará dos ferimentos do corpo e estes cicatrizarão, também o cérebro precisará curar as feridas deixadas na mente. Descobertas a respeito do cérebro mostram que a mente tem um sistema de processamento para cicatrizar as feridas e dar sentido a elas.
O tratamento com a técnica EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing), criada por Francine Shapiro e reconhecida oficialmente pela Associação Americana de Psicologia, pela Sociedade Internacional para Estudos sobre o Estresse Traumático e pela Organização Mundial da Saúde, consiste em estimular as áreas bloqueadas do cérebro com estímulos bilaterais táteis, visuais e auditivos, provocando a “cicatrização” das “feridas” emocionais. Um grande trauma é capaz de bloquear no cérebro as lembranças positivas e surgem pensamentos negativos a respeito de si mesmo, como: “sou culpado”, “deveria ter salvado minha família”, “sou merecedor de castigo”.

Em Petrópolis, Brumadinho e com familiares da Boate Kiss, psicólogos do EMDR se doaram para aliviar o sofrimento das pessoas afetadas por essas tragédias, aplicando gratuitamente a técnica.

Em meu livro “Vencendo os traumas que nos prendem”, lançado este ano pela Canção Nova, me reporto a uma das dores mais comuns nos casos de catástrofes: o sentimento de abandono de Deus. Essa é uma das dores mais profundas, porém, sim, é possível curá-la, quando a ferida for tratada.

Algumas pessoas muito religiosas quando passam por traumas agudos dizem não conseguirem nem rezar e isso é extremamente compreensível, pois o cérebro está adoecido. A pessoa precisa, primeiramente, ser ajudada, para voltar a exercer suas manifestações de fé. Tive um paciente que depois de ter curado sua ferida no cérebro disse: “Deus não me abandonou, ele chorou comigo”.

Na tragédia em Petrópolis no Rio de Janeiro em 2011, após as enchentes e deslizamentos de terra, uma sobrevivente relata que não conseguia “tirar da cabeça” o cheiro da lama e o barulho do vento. Após o reprocessamento com o uso da técnica, ao ser exposta ao som da chuva, ela lembrou de quando era criança e tomava banho de chuva sorrindo. Lembrou-se também do cheirinho de terra molhada, da sensação gostosa do vento entrando pela janela. A dor deixa de existir e os sintomas se transformam, dão lugar ao belo novamente, a vida. Parece algo impossível, mas o cérebro tem esse lindo potencial de cura. 

Esse ano, estive nos Estados Unidos palestrando e conheci o Memorial & Museu Nacional do “11 de Setembro” e fiquei impactada. Todas as construções ilustram a força que o ser humano tem para se reerguer. No local onde ficavam as torres, há um paredão de água que se esvai num profundo e gigantesco buraco. Só se ouve o barulho da água e um silêncio entre os turistas. É inevitável que se pense no sentido da vida e no valor de cada vida perdida nomeada no mármore que circunda a obra. Lembrei-me que nas semanas subsequentes da queda das torres, falei com pessoas que estavam em Nova York. Todos mencionaram a humanidade, a unidade, a fraternidade gerada entre as pessoas. É disso que estou falando para quem está lendo esse artigo e pensa que tudo acabou. Isso não é verdade, há algo a mais, maior, que vai além.

Curar um trauma não é apagar da memória o fato traumático, porque se fizermos isso vamos também descartar coisas úteis, jogar fora aprendizados e, principalmente, deixar de ver o sobrenatural, que nos faz continuar vivos.

* Adriana Potexki é psicóloga, certificada pelo EMDR Institute; autora dos livros "Cura dos sentimentos – em mim e no mundo", "A cura dos Sentimentos nos Pequeninos – Papai e Mamãe brigaram" e “Vencendo Os Traumas que nos Prendem”; colunista do canal Formação Canção Nova e membra do Movimento dos Focolares.

