Nossos Vídeos

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Blue Tree Towers Millenium Porto Alegre lança serviços especiais para noivos e noivas


Com o objetivo de tornar os momentos a dois mais especiais, românticos e inesquecíveis, o Blue Tree Towers Millenium Porto Alegre, localizado a apenas 15 minutos do Aeroporto Salgado Filho, lança serviços especiais para o Dia da Noiva e Dia do Noivo.

A unidade oferece o day use de seis horas tanto para a noiva, quanto para o noivo, e mais seis pessoas em apartamento Suíte Premier, com direito a um espumante nacional, roupão, pantufas e cabide personalizado para uso interno, mix de petiscos e impressão de cinco fotos para o apartamento. Cada pacote está disponível a partir de R$ 500 (mais impostos).

O hotel conta ainda com apartamentos elegantemente decorados, piscina panorâmica (coberta e aquecida), fitness center, sauna, o restaurante Variettá com gastronomia internacional, business center, seis salas para eventos com capacidade para até 150 pessoas, lobby bar e serviço de room service. A união entre charme e modernidade faz de Porto Alegre uma ótima opção para os casais que estão planejando um casamento. A cidade é reconhecida por sua qualidade de vida e influência da colonização europeia.

Serviço

Blue Tree Towers Millenium Porto Alegre
Endereço: Av. Borges de Medeiros, 3.120, Praia de Belas - Porto Alegre (RS)
Pacote Day Use para noivas e noivos: R$ 500 (mais impostos)
Reservas: reservas.millenium@bluetree.com.br ou www.bluetree.com.br

Sacolas personalizadas para madrinhas e padrinhos de casamento

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Senadores pedem impeachment de ministros do STF

A crise gerada por conta da censura aplicada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) aos sites da revista ‘Crusoé” e “O Antagonista” repercutiu no Congresso Nacional, principalmente entre os senadores.

Os parlamentares demonstraram preocupação com as atitudes de membros da Corte nas últimas semanas. De acordo com eles, os ministros abusaram do poder ao instaurarem um inquérito para apurar supostas
“fake news” que atentem contra a honra dos magistrados do Supremo. O processo culminou no caso da censura à reportagem da revista Crusoé que relatava uma menção ao presidente do STF, Dias Toffoli, feita em um e-mail pelo empreiteiro Marcelo Odebrecht.

Diante do fato, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) decidiu apresentar uma denúncia de crime de responsabilidade contra os ministros Alexandre de Moraes e Dias Toffoli. De acordo com o congressista, os magistrados abusaram flagrantemente do poder que têm para constranger denunciantes e críticos.

“O desrespeito desses dois ministros ao básico do direito brasileiro, a liberdade de imprensa, o direito de ter opinião e de ser informado, exige uma reação. E essa reação tem de acontecer dentro dos limites da Constituição, sem nenhum tipo de arbitrariedade, sem nenhum tipo de autoritarismo, dentro do que a Lei prevê para que a gente possa dar uma resposta institucional.”

O pedido de impeachment dos ministros do STF também está subscrito por outros senadores, como Lasier Martins (Pode-RS), Jorge Kajuru (PSB-GO), Reguffe (sem partido-DF) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que classificou a atitude dos ministros como um escárnio à Constituição.

“O que nós temos assistido nas últimas 48 horas é um escárnio à Constituição. Censura a meios de comunicação, busca e apreensão em um inquérito que é quase sigiloso e hoje possível censura a redes sociais que apresentarem divergência em relação aos ministros do Supremo... Qual será o próximo passo? Fechar o Congresso Nacional? Fazer busca e apreensão nos Senadores que divergem? Eu rogo aos membros do Supremo Tribunal Federal de bom senso que restabeleçam a ordem constitucional, senão nós podemos estar caminhando para um conflito sem precedentes”.

Quem também comentou a situação foi o senador Major Olímpio (PSL-SP). Ele classificou o cenário como grave após saber que Alexandre de Moraes manteve o inquérito, contrariando o parecer da Procuradoria-Geral da República, que mais cedo havia pedido o arquivamento da investigação.

“Ele mesmo investiga, ele mesmo acusa e ele mesmo julga. É gravíssimo, você não tenha a menor dúvida. Qual é o exemplo que nós estamos dando de cumprimento dos preceitos constitucionais? Eu acabei de dizer: ministro do Supremo pode e pode muito, mas não pode tudo.”

O pedido de impeachment contra os ministros Alexandre de Moraes e Dias Toffoli segue agora para a mesa do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Cabe a ele decidir se o documento será arquivado ou se terá prosseguimento na Casa.

Reportagem, João Paulo Machado

domingo, 7 de abril de 2019

TERCEIRA CAMINHADA PELA CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO


3ª Caminhada de Conscientização do Autismo / São Paulo - SP

Por: Claudia Souza

A terceira caminhada de conscientização do autismo, promovida por instituições como Associação de Pais Inspirare, Instituto LUMI, Grupo TEApoio, APABB-SP e AMA-SP,  Projeto Integrar, entre outras; reuniu na tarde desse domingo (7/4), mais de 20 mil pessoas em uma caminhada de 2 kilometros, levando conscientização sobre a necessidade de respeito, inclusão e empatia aos autistas.

O Dia Mundial da Conscientização do Autismo foi comemorado no dia 2 de abril, e proporcionou ao público autista, apoiadores e suas famílias, uma tarde agradável com apresentações de diversos artistas. A concentração aconteceu na Associação Sabesp, com a participação de atores, performers e palhaços.  A caminhada encerrou no Centro Cultural FIESP, onde o público prestigiou diversas atrações e participações de autistas com depoimentos e apresentações musicais.

Show de encerramento da 3ª Caminhada de conscientização do Autismo

3ª Caminhada de Conscientização do Autismo - SP

Super Heróis na 3ª Caminhada de Conscientização do Autismo - SP

O evento busca fortalecer a conscientização sobre o autismo, que, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), está presente em 1 a cada 68 crianças no mundo. Foi criado em 2017, quando familiares, pessoas com autismo e organizações sociais criaram um movimento para a realização da Primeira Caminhada pelo Autismo, que atraiu cerca de 2.000 pessoas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 70 milhões de pessoas no mundo têm autismo, sendo dois milhões apenas aqui no Brasil. A OMS estima que uma em cada 88 crianças apresenta traços de autismo, com prevalência cinco vezes maior em meninos.

Segundo o pediatra e neurologista infantil Clay Brites, o autismo é um transtorno de desenvolvimento que afeta em torno de 1% das crianças e apresenta três características principais. As associações idealizadoras da “Caminhada Pelo Autismo”, Associação de Pais Inspirare, Instituto LUMI e Grupo TEApoio, possuem uma trajetória de engajamento e responsabilidade social e são representadas por familiares da pessoa com Autismo. A atuação das associações inclui educação especializada, orientação em educação inclusiva, saúde, treinamento parental, conscientização e acolhimento familiar. 

Políticas Públicas:

A Lei 12.764, de 2012, criou a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista e reconheceu o autismo como deficiência para todos os efeitos legais.

O problema é que, segundo o texto aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), para que sejam elaboradas e efetuadas ações e políticas efetivas, é preciso saber quantos são e onde estão os brasileiros com transtorno autista e quais são as necessidades deles. Ou seja, a falta de números oficiais dificulta o cumprimento da norma. Segundo o relator na CCJ da Câmara, deputado Ricardo Izar, do PP de São Paulo, essas informações são fundamentais.

“A gente tem estatísticas que mostram que daqui 10 anos toda família vai ter um indivíduo autista. Então, a gente tem que criar políticas públicas no Brasil para atender essa população. Um projeto foi aprovado no ano passado na CCJ, eu fui o relator; ele trata exatamente disso: de incluir nas pesquisas do IBGE, no censo, para a gente poder ter ideia de qual é a população autista no Brasil. Isso é muito importante para, a partir daí, poder aplicar políticas públicas”, defende.

Na última semana foi lançada, na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista. O grupo, que é composto por mais de 200 congressistas, tem como coordenador o deputado Célio Studart, do PV do Ceará.

“É com muita alegria, com muita felicidade e responsabilidade, que a gente inicia essa frente parlamentar em defesa dos direitos das pessoas com transtorno do espectro autista. A inclusão, o respeito, o amor e a busca e a luta pelos direitos, é possível transformar vidas. E é isso que nós temos no coração e em mente”, afirmou o parlamentar no dia do lançamento do grupo.

Um dos objetivos da frente parlamentar é reunir recursos, por meio de seminários, audiências públicas e trabalhos técnicos, para atualizar o ordenamento jurídico brasileiro e proteger os direitos das pessoas com autismo. O grupo também pretende contribuir para proporcionar atendimento adequado na utilização de serviços, públicos e privados, de saúde e educação.

Segue abaixo perfil dos idealizadores da 3ª Caminhada de Conscientização do Autismo em SP:

Projeto Integrar: Desenvolve métodos de aproximação e comunicação a fim de desenvolver a autonomia e aprendizado do autista. No site do projeto, cuidadores, professores e pais tem acesso a Desenhos Roteirizados,  desenvolvidos especialmente para proporcionar essa comunicação, além de cursos a distância "Como elaborar Desenhos Roteirizados para pessoas com TEA".

Associação de Pais Inspirare: fundada em 2012, é uma entidade sem fins lucrativos, localizada na cidade de São Paulo, que busca levar a informação, dar orientação, promover o conhecimento e apontar os recursos disponíveis para as famílias que tenham crianças/ adolescentes/ adultos com Autismo. A API oferece grupos de apoio, intercâmbio entre as políticas públicas e sociais com nossos associados, seja no âmbito da área social, educacional, esporte e lazer ou da saúde, intervindo na possibilidade de medidas de proteção, que culminem na efetivação dos seus direitos.

Instituto Lumi- Centro Lumi: uma Associação Civil não governamental e sem fins lucrativos, nasceu da necessidade percebida pelo Centro Lumi- Centro Terapêutico Educacional às pessoas com autismo, fundado em 2002, de também proporcionar a famílias sem condições financeiras, um atendimento diferenciado que possibilite o desenvolvimento social, cultural e intelectual das pessoas que estão dentro do espectro do autismo.

Grupo TEApoio: fundado por Mariana Alkmin, mãe de gêmeos com autismo, é um grupo de apoio à pais e familiares de pessoas com autismo, dedicado ao acolhimento, treinamento parental e conscientização. O Grupo possui um engajamento direto com mais de 500 famílias em SP e Grande SP, através de cursos, mídia social, encontros de confraternização e grupos de WhastApp.




sexta-feira, 5 de abril de 2019

Enem 2019: Candidatos já podem solicitar isenção de taxa de inscrição



A partir desta segunda-feira (1º), os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 poderão pedir a isenção da taxa de inscrição, que é de R$ 85. O pedido pode ser feito até 10 de abril.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), só terão direito à gratuidade os estudantes que cursaram o último ano ou todo o ensino médio na rede pública, além daqueles que estudaram em escola particular na condição de bolsista integral.

Esses participantes terão de comprovar, com documentos, as respectivas condições sociais. Caso alguém informar dados falsos, sofrerá eliminação do exame. O resultado da isenção será divulgado no site do Enem, no dia 17 de abril. Mesmo com o benefício, o candidato também precisa fazer a inscrição regular.

As inscrições para o Enem serão feitas entre os dias 6 e 17 de maio. Os candidatos devem pagar a taxa de inscrição entre os dias 6 a 23 de maio.

