ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Amanda Françozo recebe as crianças do Kids Music Festival no Papo Vip desta quarta-feira (12)


 Neste feriado do “Dia das Crianças”, os atores e cantores Pedro Henrique, Stefany Vaz e Gustavo Daneluz, do Kids Music Festival, marcarão presença no programa Papo Vip desta quarta-feira, dia 12. A atração que é comandada pela apresentadora Amanda Françozo, vai ao ar pela Rede Brasil a partir das 21h.

“Vai ser super divertido participar do Papo Vip. Vamos agitar a noite de vocês com as nossas músicas e contar todas as novidades, não percam!”, comenta Pedro Henrique, que faz parte da turma do Kids Music Festival.

Vale ressaltar que o Kids Music Festival é um evento itinerante que está percorrendo todo o Brasil, levando o que há de melhor em termos de show para o público infantojuvenil. Todos os integrantes cantam, dançam e atuam; sempre garantindo a alegria e diversão das crianças e adolescentes por onde passam. É um espetáculo marcado por muito alto astral, cores e magia.

 

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

BIG BAND SÊNIOR CONTA A HISTÓRIA DAS BIG BANDS NO TEATRO OLIDO



Inspirada nas Big Bands dos anos dourados, a Big Band Sênior está saindo do forno para se apresentar no Teatro Olido e no Auditório do Tribunal de Justiça - SP, inaugurando a iniciativa da UPARS – União Paulista dos Artistas Sêniores, que foi criada para incentivar mecanismos geradores de oportunidades para músicos com mais de 50 anos de idade e 20 anos de carreira.

O projeto com quase dois anos, tem como idealizador o Maestro e pianista Adylson Godoy. A ideia surgiu em uma conversa informal com o contrabaixista Amador Bueno, quando comentavam sobre a falta de políticas públicas para favorecerem os músicos profissionais, principalmente na área da música instrumental, pouco contemplada por patrocínios.

Não demorou muito e a UPARS foi fundada, tendo no casting inaugural, a Big Band Sênior, composta por 36 músicos renomados, da mais alta qualidade, dos quais, metade são intercalados entre as apresentações, aonde o caçula completou este ano 50 anos e o mais velho está com 90 anos de idade.

Composta por 5 saxofonistas, 4 trombonistas, 4 trompetistas, 1 pianista, 1 baixista, 1 baterista, 1 guitarrista e 1 percussionista; os 18 músicos juntos, contam ao grande público “A História das Big Bands” reproduzindo um amplo repertório dos anos 40 até a atualidade, que remonta Duke Ellington; Count Basie; Tommy Dorsey; Stan Keaton; Glenn Miller; Benny Goodman; Banda Tabajara; Silvio Mazzuca; Elcio Alvares, Luis Arruda Paes, entre outros.

A estreia tem por objetivo, documentar o trabalho que está sendo ensaiado há um ano aproximadamente nos bastidores do auditório da Ordem dos Músicos do Brasil, que cedeu gentilmente o espaço, para que os músicos desenvolvessem a Orquestra, reuniões, bem como a fundação da UPARS – União Paulista dos Artistas Seniores, que já está constituída, avançando do estado embrionário de associação, para constituição de uma OSCIP, que terá por objetivo, criar projetos de leis favoráveis aos músicos associados e captação de recursos governamentais a fim de fomentar os fazedores de cultura que estão atingindo a “melhor idade” e que em maioria não desfrutam de nenhuma política pública em detrimento de sua alta capacidade de realização.

“A Big Band Sênior é a prova de que o bom músico não tem data de validade e possui além da experiência, grande poder e força de vontade. Eles só precisam de um bom palco, condições técnicas e incentivo financeiro para mostrarem o seu melhor e contribuírem com a arte e a cultura musical de nosso país”. Disse Adylson Godoy, fundador da UPARS.

Através da UPARS, a Orquestra já está com o projeto aprovado pela Lei Rouanet (PRONAC nº 1410552, artigo 18) e em busca de captação de recursos.

Os músicos e cantores interessados em participarem da UPARS, podem se associarem gratuitamente no blog provisório http://upars.blogspot.com.br/p/associe-se-gratis.html para receberem informações de projetos futuramente criados para cada perfil de trabalho.


Próximas apresentações:

Dia 08/08 – 20 hs
Teatro Olido
Av. São João, 473 – Centro – São Paulo – SP
Entrada Franca
(Chegar 1 hora antes para retirar ingresso).

Dia 29/9 – 20 hs

Auditório do Tribunal de Justiça
(Antigo Hilton Hotel)
Av. Ipiranga, 165 – República – Centro – SP
Entrada Franca

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Crianças internadas em hospital estadual ganham visita de cães e brincadeiras

Pacientes participarão de atividades musicais e oficinas manuais nesta quarta-feira, 24 de agosto, em comemoração ao Dia da Infância

Crianças internadas no hospital estadual Darcy Vargas, especializado em atendimento pediátrico, na zona Sul da capital paulista, vão se reunir na unidade nesta quarta-feira, 24 de agosto, para uma manhã diferente, com contação de histórias, apresentação musical e visita da “cachorrada”.

As atividades começam às 9h com apresentações musicais no ambulatório. O grupo “Operação conta-gotas” irá realizar contação de histórias nas enfermarias e os pacientes ainda poderão participar de oficinas de bijuteria e brincadeiras especiais que serão realizadas no jardim terapêutico da unidade.

Além disso, as crianças internadas nas enfermarias irão receber a visita dos cães e voluntários do projeto “Dr. Au au”.

“Esta data é muito importante para os pacientes, pois ajuda a amenizar o processo de tratamento e conforta a estadia dos pacientes que ficam durantes longos períodos na unidade”, afirma Sérgio Sarrubo, diretor do Hospital.

O hospital estadual Darcy Vargas fica na rua Seráfico de Assis Carvalho, 34, Morumbi, zona Oeste de São Paulo.

APM é contra corte de verbas para a saúde


O Senado Federal deve votar nesta terça-feira, 23 de agosto, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 31/2016, que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU). A medida permite ao Governo Federal transferir até 30% da verba originalmente direcionada à Saúde para qualquer outra despesa considerada prioritária pelo poder executivo, diminuindo os recursos do Sistema Único de Saúde.

“A APM vê com muita preocupação essa possibilidade, considerando que a verba hoje destinada para a Saúde já está muito limitada”, alertou o presidente da Associação Paulista de Medicina, Florisval Meinão.

De acordo com Meinão, o sistema de saúde está bastante fragilizado, com dificuldade de acesso por parte da população. “Apesar de apoiarmos as medidas necessárias para o ajuste fiscal, é preciso que haja sensibilidade por parte do Governo de realocar recursos de áreas que não sejam tão prioritárias como a Saúde.”

Atualmente, a União já utiliza a DRU livremente, com 20% de todos os tributos federais vinculados por lei a fundos ou investimentos, afetando não só a Saúde, mas outras áreas prioritárias como Educação e Previdência.

“Isso pode tirar recursos de áreas que são muito importantes”, crítica Marun David Cury, diretor adjunto de Defesa Profissional da APM. “Principalmente da Saúde, cujo SUS já está muito sucateado pelo não aumento de recursos há alguns anos. Então, isso pode agravar a situação da saúde pública”, completa.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Programa da ONU reafirma parceria com FURNAS pela sustentabilidade

Representantes do PNUD no Brasil visitam sede da empresa no Rio de Janeiro e conhecem detalhes de suas iniciativas socioambientais e culturais

Representantes do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) visitaram a sede de FURNAS, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (10/8), para conhecerem as ações da empresa no engajamento aos 17 Objetivos do desenvolvimento Sustentável (ODS). O PNUD é uma agência líder da rede global de desenvolvimento da Organização das Nações Unidas (ONU), que trabalha principalmente pelo combate à pobreza e pelo Desenvolvimento Humano.

O diretor do PNUD para o Brasil, Didier Trebucq, e a Representante Residente Assistente para Programa, Maristela Baioni, foram recebidos pelo presidente de FURNAS, Ricardo Medeiros, além de diretores e executivos da empresa. Na ocasião, os visitantes conheceram os projetos e programas desenvolvidos pela companhia para o cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), dos quais FURNAS é signatária.

Durante o encontro, o presidente Ricardo Medeiros reafirmou a disposição de FURNAS em aprimorar e difundir as boas práticas sociais e de sustentabilidade desde sua adesão aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), em 2012. “A empresa vem concentrando esforços em contribuir para a transição dos ODM aos ODS, nos projetos e ações sociais que apoiamos, alinhados à agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, afirmou. “As ações estão cada vez mais organizadas e instrumentalizadas, com gestão e monitoramento eficazes. Furnas não é uma mera passadora de recursos. Fazemos questão de participar e acompanhar as iniciativas”, completou.

Durante a reunião, Trebucq demonstrou entusiasmo com a parceria entre a entidade e FURNAS. “Se todas as empresas do setor elétrico tivessem a mesma atuação em relação aos projetos sociais e sustentáveis, estaríamos muito melhores rumo aos ODS. FURNAS é um parceiro importante para o cumprimento desses objetivos”, reconheceu.

A visita também resultou em um convite para que FURNAS apresente o seu Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça no “III Fórum Global Do Negócio Para a Igualdade: Promover os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”, em novembro, no Panamá. O programa rendeu à empresa cinco Selos Pró-Equidade de Gênero e Raça consecutivos nos últimos anos, por conta de iniciativas como a implantação de política de acesso e ascensão profissional em igual condição para ambos os sexos, com aumento de 20% de mulheres em cargos de comando na empresa nos últimos 10 anos.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável foram aprovados na Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (25-27 de setembro 2015), originados a partir do documento “Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”. A Agenda é um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade. Ela busca fortalecer a paz universal com mais liberdade, e reconhece que a erradicação da pobreza em todas as suas formas e dimensões, incluindo a pobreza extrema, é o maior desafio global ao desenvolvimento sustentável.

Os ODS foram constituídos sobre as bases estabelecidas pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), de maneira a completar o trabalho deles e responder a novos desafios. São integrados e indivisíveis, e mesclam, de forma equilibrada, as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.

Sobre Furnas

Mais de 40% da energia consumida no Brasil passa pelo sistema de Furnas, que utiliza a força da água para gerar 95% de sua energia. Presente em 15 estados e no Distrito Federal, Furnas conta com 20 usinas hidrelétricas, cinco PCHs, três parques eólicos, duas termelétricas, aproximadamente 24 mil quilômetros de linhas de transmissão e 69 subestações.

A empresa reafirma o seu compromisso com a produção de energia 100% limpa e renovável a partir da diversificação de suas fontes de geração, sobretudo no segmento eólico, com a construção de mais 48 parques no Nordeste do país. No segmento hídrico, Furnas segue seu plano de expansão e está construindo três novas usinas hidrelétricas em parceria com outras empresas - Santo Antonio (RO), Teles Pires (MT/PA) e São Manoel (MT).

Considerado a espinha dorsal da transmissão de energia elétrica no Brasil, o sistema de Furnas está sendo ampliado com a construção de mais 16 subestações (novas e ampliações) e cerca de 5.000 km de linhas de transmissão. Entre os empreendimentos está o sistema que escoará a energia gerada pelo Complexo Hidrelétrico de Belo Monte (PA), com 2.092 km de extensão em extra-alta tensão de ± 800 kV (corrente contínua), inédita no país.

Até 2018, Furnas e seus parceiros acrescentarão cerca de 4 mil MW ao sistema elétrico brasileiro, um crescimento de 26% em relação à potência atual, totalizando cerca de 20 mil MW em capacidade instalada.​

domingo, 24 de julho de 2016

Lei que estabelece cotas para trabalhadores com deficiência completa 25 anos

Principal dificuldade ainda é o cumprimento da legislação pelos empregadores



Eles são inteligentes, bem humorados, dispostos a ajudar e ansiosos por um emprego. Mas têm algum tipo de deficiência física sensorial, mental ou intelectual que dificulta sua inserção no mercado de trabalho, apesar da Lei 8.213, de 1991 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8213cons.htm). A regra determina que empresas com 100 ou mais empregados são obrigadas a preencher, de 2% a 5% dos seus cargos, com beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência. A legislação completa 25 anos no próximo domingo (24), mas ainda não conseguiu tornar realidade o sonho de quem tem tudo para ajudar, como a maioria dos trabalhadores, mas não recebe a oportunidade de provar o seu potencial.

Se seguissem a lei, as empresas brasileiras gerariam pelo menos 827 mil vagas para pessoas com deficiência ou beneficiário reabilitado. De acordo com estimativa baseada no censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há no Brasil, pelo menos sete milhões de pessoas com deficiência elegíveis para a cota. No entanto, as empresas geraram apenas 381.322 postos, conforme os registros da Relação Anual de Informações Sociais do Ministério do Trabalho de 2014, o dado mais atual. O número é quase três vezes menor do que a real capacidade prevista na legislação.

“Se esses empresários pelo menos tentassem contratar uma pessoa com deficiência, eles veriam o quanto estariam ajudando essas pessoas e a si mesmas”, garante a encarregada dos operadores de caixa e empacotadores de um supermercado em Brasília, Marielda Domingos Vieira. Ela é a responsável pelo funcionário Irlan Alves Lopes, 34 anos, que, apesar da deficiência, trabalha no local como empacotador há nove anos e sete meses, conforme cálculo que o próprio Irlan tem na ponta da língua. “É que eu adoro trabalhar aqui”, explica.

Irlan já trabalhou em uma empresa de limpeza antes, mas não gostava muito. Acha que o trabalho no mercado é mais interessante. “Eu empacoto, faço entregas e converso com as pessoas. Eu gosto muito de falar com as pessoas”, conta.

De acordo com a auditora fiscal, Fernanda Cavalcanti, responsável no Ministério do Trabalho pela fiscalização do cumprimento da Lei de Cotas, muitas empresas acabam contratando as pessoas com deficiência apenas depois de multadas. Elas alegam que não possuem vagas adequadas a esses trabalhadores, já que muitos deles possuem limitações físicas ou intelectuais que dificultariam sua inclusão. “Mas é sempre bom lembrar que os postos de trabalho devem ser adaptados às pessoas, com e sem deficiência, e não as pessoas devem se adaptar aos postos de trabalho”, pondera.

A secretária de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho, Maria Teresa Pacheco Jensen, espera que a inclusão de pessoas com deficiência, que hoje é imposta pela lei, se torne uma realidade natural para toda a sociedade. “A mudança cultural é urgente, no sentido de romper preconceitos e a comunidade passar a reconhecer que os esforços devem ser coletivos. Sabe-se que muito ainda deve ser feito para que a pessoa com deficiência possa transitar livremente e com autonomia em todos os espaços públicos e, principalmente, ter condições de manter-se com o fruto de seu trabalho e integrar-se. A parcela de responsabilidade cabe à sociedade em geral e às empresas, em particular”, defende.

Para tudo ficar especial
O sorriso sempre aberto é a principal característica da atendente Kelly Elisangela Rodrigues de Sousa, 41 anos, que há 13 trabalha para uma rede de fast-food em Brasília – o único emprego dela com carteira assinada. Seja limpando e organizando as mesas, montando os lanches ou entregando os pedidos aos clientes, o bom humor está sempre presente. “Gosto de fazer tudo. Adoro meu emprego”, empolga-se.

O chefe dela, o gerente Anderson Rocha, garante que não é apenas Kelly que sai ganhando: “Quando a gente trabalha com uma pessoa especial, o ambiente todo fica especial. Ela traz humanidade para o ambiente de trabalho”.

A presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal (Apae-DF), Wilma Chaves Kraemer, entende que muitas empresas não contratam pessoas com deficiência porque desconhecem suas capacidades. Na opinião dela, a lei, apesar de não ser cumprida em sua totalidade, tem o mérito de, mais do que obrigar, mostrar aos empregadores as potencialidades desses trabalhadores. “Muitos empregadores acham que as pessoas com deficiência não vão dar conta do trabalho. Mas depois, acabam mudando de ideia e vendo o quanto isso é importante para a empresa e também para o trabalhador, que se sente importante e se dedica ao máximo para corresponder às expectativas de quem o contratou”, analisa.

A Apae-DF mantém atualmente cerca de 500 pessoas com mais de 14 anos fazendo oficinas profissionalizantes em uma de suas quatro unidades. Eles fazem treinamento nos mais diferentes ofícios como lavanderia, confeitaria, restauração de livros e atendimento ao público, entre outras atividades. De lá, saem prontos para o mercado de trabalho.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

FRIO: CUIDADO COM AS LESÕES MUSCULARES



Membros inferiores como coxa e tornozelo são os locais que mais sofrem 

Distensões e estiramentos. Esses são os tipos de lesões musculares mais comuns entre a população brasileira. Durante o inverno, eles se tornam ainda mais frequentes, por isso é necessário uma atenção maior ao problema. 

De acordo com o Dr. Antônio Alexandre Faria, ortopedista do Hospital San Paolo, centro hospitalar localizado na Zona Norte de São Paulo, a baixa temperatura provoca o aumento da contração muscular para preservar mais sangue em áreas nobres (coração, pulmão, etc). “Isso é um mecanismo de defesa para preservar o calor do corpo”, afirma.

As pessoas com menos preparo físico são as que mais correm o risco de sofrer, pois o músculo está menos preparado para um esforço maior. “Caso queira evitar lesões musculares durante o ano todo, principalmente no frio, o alongamento e o aquecimento antes da atividade física são fundamentais. Agasalhar-se também é importante, diminuindo assim a contração muscular involuntária”, declara o médico. 

Os locais do nosso corpo que mais sofrem com esse tipo de reação são os membros inferiores (coxa, perna, tornozelo e pé). Caso ocorra a lesão, o médico aconselha o repouso e a suspensão momentânea de exercícios. O período de afastamento das atividades físicas pode chegar a seis semanas.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Temer defende geração de empregos no Paraná‏




O presidente em exercício Michel Temer participou, nesta terça-feira (28), da inauguração da fábrica de celulose da Klabin, maior produtora e exportadora de papéis do Brasil, localizada no município de Ortigueira, no Paraná. Durante entrevista à imprensa, Temer destacou que o novo empreendimento gera, apenas neste primeiro momento, mais de 1.500 postos de trabalho, além de oferecer trabalho a cerca de 40 mil pessoas durante a construção da fábrica, “o que mostra as potencialidades do Brasil”, ressaltou.

O presidente reforçou também a integração entre o Executivo e o Congresso Nacional, conquistada pelo atual governo, possibilitando a aprovação de projetos relevantes para o País. Entre eles está o projeto que solucionou as dívidas dos estados com a União. “Apenas no Paraná, cerca de R$ 500 milhões serão reinvestidos gerando ainda mais empregos”, argumentou citando, ainda, a limitação dos gastos públicos proposta pelo governo, com emenda constitucional já encaminhada ao Congresso.


www.baladadafada.com.br
facebook/baladadafada

sexta-feira, 24 de junho de 2016

PEDALADAS FISCAIS DE FERNANDO HADDAD GEROU DEFICIT DE R$90 MILHÕES


Fernando Haddad
Relatório técnico do TCM traz risco à aprovação das contas de Haddad de 2015, alerta Natalini

Um relatório técnico de 501 páginas (link abaixo), elaborado por auditores do Tribunal de Contas do Município, compromete as contas de 2015 do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. “Existem 35 infringências gravíssimas”, aponta o vereador Gilberto Natalini (PV-SP).

Ao todo os auditores indicaram 190 infringências. As contas de Haddad serão apreciadas pelo TCM na próxima quarta-feira, dia 29. Além das 35 gravíssimas, Natalini levantou outras 41 faltas graves, 112 recomendações e 2 itens prejudicados. “Faço um apelo para que os senhores conselheiros do TCM votem tecnicamente, conforme o ótimo relatório produzido pelos auditores”, afirma Natalini (ofício do vereador aos conselheiros do TCM no link abaixo).

Em seu balanço apresentado no final de março, o prefeito de São Paulo apresentou um superávit de R4 3,9 bilhões nas contas de 2015. O relatório do TCM concluiu, porém, que houve um déficit – não um superávit – de R$ 90 milhões. “Haddad fez todo o tipo de pedaladas”, relata o vereador do PV. “De forma recorrente, o prefeito pegou recursos de investimentos e jogou no custeio da máquina administrativa. Isso é gravíssimo”.

Quatro conselheiros devem votar a aprovação ou a rejeição do parecer técnico sobre as contas do prefeito. Se houver empate, o voto decisivo será do presidente do TCM. Depois caberá à Câmara Municipal apreciar a decisão dos conselheiros.


Gilberto Natalini (PV)
aponta as pedaladas de Haddad
Pedaladas

Entre as diversas manobras efetuadas pela Prefeitura e apontadas no relatório do TCM, Natalini selecionou os seguintes oito exemplos:

- O município adiantou irregularmente dinheiro do caixa da Prefeitura para 18 obras do PAC (recursos federais), o que prejudicou outros investimentos na cidade. Agora, falta o ressarcimento federal de R$ 327,6 milhões.

- O governo municipal lançou mão de recursos do Fundo Municipal de Desenvolvimento do Trânsito para construir ciclovias e pintar faixas, o que é irregular.

- As empresas CET e SPTrans prestaram serviços de R$ 15,2 milhões sem cobertura orçamentária e precisam ser ressarcidas por indenização.

- O prefeito usou R$ 33 milhões para suplementar dotações orçamentárias em maio de 2015, com superávit do balanço de 2014. Só que em junho de 2015 o TCM apontou ter havido déficit – e não superávit – em 2014.

- No lugar de aproveitar o superávit de R$ 44 milhões verificado na área de Educação em 2014, conforme previsto em lei, a Prefeitura alocou dinheiro corrente, do Tesouro Municipal, no pagamento de despesas do setor em 2015.

- Não existe comprovação de repasse de 5% da arrecadação com multas para o Fundo Nacional de Segurança do Trânsito em 2015, de acordo com determinação legal.

- Em outra afronta à legislação, a Prefeitura passou para a Secretaria de Finanças, por decreto, a gestão das contas das Operações Urbanas que, por força de lei, cabe à SP Urbanismo.

- A Prefeitura usou recursos de investimento do Fundo Especial do Meio Ambiente para despesas de custeio nos parques municipais.


Documentação:

- RAF 2015

- Oficio TCM - 24 de junho de 2016

- Contas de Haddad de 2015

domingo, 19 de junho de 2016

SP ganha primeiro AME exclusivo para idosos

Unidade ambulatorial do governo do Estado oferecerá atendimento em 21 especialidades para idosos com 60 anos ou mais da zona Oeste da capital

O governador Geraldo Alckmin inaugurou nesta sexta-feira, 17 de junho, o primeiro Ambulatório Médico de Especialidades (AME) do Estado de São Paulo voltado exclusivamente para a população idosa.

O “AME Idoso”, situado no bairro da Lapa, zona Oeste da capital paulista, contará com atendimento em 21 especialidades médicas e não-médicas (veja todas abaixo) e equipe multidisciplinar voltada para o público a partir dos 60 anos de idade. A unidade será gerenciada em parceria com Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM).

O serviço, totalmente adaptado para facilitar o acesso aos idosos, receberá pacientes encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde da região oeste, que atendam aos critérios de admissão.

Com investimento total de R$ 10,7 milhões para obras e equipamentos, o AME também contará com serviços de assistência social e reabilitação que serão implantados de forma gradativa. Ao atingir plena capacidade, o ambulatório do governo do Estado poderá realizar mais de 136 mil atendimentos anuais, entre consultas médicas e não-médicas, cirurgias ambulatoriais, exames, atendimentos de odontologia e atendimentos em grupo.

"O envelhecimento populacional e o aumento da proporção de idosos na população é uma realidade, e a zona Oeste da capital paulista é uma das regiões com elevada presença dessa faixa etária. Por isso a preocupação em oferecer um atendimento ambulatorial e assistência especializados para esse público, com instalações modernas e equipe altamente especializada”, afirma David Uip, secretário de Estado da Saúde de São Paulo.

O AME Idoso Oeste faz parte do programa "São Paulo – Amigo do Idoso", baseado no projeto "Envelhecimento", da Organização Mundial de Saúde (OMS). O serviço fica na Rua Roma 466, Lapa. O horário de funcionamento será das 7h às 19h, de segunda a sexta-feira.



Especialidades médicas:

Cardiologia, Dermatologia, Geriatria, Endocrinologia, Otorrinolaringologia, Ginecologia, Neurologia, Oftalmologia, Reumatologia, Urologia.

Especialidades não médicas:

Assistência Social, Arteterapia, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Terapia Ocupacional.

Serviço de Apoio Diagnóstico:

Audiometria, Colposcopia, Dioptria, Ecocardiograma, Eletrocardiograma, Fundo de Olho, Holter, Mapa, Nasofibroscopia, Odontológico, Pressão Intraocular, Raio-X Simples, Teste Ergométrico, Ultrassonografia Simples e com Doppler.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Sopa de Chocolate é atração para os namorados no Festival da CEAGESP


O Festival de Sopas CEAGESP programou para o Dia dos Namorados uma Sopa de Chocolate com Frutas. O sabor especial estará no cardápio apenas no domingo, 12 de junho. Porém, as sopas desta semana (de quarta a domingo) são de dar água na boca: Sopa de Chilli Mexicano, Sopa de Mandioca Cremosa com Carne, Sopa de Yakisoba e Creme de Formaggio com Zucchini, além da tradicional Sopa de Cebola, nas versões gratinada e sem gratinar.

Para saborear à vontade todas as sopas do Festival, quantas vezes quiser, o preço é fixo em R$ 33,90 por pessoa. Bebidas, sobremesas e antepastos são cobrados à parte. Toda semana, tem sopa diferente no cardápio, quando novos sabores substituem os do período anterior. Mas a Sopa de Cebola permanece fixa no cardápio de todas as semanas.

O preço inclui ainda os complementos das sopas como pães, croutons, queijo ralado, pimentas e outros itens, que ficam próximos ao local onde são servidas as sopas. O Festival de Sopas CEAGESP também oferece uma carta de vinhos de várias nacionalidades, sucos, refrigerantes e outras opções de bebidas. Entre as sobremesas, o destaque é para o merengue de morango.

O Festival funciona de quarta a domingo no Espaço Gastronômico CEAGESP. Às quartas, quintas e domingos, o horário é das 18h à meia-noite. Às sextas e sábados, fica aberto até as 2h da manhã. A entrada é pelo portão 4 da CEAGESP (altura do 1.946 da avenida Dr. Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital). O estacionamento, no mesmo local, tem preço fixo de R$ 10.


FESTIVAL DE SOPAS CEAGESP

Quando: Até 21 de agosto – De quarta a domingo
Horário: Quartas, quintas e domingos, das 18h à meia-noite; sextas e sábados, até as 2h da manhã
Onde: Espaço Gastronômico CEAGESP – Portão 4 da CEAGESP (altura do 1.946 da av. Dr. Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital) – Estacionamento a R$ 10
Preço: R$ 33,90 por pessoa (Bebidas, sobremesas e antepastos cobrados à parte)
Site: www.festivaisceagesp.com.br


segunda-feira, 23 de maio de 2016

MEC libera mais de R$ 210 mi para instituições federais



O Ministério da Educação e Cultura (MEC) liberou, na última semana, recursos financeiros no total de R$ 211 milhões para as universidades federais e os institutos federais de educação, ciência e tecnologia.

O montante foi dividido em duas parcelas. A primeira, de R$ 163 milhões, foi liberada na última quarta-feira (18), e a segunda, de R$ 48 milhões, foi disponibilizada nesta sexta-feira (20).

A primeira liberação é destinada à manutenção e custeios (serviços terceirizados, material de consumo, energia elétrica, água e outras despesas) das 63 universidades e dos 41 institutos federais em todo o País. O recurso também deve atender a essa mesma previsão para hospitais universitários. Já a segunda parcela deve ser aplicada em pagamentos de bolsas aos estudantes.

O auxílio financeiro aos universitários, para o atendimento de assistência à moradia estudantil, alimentação, transporte, entre outros benefícios, tem como objetivo apoiar a permanência de estudantes de baixa renda nas universidades e institutos federais.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

MICHEL TEMER TRANQUILIZA CLASSE ARTÍSTICA





O Presidente interino Michel Temer divulgou agora a noite um áudio tranquilizando a classe artística. Ele declarou que a fusão entre os Ministérios da Cultura e Educação tem por objetivo ampliar ainda mais os incentivos. 

www.baladadafada.com.br
facebook: baladadafada

terça-feira, 17 de maio de 2016

Em cinco anos, Brasil perde 23,6 mil leitos de internação no SUS

CRISE NA SAÚDE

Nova análise do Conselho Federal de Medicina aponta queda de leitos do SUS em 19 estados desde 2010. Pediatria, psiquiatria e obstetrícia seguem como áreas mais comprometidas.

Quase 24 mil leitos de internação, aqueles destinados a pacientes que precisam permanecer num hospital por mais de 24h horas – foram desativados na rede pública de saúde desde dezembro de 2010. Naquele mês, o país dispunha de 335,5 mil deles para uso exclusivo do Sistema Único de Saúde (SUS). Em dezembro de 2015, o número baixou para 312 mil – uma queda de 13 leitos por dia. As informações foram apuradas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Ministério da Saúde.

Para o presidente do CFM, Carlos Vital, o levantamento mostra, em números, a falta de leitos vivida diariamente por médicos e pacientes nos hospitais brasileiros, o que acaba provocando atrasos no diagnóstico e no início do tratamento, aumentando a taxa de mortalidade. “A insuficiência de leitos para internação ou realização de cirurgias é um dos fatores para o aumento do tempo de permanência nas emergências. São doentes que acabam ‘internados’ nas emergências à espera do devido encaminhamento para um leito adequado, correndo riscos de contrair infecções”, constata.

Dentre as especialidades mais afetadas no período, em nível nacional, constam psiquiatria, pediatria cirúrgica, obstetrícia e cirurgia geral. Já os leitos destinados à ortopedia e traumatologia foram os únicos que sofreram acréscimo superior a mil leitos. “Na realidade atual, só resta ao usuário do SUS rezar para não adoecer e não precisar de internação hospitalar. Sufocados com o congelamento da tabela SUS, hospitais filantrópicos estão fechando leitos ou cerrando as portas. Governos e municípios também não estão conseguindo manter suas estruturas hospitalares, que estão cada dia mais sucateadas. Mas, como a doença não avisa, as filas de espera não param de crescer e o que vemos são doentes fragilizados, se acumulando em cadeiras e macas improvisadas nos corredores dos prontos-socorros”, lamenta o 1º secretário do CFM, Hermann Tiesenhausen.

Estados e capitais – Em números absolutos, os estados das regiões Sudeste e Nordeste foram os que mais sofreram redução no período. Só no Rio de Janeiro, por exemplo, pouco mais de sete mil leitos foram desativados desde 2010. Na sequência, aparece Minas Gerais (-3.241 leitos) e São Paulo (-2.908). No Nordeste, a Bahia sofreu o maior corte (-2.126). Entre as capitais, foram os fluminenses os que mais perderam leitos na rede pública (-2.503), seguidos pelos fortalezenses (-854) e brasilienses (-807).

Na outra ponta, apenas oito estados apresentaram números positivos no cálculo final de leitos SUS ativados e desativados nos últimos cinco anos: Rio Grande do Sul (806), Mato Grosso (397), Rondônia (336), Santa Catarina (121), Espírito Santo (115), Amapá (87), Mato Grosso do Sul (56) e Tocantins (15). Nas capitais, 12 delas conseguiram elevar a taxa de leitos, o que sugere que o grande impacto de queda tenha recaído sobre as demais cidades metropolitanas ou interioranas dos estados.

Enquanto os 150 milhões de brasileiros que dependem exclusivamente do SUS perderam quase 24 mil leitos desde 2010, o quantitativo na rede suplementar e nas unidades privadas aumentou em 2,2 mil o número de leitos no mesmo período. Ao todo, 17 estados elevaram o montante na rede “não SUS” até dezembro de 2015. Apenas Rio de Janeiro e Ceará sofreram decréscimos significativos, da ordem de 1.751 e 1.042 leitos a menos, respectivamente.

Leitos de observação e UTI – O levantamento do CFM apurou ainda os leitos de repouso ou de observação, utilizados para suporte das ações ambulatoriais e de urgência, como administração de medicação endovenosa e pequenas cirurgias, com permanência de até 24 horas no ambiente hospitalar. Nesta categoria, houve um aumento de 14% na quantidade de leitos no período.

Também foram apurados pela autarquia os leitos reservados às Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Ao contrário dos leitos de internação, essa rede apresentou alta de 23%, passando de 33.425 em dezembro de 2010 para 40.960 no mesmo mês de 2015. Apesar do acréscimo, uma análise detalhada do CFM constatou indícios de que quantidade de leitos de UTI na rede pública (49% do total) ainda seja insuficiente para atender as demandas da população. Leia mais em 86% das cidades brasileiras não possuem nenhum leito público de UTI.

Abaixo da média mundial – Embora a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) não recomendem ou estabeleçam taxas ideais de leitos por habitante, é possível observar que, em relação a outros países com sistemas universais de saúde, o Brasil aparece com um dos piores indicadores.

De acordo com o relatório de Estatísticas de Saúde Mundiais da OMS de 2014, o Brasil possuía 2,3 leitos hospitalares (públicos e privados) para cada grupo de mil habitantes no período de 2006 a 2012. A taxa é equivalente à média das Américas, mas inferior à média mundial (2,7) ou as taxas apuradas, por exemplo, na Argentina (4,7), Espanha (3,1) ou França (6,4). Segundo o relatório, a densidade de leitos pode ser utilizada para indicar a disponibilidade de serviços hospitalares. As estatísticas de leitos hospitalares são geralmente extraídas de registros administrativos de rotina, como as bases do CNES, no caso do Brasil.





5.065 municípios brasileiros não possuem nenhum leito de UTI (público ou privado)

A oferta de leitos de Unidade de Terapia intensiva (UTI) em estabelecimentos públicos, conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) ou particulares está disponível em somente 505 dos 5.570 municípios brasileiros. O dado faz parte de recente análise do Conselho Federal de Medicina (CFM), que mapeou a distribuição dos leitos de UTI entre os estados e as capitais, além da oferta nas redes pública e privada, para tentar compreender um cenário que aflige milhares de médicos diariamente: hospitais com alas vermelhas superlotadas, repletas de pacientes improvisadamente entubados e à espera de infraestrutura apropriada para cuidados mais intensivos.

Ao todo, o Brasil possui quase 41 mil leitos de UTI, segundo informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Metade deles está disponível para o SUS, que potencialmente atende aos 204 milhões de brasileiros, e a outra metade é reservada à saúde privada ou suplementar (planos de saúde), que hoje atende a aproximadamente 25% da população. Embora o número de leitos de UTI tenha aumentado nos últimos anos – algo em torno de 7.500 nos últimos cinco anos – a quantidade de leitos no SUS ainda é insuficiente, sobretudo no SUS, onde a demanda é crescente.

“Todos os dias nós médicos testemunhamos a morte de pessoas que poderiam ser salvas pela disponibilidade de um leito de UTI. Para os governos, quando um paciente morre, trata-se apenas de mais um número. Para a família, no entanto, é uma tragédia”, critica Mauro Ribeiro, 1º vice-presidente do CFM.

Na avaliação dele, o lado mais desumano e perverso dentro do caos que assola a saúde pública no Brasil está na falta de leitos de UTI, onde pacientes entubados em ventiladores improvisados morrem de causas evitáveis. “Por mais que os médicos e toda a equipe multiprofissional se dediquem a salvá-los, esses pacientes não estão onde deveriam estar. A gama instrumental de uma UTI, aliada à capacidade da equipe que atua nela, permite que muitas pessoas sejam salvas. Então necessitamos urgentemente de políticas públicas que facilitem o acesso dos pacientes às unidades de terapia intensiva”, defendeu.

Leitos abaixo do ideal – Segundo o levantamento do CFM, em 70% dos estados não há o número de leitos de UTI preconizado pelo Ministério da Saúde para garantir o bom atendimento de sua população. Segundo a portaria ministerial nº 1.101/2002, deve existir de 2,5 a 3 leitos hospitalares por cada 1 mil habitantes. Já a oferta necessária de leitos de UTI deve ficar entre 4% e 10% do total de leitos hospitalares, o que corresponde a um índice de um a três leitos de UTI para cada 10 mil habitantes.

Se consideradas as unidades públicas e privadas, a quantidade de leitos de UTI representam atualmente 9,3% dos leitos de internação existentes no Brasil - em outras palavras, existe 1,86 leito para cada grupo de 10 mil habitantes. Proporcionalmente, no entanto, o SUS conta com 0,95 leitos de UTI para cada grupo de 10 mil habitantes, enquanto a rede “não SUS” tem 4,5 leitos para cada 10 mil beneficiários de planos de saúde – quase cinco vezes a oferta da rede pública.

Em 19 unidades da federação o índice de UTI por habitante na rede pública é inferior ao preconizado pelo próprio Ministério – todos os estados das regiões Norte (exceto Rondônia), Nordeste (exceto Pernambuco e Sergipe) e Centro-Oeste, além do Rio de Janeiro e Santa Catarina. No Acre, Roraima, Amapá e Maranhão o índice permanece abaixo do ideal mesmo se considerados os leitos privados disponíveis nestes estados.

Quando se observa as capitais, também é possível ver o desequilíbrio entre a oferta de leitos SUS e “não SUS”. Brasília (0,96 leito por 10 mil habitantes) e Rio de Janeiro (1,04), por exemplo, estão entre as piores capitais no setor público. Por outro lado, ambas estão entre as melhores capitais na proporção leito privado ou suplementar: 8,2 e 8,1, respectivamente.

SUS desigual – O estudo do CFM também chama a atenção para a distribuição geográfica dos leitos. Só o Sudeste concentra 22.200 (54%) das unidades de terapia intensiva de todo o País; 47% do total de leitos públicos e 61% dos privados. Já o Norte tem a menor proporção: apenas 2.058 (5%) de todos os leitos; 5,7% dos leitos públicos e 4,4% dos privados.

Os dados revelam ainda que os sete estados da região Norte possuem juntos menos leitos de UTI no SUS do que todo o estado do Rio de Janeiro: 1.141 e 1.289, respectivamente. Enquanto isso, São Paulo possui 26% dos leitos públicos disponíveis no Brasil, o que equivale quase à totalidade dos leitos públicos das regiões Norte e Nordeste.

Amapá (AP) e Roraima (RR), por outro lado, possuem juntos somente 56 leitos de UTI no SUS, o que representa 0,3% das unidades públicas do País. Quando comparados aos números do Mato Grosso do Sul (MS), por exemplo, verifica-se que os sul-mato-grossenses têm, em tese, quatro vezes mais leitos SUS à disposição que naqueles dois estados da Região Norte. Ressalta-se que a soma das populações de AP e RR correspondem, aproximadamente, a metade da população do MS.

Outro alerta do CFM é de que 44% dos leitos SUS e 57% dos leitos privados do Brasil encontram-se apenas nas capitais. Se observada a repartição entre as Regiões Metropolitanas, constata-se que 69% dos leitos de UTI do SUS e 81% leitos da rede privada e suplementar estão concentrados nestas áreas.

