ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

terça-feira, 6 de novembro de 2012

ELIANA MALIZIA REGISTRA O MUNDO SOB DUAS RODAS



Se o fato de ser uma das poucas mulheres a encarar esse tipo de aventura fosse pouco, imagine que ela ainda arruma tempo para dedicar-se ao boxe, corrida, ciclismo e aviação, isso mesmo, Eliana Malizia atesta que a sua brevê (carteira de aviação) está bem próxima.

A paixão pelas duas rodas despertou logo cedo, aos 18 anos, quando ainda era menina transitava pela cidade em cima de uma scooter, a partir daí a paixão foi crescendo e paralelamente suas máquinas também!

Pelas suas contas Eliana Malizia já percorreu aproximadamente 25.000 km em suas viagens desde 2008 e esse número não para de crescer.

Temos muitas histórias e diversa fotos de suas viagens em alta resolução.



CURIOSIDADES POR ELIANA MALIZIA

- A mais distante viagem que fiz de moto foi no final do ano passado, parti de São Paulo e segui até Punta del Leste no Uruguai, de lá, conheci Montevideo, Colônia del Sacramento , peguei uma balsa e fui até Buenos Aires, e de lá voltei para SP. Foram 5500 Km rodados. Essa viagem realizei em grupo, um grupo chamado EDA ( Embriagados do Asfalto). Essa viagem virou matéria e claro falei sobre o grupo, mas não deixei os leitores saberem o que significa a sigla EDA, mas estou contando aqui no pânico. 
- Morei nos EUA e lá tive uma Kawasaki Ninja 600CC, logo que cheguei em L.A. procurei na internet passeios e encontros de motociclistas. Fui ao encontro de uma turma em HOLLYWOOD,  começamos a rodar a cidade e de repente toda a galera de moto começou a fugir da policia. Sem entender o pq tive que fugir também. Depois fui descobrir que esses motociclistas, eram famosos em abusar da velocidade (Velozes e Furiosos), fazer manobras e barulho nas ruas de forma ilegal. Quase me encrenquei logo que cheguei na cidade.

- Viagem inusitada e diferente: Da Espanha a Marrocos. Ser mulher motociclista em um país onde não se vê mulheres nem pedalando uma bicicleta, foi bastante curioso aos nativos.

-  Nesta viagem, ( Marrocos ). perguntei para uma muçulmana se ela gosta do jeito que vive. Ela me respondeu que gosta e que se engana se penso que a minha situação é melhor que a dela. Ela me deixou sem palavras quando disse, que a situação ruim era a minha, pois eu vivia em um país onde a mulher tem obrigações de ser independente e bem sucedida. No país dela ela não tem essa obrigação e se por acaso sentir necessidade de poder usar um jeans e mostrar o rosto e cabelos ela poderia optar em morar na Capital de Marrocos, Rabat, já que lá tudo é um pouco mais "moderno". De fato foi o único local que vi mulheres dirigindo carros, motonetas, e usando jeans e cabelos expostos.

Ainda em Marrocos os homens ofereciam camelos para casar comigo. Me ofereciam haxixe e me fizeram um convite para entrar na plantação de um deles. Eles são um dos maiores produtores de haxixe do mundo.
Um deles chegou a falar em português: Quer um “bagulhinho”?

-          Quando para de moto no acostamento nas estradas, geralmente para fazer fotos ou beber água, sempre param carros e caminhoneiros perguntando se preciso de ajuda, se aconteceu algo. Engraçado, como ainda existem homens "gentís". Inclusive no trânsito de São Paulo, percebo como as pessoas respeitam mais quando notam que uma mulher motociclista esta passando.

- Um dia desses para escrever uma matéria sobre trânsito, anotei quantas fechadas levei pilotando minha moto nas avenida 23 de maio e marginais - em 2 horas de trânsito, levei uma média de 22 fechadas.

- Em cima da moto, nas ruas e estradas acontece muito  de eu ultrapassar alguns motociclista homens, muito engraçado que de imediato quando eles percebem que uma mulher passou a frente deles, eles aceleram e fazem de tudo para me ultrapassar. Acho engraçado como muitos homens ainda são machistas e não entendo o porque se sentem inferiores quando uma mulher os ultrapassa de moto. Não estou nas ruas para disputar com ninguém.

- Já peguei estrada de chão ( terra) de moto que tinha pneu não apropriado para ocasião. Uma certa vez que arrisquei uma aventura dessas, choveu forte e a estrada virou uma lama, cai e tive que pedir ajuda para levantar a moto e fui socorrida por um trator. Cuidadosamente colocaram minha moto em cima do trator e me levaram até  a estrada de asfalto. Faz parte da aventura.

- No dia a dia, muitas pessoas duvidam e me perguntam como consigo pilotar motos tão pesadas.

- Das viagens de aventura, a mais emocionante foi um rapel em um Abismo em Bonito - Mato Grosso. Rodei em um dia só 1300 km de moto até Bonito.   A aventura maior dessa viagem foi praticar o rapel no abismo, e dentro dele mergulhar em uma lago com mais de 80 metros de profundidade. Subir de volta com o rapel, foi o desafio mais cansativo.

- Outro esporte apaixonante são os saltos de paraquedas que todo ano no mês ou dia do meu aniversário eu pratico um salto comemorativo.

- Campos do Jordão, anos atrás, quando ainda não tinha  minha moto, alugava motos para fazer trilhas. Uma vez me aventurei sozinha e fui perceber que a moto que aluguei estava sem farol , quando anoiteceu.  Fiquei por horas no meio do mato no escuro esperando algum carro passar para poder seguir a diante (seguindo o carro).

- Viajei muito de L.A. até Las Vegas, foi outra aventura inesquecível em minha vida. E viajar nas estradas dos EUA é realmente deliciosa e mais segura, de fato as pessoas são mais educadas e a polícia não dá mole.

*
*
*
Publicidade: