sábado, 19 de março de 2011

CNI vê em acordo com EUA caminho na solução de pendências bilaterais

Barack Obama durante seu discurso na Cupula Empresarial
Brasil-Estados Unidos. Foto: José Paulo Lacerda
O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, viu na criação da Comissão Brasil-Estados Unidos para Relações Econômicas e Comerciais, um dos dez acordos firmados entre os dois países neste sábado, 19.03, um instrumento importante na solução de pendências bilaterais.

“Este acordo vai permitir, de forma acertada, firme, que se resolvam questões para evitar a bitributação e barreiras técnicas e sanitárias no comércio bilateral”, afirmou o presidente da CNI.

A declaração foi dada no Centro de Convenções Brasil 21, em Brasília, logo após o presidente norte-americano Barack Obama haver encerrado a Cúpula Empresarial Brasil-Estados Unidos, promovida pela CNI, Câmara Americana de Comércio e Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos.


Presidente da CNI , Robson Braga de Andrade . Foto: Miguel Ângelo
 Robson Braga de Andradedisse que a participação de Obama na Cúpula Empresarial “é uma sinalização clara de que os Estados Unidos vêem o Brasil hoje como um grande aliado, não só econômico, como também político”.

Diante do destaque dado pelo presidente americano às exportações dos EUA para o Brasil, o presidente da CNI ressaltou ser preciso reverter o déficit da balança comercial bilateral, que atingiu US$ 8 bilhões em 2010 e pode quase dobrar este ano. “Nossa missão, como empresários brasileiros, é mudar este perfil”, assinalou.

* CNI