Pacientes procuram Justiça – Sem conseguir acesso aos leitos, pacientes e seus familiares recorrem à Justiça. Informações do Ministério da Saúde revelam que o gasto governamental decorrente de ações judiciais que exigem, principalmente, um leito de UTI e medicamentos de alto custo, atingiu a cifra de R$ 838,4 milhões somente em 2014.

O governo de São Paulo gastou, em 2015, cerca de R$ 1 bilhão no cumprimento de decisões judiciais. Segundo a Secretaria de Saúde estadual é cada vez maior o número de pessoas que recorrem ao judiciário para garantir o acesso à saúde. Em 2010, o estado foi réu em 9.385 ações, contra 18.045 no ano passado.

Baixe os aquivos do Levantamento do CFM:



Estudo CFM: Leitos SUS no Brasil - por regiões

Estudo CFM: Leitos de Internação, Repouso e Observação - por estado

Estudo CFM: Leitos de Internação, Repouso e Observação - por capital

Estudo CFM: Leitos de internação - Quantidade SUS por estado e Especialidade

Estudo CFM: Leitos de internação - Quantidade SUS por capital e Especialidade

Estudo CFM: Leitos de Internação - especialidades detalhadas

ABILIO DINIZ ESCREVE CARTA PARA MICHEL TEMER

DE ABILIO DINIZ PARA MICHEL TEMER

O empresário Abilio Diniz escreveu uma carta aberta ao Presidente Interino Michel Temer, publicada no Jornal Folha de São Paulo, com o seguinte teor:


"Presidente Michel Temer, desejo-lhe sucesso porque o seu sucesso será também o sucesso do Brasil. Sei da tensão do momento e da responsabilidade que está assumindo. Os brasileiros estão olhando com ansiedade, preocupação e ceticismo, mas também com esperança de transformação.

Você é um político experiente e parte agora, aos 75 anos, para o maior desafio de sua vida. Tenho a certeza de que irá enfrentá-lo com determinação e garra. Eu adoro desafios. Eles são revigorantes; oportunidades de pôr em prática tudo o que se aprendeu na vida e mostrar realmente o que somos. Mas tem um ponto vital -é preciso lutar e vencer.

Presidente, temos coisas em comum, como idade próxima e filhos pequenos. Pensar neles lhe dará ainda mais força para lutar e construir o país do qual se orgulharão.

O mundo e o Brasil são carentes de líderes, e você tem a chance histórica de assumir papel de liderança. As expectativas são grandes, e as dificuldades também.

O Brasil teve muitas conquistas na década passada, com crescimento e redução das desigualdades. Mais de 30 milhões de pessoas saíram da pobreza. Essa dinâmica virtuosa, contudo, foi perdida, e entramos num ciclo vicioso no qual as crises econômica e política e a corrupção se entrelaçaram numa espiral negativa. O saldo é desemprego a 10% e a maior recessão em décadas.

Presidente, a tarefa é árdua, mas você e equipe podem realizá-la. Como afirmou no discurso inaugural, o resgate da confiança é fundamental. Para isso, é preciso atacar em três frentes.

Primeiro, garantir a continuidade da Lava Jato. O Brasil e o mundo não suportam mais a corrupção. Segundo, reequilibrar urgentemente as contas públicas, afastando de vez os temores de insolvência que geram insegurança e travam investimentos. Terceiro, é indispensável encaminhar as reformas estruturais, como a previdenciária, a tributária, a trabalhista e a política, defendidas pelos seus antecessores, mas jamais realizadas.

Essas tarefas não são só de seu governo. Para tirar o país desse sofrimento e olhar à frente com esperança e confiança, precisamos estar todos engajados. O remédio pode ser amargo, desde que tire o país dessa situação crítica. Somos uma democracia vibrante, com instituições sólidas. Os Três Poderes e a população precisam se engajar nessa retomada, inclusive com críticas, mas sempre dentro das regras do jogo democrático.

Tenho muito orgulho de ser brasileiro e sei que o nosso povo será capaz de superar mais essa crise. É urgente destravar a economia, voltar a crescer, investir, gerar emprego e aumentar a produtividade. Restabelecendo a confiança e o equilíbrio político e sinalizando que as dificuldades serão superadas, os investimentos voltarão. O Brasil tem muitas oportunidades, com mercado imenso e empresas, empreendedores e trabalhadores competentes.

As dificuldades não desaparecerão da noite para o dia, todavia a esperança e a vontade de fazer as coisas certas podem começar a transformar o país.

Meu apoio, acima de tudo, é e sempre será ao desenvolvimento do Brasil. Como foi o meu apoio a governos anteriores e a suas políticas que nos ajudaram a crescer e a reduzir desigualdades.

Infelizmente, pouca coisa deu certo nos últimos anos. É preciso reconhecer isso e olhar à frente pensando no país. Não se deve praticar oposição destrutiva ou questionar a legitimidade do governo.

A legitimidade virá de seu trabalho, presidente, e da aprovação e reconhecimento que os brasileiros venham a lhe dar. Creio que terá apoio no Congresso às reformas, mas é preciso trabalhar duro para unir as forças políticas no objetivo maior de recuperar o Brasil. O momento é de pensar menos em si e mais no país.

Força, vá em frente. Seja o presidente de todos nós. Governe para todos, dos mais pobres aos mais ricos, dos trabalhadores aos empresários. Você pode.

A gente é aquilo que escolhe ser na vida. Escolha ser o presidente que o Brasil anseia. Como faço sempre comigo, peço a Deus que ilumine o seu caminho e o daqueles que estão com você. E que um novo Brasil, melhor, esteja surgindo para todos os brasileiros."



Abílio dos Santos Diniz é Presidente do Conselho de administração da BRF. Foi sócio da Companhia Brasileira de Distribuição, que inclui o Pão de Açúcar, Extra, Açaí, Eletro, Ponto Frio e Casas Bahia.

Ex-governadores delatados na lava jato

sábado, 14 de maio de 2016

Secretaria da Segurança Pública assina convênios com o Ministério da Justiça e Cidadania

As parcerias foram assinadas pelo ministro da Justiça e
 pelo secretário da Segurança Pública - Foto: Mainary Nascimento
A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP) firmou, nesta sexta-feira (13), dois convênios com o Ministério da Justiça e Cidadania. As parcerias foram assinadas pelo secretário da Segurança, Mágino Alves Barbosa Filho, e pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

Uma das parcerias, feita com a Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos do Ministério, tem o objetivo de fortalecer a integração dos sistemas de segurança pública envolvidos na realização dos Jogos Olímpicos.

A medida prevê que sejam adquiridos equipamentos de proteção individual para a Polícia Militar de São Paulo. “É um passo muito importante para a segurança pública do Estado de São Paulo e um passo muito importante para a segurança pública do Brasil”, disse o secretário.

Moraes explicou que os convênios já estavam sendo tratados com o Ministério da Justiça e Cidadania e ressaltou a importância deles. Até esta quinta-feira (12), ele exerceu o cargo de secretário da Segurança de São Paulo.

“Todo o esforço que nós já estávamos fazendo aqui em São Paulo, de inteligência e de preparação para auxiliar as forças federais nas Olimpíadas, agora vamos ampliar esse esforço, essa coordenação, cooperação e atuação conjunta entre a polícia do Estado de São Paulo e o Ministério da Justiça”, explicou o ministro.

Segundo acordo

A outra parceria se trata de um termo de cooperação firmado entre a SSP e a 6ª Superintendência Regional de Polícia Rodoviária Federal, que visa o intercâmbio de dados, informações e conhecimentos entre os órgãos.

Mágino destacou o relacionamento mais próximo que está sendo construído com o órgão federal a partir dessas parcerias. “Tenho certeza que contaremos, aqui no Estado de São Paulo, com o integral apoio do ministro Alexandre de Moraes nas nossas iniciativas e faremos diversas outras parcerias visando essa integração”, disse.

O secretário falou, ainda, que esses convênios significam o começo de uma relação “extremante fértil” com o Ministério da Justiça, que visa o melhor para o povo de São Paulo e do Brasil. “É só um primeiro passo para uma parceria muito exitosa que teremos”, enfatizou.

Alexandre de Moraes ressaltou que as medidas também levarão a expertiseda polícia de São Paulo para todo o Brasil, por meio do Ministério da Justiça.

O delegado-geral da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin, também assinou o convênio.

UNASUL TENTA SE METER NAS QUESTÕES POLÍTICAS DO BRASIL E É REPUDIADA POR JOSÉ SERRA

Ao verem Dilma Rousseff ser afastada do poder, o Secretário Geral da UNASUL - União da Nações Sul Americanas, Ernesto Samper, citou durante uma entrevista que "existem atores políticos no Brasil, fazendo política sem responsabilidade". 

O discurso do Golpe atravessou fronteiras e mobilizou os líderes de Dilma, parceiros no plano comunista do Foro de São Paulo.

Em repúdio às manifestações, José Serra (Ministro das Relações Exteriores) declarou: " Os argumentos apresentados, além de errôneos, deixam transparecer juízos de valor infundados e preconceitos contra o Estado Brasileiro. Transmitem interpretação absurda de que as liberdades democráticas, o sistema representativo, os direitos humanos e sociais e conquistas da sociedade se encontrariam m perigo".

Além disso, José Serra também repudiou as manifestações dos governos da Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua.

CRISE NA SAÚDE É A PIOR DESDE 1970

REDUÇÃO DE R$5,5 bilhões, dos 118,5 bilhões NO ORÇAMENTO DA SAÚDE LEVARÁ A CORTES DE CIRURGIAS E ATENDIMENTOS

A Constituição estabelece que o governo federal precisa aplicar na saúde, o mínimo, o valor do orçamento do ano anterior mais a variação do PIB. Com os recursos insuficientes na saúde, não dá pra cumprir o que reza a Constituição.

O governo Dilma já havia anunciado que os recursos para o Samu e para o programa "Aqui tem Farmácia Popular", seriam encerrados e que haveria cortes em cirurgias e internações.

