ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

sábado, 14 de maio de 2016

Secretaria da Segurança Pública assina convênios com o Ministério da Justiça e Cidadania

As parcerias foram assinadas pelo ministro da Justiça e
 pelo secretário da Segurança Pública - Foto: Mainary Nascimento
A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP) firmou, nesta sexta-feira (13), dois convênios com o Ministério da Justiça e Cidadania. As parcerias foram assinadas pelo secretário da Segurança, Mágino Alves Barbosa Filho, e pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

Uma das parcerias, feita com a Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos do Ministério, tem o objetivo de fortalecer a integração dos sistemas de segurança pública envolvidos na realização dos Jogos Olímpicos.

A medida prevê que sejam adquiridos equipamentos de proteção individual para a Polícia Militar de São Paulo. “É um passo muito importante para a segurança pública do Estado de São Paulo e um passo muito importante para a segurança pública do Brasil”, disse o secretário.

Moraes explicou que os convênios já estavam sendo tratados com o Ministério da Justiça e Cidadania e ressaltou a importância deles. Até esta quinta-feira (12), ele exerceu o cargo de secretário da Segurança de São Paulo.

“Todo o esforço que nós já estávamos fazendo aqui em São Paulo, de inteligência e de preparação para auxiliar as forças federais nas Olimpíadas, agora vamos ampliar esse esforço, essa coordenação, cooperação e atuação conjunta entre a polícia do Estado de São Paulo e o Ministério da Justiça”, explicou o ministro.

Segundo acordo

A outra parceria se trata de um termo de cooperação firmado entre a SSP e a 6ª Superintendência Regional de Polícia Rodoviária Federal, que visa o intercâmbio de dados, informações e conhecimentos entre os órgãos.

Mágino destacou o relacionamento mais próximo que está sendo construído com o órgão federal a partir dessas parcerias. “Tenho certeza que contaremos, aqui no Estado de São Paulo, com o integral apoio do ministro Alexandre de Moraes nas nossas iniciativas e faremos diversas outras parcerias visando essa integração”, disse.

O secretário falou, ainda, que esses convênios significam o começo de uma relação “extremante fértil” com o Ministério da Justiça, que visa o melhor para o povo de São Paulo e do Brasil. “É só um primeiro passo para uma parceria muito exitosa que teremos”, enfatizou.

Alexandre de Moraes ressaltou que as medidas também levarão a expertiseda polícia de São Paulo para todo o Brasil, por meio do Ministério da Justiça.

O delegado-geral da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin, também assinou o convênio.

UNASUL TENTA SE METER NAS QUESTÕES POLÍTICAS DO BRASIL E É REPUDIADA POR JOSÉ SERRA

Ao verem Dilma Rousseff ser afastada do poder, o Secretário Geral da UNASUL - União da Nações Sul Americanas, Ernesto Samper, citou durante uma entrevista que "existem atores políticos no Brasil, fazendo política sem responsabilidade". 

O discurso do Golpe atravessou fronteiras e mobilizou os líderes de Dilma, parceiros no plano comunista do Foro de São Paulo.

Em repúdio às manifestações, José Serra (Ministro das Relações Exteriores) declarou: " Os argumentos apresentados, além de errôneos, deixam transparecer juízos de valor infundados e preconceitos contra o Estado Brasileiro. Transmitem interpretação absurda de que as liberdades democráticas, o sistema representativo, os direitos humanos e sociais e conquistas da sociedade se encontrariam m perigo".

Além disso, José Serra também repudiou as manifestações dos governos da Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua.

CRISE NA SAÚDE É A PIOR DESDE 1970

REDUÇÃO DE R$5,5 bilhões, dos 118,5 bilhões NO ORÇAMENTO DA SAÚDE LEVARÁ A CORTES DE CIRURGIAS E ATENDIMENTOS

A Constituição estabelece que o governo federal precisa aplicar na saúde, o mínimo, o valor do orçamento do ano anterior mais a variação do PIB. Com os recursos insuficientes na saúde, não dá pra cumprir o que reza a Constituição.

O governo Dilma já havia anunciado que os recursos para o Samu e para o programa "Aqui tem Farmácia Popular", seriam encerrados e que haveria cortes em cirurgias e internações.

As unidades de saúde estão sendo fechadas em todo o Brasil, Hospitais referência, como o Hospital das Clínicas, estão restringindo atendimentos ambulatoriais. Falta vacina para H1N1 e Zika Vírus, Penicilina para grávidas com sífilis. Segundo a Professora Ligia Bahia (Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro), é a pior crise na saúde desde 1970.