ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

domingo, 20 de junho de 2010

Hospital Amaral Carvalho é líder na realização de transplantes alogênicos de medula óssea

Foto: Bruna Oliveira/ Assessoria de Imprensa HAC
Crianças na Casa de Apoio Infantil do TMO: apoio do HAC antes, durante e depois do procedimento

Dados do Sistema Nacional de Transplantes de Órgãos mostram que o Hospital Amaral Carvalho de Jaú, referência no tratamento e combate ao câncer, é um dos que mais realiza transplantes de medula óssea no Brasil. Em 2009, o serviço da instituição foi o que mais fez transplantes alogênicos de medula óssea no país: 127 procedimentos. Além deste número, outros 50 transplantes autólogos de menor complexidade ocorreram no hospital jauense.
"O HAC dedica-se prioritariamente a realização do TMO alogênico, modalidade que determina a necessidade de presença de doador em nosso serviço, em geral familiar, o que ocorre em 75% dos casos", diz o médico hematologista Vergílio Antonio Rensi Colturato, da unidade de TMO do HAC.
Na falta de doadores do próprio grupo familiar há necessidade de um doador voluntário não-aparentado, a maior parte proveniente do Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (Redome), que hoje conta com mais de 1 milhão e 100 mil doadores. Quando necessário, é utilizada medula óssea proveniente de doadores voluntários de registros internacionais. "Além disso, na Unidade de TMO do Hospital Amaral Carvalho tem se verificado a utilização com maior frequência de sangue de cordão umbilical placentário, principalmente em crianças. Mesmo assim, muitos pacientes que necessitam do procedimento acabam não encontrando um doador compatível, sugerindo que o esforço que tem sido feito com sucesso em aumentar o número de doadores voluntários no Redome seja mantido", esclarece dr. Vergílio.
A eficiência do serviço tem sido comprovada pelos bons resultados a médio e longo prazo, observados principalmente nas curvas de sobrevida favoráveis e superponíveis a experiência de grandes centros internacionais.
Hoje o serviço do HAC é referência nacional, e já transplantou pacientes de praticamente todos os estados brasileiros. "A complexidade do procedimento alogênico fica clara quando entendemos que nesta modalidade de transplante a imunidade do paciente é substituída por um novo sistema imunológico, fato este que contribui para o controle ou erradicação da doença em questão, mas pode trazer complicações clínicas importantes. Isso determina a oferta constante de cuidado especializado aos pacientes, principalmente nos primeiros seis meses do procedimento", esclarece o médico.
Contribui para obtenção de bons resultados o empenho e especialização de toda a equipe multidisciplinar. O importante apoio institucional e a necessária retaguarda social ofertada pela Fundação Amaral Carvalho, de acordo com dr. Vergílio, são elementos vitais para a obtenção de resultados positivos.
Com a recente ampliação da unidade de TMO, obtida com recursos provenientes da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, o HAC espera um aumento no número de procedimentos em até 25%. "Fato este que contribui para que a instituição possa consolidar cada vez mais a sua vocação e missão assistencial beneficiando a um número maior de pacientes, muitos carentes, que são encaminhados para a unidade de TMO do Hospital Amaral Carvalho", finaliza o médico.