Sacolinha personalizada para lembrancinhas e eventos corporativos

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Governo Federal lança Programa Médicos pelo Brasil

Governo Federal lança, nesta quinta-feira (01/08), às 11h, em Brasília, o Programa Médicos pelo Brasil, que vai ampliar a oferta de médicos em locais de difícil provimento ou alta vulnerabilidade e formar médicos especialistas em Medicina de Família e Comunidade. Na ocasião, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, vai explicar como funcionará o novo programa.
O evento será transmitido, ao vivo, pelas redes sociais do Ministério da Saúde: FacebookTwitterPortal (saude.gov.br) e WebRádio Saúde.

domingo, 28 de julho de 2019

Por que Dubai tem atraído cada vez mais brasileiros?




Por que Dubai tem atraído cada vez mais brasileiros?
Dubai é considerado um dos destinos mais luxuosos do mundo e surpreende pela riqueza, arquitetura e cultura. Nos últimos anos, esta cidade e emirado dos Emirados Árabes Unidos tem atraído cada vez mais a atenção dos brasileiros, sendo o quarto destino na Ásia mais buscado por brasileiros em 2018, de acordo com dados do Departamento de Turismo e Marketing de Comércio (DTCM). Mas quais seriam os motivos para tamanha procura?

O influencer digital e especialista em turismo Gabriel Veronese acredita que muitos fatores são atrativos para o brasileiro que deseja passar alguns dias em Dubai: “além do voo diário entre São Paulo e Dubai, a não exigência de visto para viagens de até 90 dias e o luxo a preços mais acessíveis do que destinos como Paris ou Rio de Janeiro são fatores que favorecem o crescimento da procura por Dubai. Além de viajantes de luxo, um diversificado arsenal de atrações turísticas, a chance de experimentar uma nova cultura em um país árabe mais liberal e aberto, os parques temáticos com temas de filmes de Hollywood e os arranha-céus entre os maiores do mundo são convidativos.

Gabriel Veronese detalha algumas das principais atrações e pontos de interesse de Dubai. Confira:


Brasileiros não precisam de visto

Os brasileiros já podem visitar cidades como Dubai e Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos (EAU), sem se preocupar com a obtenção de visto. Basta ter um passaporte comum para podem entrar, sair e circular livremente pelos respectivos territórios por um período de até 90 dias a cada 12 meses, sem burocracia ou pagamento de taxas. A ideia é fortalecer as relações bilaterais entre os dois países, estimulando o comércio exterior e o turismo.


Segurança

Dubai é uma cidade muito segura, com baixíssimos índices de roubos, homicídios e assaltos. Pode ficar despreocupado quanto a isso.


O Maior Parque de Diversões Indoor do Mundo

Considerado o maior parque de diversões indoor do mundo, o IMG Worlds of Adventure é dividido em diversas seções, como a Marvel Zone, com atrações de montanha-russa e simuladores totalmente inspirados no universo Marvel, o Lost Valley Dinossaur Adventure, inspirado na era jurássica, além da sessão do Carton Network. O parque reúne grandes atrações do cinema hollywoodiano, como Shrek, Madagascar, Smurfs, entre outros, com brinquedos dos mais tranquilos aos mais radicais.

Das areais do deserto aos picos nevados sem sair de Dubai

Até mesmo quem deseja dar os primeiros passos em um esqui, em Dubai isso é possível. Com mais de 22 mil metros quadrados de neve, o parque indoor Ski Dubai tem cinco pistas de variadas dificuldades.
Programas para amantes da alta velocidade
Próximo de Dubai está o Ferrari World, localizado em uma ilha artificial em Abu Dhabi. O parque conta com a montanha-russa mais rápida do mundo, que chega a impressionantes 240 km/h.

O Maior Shopping Center do Mundo

Para quem gosta de compras, o destaque fica por conta do Dubai Mall, o maior shopping Center do mundo, com mais de 1.200 lojas, 280 restaurantes e cafés. Isso sem contar no enorme aquário com mais de 30 mil peixes e uma pista de patinação de gelo olímpica.