Com duração de 5h30, o primeiro dia de prova, no dia de 3 de novembro, terá conteúdos de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e ciências humanas e suas tecnologias.

No segundo exame, no domingo seguinte, será cobrado ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias. A prova terá 5h de duração.

Vale lembrar que neste ano, a equipe do Enem vai revistar os lanches dos candidatos. Outra novidade é para os surdos, deficientes auditivos e surdo-cegos, que poderão indicar, na inscrição, se usam aparelho auditivo ou implante coclear. O gabarito será divulgado em 13 de novembro, e o resultado sai em janeiro de 2020.

Reportagem, Pedro Marra


Sacolinhas personalizadas para casamento

Autismo: Políticas públicas não são aplicadas por falta de dados oficiais


Quanto vale o amor de uma mãe por um filho especial? No caso de Gisele Cristina da Cruz, de 38 anos, isso não se mede em dinheiro, mas em dedicação e tempo. Ela é mãe do pequeno Enzo, de seis anos, que foi diagnosticado com autismo quando tinha um ano e seis meses. Desde então, a moradora do Jardim Ingá, cidade goiana do entorno de Brasília, leva o filho ao fonoaudiólogo e ao fisioterapeuta toda semana. Segundo ela, assim que veio o diagnóstico de autismo do filho, veio junto o término de seu casamento. Gisele passou a cuidar da criança com o apoio da família.

“Minha vida é única e exclusivamente para ele. Eu tive que abrir mão do meu trabalho, e aí hoje eu conto com o apoio da minha família, que me dá o suporte para eu poder criá-lo. Ser mãe do Enzo é a melhor coisa mesmo que me aconteceu. E eu aprendo muito! Eu aprendo muito com ele! Cada dia que passa, eu aprendo cada vez mais”, conta Gisele.

Mesmo diante de todas as dificuldades, Gisele mostra que o amor de mãe supera qualquer barreira. Ela tira seu sustento fazendo faxina, vendendo comida congelada e, de vez em quando, faz alguns trabalhos pontuais em um buffet. Ainda assim, ela faz questão de afirmar que se pudesse voltar no tempo, escolheria novamente ser mãe do pequeno Enzo.

Quem também passou a conviver com o autismo dentro de casa foi a Emanoele Freitas, mãe de Eros, adolescente de 15 anos que tem o transtorno. A moradora de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, é escritora e neurocientista. Por conta da condição do filho, fundou e preside a Associação de Apoio à Pessoa Autista, entidade que tem como finalidade o tratamento, a assistência, a reabilitação, a formação e a inserção educacional e social de pessoas com autismo.

Eros lutou pela vida antes mesmo de nascer. Ainda na barriga da mãe, teve um acidente vascular cerebral (AVC). Por conta do diagnóstico tardio - o laudo completo só chegou quando já tinha sete anos de idade – e de outras comorbidades, o adolescente sofre do autismo nível 3, grau mais severo do transtorno. Emanoele conta que hoje Eros se comunica bem melhor, mas ressalta que ainda está aprendendo a educar um adolescente autista.

“Ele foi meu grande aprendizado. Eu tive que aprender tudo isso para poder ajudar ele, me ajudar e ajudar outras famílias, porque eu via que não era só o autismo. Ele tinha outras patologias que prejudicavam o desenvolvimento dele. A gente está na segunda etapa, como eu costumo falar para as pessoas, e a gente está tendo que aprender, dia a dia, essa nova realidade de ter um adolescente autista em casa”, relata.

O transtorno ganha espaço na agenda pública nesta terça-feira (2), data em que é lembrado o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo. A condição, chamada de transtorno do espectro autista, compromete as habilidades de comunicação e interação social, geralmente tem início na infância e persiste durante a adolescência e vida adulta.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 70 milhões de pessoas no mundo têm autismo, sendo dois milhões apenas aqui no Brasil. A OMS estima que uma em cada 88 crianças apresenta traços de autismo, com prevalência cinco vezes maior em meninos, como nos casos de Enzo e Eros.

