ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

sábado, 22 de maio de 2010

“Texfair 2010” comemora sucesso

Evento recebeu a visita de compradores de 31 países e de todos os estados do Brasil
O SINTEX – Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau comemora o sucesso da 11.ª “Texfair - Feira Internacional da Indústria Têxtil”, que aconteceu entre os dias 18 e 21 de maio, no Parque Vila Germânica, em Blumenau (SC), apresentando os lançamentos das coleções de primavera-verão 2010/2011 de 200 empresas que representam cerca de 400 marcas nos segmentos de malharia, vestuário, cama, mesa, banho e decoração. O evento teve uma visitação qualificada de 22.498 lojistas de todos os estados brasileiros e de 31 países.
A “Texfair 2010” foi visitada por compradores dos seguintes países: Alemanha, Angola, Arábia Saudita, Argentina, Bolívia, Cabo Verde, Chile, China, Cingapura, Equador, Espanha, Estados Unidos, Guatemala, Holanda, Hong Kong, Inglaterra, Itália, Japão, México, Panamá, Paquistão, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, Rússia, Síria, Suécia, Suíça, Turquia e Uruguai.

Estandes criativos, modernos, ecológicos e interativos chamaram a atenção do público, destacando a exposição dos produtos e dos conceitos das coleções e marcas, evidenciando o otimismo da indústria.

Uma das principais tendências verificadas no evento foi a da Sustentabilidade com produtos que respeitam o meio ambiente em sua fabricação e que incentivam o consumo consciente por parte do consumidor. A Altenburg, por exemplo, montou um estande eco-friendly e sinalizou o processo de fabricação de peças em malha PET, informando inclusive a quantidade de garrafas PETs retiradas do meio ambiente na fabricação dos produtos expostos naquela vitrine.

Ulrich Kuhn, presidente do SINTEX, declara: “A edição 2010 da ‘Texfair’ superou as expectativas, mostrando o otimismo do mercado nacional”. E completa: “Recebemos a visita de uma comitiva chinesa comandada pelo vice chairman da associação de vestuário da China, Yang Donghui, que elogiou muito o evento. Além disso, as rodadas de negócios promovidas em parceria com a FIESC foram muito proveitosas, assim como os encontros dos expositores com compradores internacionais trazidos pela ABIT no programa APEX-Brasil”.

De acordo com a vice-presidente da Lepper, Gabriela Loyola, a feira superou as expectativas. “Fomos felizes na escolha de nosso estande e valeu a pena termos inovado – tudo no estande remetia ao universo cinematográfico – todos gostaram”. Apesar de não ter perfil exportador, atenderam clientes do MERCOSUL.

A Cia. Hering comemorou no evento os seus 130 anos com ações especiais como desfiles no estande.

Mario Sette, diretor comercial da Coteminas, acredita que os resultados positivos da ‘Texfair’ estão relacionados ao bom momento que o país vive, especialmente com o crescimento do varejo. Receberam clientes do Uruguai e da Argentina, além de compradores de todos os estados do Brasil.

Para a Karsten o desempenho da empresa foi um grande sucesso, contabilizando mais de 2.200 visitas entre clientes nacionais e estrangeiros, entre os quais argentinos, paraguaios, guatemaltecos, panamenhos e ingleses.
Sandra Sabbagh da Silva, da Malharia Cristina, ressaltou que recebeu muitos clientes, inclusive do exterior. “Entre os compradores brasileiros, recebemos pessoas que vieram desde o Rio Grande do Sul até Belém do Pará”, disse. Segundo ela, caso houvesse mais expositores de vestuário o sucesso da feira teria sido ainda maior.
Jamal Zoghbi, da Questão de Estilo, empresa paulista focada em jeans, a participação na ‘Texfair’ superou bastante o esperado com ótimos negócios realizados.
A GMT, que licencia roupas infantis (Barbie, Hot Wheels e Ben 10), recebeu muitos clientes novos, inclusive realizaram contatos com compradores da Argentina e do Paraguai, de acordo com Bernardo Genta, gerente comercial.
Pela primeira vez na feira, a Mil Kontos, de roupa infantil, realizou muitos contatos com novos clientes e cogita inclusive em desdobrar sua marca, pensando em atender a um público consumidor diferente.
A participação da J. Serrano, nas palavras do representante comercial Nuno Miguel Brito, foi ótima, superando as expectativas de contatos e vendas, recebendo clientes do Mercosul.
Roseli Cervelati, gerente de vendas da Corttex disse que os lançamentos da empresa foram muito bem recebidos pelos visitantes. Receberam clientes novos do Uruguai e Argentina, além de brasileiros de todas as regiões do país.
Fernando Vitor, diretor comercial da Jolitex Ternille, declara: “A participação no evento foi boa, dentro das expectativas da empresa que recebeu compradores do Brasil e também dos seguintes países: Argentina, Bolívia, Chile, Estados Unidos e Paraguai”.

Parceria com a FIESC – Programa AL Invest
As rodadas de negócios promovidas através do Projeto Comprador - Texfair do Programa AL Invest, coordenado pela FIESC, foram muito proveitosas. Foram realizadas 55 reuniões entre expositores do evento e compradores dos seguintes países: Espanha, Itália, Paraguai, Polônia, República Tcheca e Suécia. Cerca de 40 empresas participaram das rodadas.

O Programa AL Invest foi criado em 1994 pela Comissão Europeia e consiste em uma rede de operadores com a missão de facilitar e fortalecer a cooperação econômica entre a Europa e a América Latina.

Negócios Internacionais – ABIT e APEX Brasil
Como nas edições anteriores, a Texfair 2010 criou um excelente ambiente para ações de intercâmbios comerciais e tecnológicos entre expositores e compradores de vários países realizando as Rodadas de Negócios.

Números do setor têxtil

Segundo dados da ABIT – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, o setor obteve uma receita bruta em 2009 de US$ 47 bilhões, que representa um crescimento de 2,1% em relação a 2008. Para o ano de 2010, a expectativa é de que o setor atinja faturamento de US$ 50 bilhões.

Investimentos no setor: US$ 850 milhões em 2009, contra US$ 1,5 bilhão em 2008
Santa Catarina é o segundo estado no ranking nacional do PIB têxtil, com 15,49%, São Paulo é o primeiro colocado, com 31,10%.

O Brasil é o sexto maior produtor têxtil no ranking mundial. Entre os diferenciais dos produtos “made in Brazil” estão os segmentos de moda praia, jeanswear e homewear. A brasilidade e os investimentos em sustentabilidade também valorizam a nossa produção têxtil. O País é o segundo maior produtor e terceiro maior consumidor de denim do mundo.
O mercado brasileiro de indústria têxtil e confeccção possui cerca de 30 mil empresas que empregam juntas 1,65 milhão de empregados, dos quais 75% são de mão-de-obra feminina.

SINTEX
Fundado em 1952, o SINTEX tem sua história intimamente ligada ao desenvolvimento da cidade de Blumenau e da região do Vale do Itajaí (SC), integrando as indústrias de toda a cadeia têxtil e promovendo uma fértil troca de conhecimento e experiências que resulta em importantes conquistas nos planos econômico, político e social. Antecipando as necessidades para garantir maior competitividade e conquistar novos mercados, o SINTEX vem investindo na realização de feiras, congressos e eventos de expressão internacional – entre os quais se destacam a “Texfair” e a “TexPreview”-, tornando o Sindicato uma referência de inovação em gestão sindical no país. Os eventos são organizados pela Vale Feiras e Eventos, empresa contratada pelo SINTEX especialmente para este fim.

http://www.texfair.com.br/