ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

terça-feira, 6 de abril de 2010

QUAL A DIFERENÇA ENTRE MARGARINA E CREME VEGETAL?

Entre sete margarinas testadas pela PROTESTE apenas uma pode ser considerada como tal

A PROTESTE Associação de Consumidores avaliou 15 produtos: sete marcas de margarina tradicional e três light, quatro de creme vegetal tradicional e uma light, sem sabor e com sal. A maioria não tem gordura o suficiente para se denominar assim. Pela quantidade de gordura que a Associação encontrou nos produtos rotulados como margarina no país, apenas uma marca testada (entre sete) mereceria esta denominação.

A referência para normas alimentares (o Codex Alimentarius) estabelece que as margarinas devem ter no mínimo 80% de gordura total. Só que, de todas as margarinas testadas, apenas a Qualy atinge esse índice.

A forma como os produtos são identificados nas embalagens deixa os consumidores em dúvida sobre a diferença entre manteiga, margarina e creme vegetal. E uma grande questão é saber qual é a melhor opção do ponto de vista da saúde. A falta de uma definição clara para esses produtos é ruim para o consumidor.

Primeiro, se dizia que margarina era mais saudável que manteiga. Depois, viram que as margarinas eram repletas de gordura trans, e a manteiga se tornou a melhor opção, apesar da alta quantidade de gordura saturada e colesterol. Agora, reduziram os teores de gordura trans nas margarinas, e elas voltam a ser uma boa opção. Mas temos, ainda, o creme vegetal, mais indicado para dietas já que possui menos gordura.

No mercado brasileiro, creme vegetal e margarina são considerados como se fossem o mesmo produto. Os fabricantes confundem o consumidor, pois em um momento definem o produto como margarina, em outro como creme vegetal. Há até produtos ambivalentes: são "margarina" em uma parte do rótulo, "creme vegetal" em outra.

A legislação sobre margarina no Brasil está a cargo do Ministério da Agricultura, que define que o produto deve ser classificado "de acordo com o teor de lipídios totais". Mas não estipula quais seriam os teores para as classificações. Ela até estabelece um limite máximo de gorduras, mas não o mínimo.

Já a legislação a respeito de cremes vegetais está a cargo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa ) e faltam regras claras de classificação. Ou seja, o consumidor fica desorientado ao escolher os produtos disponíveis no mercado.

Não é a primeira vez que a PROTESTE alerta para o problema. E, mais uma vez, solicita a revisão de ambas as normas, para que, com a definição de teores mínimos e máximos de gordura, o consumidor saiba facilmente se está comprando margarina ou creme vegetal.

Os produtos não mentem a respeito do teor de gordura – essa informação está na embalagem e foi medida e confirmada (diferença de, no máximo, 20%). Mas, levando em conta o parâmetro internacional, elas não deveriam se autodenominar margarinas.

Com relação às gorduras trans, os produtos, em geral, melhoraram bastante desde o último teste. Após muita crítica sobre o teor elevado dessa gordura nas margarinas e nos cremes vegetais, as indústrias decidiram mudar o processo de fabricação, a fim de reduzi-lo. Muitas já conseguiram até eliminar. As que se dizem livres de gordura trans realmente o são e, quanto às demais, o máximo encontrado foi 0,4 g por porção (na Primor).

Já as gorduras poli-insaturadas são boas e importantes para a dieta. Nesse item, a PROTESTE classificou como "muito bons" os produtos que fornecem um aporte adequado. Com relação aos produtos light, eles realmente têm menos gordura, tanto total quanto saturada, do que suas versões originais. Mas há produtos tradicionais com teores até mais baixos e que custam bem menos – como o creme vegetal Soya Lanche.

As diferenças entre os produtos

Margarina – Feita principalmente à base de gordura vegetal (a mais saudável), com um pouco de gordura animal (até 3%). As com maiores teores de gordura são mais indicadas para uso culinário.

Creme vegetal – Feito apenas com gorduras vegetais, tem o teor de lipídios menor quando comparado à maioria das margarinas. Se você quer emagrecer ou simplesmente precisa reduzir a ingestão de gorduras, essa é a melhor opção para passar no pão. Mas não é recomendável para uso culinário.

Manteiga – Feita de gordura de origem animal (por ser um derivado do leite), ela é rica em gordura saturada e colesterol, por isso deve ser consumida com bastante moderação. Ela também é rica em vitamina A.