ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

terça-feira, 8 de março de 2016

Ranking de vagas do CATe está com 942 vagas – operador de telemarketing lidera apuração

O CATe, da Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo, possui 942 oportunidades, destas, 593 compõem o ranking de vagas semanal. O cargo de operador de telemarketing, ativo e recpetivo, lidera o grupo com 225 vagas disponíveis para profissionais com ensino médio completo.

Entre as áreas que não estavam no última levantamento e aparecem nessa nova lista, há 50 oportunidades para técnicos e auxiliares de enfermagem. Os salários para ambos os cargos vão até R$ 110,00 por dia, e para se candidatar não é necessário experiência na área.

Na apuração semanal ainda há vagas para consultor de vendas (52), porteiro (33), cumim (29) e operador de caixa (78). Os interessados em uma dessas oportunidades precisam ter ensino fundamental a médio completos.

Outros cargos disponíveis são: fiscal de piso (61), auxiliar de limpeza (35) e vendedor pracista (30), com salários entre R$ 880,00 e R$ 1.200,00.

Confira aqui o ranking de vagas do CATe dessa semana no site da SDTE.

Pessoas com deficiência – Há 401 vagas para profissionais com deficiência ou mobilidade reduzida. Algumas das áreas disponíveis são: consultor de vendas (12), operador de caixa (22) e leiturista (5). Os salários variam de R$ 814,00 a R$ 1.500,00 e exigem ensino fundamental a médio completo.

Para se candidatar às vagas é preciso levar os seguintes documentos: RG, CPF, carteira de trabalho e número do PIS. Caso não possua o PIS, o documento será gerado no primeiro atendimento.

Brasileiros preenchem 100% das vagas do Mais Médicos


Médicos ocuparam todas as 330 vagas da segunda chamada e devem se apresentar às prefeituras até 11 de março


Os médicos brasileiros ocuparam 100% das vagas ofertadas em segunda chamada no atual edital de reposição do Mais Médicos. Foram 330 vagas remanescentes da primeira chamada, localizadas em 260 municípios. Os candidatos têm até esta sexta-feira (11) para se apresentar às prefeituras, para que os gestores confirmem sua participação no Programa. A previsão é que os médicos iniciem as atividades a partir do dia 14 de março.

Acesse o resultado da segunda chamada

“Novamente, tivemos ótima adesão dos médicos brasileiros. O interesse no Programa é cada vez maior”, declara o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Hêider Pinto. “A segunda chamada é necessária, pois os médicos acabam concentrando suas escolhas, incialmente, em determinados municípios considerados mais atrativos, mas nós temos que garantir atenção à saúde a toda a população, em todos os municípios que têm necessidade”, explica.

Confira o cronograma dos médicos

Os participantes que validarem a inscrição, mas não se apresentarem dentro do prazo, ficarão impedidos de se inscrever no Mais Médicos por seis meses. Ao todo, 8.965 profissionais brasileiros não alocados anteriormente puderam disputar as oportunidades. Para concorrer às vagas, cada profissional pode selecionar quatro cidades em ordem de preferência e disputava somente com aqueles que optaram pelas mesmas cidades.

Caso os profissionais não se apresentem nas prefeituras, será cumprida a ordem de chamamento prevista na Lei. O edital será aberto aos brasileiros que se formaram no exterior e, em seguida, aos profissionais estrangeiros. Por fim, havendo ainda vagas em aberto, serão chamados médicos da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde.

REPOSIÇÃO – O Ministério da Saúde garante a reposição constante de todas as desistências, por meio de editais trimestrais para preenchimento dessas vagas. No atual edital foram abertas 1.173 vagas em 649 municípios. Os médicos selecionados na primeira chamada iniciaram as atividades nas cidades no dia 1º de março.

Além da seleção de médicos para ocupar 1.173 vagas ociosas, houve também neste edital a manifestação de interesse em permanecer no Programa por parte de médicos que encerram, este mês, o período de atuação de um ano que dá direito à bonificação nas provas de residência médica. Dos 2.246 profissionais aptos a utilizar o bônus, 1.266 (56%) optaram por permanecer na mesma vaga por até mais três anos.

SOBRE O PROGRAMA – Criado em 2013, o Programa Mais Médicos ampliou a assistência na Atenção Básica levando médicos às regiões com carência de profissionais. Atualmente, o programa conta com 18.240 vagas autorizadas em 4.058 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), levando assistência para cerca de 63 milhões de pessoas.

Além do provimento emergencial de médicos, a iniciativa prevê ações voltadas à infraestrutura e à reestruturação da formação médica no país. No eixo de infraestrutura, o Governo Federal está investindo na expansão da rede de saúde. São mais de R$ 5 bilhões para o financiamento de construções, ampliações e reformas de 26 mil unidades básicas de saúde.

Já as medidas relativas à expansão e à reestruturação da formação médica no país, que compõem o terceiro eixo do programa, preveem a criação, até 2017, de 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina e 12,4 mil vagas de residência médica para formação de especialistas com o foco na valorização da Atenção Básica e outras áreas prioritárias para o SUS. Destas, já foram autorizadas 5.849 vagas de graduação e 7.782 vagas de residência.

A médica legisla Rita de Cássia Gava, a primeira mulher a se tornar diretora do Núcleo de Apoio Logístico do IML

A Polícia Técnico-Científica – a maior do Brasil e referência na América Latina na produção de provas técnicas e periciais fundamentais para a investigação e esclarecimento de crimes – conta com os olhos atentos e mãos delicadas de mulheres à frente dos seus trabalhos.

É o caso da médica legisla Rita de Cássia Gava, a primeira mulher a se tornar diretora do Núcleo de Apoio Logístico (NAL) do Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo. Rita está há 19 anos na carreira e há 1 ano e meio à frente do NAL/IML.

Ao longo de sua trajetória na Polícia Técnico-Científica de São Paulo, Rita já desempenhou outras duas funções de direção, como responsável pelo Núcleo de Clínica Médica do instituto e chefe da Equipe do IML Centro.

“Acredito que ser mulher é uma vantagem para desempenhar esse cargo de direção, já que temos mais sensibilidade”, ressaltou a médica legista. Rita disse “gostar muito de tratar com sua equipe” e destacou a “ligação muito forte” que tem com seus funcionários, recebendo em troca muito respeito e afinidade.

Na diretoria do NAL do IML, a médica lida com a organização das operações “Direção Segura Integrada” (ODSI), que em conjunto com o Instituto de Criminalística (IC), polícias Civil e Militar e Detran realizam fiscalizações de combate à embriaguez e uso de outras substâncias no trânsito.

Entre outras funções, também é de responsabilidade do núcleo dirigido por Rita o setor de informática que programa os laudos do IML e questões voltadas a reformas estruturais em prédios de núcleos do IML em todo o Estado.

Além de dirigir o NAL, Rita também é professora da Academia de Polícia.