Segundo o pediatra e neurologista infantil Clay Brites, o autismo é um transtorno de desenvolvimento que afeta em torno de 1% das crianças e apresenta três características principais.

“Ela não sabe utilizar gestos, ela não sabe utilizar palavras, frases, usar os termos que normalmente a gente usa para se referir às coisas da vida social. A criança apresenta alguns comportamentos extremamente repetitivos, interesses extremamente restritos, que fazem com que ela não consiga direcionar a sua atenção para outras situações sociais que está exigindo um engajamento dela”, explica.

Ele esclarece que, com o passar do tempo, a criança tem dificuldades para realizar atividades sociais, atividades comunicativas, acadêmicas, além de problemas relacionados à parte motora, espacial e sensorial. De acordo com o neurologista, pelo fato do transtorno do espectro autista aparecer, geralmente, nos três primeiros anos de vida, é essencial que o diagnóstico seja feito precocemente, ou seja, antes de 2 anos de idade.

Falta de dados oficiais

A Lei 12.764, de 2012, criou a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista e reconheceu o autismo como deficiência para todos os efeitos legais.

O problema é que, segundo o texto aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), para que sejam elaboradas e efetuadas ações e políticas efetivas, é preciso saber quantos são e onde estão os brasileiros com transtorno autista e quais são as necessidades deles. Ou seja, a falta de números oficiais dificulta o cumprimento da norma. Segundo o relator na CCJ da Câmara, deputado Ricardo Izar, do PP de São Paulo, essas informações são fundamentais.

“A gente tem estatísticas que mostram que daqui 10 anos toda família vai ter um indivíduo autista. Então, a gente tem que criar políticas públicas no Brasil para atender essa população. Um projeto foi aprovado no ano passado na CCJ, eu fui o relator; ele trata exatamente disso: de incluir nas pesquisas do IBGE, no censo, para a gente poder ter ideia de qual é a população autista no Brasil. Isso é muito importante para, a partir daí, poder aplicar políticas públicas”, defende.

Na última semana foi lançada, na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista. O grupo, que é composto por mais de 200 congressistas, tem como coordenador o deputado Célio Studart, do PV do Ceará.

“É com muita alegria, com muita felicidade e responsabilidade, que a gente inicia essa frente parlamentar em defesa dos direitos das pessoas com transtorno do espectro autista. A inclusão, o respeito, o amor e a busca e a luta pelos direitos, é possível transformar vidas. E é isso que nós temos no coração e em mente”, afirmou o parlamentar no dia do lançamento do grupo.

Um dos objetivos da frente parlamentar é reunir recursos, por meio de seminários, audiências públicas e trabalhos técnicos, para atualizar o ordenamento jurídico brasileiro e proteger os direitos das pessoas com autismo. O grupo também pretende contribuir para proporcionar atendimento adequado na utilização de serviços, públicos e privados, de saúde e educação.


Lembrancinhas para aniversários e casamentos

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Agora você decide se quer entrar nos grupos do WhatsApp



Começa a valer a partir desta quarta-feira (3) a nova regra de privacidade do WhatsApp para a entrada em grupos. A partir da atualização do aplicativo nos sistemas Android ou iOS, o usuário vai poder decidir se quer ou não entrar em determinado grupo, e decidir que apenas contatos já salvos na agenda telefônica vão poder adicioná-lo.

Para ativar a nova função, é necessário ir ao campo “configurações” no WhatsApp. A opção “ninguém” será para aprovar as solicitações. “Meus contatos” servirá para pré-aprovar a agenda de contatos, e a opção “todos” mantém o aplicativo como funciona atualmente.

De acordo com o WhatsApp, quem quiser incluir um telefone novo em um grupo deverá mandar uma mensagem privada, e o convite deve ser respondido em até três dias.