Mais barato que ir à Disney

Quando comparado a Orlando, por exemplo, o investimento tende a ser menor do que um pacote para a Disney. Acordos comerciais entre as operadoras e a companhia aérea Emirates Airline tem feito o valor dos pacotes ficar 50% mais baratos.

O que observar antes de ir para Dubai?

Por mais que Dubai seja mais liberal que seus vizinhos dos emirados, ainda é um país muçulmano e com diversas regras. Você pode andar de shorts pelas ruas e ir de biquíni para a praia (melhor ainda se for nas praias privadas), mas é bom evitar demonstrações públicas de afeto, como beijos em público, por exemplo.

Atenção: é proibido beber em público em Dubai. Turistas até podem ir aos bares (ficam nos hotéis) e beber lá, mas os preços não são nada convidativos. Se você for pego com drogas, será preso. Dubai tem uma política de tolerância zero com as drogas.

Quanto custa fazer turismo em Dubai?

Dubai está longe de ser um destino caríssimo como muitos pensam. Com alguma antecedência, é possível por menos de 3 mil Reais encontrar passagens aéreas para lá, e pacotes em agências com hotel e roteiros turísticos por menos de 5 mil Reais. Por isso, acho até que Dubai não é tão cara considerando todo o luxo que oferece. É mais barato do que ir para diversos roteiros turísticos nacionais, europeus e norte-americanos. Pesquisando com antecedência é possível achar hotéis a preços razoáveis, U$100 (100 dólares americanos ou 385 Reais aproximadamente) por noite para um padrão 3 estrelas e entre U$130 e U$150 para um 4 estrelas. Este preço é mais barato que um hotel do mesmo padrão no Rio de Janeiro, por exemplo, que pode chegar a U$300 (1155 Reais aproximadamente).

O metrô cobre boa parte dos pontos turísticos. Para os lugares que ele não vai há sempre a possibilidade de pegar um táxi, que também é mais barato que o taxi no Brasil.

É possível comer nos fast foods por menos de 10 dólares (38 Reais aproximadamente) e fazer uma refeição em restaurante comum por U$10 ou U$15, um pouco menos de 60 Reais. Já em um restaurante mais chic o céu é o limite sendo possível gastar uma pequena fortuna para comer em um restaurante premiado por exemplo.

Sacolinhas personalizadas para lembrancinhas de casamento


sábado, 27 de julho de 2019

Cigarros eletrônicos são "indubitavelmente prejudiciais" à saúde, alerta OMS


Segundo a entidade, apesar de expor o consumidor a uma quantidade menor de toxinas que o cigarro comum, os dispositivos não trazem “impacto benéfico”, nem mesmo para quem tenta abandonar o vício do tabagismo

Popular entre os jovens brasileiros, os chamados cigarros eletrônicos são "indubitavelmente prejudiciais" e podem causar danos graves. É o que alerta a Organização Mundial de Saúde (OMS) ao desaconselhar o uso desse tipo de aparelho, inclusive para quem tenta abandonar o vício do tabagismo.

Os cigarros eletrônicos permitem a inalação de líquidos com nicotina e aromatizantes. No Brasil, a venda desses aparelhos é proibida desde 2009 e os produtos comercializados no país não possuem certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo a OMS, apesar de expor o consumidor a uma quantidade menor de toxinas que o cigarro comum, os eletrônicos não trazem “impacto benéfico para a saúde”. Além disso, desmentiu a informação de que o uso de cigarros eletrônicos ajude a diminuir o hábito de fumar.

O aviso sobre os danos causados à saúde por esses dispositivos foi feito no mesmo evento em que a OMS anunciou que Brasil e Turquia são os únicos países que adotaram todas as medidas indicadas pelo órgão para reduzir o tabagismo. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou também a assinatura de um convênio entre Brasil e Paraguai para diminuir o consumo de cigarro nos países.

Sacolinhas personalizadas para casamento