As unidades de saúde estão sendo fechadas em todo o Brasil, Hospitais referência, como o Hospital das Clínicas, estão restringindo atendimentos ambulatoriais. Falta vacina para H1N1 e Zika Vírus, Penicilina para grávidas com sífilis. Segundo a Professora Ligia Bahia (Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro), é a pior crise na saúde desde 1970.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

MICHEL TEMER TEM UM SEMESTRE PARA VIRAR O JOGO

Por: Claudia Souza
Michel Temer preside a primeira reunião ministerial após a posse


Em seu discurso de posse, o presidente interino Michel Temer, inteligentemente desbancou o discurso do golpe emblemado por Dilma Rousseff e seus aliados, quando declarou que não irá mexer nas políticas sociais.

Segundo declarou o novo Ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, o auxílio Bolsa Família, será revisto, não extinto. Segundo ele, o cidadão que trabalhar, terá o seu benefício garantido durante algum tempo.

Michel Temer e a nova equipe, cortarão gastos, já iniciados com a redução dos Ministérios. Nesta primeira reunião, o presidente solicitou que sua equipe faça avaliações e apresente os relatórios de cada setor, para que seja reavaliada a estratégia para a retomada do crescimento do país.

As prioridades serão: medidas que reduzam os juros, incentivos aos empresários para que se ampliem as vagas de empregos e o combate ao zika vírus.

O grande desafio do novo presidente nesse período, será governar sem cometer os mesmos erros da sua antecessora, ou seja, lidar com as dificuldades financeiras sem cair na famigerada "pedalada fiscal". Os crimes de responsabilidade fiscal, são praticados pela maioria dos governantes, porém, trazidos à tona pelas oposições, e quanto maior e mais forte for a base aliada, estes passam despercebidos e na maioria dos casos, ainda recebem apoio para serem cometidos. 

Uma coisa é certa: a postura do presidente, fará emergir novamente valores conservadores e morais, o que ficou claro numa reunião do Presidente com os líderes religiosos evangélicos Silas Malafaia e Marco Feliciano, grandes combatentes dos Kits Gays entregues nas escolas no governo Dilma.

Várias críticas surgem através da imprensa pela ausência de negros e mulheres na bancada dos Ministérios, porém há de se compreender que a toque de caixa, Temer indicou e incluiu na sua equipe, homens com os quais mantém contato dentro de seu núcleo social e político. Temer deixou claro em seu discurso, que este governo deve ser baseado no diálogo e nos princípios éticos religiosos, que valorizam acima de tudo, a família e o trabalhador como alicerces do país. 

O que vem à tona ao que parece, é a velha política, composta de senhores com alta graduação, em maioria ricos, idealistas, moralistas e acima de tudo experientes em seus setores. 

Para salvar o Brasil do precipício comparado a Venezuela, é necessário que se dê uma trégua nas picuinhas partidárias e tanto os políticos, quanto o povo, façam a sua parte, trabalhando para tirar o país da crise profunda. Serão anos de sacrifício para corrigir os erros cometidos pelo governo anterior. Ainda não estamos fora do risco de uma morte súbita, Dilma Rousseff ainda não foi julgada e muita coisa poderá acontecer. 

As urnas fraudadas ainda não foram desmascaradas judicialmente, que por serem ferramentas úteis para políticos, não é do interesse dos mesmos, que essa discussão venha à tona de forma pertinente. Caso fosse comprovada a fraude, haveria um colapso com inúmeros processos, cancelando e tornando ilegítimos diversos atos praticados pelos governantes envolvidos. Por isso, esse tema, já explicito nas redes sociais, em denúncias e debates, como no caso do Conclave de Washington, que já se estendeu para São Paulo, Portugal e Brasilia, ainda se mantém desprezado pela maioria dos políticos, comparado a um "peso de porta" que pode ser usado para manter a porta encostada e aberta em dias de ventos fortes, (nesse caso, é melhor deixar o peso quieto lá, caso seja necessário usá-lo na próxima tempestade...). Discutir a fraude das urnas no Congresso, seria o mesmo que invalidar a eleição de Dilma Rousseff e jogar um balde de água fria em todos os eleitos no segundo turno de 2014, cuja maioria, depois do processo de impeachment e as notícias dos processos em trâmite na Polícia Federal, talvez não teriam uma segunda chance de reeleição "nunca mais".

Os desafios para a equipe de Michel Temer ao debater a extensa pauta de governo, que prevê reavaliações sobre o orçamento, políticas de aplicação dos recursos do BNDS, será obter o apoio do Congresso Nacional, sem crimes de responsabilidade fiscal. 

quinta-feira, 12 de maio de 2016

AECIO NEVES QUASE SOFRE ATENTADO APÓS VOTAÇÃO DA ADMISSÃO DO IMPEACHMENT

O Senador Aecio Neves foi avisado por um popular, numa ligação através do canal "Alô Senado" que estava na mira de sofrer um atentado. O cidadão que fez a ligação, passou a placa de um carro roubado em Minas Gerais, "Fiat Palio" e que os passageiros do veículo estariam incumbidos de realizar um possível atentado. 

A PM checou a placa e constatou que de fato o veículo havia sido roubado e a Polícia Civil passou a fazer uma escolta discreta ao Senador.

MARCELA TEMER TEVE SEU CELULAR HACKEADO E O BANDIDO JÁ ESTÁ PRESO




A nova primeira dama do Brasil, Marcela Temer, havia um mês que estava sendo chantageada por um hacker que invadiu o seu celular. A moça abriu um e-mail e todos os seus dados foram roubados. A família pagou R$15 mil reais exigidos e o bandido continuou a chantagem pedindo mais.

O então Secretário de Segurança/SP e agora Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, cuidou do caso e prendeu o sujeito ontem. O meliante de nome Silvonei José de Jesus Souza, teve o seu computador confiscado pela justiça e já havia sido indiciado por outros crimes. A polícia suspeita de mais três pessoas envolvidas.

AECIO NEVES E RENAN CALHEIROS NA MIRA DA JUSTIÇA

Agora vai começar o efeito dominó no governo... Primeiro Cunha, agora Dilma... Os próximos passos do STF serão as investigações de Aécio Neves e Renan Calheiros.


O Ministro Gilmar Mendes abriu inquérito contra o Senador Aécio Neves para apurar o seu envolvimento em um esquema de corrupção em Furnas. O envolvimento de Aécio foi delatado por Delcidio do Amaral,o doleiro Alberto Yousseff e pelo lobista Fernando Moura. Segundo as testemunhas, ele teria recebido R$4 milhões em propina.


Renan Calheiros também está enrolado. O Ministro Edson Fachin do STF, vai denunciar Renan Calheiros (PMDB-AL) como Réu no caso "Monica Veloso", sob a acusação de crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso. No caso, Renan teria feito um acordo com a Construtora Mendes Junior, onde apresentaria emendas favorecendo a empreiteira em troca do custeio das despesas da sua então amante Monica Veloso.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

PAPA CAPIM e Mauricio de Sousa cresce e ilustra quadrinhos de terror



A escritora Marcela Godoy e o artista visual Renato Guedes lançaram em 05/05 na livraria FNAC em São Paulo, o livro "Papa Capim", uma releitura do personagem de Mauricio de Sousa, que surgiu em 1960 e que agora na trama "Noite Branca", ressurge adolescente, numa história de terror que prende o leitor e o leva à reflexão da realidade.

www.baladadafada.com.br
facebook: baladadafada

Waldir Maranhão anula sessões do impeachment de Dilma Rousseff





Após ter viajado com avião da FAB até Brasília junto com  o governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB),  forte aliado de Dilma Rousseff,  o novo presidente da Câmara Waldir Maranhão,  que assumiu no lugar de Eduardo Cunha,  resolveu cancelar as sessões do impeachment  na câmara,  a pedido do advogado geral da União José Eduardo Cardozo.

 Waldir Maranhão declarou em nota que considerou válida,  a interpretação da defesa de Dilma Rousseff,  no que diz respeito a orientação que os parlamentares receberam para votarem  de acordo com a opinião dos partidos,  desrespeitado a opinião pessoal de cada um;  também considerou o resultado da votação deveria ter sido formalizado de acordo com o que dispõe o regimento interno da Câmara dos Deputados,  fato que não ocorreu.  Sendo assim,  ele cancelou as pessoas realizadas nos dias 1516 e 17 de Abril e determinou que uma nova sessão seja realizada para deliberar sobre a matéria no prazo de cinco sessões contadas da data em que o processo foi devolvido pelo senado à Câmara dos Deputados.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

ESTUDANTES INVADEM ASSEMBLEIA LEGISLATIVA E EXIGEM CPI DA MERENDA ESCOLAR



Na terça-feira (03/05), cerca de 150 estudantes invadiram o plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo para pedir investigação sobre a "Máfia da Merenda".

O Presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB),  envolvido como um dos suspeitos de ter aceitado propinas no caso intitulado pela Polícia Federal de "Alba Branca", tentou impedir a invasão dos estudantes, anunciando que pediria reintegração de posse e evitaria a entrada de mantimentos para os manifestantes que permanecessem no local, liberando apenas água e a utilização de um banheiro.

A "Máfia da Merenda" é um esquema investigado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público, aonde ocorreu superfaturamento na distribuição de suco de laranja para a rede pública, com propinas que chegam a 30% dos valores acertados.

A intenção dos Estudantes é de permanecerem na Assembleia Legislativa, até que consigam todas as assinaturas suficientes, para que seja instalada uma CPI. A ação dos estudantes, gerou tumulto e nervosismo entre os deputados. O deputado João Paulo Rillo (PT), irritado com a tentativa de conter a entrada dos estudantes ao recinto, agrediu um dos policiais. 

O esquema da "Máfia da Merenda" funcionava assim: a COAF - Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar, vendia os produtos superfaturados para as escolas estaduais e passava parte do valor excedente do contrato, como propina aos agentes públicos.

Esse tipo de produto é comprado por meio de chamadas públicas (sem licitação) e segundo a Folha de São Paulo, a COAF fundou duas cooperativas de fachada que apresentavam propostas diferentes para criar aparência de uma disputa pelo melhor preço, garantindo a vitória da Coaf, cujos preços eram superfaturados, dos quais, sobrava dinheiro para a propina. 

Até nos atestados que comprovavam que os produtos vinham de agricultura familiar, a cooperativa utilizou centenas de documentos fraudados, usando pequenos agricultores que desconheciam o fato.

Uma lei federal de 2009 afirma que todos os alunos do ensino público devem receber alimentação "saudável e adequada, compreendendo o uso de alimentos variados" e não está sendo cumprida.

Os estudantes passaram a noite na Assembleia Legislativa e por conta disso, Capez deu folga aos trabalhos e aguarda que os jovens sejam vencidos pelo cansaço.





sábado, 30 de abril de 2016

TEMER VAI FUNDIR MINISTÉRIO DA CULTURA COM EDUCAÇÃO E ANTECIPAR VOTAÇÃO ...





O Vice Presidente Michel Temer, se assumir, pretende fundir os Ministérios da Cultura e Educação e os principais cotados para ocuparem o cargo do Ministro Juca Ferreira, são Cristovam Buarque, Marta Suplicy ou José Serra. Ele também pretende cancelar as férias dos parlamentares e solicitar uma assembléia extraordinária para que o Impeachment de Dilma Rousseff seja votado o quanto antes, antecipando em um mês os resultados (antes do primeiro turno das eleições). Com isso, assumindo definitivamente, ele retomaria a pauta da economia para tentar retomar o crescimento econômico do país.

WWW.BALADADAFADA.COM.BR
facebook/baladadafada

quinta-feira, 28 de abril de 2016

DILMA ROUSSEFF RECONHECE IDENTIDADE DE GÊNERO PARA TRAVESTIS E TRANSEXUAIS

A presidenta Dilma Rousseff assinou, nesta quinta-feira (28), no Palácio do Planalto, decreto que permite o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. Na prática, explica o secretário de Direitos Humanos do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e Direitos Humanos, Rogério Sottili, as pessoas vão poder usufruir de toda a máquina governamental, inclusive as políticas públicas de inclusão social, sendo tratadas pela identidade de gênero que a representam.

" Uma pessoa que nasceu João e hoje é Maria, quando ela for ser atendida pelo SUS, será chamada de Maria porque no seu crachá tem o seu nome social Maria, e não João", disse Sottili.
Segundo Tathiane Araújo, presidente da Rede Trans, é a primeira vez que o governo brasileiro reconhece a cidadania dos travestis e transexuais. "A pessoa construiu uma identidade que condiz não com o seu sexo biológico, e sim, como ela se apresenta para a sociedade. Então, é um documento de extrema importância que vem reconhecer pela primeira vez, de fato, pela chefe de Estado brasileiro, a cidadania dessa população".

Para a presidente do Conselho Nacional e Combate à Discriminação LGBT, Roselaine Dias, o decreto é a "real possibilidade de que pessoas travestis e transexuais saiam do processo de exclusão da educação, do trabalho, da vida social, cultural, e irem para um espaço de revelação de cidadania no Brasil. Esse é o momento".

Qual a diferença entre Orientação Sexual, Identidade de gênero e Nome Social?

Orientação sexual, segundo a legislação, é entendida como uma referência à capacidade de cada pessoa de ter uma profunda atração emocional, afetiva ou sexual por indivíduos de gênero diferente, do mesmo gênero ou de mais de um gênero, assim como ter relações íntimas e sexuais com essas pessoas.

Identidade de gênero, segundo a legislação, é entendida como experiência interna e individual do gênero de cada pessoa, que pode ou não corresponder ao sexo atribuído no nascimento, incluindo o senso pessoal do corpo (que pode envolver, por livre escolha, modificação da aparência ou função corporal por meios médicos, cirúrgicos ou outros) e outras expressões de gênero, inclusive vestimenta, modo de falar e maneirismos.

Nome social, segundo a legislação, é aquele pelo qual travestis e transexuais se identificam e são identificadas pela sociedade.

Assim, pode-se considerar que esta resolução foi um avanço no tocante aos direitos humanos, contudo, a aplicação do que consta na mesma deve ser melhor fiscalizada, haja vista que nem todas as unidades policiais seguem os dizeres da resolução.

Em breve, todos nos documentos e formulários públicos deverão constar o campo "Nome Social" para que a lei seja rigorosamente cumprida.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Esposa de Leopoldo Lopez é entrevistada no Roda Viva Internacional



Venezuelana fala da repressão política em seu país. O programa será exibido nesta quinta-feira (21/4), às 23h30, na TV Cultura

A entrevistada do Roda Viva Internacional, nesta quinta-feira (21/4), é a venezuelana Lilian Tintori. O programa da TV Cultura vai ao ar às 23h30, com apresentação de Augusto Nunes.

Ativista dos direitos humanos no seu país, Lilian Tintori é esposa do líder oposicionista Leopoldo López, que está preso pelo governo de Nicolás Maduro, na Venezuela. No programa, Lilian fala sobre a situação de repressão política no país, a crise econômica, o abastecimento precário de alimentos e outros itens, a censura à imprensa e a necessidade dos venezuelanos receberem ajuda do Brasil e de outros países da América do Sul. No campo pessoal, a ativista também conta como está criando os filhos com o pai preso e sem deixar de resistir ao autoritarismo.

Compõem a bancada desta edição: Todd Benson, diretor de redação da agência de notícias Reuters no Brasil; Lourival Sant'anna, jornalista; Patrícia Campos Mello, repórter especial do jornal Folha de S. Paulo; Felipe Corazza, subeditor de internacional do jornal O Estado de S. Paulo; e Fernando Tibúrcio Peña, advogado especialista em Direito Internacional dos Direitos Humanos. O cartunista Paulo Caruso também participa da bancada com suas charges.

Sutiã para mulheres mastectomizadas

Equipe do projeto de desenvolvimento de sutiã especial para mulheres mastectomizadas.
(crédito: Gabriel Brum)



























Imama, ESPM –Sul e Elegance moda íntima desenvolvem sutiã para mulheres mastectomizadas

Iniciativa inédita une responsabilidade social, conhecimento médico, estudo acadêmico e inteligência de desenvolvimento de produto para criação de uma coleção cápsula de lingeries que atenda as necessidades das mulheres que fizeram a remoção dos seios.

Uma em cada nove mulheres gaúchas terá um tumor nas mamas até os 90 anos, é o que aponta estimativa da Sociedade Brasileira de Mastologia. Cerca de 63 mil mulheres fizeram cirurgia de remoção dos seios para tratamento de câncer nos últimos cinco anos no pelo SUS, segundo levantamento recente do Datasus. A cada 40 minutos é realizada uma cirurgia de mastectomia no país. Não bastasse passar por todos os percalços da doença, as pacientes que não são submetidas a reconstrução mamária imediata encontram um problema: a falta de sutiãs especializados no mercado. Por conta disso, grande parte dessas pacientes recorrem à única arma que possuem: o improviso.

Para buscar uma solução e desenvolver um produto que atenda as mulheres mastectomizadas, o Imama uniu forças com a Elegance e a ESPM-SUL para desenvolver um sutiã especializado para esse público. O projeto vem sendo articulado desde junho de 2015 e tem início agora neste mês de abril. “Há quatro anos a Elegance já apoia a causa da prevenção do câncer de mama de forma ativa, temos um produto social, os sachês, que no outubro rosa tem o valor das vendas 100% revertido para a causa”, destaca Eliane Magnan, diretora da marca. O projeto de fazer algo pelas mulheres que enfrentaram o problema da retirada da mama é antigo na empresa, no entanto, até então, não tinha sido desenvolvido porque era necessário aprofundar o entendimento e o conhecimento de como deve ser esse produto, tanto em termos médicos, quanto em pesquisa. “O projeto só é possível nesse momento porque unimos forças com Imama e a ESPM-Sul”, destaca.

O sutiã será um produto do Imama, desenvolvido pela ESPM e com a produção da empresa madrinha: a Elegance. Com profissionais, especialistas e voluntários de diversas áreas, a equipe do projeto conta médicos do Hospital Moinhos de Vento, coordenados pela presidente do Imama, Dra. Maira Callefi, voluntárias vitoriosas da instituição, professores e alunos da ESPM-SUL, profissionais da Elegance e parceria estratégica do negócio social Da Mathias, Sallaberry Marketing Feminino e Gestão de Projetos na Prática.


Elegance

Quem você quer ser hoje? Antenada, Romântica, Prática, Poderosa? Com a Elegance a mulher pode ser todas e quando quiser. Esse é o propósito da marca gaúcha, que há 23 anos apoia as mulheres em suas decisões e em todos os seus momentos de vida.

Especializada em moda íntima, em 2014, expandiu as suas operações por meio de franquias para todo o país, e já conta com quatro unidades, sendo uma própria e três franqueadas, prevendo ainda a abertura de 55 novas unidades franqueadas nos próximos cinco anos. Além disso, a marca conta com ecommerce www.elegance.com.br e pode ser encontrada fisicamente em mais de 600 pontos de venda espalhados pelo Brasil e pelo mundo (Estados Unidos, Chile, Colômbia, Argentina, Portugal, Japão e Nova Zelândia). Desde 2012, a empresa está instalada em um moderno parque industrial, localizado em Guaporé/RS, no qual produz em torno de 100 mil peças/mês.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

NOVAS ELEIÇÕES PODEM SER ARMADILHA CONTRA ELEITORES



Novas eleições para Presidente podem ser uma armadilha contra o povo.
Enquanto as urnas forem eletrônicas os resultados serão sempre suspeitos.  Em 2014 diversas denúncias de fraudes surgiram logo após encerramento das eleições e as discussões em torno do assunto, apontaram diversas provas.

Um grupo de senadores apresentou ontem (19/4), uma proposta de emenda à constituição para prever a realização de eleições presidenciais simultaneamente ao pleito Municipal em outubro deste ano. Entre os que apresentaram a proposta estavam: Walter Pinheiro (Ex PT/BA), João Capiberibe (PSB-AP),  Randolfe Rodrigues (Rede/AP),  Cristovam Buarque (PPS/DF),  Lídice da Mata (PSB/BA)  e Paulo Paim (PT/RS). A antecipação de eleições presidenciais tem sido defendida por setores do governo do PT para quem o vice-presidente Michel Temer é um conspirador, que se assumir, chefiará um governo sem legitimidade.

A grande evidência de que a resposta das urnas nas eleições de 2014, tão afirmada por Dilma Rousseff, seja no mínimo duvidosa, é que mesmo com a tentativa de vitimar-se do famoso "Golpe" da oposição, a população que caminha nas ruas em sua defesa é simbólica, composta apenas de idealistas petistas, artistas que se beneficiam do governo e recrutados pela CUT, Sindicatos e Organizações Sociais, que patrocinam o espetáculo Pró-Dilma, com transportes, alimentação, cachês e shows populares gratuitos para mantê-los agrupados. A superprodução midiática não demonstra atrair tantos participantes, ao contrário dos que estão contra o governo, que se manifestam voluntariamente e pelos seus próprios meios.

A prova de que Dilma Rousseff não teve os 50 milhões de votos nas urnas é que a desaprovação ao seu governo foi tamanha, que se somados os votos dos deputados federais que estavam em seu favor e contra o impeachment, estes não alcançaram 14 milhões de votos nas urnas, o que representa apenas 10% dos eleitores de todo o Brasil.

 Um grupo de cientistas políticos, engenheiros de informática, jornalistas, comentaristas e pessoas ligadas ao mercado de urnas eletrônicas, realizarão dia 26 de abril, às 8h00,  no auditório Nereu Ramos, em Brasília,  um Conclave para discutir a legitimidade do resultado das urnas.  A reunião será gravada transmitida pela internet e ficará disponível no YouTube.


 

terça-feira, 19 de abril de 2016

DILMA SE FAZ DE VÍTIMA PARA A IMPRENSA INTERNACIONAL



Por: Claudia Souza (Jornalista e vítima da urna eletrônica no segundo turno das eleições de 26/10/2014)

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (19), a jornalistas estrangeiros no Palácio do Planalto, estar sendo vítima de um processo de impeachment baseado em uma injusta fraude jurídica e política. A presidenta lembrou que, nos períodos democráticos do País, todos os presidentes enfrentaram processos de impedimento no Congresso Nacional.

“O Brasil tem um veio que é adormecido, um veio golpista adormecido. Se nós acompanharmos a trajetória de presidentes no meu País, do regime presidencialista a partir de Getúlio Vargas, nós vamos ver que o impeachment sistematicamente se tornou um instrumento contra os presidentes eleitos”.

Dilma argumentou que crise econômica e impopularidade não são motivo para se pedir o impeachment de um presidente da República. Para ela, as tentativas de desestabilizar seu mandato se basearam na estreita margem de votos que a elegeram nas eleições de 2014.

“Essa eleição perdida por essa margem tornou essa oposição derrotada bastante reativa a essa vitória e por isso começaram um processo de desestabilização. Esse meu mandato de 15 meses tem o signo da desestabilização política”.

A presidenta também relacionou as ações que foram tomadas contra a governabilidade, a começar pelo pedido “inusitado” de recontagem de votos, logo após a divulgação do resultado das eleições.

“No Brasil, desde a adoção das urnas eletrônicas, não há dúvidas por parte da sociedade da fidedignidade dos resultados eleitorais, o que torna muito claro os objetivos por traz disso. Na sequência, também foi pedido pela oposição que se fizessem auditorias nas urnas. Como em nenhum dos dois casos foi encontrada uma falha sequer, recorreu-se ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), antes da posse para o segundo mandato, para tentar impedir a diplomação da presidenta“, lembrou.

Como nenhuma destas ações surtiu efeito, deu-se início a “práticas absolutamente condenáveis”, destacou Dilma, que ganharam força com a atual presidência da Câmara dos Deputados: as chamadas pautas-bomba. Os opositores passaram a agir para impedir a redução de gastos necessária ao atingimento da meta fiscal.

Conspiração

Dilma evidenciou ainda que por trás da tentativa de impeachment está o objetivo de um grupo de chegar à Presidência da República sem ter que se submeter à vontade popular.

“A conspiração se dá pelo fato de que a única forma de chegarem ao poder no Brasil é ocultando o fato de que esse processo de impeachment, na verdade, não é um processo de impeachment”. E afirmou que se trata de uma tentativa de eleição indireta de um grupo que não conseguiria alcançar seus objetivo por meio do voto direto e secreto da população brasileira.

Uma das evidências dessa conspiração, citou, é o áudio do vice-presidente “vazado” que revela os interesses reais por trás do processo. “É muito pouco usual que haja assim um vice-presidente da República”. Além disso, apontou, entre os “julgadores” do processo há os que não estão aptos a atuar neste papel, como o caso do presidente da Câmara. “Tem um retrospecto que não o abona para ser juiz de nada, abona para ser réu”.

O que a Presidente Dilma Rousseff não citou durante a entrevista, é que várias pessoas foram votar nas urnas eletrônicas e já haviam votado em seus lugares, pastas e chip de urnas foram encontrados jogados à beira de uma estrada. Também não mencionou que mesários publicaram relatórios das urnas lacradas com 400 votos de vantagem para a Presidente e também a identificação de urnas disparando sozinhas. Este é o real motivo pelo qual a população não acredita na fidelidade do resultado das urnas.













segunda-feira, 18 de abril de 2016

DEPUTADOS CONTRA O IMPEACHMENT REPRESENTAM APENAS 10% DOS VOTOS NAS URNAS

Por: Claudia Souza


Dilma Rousseff e seus aliados repetem que o Impeachment é um GOLPE e que não é justo retirar do poder uma mulher honrada, honesta e que não cometeu crime algum. A afirmação sempre vem fortalecida pelo argumento de que a Presidente da República foi eleita com mais de 50 milhões de votos e de maneira legítima.

A afirmação da legitimidade, entra em questão, quando voltamos no tempo e prestamos atenção ao fatídico dia 26/10/2014 em que fatos estranhos ocorreram no cenário eleitoral do Brasil. Pessoas foram votar e já haviam votado em seus lugares, mesários divulgaram fotos dos relatórios de urnas que vieram lacradas, contendo 400 votos em favor de Dilma Rousseff; um senhor encontrou no lixo pastas contendo chip da urna eletrônica, junto com caderno de votos; outros, flagraram urnas disparando votos sozinhas e todos esses vídeos foram publicados e estão disponíveis para quem quiser confirmar na internet. Outro fato estranho, para não dizer fantasioso é que no site do PT antes mesmo que fosse divulgado o resultado das urnas, já havia uma matéria contendo foto com Dilma e Lula comemorando a vitória.

Se nenhum dos detalhes acima possuir relevância ao nobre leitor, caminhemos então para os próximos capítulos, até o discurso de posse:

Dilma 2015: - “Em nossos governos, cumprimos o compromisso fundamental de oferecer a uma população enorme de excluídos, de pessoas excluídas, os direitos básicos que devem ser assegurados a qualquer cidadão: o direito de trabalhar, de alimentar a sua família, de educar e acreditar em um futuro melhor para seus filhos. Isso que era tanto para uma população que tinha tão pouco, tornou-se pouco para uma população que conheceu, enfim, governos que respeitam e que a respeitam, e que realmente se esforçam para protegê-la. ”

Vida Real: “Pelo menos 10 milhões de trabalhadores contribuintes, ajudavam a pagar os gastos da “Bolsa Família”, hoje estão desempregados.

Dilma 2015: “Sou ex-opositora de um regime de força que provocou em mim dor e me deixou cicatrizes, mas não tenho nenhum revanchismo. Mas este processo jamais destruiu em mim o sonho de viver num país democrático e a vontade de lutar e de construir este país cada vez melhor. Por isso, sempre me emociono ao dizer que eu sou uma sobrevivente. Também enfrentei doenças mas, se me permitem, quero dizer mais: pertenço a uma geração vencedora. Uma geração que viu a possibilidade da democracia no horizonte e viu ela se realizar. ”

Vida Real: “A Presidente Dilma Rousseff firmou juntamente com o Ex-Presidente Lula, a participação do Brasil, dentro do FORO DE SÃO PAULO, que trata-se da mais vasta organização política que já existiu na América Latina, na qual participam todos os governantes esquerdistas do continente. Ele reúne mais de uma centena de partidos legais e várias organizações criminosas ligadas ao narcotráfico e à indústria dos sequestros, como as Farc e o MIR chileno, todas empenhadas numa articulação estratégica comum e na busca de vantagens mútuas. O principal objetivo é transformar a América Latina numa pátria única, com regime totalitário comunista, regime este, que não deu certo em nenhum país. ”

Apenas estes dois motivos seriam suficientes para que a Presidente não fosse mais reeleita, todavia, até que surgissem dúvidas quanto a autenticidade das urnas eletrônicas, estaria tudo correto e dentro dos conformes. Apesar da Presidente Dilma e seus aliados, sempre que possível, afirmarem que foram eleitos pelas urnas e que seus votos foram legítimos, o que estamos assistindo mostra o contrário. A totalidade de manifestantes que foram às ruas em favor de Dilma Rousseff é irrisória perto daqueles que se manifestaram contra o atual governo. Sem contar, o detalhe de que os poucos que se destacaram em favor da Presidente, foram patrocinados pela CUT, Sindicatos e Organizações Sociais.

Dos 141.824.607 eleitores brasileiros, número esse divulgado no site do STE em 2014, no mínimo, apenas 13.190.830 estavam representados pelos Deputados Federais que votaram contra o impeachment no dia 17 de abril. Dos quase 10% de eleitores no ato representados, deve-se levar em conta que parte deles, não estariam de acordo com os seus representantes.

Sendo assim, ou Dilma Rousseff perdeu 80% dos seus eleitores, ou precisamos retirar as urnas eletrônicas da Smartmatic de circulação, de uma vez por todas.

Abaixo, alguns dos deputados que votaram contra o impeachment e 
os votos que os elegeram em 2014: