ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Como a Laranja Vermelha atua na redução da circunferência abdominal

Por Dra. Sylvana Braga*

São Paulo, 24 de junho de 2015
A laranja é uma das frutas mais populares entre os brasileiros e todos sabem dos seus benefícios para saúde. Originária da Sicília, nas áreas em torno do vulcão Etna, a laranja vermelha, ainda é pouco conhecida por aqui, mas é rica em vitamina C, um excelente oxidante.

A fruta que é semelhante ao grapefruit possui flavonoides e antocianinas, substâncias que têm como principal característica a diminuição do tamanho da célula gordurosa. Além disso, elevam a sensibilidade à insulina, metabolizando o açúcar circulante no sangue de forma mais eficiente. Ao mesmo tempo, reduz o triglicéride, que é a gordura que se encontra dentro dos adipócitos e, por conseguinte o colesterol total.

Os polifenóis do extrato da laranja vermelha, chamada também de Laranja Moro, principalmente a antocianina C3G, atuam no controle do transporte da gordura para dentro dos adipócitos. Enquanto a vitamina C, também chamada de ácido ascórbico, auxilia na redução da inflamação local.
Sabe-se que para o emagrecimento é necessário que aconteça a redução do volume de gordura corporal. A célula gordurosa funciona como uma glândula que se multiplica e fica sedenta de carboidratos circulantes.

Há nos obesos uma grande quantidade de células gordurosas e uma diminuição da saciedade. A satisfação é estimulada por um hormônio chamado leptina, entretanto, nestes pacientes a produção é grande, mas de baixa qualidade.

É importante reforçar que a redução da circunferência abdominal é fator gerador de saúde e de maior longevidade. Assim, é possível prevenir cânceres, hipertensão arterial e doenças cardíacas.

* Dra. Sylvana Braga (www.sylvanabraga.com.br) – Nutróloga, reumatóloga, fisiatra e especialista em prática ortomolecular, também autora do livro “Dieta Ortomolecular – dieta natural para emagrecimento saudável e evitar definitivamente o efeito sanfona", que traz mais de 100 receitas para se manter saudável de forma natural.

http://www.dietaortomolecular.com.br/

Roda de Conversa reúne fazedores de cultura do Amapá

Ministro da Cultura ouve reivindicações de índios, artistas, produtores e fazedores de cultura em Macapá (Foto: Lia de Paula)

Ao chegar ao Museu Sacaca, em Macapá, para uma Roda de Conversa, a Caravana da Cultura - formada pelo ministro Juca Ferreira e diversos dirigentes da pasta - foi recebida com festa por indígenas das etnias Waiãpi, Tiriyo, Kaxuwana e Apalai. Sacaca é o nome de um curandeiro afrodescendente famoso no Amapá.

A causa indígena é uma das bandeiras da atual gestão e o ministro Juca reiterou, na ocasião, seu compromisso com ela. As comunidades indígenas representadas entregaram documentos com suas reivindicações. O ministro participou do ritual chamado Avasi, em tupi-guarani, e que significa Festa do Milho.

A Roda de Conversa de Macapá reuniu representantes da dança, da música, de teatro e de vários outros segmentos artísticos, que apresentaram demandas, relataram problemas e discutiram o cenário cultural no Amapá. Além do ministro, a Caravana da Cultura contou com a presença dos secretários de Políticas Culturais (SPC), Guilherme Varella; de Articulação Institucional (SAI), Vinícius Wu; da Cidadania e da Diversidade Cultural, Ivana Bentes; da presidente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Jurema Machado; do presidente do IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus), Carlos Brandão; e ainda com representantes da Fundação Cultural Palmares e da Secretaria do Audiovisual. Na Roda de Conversa, realizada na tarde desta quinta-feira, dia 25, eles responderam a todas as perguntas dos participantes – artistas, produtores e fazedores de cultura locais.

Segundo o ministro Juca Ferreira, é preciso ampliar o acesso da região às políticas culturais. "Recebemos várias demandas. Algumas, com o atendimento já em processo, como os editais para várias áreas. O Amapá é zero de acesso à Lei Rouanet e essa é a realidade da região Norte. É preciso melhor a gestão cultural do Brasil. Vamos construindo melhoria da gestão cultural e democratizando o acesso", disse Juca.

A reivindicação comum à maioria dos fazedores de cultura é a falta de uma representação regional do Ministério no estado. "Nosso problema esbarra na questão da formação, mas, principalmente, na falta de representatividade do MinC. Precisamos do ministério perto da gente", disse o produtor cultural e presidente do Coletivo de Artistas, Produtores e Técnicos em Teatro do Amapá (CAPTTA), Washington Silva.

O historiador e produtor cultural Luan Macedo concorda com Silva. "Precisamos de um polo do Minc para captar e informar a comunidade". Já para o produtor cultural Guigo Melo a situação cultural do estado precisa de uma representação, mas o problema é mais grave. "É preciso gerenciar essa doença: a falta de valorização da cultura". Melo destaca a precariedade dos museus e a falta de uma política cultural.

Durante a Roda, a secretária da SCDC, Ivana Bentes, anunciou que no próximo dia 2 de julho o MinC lançará edital para a cultura indígena e que a inscrição poderá ser feita oralmente. Os detalhes estarão no edital. Seguindo a mesma temática, o presidente do IBRAM, Carlos Brandão, anunciou em primeira mão que o tema deste ano da Primavera de Museus será "Museus e Memórias Indígenas".

Respondendo a um questionamento, o secretário da SPC, Guilherme Varella, informou que "a Política Nacional das Artes fará um diagnóstico, que vai gerar um levantamento para fazer políticas específicas para resolver os gargalos atuais. Além disso, o ministério vai dar prioridade para a relação educação e cultura", disse Varella.

No início da noite, a Caravana seguiu para a exposição "Jango: Nossa breve história" e inauguração da nova sede da Superintendência do IPHAN no Amapá.

Veja a programação da Caravana da Cultura para a sexta-feira, dia 26 de junho:

Macapá (AP)

9h- Visita ao Museu da Fortaleza de São José de Macapá



Parintins (AM)

15h- Encontro Afroameríndio
20h- Abertura do 50° Festival Folclórico de Parintins

segunda-feira, 22 de junho de 2015

VIRADA CULTURAL 2015 ATINGIU PÚBLICO DIVERSIFICADO COM SUCESSO


DA CULTURA POPULAR À MÚSICA ERUDITA, DIVERSIDADE DE PROGRAMAÇÃO MARCOU A VIRADA CULTURAL 2015
Praça Julio Prestes - Show Caetano Veloso
Atividades culturais recuperam protagonismo no evento que transcorreu de forma tranquila ao longo das 24 horas

A Virada Cultural 2015 aconteceu no último final de semana, 20 e 21 de junho, em toda a cidade de São Paulo e ofereceu, durante 24 horas, mais de 1500 atrações distribuídas em cerca de 70 palcos no Centro e em todas as regiões da cidade. O clima de tranquilidade permeou o evento ao longo das 24 horas.

Nesta edição, o público conferiu shows, espetáculos teatrais, concertos e apresentações de coral, uma ampla oferta de atrações para todos os gostos e todas as idades. “Quem teve a oportunidade de circular pela cidade nos dois dias deve ter visto espetáculos maravilhosos, sob vários pontos de vista, com muita cidadania cultural também. Não eram somente artistas consagrados, que reúnem muita gente, mas também muitas manifestações de pessoas que também estão fazendo cultura, embora não sejam artistas renomados”, ressalta o secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki.

Logo na abertura do evento, essa diversidade pôde ser notada: enquanto a Orquestra Paulistana de Viola Caipira, abria as apresentações no Palco República – Arraial Inezita Barroso, às 18h, no mesmo horário, a Orquestra Sinfônica Municipal iniciava sua apresentação no Theatro Municipal de São Paulo. A homenagem à Inezita Barroso ocupou toda a Praça da República com atrações temáticas e comida típica.


Além desta, outra homenagem especial foi feita nesta edição: na avenida São João recebeu ícones da Jovem Guarda que animaram a plateia formada por pessoas de todas as idades. No domingo, às 10h da manhã, o tremendão Erasmo Carlos emendou sucessos em sua apresentação, entre eles, Mesmo que seja eu e Mulher. “A Virada Cultural é o evento mais espetacular do Brasil. Estou muito feliz completando 53 anos de estrada nesse palco”, ressaltou ele. Mais tarde, às 16h, a cantora Wanderléa, se emocionou com a plateia, que a acompanhou cantados músicas como Ternura. “O show foi emocionante, o público inteiro cantando comigo, a avenida São João lotada numa tarde ensolarada de ternura e muito rock n'roll. Inesquecível! Agradeço a todos pela vibração maravilhosa”, disse ela após o show em sua página oficial no Facebook”.

O Theatro Municipal de São Paulo teve todas as sessões cheias para conferir apresentações de artistas como Ira! e Fafá de Belém, Alaíde Costa e Arismar, Hermeto e Nenê interpretarem discos clássicos e reviver encontros musicais que não aconteciam há anos.

O palco da avenida Rio Branco recebeu o heavy metal e na homenagem a Percy Weiss, o músico Simbas, que esteve afastado dos palcos por pelo menos 30 anos, subiu ao palco e interpretou músicas do Made in Brazil como Anjo da Guarda e Aquarela do Brasil, de Ary Barroso. Robertinho do Recife, que passou por este palco, cantou seu disco dos anos 1980, quando ele atravessou a sua fase metal.

No palco dedicado aos musicais, na Praça Princesa Isabel, uma das novidades desta edição, a apresentação de Tiago Abravanel cantando Tim Maia atraiu grande público, que ficou para conferir, na sequência, à meia-noite, a montagem Rita Lee Mora ao lado, que tem a atriz Mel Lisboa no papel da protagonista.

O palco da dança montado novamente na Praça das Artes ofereceu conforto ao público, que compareceu ao longo das 24 horas e assistiu às apresentações em cadeiras distribuídas pelo vão livre do local. No Palco Cabaré, aconteceu o concurso Rainha da Virada - Batalha das Drags, que teve em terceiro lugar a drag Dana, em segundo Dafne e a grande vencedora foi Makayla.

Os corais, que reuniram cerca de 2.000 vozes, estiveram distribuídos pela cidade em locais como o Cemitério da Consolação, Mosteiro de São Bento, Praça das Artes, no Salão dos Arcos do Theatro Municipal de São Paulo. Ao meio-dia do domingo, houve um abraço simbólico no entorno do Theatro que contou com a participação de João Bosco. O conjunto interpretou a música O Bêbado e o Equilibrista, de autoria do cantor e compositor.

A Viradinha, um dos grandes sucessos desta edição, aconteceu desta vez no entorno da Biblioteca Monteiro Lobato e foi um grande programa familiar. No local, além das apresentações dos grupos Beatles para Crianças e Palavra Cantada, que receberam milhares de crianças acompanhados de seus pais, havia brinquedos como pula-pulas e oficinas. O secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki, avalia para o próximo ano a ampliação da Viradinha para outras regiões da cidade. “Vamos estudar formas de distribuir melhor a Viradinha, por toda a cidade, para que crianças de todas as regiões possam aproveitar”, adiantou ele.

O palco Júlio Prestes, o maior do evento, abriu em clima de carnaval com o show do grupo Monobloco. A cantora Daniela Mercury se apresentou na sequência, com uma homenagem aos 30 anos do axé. A cantora Marcia Castro, convidada de Daniela, cantou sucessos do axé como A Roda, de Sara Jane. Na madrugada, o cantor Fábio Jr. desfilou seu repertório romântico e mais tarde, Edson Gomes, um dos expoentes do reggae brasileiro, subiu ao palco às seis de manhã e animou a plateia com clássicos do reggae. No mesmo palco, aconteceu o encerramento do evento no domingo, 21, às 18h, com apresentação do cantor Caetano Veloso no Palco Júlio Prestes. Ele revelou que estava ansioso pelo bis da sua mais recente turnê mundial. “É bom estar em São Paulo, estava louco pra chegar. É o fechamento do ‘abraçaço’, desta longa turnê do ‘Abraçaço’, e fechar na Virada Cultural de São Paulo é o melhor pra mim”. O show terminou por volta das 19h30 do domingo, dia 21.




Na praça Dom José Gaspar no Piano na Praça, o encontro com a música erudita e clássica foi entoada por Adylson Godoy (autor do projeto), Nelson Ayres, Lincoln Antonio, João Carlos Assis Brasil, Zé Celso, Tiago Costa, Clara Sverner, João Leopoldo, Fábio Torres, Vitor Araújo, Claudio Dauesberg, Eudóxia de Barros e Gilson Peranzetta.


quinta-feira, 11 de junho de 2015

Especialistas da Serasa Experian dão dicas para as lojas virtuais aumentarem as vendas no Dia dos Namorados

Controle, políticas de preços, atendimento, marketing e segurança: saiba como impulsionar os negócios em uma das principais datas do ano para o comércio


São Paulo, 8 de junho de 2015 - O Dia dos Namorados, que será comemorado em 12 de junho, é uma das principais datas comemorativas para o comércio no Brasil. Em um cenário em que os consumidores estão mais cautelosos, diante do quadro atual de inflação, juros altos e desemprego em ascensão, estar preparado para chamar a atenção do cliente é essencial.


Como nessa ocasião muitos consumidores recorrem a internet para encontrar o melhor presente para o seu par, os especialistas da Serasa Experian prepararam uma lista de dicas para que as empresas de e-commerce impulsionarem o faturamento nesta data, sem esquecer da segurança. “Toneladas de e-mails e mensagens atolam as caixas de entrada das pessoas na época de datas comemorativas. Mas isso não basta. É necessário ter planejamento, segurança e usar técnicas de diferenciação para atrair e agradar clientes em potencial e evitar prejuízos”, explica Juliana Azuma, superintendente de Marketing Services da Serasa Experian. 


Confira as dicas abaixo:


Política de preço: Fator extremamente preponderante para a decisão de compras, o e-commerce precisa focar no valor do produto para ter sucesso no Dia dos Namorados. Com uma solução de precificação inteligente é possível monitorar a concorrência e ter insights sobre as melhores oportunidades de subir ou baixar os preços. 

Controle interno: Gerenciar vendas e estoque são requisitos primordiais para definir promoções e não perder oportunidades de negócios. Para isso, conte com um bom software de gestão e sistema de backoffice.

Atendimento multicanal: Ter um bom relacionamento com o consumidor é essencial. Para isso, é imprescindível estar presente em diversos canais para atender o cliente da forma que ele precisar.

Segmente e personalize: O cliente quer customização na hora de receber um e-mail marketing. Então jamais erre o nome dele. Além disso, cuidado para não oferecer produtos inadequados para aquele consumidor.

Conecte-se às redes sociais: os botões de compartilhamento e likes podem aumentar a taxa de cliques nas ofertas enviadas por email em relação às mensagens que não possuem. Pode parecer uma dica óbvia, mas deve ser sempre levada em conta no momento de criar uma nova peça para e-mail marketing.

Marketing digital: Não basta apenas montar uma boa estratégia de preço, tecnologia de ponta e canais de atendimento, é preciso trazer o cliente para dentro de casa. Invista em posicionamento, SEO, links patrocinados, redes sociais e e-mail marketing e aumente a chance de sucesso de vendas.

Blindagem de segurança: Independentemente do porte do comércio eletrônico, é importante utilizar um certificado digital de servidor para garantir que os dados inseridos na transação (como número do cartão, por exemplo) sejam protegidos por protocolos de segurança SSL (Secure Sockets Layer), que estabelecem uma conexão criptografada na transmissão das informações do consumidor. Lojas que possuem este certificado podem ser identificadas, pois têm o http do endereço acompanhado de um “s” no final (https). Há ainda certificados que ativam um destaque em verde na barra do navegador, sendo facilmente reconhecido pelo visitante do site. Um ambiente seguro gera menos interesse de fraudadores e mais confiança do consumidor.

Anti-fraude: estudo feito pela Serasa Experian apontou que a maioria das fraudes no comércio eletrônico ocorrem durante a madrugada, entre 1 hora e 5 horas da manhã. Por isso, instituir o boleto como única forma de pagamento neste período diminui a chance da loja ser vítima de golpes.

CPF não basta: No e-commerce, não basta avaliar o risco de fraude apenas com a consulta ao CPF utilizado na compra. É preciso levar em conta outros fatores como o dispositivo utilizado pelo comprador (computador, tablet, smartphone ou TV), cidade, estado e até país de onde vem a compra. Para isso, há ferramentas antifraude específicas que criam regras capazes de apontar fatores suspeitos como, por exemplo, o uso de sites de tradução para realização da compra, que pode indicar fraude internacional. A ferramenta emite um alerta quando o comportamento suspeito é identificado

Saiba mais em: https://marketing.serasaexperian.com.br/



quarta-feira, 10 de junho de 2015

Dia dos Namorados movimentará R$ 42 milhões em motéis de todo o Brasil‏

Para a Associação Brasileira de Motéis (ABMOTÉIS), manter o faturamento igual ao de 2014 no Dia dos Namorados será um grande feito, já que a margem foi corroída pelos aumentos de água, energia, IPTU, entre outros itens. “O ticket médio gasto vem em queda desde o começo do ano. Entretanto, temos criado parcerias que permitem a reserva de pacotes diferenciados durante toda a semana dos namorados em motéis”, afirmaHumberto Sammarco, diretor da ABMOTÉIS.

De acordo com a ABMOTÉIS ainda não há dados estatísticos sobre o valor médio gasto pelos brasileiros nos motéis. O órgão atesta que é notória a margem de crescimento nos últimos anos. No Brasil existem aproximadamente 5 mil motéis que movimentam R$ 4 bilhões por ano. Para 2015, o setor deve crescer 20% em faturamento com alta de 15% do número de clientes.

A estimativa da associação é que a data movimente este ano R$ 42 milhões em todo o Brasil. Isso representaria um aumento de 20% em relação ao dia dos namorados do ano passado. O aumento da frequência de casais no dia dos namorados gira em torno de 30%.

“O segmento moteleiro está otimista para a movimentação nesta data. Esperamos atrair milhares de casais para comemorarem o Dia dos Namorados nos motéis”, declara o presidente da ABMOTÉIS, Eusébio Ribeirinha.

Sobre a ABMOTÉIS

A Associação Brasileira de Motéis (ABMOTÉIS), presidida por Eusébio Ribeirinha, é uma entidade sem fins lucrativos que representa os motéis de todo o Brasil. Criada em setembro de 2012, surgiu baseada na Associação Paulista de Motéis (APAM) e da necessidade de profissionalização do setor moteleiro, que está em uma nova fase, focando na modernização do conceito e alta qualidade. Reúne representantes de 16 estados mais Distrito Federal na sua Diretoria e mais de 700 motéis associados em todo o País. Em 2015, o foco da entidade é aprimorar a imagem dos motéis junto à população e consolidar sua representatividade junto aos órgãos públicos e políticos. Para isso, vem trabalhando na capacitação da mão de obra do setor, organizando palestras e treinamentos destinados aos funcionários e proprietários de motéis. O lema de trabalho é “Motel como meio de Hospedagem com qualidade e serviços de hotelaria”. Mais informações: http://www.abmoteis.com.br.


Sugestão para o Dia dos Namorados


sábado, 6 de junho de 2015

Parada LGBT gera movimento extra a hotéis e restaurantes de São Paulo

O evento é um dos que mais atrai turistas para a capital, acrescentando R$ 400 milhões à economia da cidade


Fernanda de Lima e Pedro Fideles

No próximo domingo (7) será realizada a 19ª edição da Parada do orgulho LGBT de São Paulo. O evento é o segundo que mais atrai turistas para a capital paulista e tem como objetivo mobilizar a população sobre os direitos civis de lésbicas, gays, bissexuais e travestis. A presidente da Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes, Marta Dalla Chiesa, afirma que a Parada LGBT de São Paulo movimenta, em média, R$ 400 milhões na economia da capital paulista, sendo comparada apenas ao Grande Prêmio de Fórmula 1.

Os restaurantes, as saunas e os hotéis são os mais beneficiados pelo evento. Segundo o site de reservas de meios de hospedagens, Hoteis.com, a demanda aumentou 43,2% nesta semana. Viajantes dos Estados Unidos, Taiwan, Japão, Canadá, Coréia do Sul, México e Argentina lideraram a lista de nacionalidades que realizaram contato com os hotéis paulistas.


A Parada LGBT de 2012 reuniu mais de quatro milhões de pessoas, dos quais cerca de 650 mil eram turistas - e 15 mil vieram de outros países, de acordo com a última pesquisa do Observatório de Turismo de Eventos (núcleo de estudos e pesquisas da SPTuris). Entre os estrangeiros, a maioria foram peruanos, norte-americanos, holandeses e argentinos. Ainda de acordo com o levantamento, o gasto médio, em três dias, foi de R$ 1.272.

Além de receber o evento, São Paulo conta com 80 locais amigáveis ao público, chamados gay friendly, sendo o quarto melhor destino gay do mundo, segundo o GayCities, um site americano que monitora os principais destinos LGBT. Entre os locais que a capital paulista oferece a este público estão bares, restaurantes, cafeterias, casas noturnas. No geral, estes estabelecimentos se localizam nas regiões da Paulista, Pinheiros e no Centro. Neste ano, o tema da parada será “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim: respeitem-me!”. O evento terá 18 trios elétricos e personalidades.

O Ministério do Turismo tem incentivado e realizado ações para o desenvolvimento do segmento LGBT. Durante a Copa do Mundo foram distribuídos mais de 350 mil folhetos de orientação com procedimentos para o enfretamento de exploração sexual de crianças e adolescentes LGBT. No período anterior à Copa já haviam sido distribuídos mais de 300 mil peças de matérias de divulgação.




Brasil assina Carta de Milão


Documento internacional convida cidadãos, associações, empresas e instituições a assumir
a sua responsabilidade em garantir que as gerações futuras possam desfrutar do direito
à alimentação. Ministra Tereza Campello firmou apoio ao texto nessa quinta-feira (4)

Milão (Itália), 5 – “Hoje eu assino a Carta de Milão porque ela fornece um ponto estratégico para a luta contra a fome e a pobreza: a comida é um direito de todos”, afirmou nessa quinta-feira (4) a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. O documento foi assinado no encerramento do Seminário Internacional Políticas Sociais para o Desenvolvimento – Edição Especial “Brasil: Superar a Fome é Possível”, no Pavilhão Brasil, na Expo Milão 2015.




























Desenvolvimento sustentável, fomento à agricultura responsável, redução de desigualdades nas áreas urbanas e o respeito à identidade sociocultural que o alimento fornece são os quatro pontos centrais da Carta de Milão. “É necessário que os governos e as empresas trabalhem em conjunto para desenvolver políticas públicas que garantam esse direito”, explicou a ministra.

Desde 2002, o Brasil reduziu em 82,1% o número de subalimentados, como resultado de um conjunto de políticas de aumento da renda, fortalecimento da agricultura familiar e do Programa Nacional de Merenda Escolar, que fornece alimentação a 43 milhões de crianças e jovens em escolas públicas no país. “O grande mérito da superação da fome no Brasil é que o combate à subalimentação deixou de ser uma questão filantrópica para ser o centro das políticas públicas”, destaca Tereza Campello.

Produção – O Brasil aumentou a oferta de alimentos graças ao fortalecimento da agricultura familiar, responsável pela maior parte do que é consumido no país. Dados da FAO mostram o aumento de 10% da oferta de calorias no país em 10 anos. Em média, a disponibilidade diária de calorias passou de 2.900 para 3.190, entre 2002 e 2013.

Por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), os agricultores familiares brasileiros aprendem a planejar a produção, regularizar o fornecimento e garantir a qualidade dos alimentos produzidos. No ano passado, o governo federal investiu R$ 536,5 milhões na compra de 291 mil toneladas de alimentos de mais de 100 mil agricultores familiares. 




Foto: Annalisa Volse-Bruxelas

Ministra Tereza Campello e presidente da FAO, José Graziano, debatem resultados do Brasil no combate à fome e à pobreza, na ExpoMilão 2015
Outra estratégia para melhorar a produtividade da agricultura familiar é por meio do Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais, que alia os serviços de assistência técnica e extensão rural a transferência de recursos não reembolsáveis. Em todo o país, mais de 345 mil agricultores familiares já estão com assistência técnica garantida. Destes, 171 mil já passaram por todo o processo de assistência técnica e já receberam os recursos financeiros do programa.

Outra ação que apoiou o resultado positivo do Brasil foi o crescimento da merenda escolar. Por dia, 43 milhões de alunos de escolas públicas recebem refeições, um número maior que toda a população da Argentina. “Hoje temos a primeira geração de brasileiros que não vivenciou a tragédia da fome e que está na escola”, reforça a ministra Tereza Campello.

Renda – Em 12 anos de existência, o Bolsa Família modificou drasticamente a fotografia da população brasileira. Atualmente, 50 milhões de brasileiros (13,7 milhões de famílias) recebem o benefício, que tem valor médio mensal de R$ 167.

As famílias que recebem a complementação da renda assumem o compromisso de cumprir o calendário de vacinação, de fazer o acompanhamento do desenvolvimento na fase de crescimento das crianças e ainda de garantir um mínimo de 75% de frequência escolar.

Um avanço importante com o programa foi a redução da chamada desnutrição crônica, medida pelo aumento da estatura das crianças. O déficit de estatura média das crianças beneficiárias acompanhadas nas condicionalidades de saúde caiu pela metade (51%) em quatro anos, no período de 2008 a 2012.


























Outro estudo publicado em 2013 na revista The Lancet destaca que esta ação, associada ao crescimento do Programa Saúde na Família, reduziu a mortalidade infantil em 19,4% entre os anos de 2004 e 2009. Segundo o estudo, a redução da mortalidade por causas relacionadas à pobreza é ainda maior: 46% de redução da mortalidade por diarreia e 58%, por desnutrição.

Convivência com a seca – Uma das ênfases que o governo federal teve em suas políticas sociais é voltada ao Semiárido, que é caracterizado por períodos curtos e concentrados de chuvas e por outros mais longos de estiagem. Por este motivo, o acesso à água de qualidade e em quantidade suficiente para viver de forma digna é um desafio para quem mora na região.

Para garantir melhores condições de vida para os moradores, são realizadas políticas públicas estruturantes, com base em um novo paradigma de convivênc ia com a seca. Desde 2003, o governo federal já construiu 1,2 milhão de cisternas para captação da água da chuva e consumo humano durante a estiagem, mais de 120 mil tecnologias sociais para captação e armazenamento de água utilizada na produção de alimentos e 980 cisternas em escolas do meio rural da região.

Outra perspectiva importante na região é garantir que os produtores tenham acesso a sementes de qualidade e adaptadas ao Semiárido. Para isto, até fevereiro de 2016, o MDS vai investir R$ 21 milhões na construção de 600 bancos comunitários de sementes crioulas, para beneficiar pelo menos 12 mil famílias de agricultores.

Brasil Sem Miséria

Criado em 2011, o Plano Brasil Sem Miséria é uma evolução das políticas sociais que estavam sendo implantadas desde 2003. Por meio dele, foram articulados diversos programas e iniciativas para, em curto espaço de tempo e com medidas de alto impacto, escala e abrangência nacional, alterar a situação das famílias extremamente pobres.

Com o plano, 22 milhões de pessoas superaram a extrema pobreza a partir de inovações feitas no Bolsa Família, 1,4 milhão de famílias foram incluídas no Cadastro Único pela Busca Ativa e já saíram da extrema pobreza, 1,8 milhão de pessoas de baixa renda se inscreveram em cursos de qualificação profissional, 354 mil agricultores receberam Assistência Técnica e melhoraram de renda, entre outros importantes resultados.

Com mais de 100 programas e ações, mudou e acelerou o curso das políticas sociais no país, ao definir uma linha de extrema pobreza e estabelecer metas de universalização das políticas voltadas para a pobreza. Além disso, construiu um novo conceito: o Estado deveria ir aonde a população pobre estava. Para isso, foi criada a Busca Ativa, com a responsabilidade de localizar, cadastrar e incluir as famílias no conjunto de ações do plano.

No final de 2014, todos os prazos e metas foram cumpridos; muitos, superados. Hoje, o Brasil é um dos poucos países em desenvolvimento no mundo que tem um patamar social garantido e estabelecido por política pública

Artigo do ministro Juca Ferreira publicado no jornal A Tribuna, de Santos (SP), no dia 01 de junho de 2015.

Ministro da Educação Juca Ferreira

A cultura não é a cereja do bolo. No mundo contemporâneo é uma dimensão central do desenvolvimento. Nesta nova fase à frente do Ministério da Cultura, estou disposto a estruturar políticas públicas que impulsionem aeconomia da cultura em nosso País. Para realizar esse objetivo é preciso trabalhar pelo desenvolvimento regional, considerando as vocações específicas de cada localidade. Tenho promovido caravanas pelo Brasil em busca de estabelecer contato com artistas, produtores e gestores culturais justamente para começarmos a identificar essas vocações e constituirmos novos pactos e parcerias. É para isso que irei à Baixada Santista amanhã. Minha visita começará pelo Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), um projeto que começou durante minha passagem anterior pelo MinC, dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Depois de nosso governo promover a mais importante inclusão econômica e social da história brasileira, identificamos a necessidade de investir com vigor no acesso à cultura. A região noroeste de Santos foi uma das beneficiadas com um CEU das Artes. A obra começou há cerca de um ano e neste mês liberamos os recursos adicionais para que a prefeitura possa continuá-la. Apesar do ajuste fiscal e dos consequentes cortes orçamentários, estamos garantindo prioridade para a conclusão dessa importante obra.

Também visitarei um dos mais bem-sucedidos Pontos de Cultura de que temos notícia. Hoje uma Lei Federal, o programa Cultura Viva, reconhece e premia grupos culturais que passam a receber recursos para a manutenção de suas atividades e um kit multimídia com equipamentos digitais e conexão à internet, garantindo assim que possam produzir conteúdos e os distribuírem pela rede. A Baixada Santista possui vários Pontos de Cultura. Entre eles, o projeto Arte no Dique, que mantém um centro cultural nas imediações de um bairro de casas de palafitas. Há mais de dez anos na Cidade, o projeto faz um fundamental trabalho de inclusão social e cultural. Muitos Pontos deCultura viveram dificuldades em função de problemas com as gestões anteriores, por isso aproveito a ocasião para reafirmar nosso compromisso com a retomada e fortalecimento do programa. Encerrarei a visita a Santos no Theatro Guarany, patrimônio histórico restaurado com apoio do ministério. Nele, realizaremos um diálogo aberto a artistas, produtores e gestores dispostos a apresentarem suas demandas e em conhecer nosso planejamento.

A Baixada Santista alia memória e invenção. Seus prédios nos contam sobre o período colonial, o ciclo da imigração, o apogeu do café e a inventividade dos modernos. A memória de seus quilombos nos ajuda a preservar a tradição ancestral do povo negro. No corpo do Porto mais movimentado do- País reside parte da história da cultura do trabalhador, que construiu o Brasil nos braços da estiva e nas lutas de resistência. Porto esse que também é uma ponte para nossa terra e nos trouxe povos que adubaram a nossa singular miscigenação. Já nos escritos de Pagu, nas peças de Plínio Marcos, na música do maestro Gilberto Mendes, nos inventos do frade Bartolomeu de Gusmão, a Baixada nos apresenta sua face libertária e imprevisível. A mesma face que se desvela na ginga de Pelé, Pepe, Coutinho, Robinho e Neymar, maestros do futebol-arte, nosso orgulho nacional. Por tudo isso, considero a região de Santos essencial para o nosso desenvolvimento cultural.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Vamos brincar de inventar novas línguas na Casa das Rosas?


Você sabe como surgiu a inspiração para a música Circuladô de Fulô, na voz de Caetano Veloso? Na verdade, a letra é um trecho de Galáxias, de ‪Haroldo de Campos. Mas, se você quer aprender mais sobre criação de palavras, aproveite e participe da oficina de carimbos INVENTALÍNGUA, na Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. O museu que pertence à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e é gerenciada pela POIESIS Instituto de Apoio à Cultura.


A oficina, programada para dia 6 de junho, às 15h, será realizada por Isadora Ferraz, em parceria com o Centro de Referência Haroldo de Campos e o Núcleo Educativo da Casa das Rosas. Interessados e aqueles que desejarem aproximar seus filhos do universo literário, terão a oportunidade de se inscrever e descobrir os significados por trás de textos, como o do poemaJaguadarte, de Lewis Carroll, traduzido por Augusto de Campos.


As inscrições, para adultos e crianças a partir de 10 anos, podem ser feitas pelo e-mail educativo@casadasrosas.org.br ou na Recepção da Casa das Rosas. São oferecidas 15 vagas.


Isadora Ferraz é graduada em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (2009). Participou da coletiva VERSO, sob curadoria de Edith Derdyk (SESC Pinheiros, São Paulo, 2013) e atualmente oferece oficinas de desenho e gravura em espaços culturais.


Serviço:
Oficina Inventalíngua
Sábado, 6 de junho, às 15h
Inscrições pelo e-mail educativo@casadasrosas.org.br ou na Recepção da Casa das Rosas


Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura
Avenida Paulista, 37 – próximo à Estação Brigadeiro do Metrô.
Horário de funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h;
Domingos e feriados, das 10h às 18h.
Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados).
Tel.: (11) 3285-6986 / (11) 3288-9447.
Site: www.casadasrosas.org.br
Twitter: www.twitter.com/casadasrosas
Facebook: www.facebook.com/casadasrosas
Instagram: www.instagram.com/casadasrosas