ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

sábado, 21 de julho de 2012

Ariano Suassuna destaca a cultura brasileira no encerramento do 4o Congresso Marista de Educação


Congresso aconteceu entre os dias 17 e 20 de julho, com a presença de renomados palestrantes nacionais e internacionais, para discutir os caminhos da educação 

“O Brasil tem uma cultura muito rica, mas as coisas não chegam ao povo. Isso é culpa dos meios de comunicação.” Dramaturgo, romancista, poeta e um dos maiores defensores da cultura nacional, Ariano Suassuna tem opiniões fortes (apresentadas de maneira muito descontraída) sobre o momento atual da cultura brasileira..

 Palestrando sobre o tema Cultura como princípio educativo, Suassuna encerrou o 4o Congresso Marista de Educação – Edição Internacional, que reuniu cerca de três mil pessoas,  com o propósito de possibilitar aos educadores e gestores educacionais o diálogo, bem como a apropriação de conceitos sobre a educação da infância e da juventude na contemporaneidade, a fim de propor políticas e práticas que promovam o direito ao ensino de qualidade.

 Suassuna, usando todo seu carisma, mostrou para o público presente como a cultura pode afetar na educação dos jovens – e vem afetando. Para o escritor, é preciso apresentar uma cultura de qualidade e que perdure. “Êxito é diferente de sucesso. O sucesso faz muito barulho, mas é efêmero; já o êxito fica, ele é duradouro.” E, para não deixar questionamentos, o escritor recitou um poema de Camões: “A arte boa não envelhece”, afirmou. 

Experiências Internacionais em Educação

O Congresso, que aconteceu entre os dias 17 e 20 de julho, também discutiu, entre outras coisas, as Experiências Internacionais em Educação. Esse painel, contou com a participação de Maria Figueiredo Cowen, Jason Buck e Fernando Haddad, ex-ministro da Educação.

Haddad falou a respeito do trabalho realizado pelo Brasil em relação à educação, afirmando que o cidadão deve ser protagonista no processo do conhecimento e que isso é um processo social que depende de todos. O ex-ministro lembrou que o país investe hoje 5% do PIB em educação e que há uma preocupação com o ciclo completo de educação, desde a Educação Infantil até a Pós-Graduação. Haddad acredita que no século XXI, diferente do século passado, o compromisso com a educação veio para ficar.

Cultura de Vida e Sustentabilidade

Ao lado de Leonardo Boff e Cipriano Luckesi, Marina Silva participou do painel Cultura de Vida e Sustentabilidade, no qual utilizando sua própria vida como exemplo, discutiu sobre ética, educação e o conceito de sustentabilidade. Marina expôs sua experiência como professora e falou sobre a alfabetização que recebeu após seus 16 anos. “Educação gera igualdade de oportunidade e eu sou um exemplo disso”, comenta. A ex-senadora enfatizou que “sustentabilidade não é uma maneira de fazer, e sim uma maneira de ser” e que o grande desafio de hoje é “buscar a verdadeira cultura de sustentabilidade”.


Publicidade: