ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Mês da conscientização sobre a Doença de Parkinson

Diagnóstico precoce, tratamento adequado e informações sobre a doença auxiliam os pacientes

O Dia Mundial do Parkinsoniano foi comemorado mundialmente no último dia 11 de abril. Pensando nisso, a ABN (Academia Brasileira de Neurologia), em parceria com a farmacêutica Roche, promove, ao longo do mês de abril nas cidades de São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Brasília e Teófilo Otoni (MG), campanhas de conscientização da Doença de Parkinson (DP) que, somente no Brasil, acomete mais de 200 mil pacientes. Durante as ações, os médicos poderão tirar dúvidas dos pacientes e interagir por meio de caminhadas e mutirões em hospitais e em locais públicos.
Em São Paulo, o evento acontecerá no próximo dia 21/04, e a ação será no SESC Pompéia (Rua Clélia, 93), das 10h30 às 12h30. Estarão presentes as neurologistas Dra. Vanderci Borges e o Dr. Alexandre Machado.
“O objetivo da campanha, que está presente em 26 países (http://www.wpda.org/), é alertar a população, principalmente os idosos, sobre os sintomas e as precauções da doença”, afirma Dr. Carlos Rieder, neurologista membro da Academia Brasileira de Parkinson e coordenador da campanha. Com o envelhecimento da população - segundo o IBGE, são cerca de 30 milhões de pessoas acima dos 50 anos - o número de portadores da doença de Parkinson tende a crescer cada vez mais. Para o paciente preservar sua qualidade de vida e, principalmente, conter os principais sintomas da doença, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado ainda são as dicas mais recomendadas pelos especialistas.
A terapia ocupacional também é muito importante durante o tratamento da doença de Parkinson. Sempre respeitando os seus limites, o paciente deve trabalhar a mobilidade, coordenação e velocidades dos movimentos visando tornar-se independente funcional. Com o treinamento, as atividades passam a ser mais fáceis de serem executadas. “Atividades artísticas, como aulas de canto e pintura, ajudam o paciente a aumentar sua auto-estima. É possível, com isso, mostrar à sociedade que o portador do Parkinson tem muito a contribuir e não deve se sentir excluído”,completa o especialista.
A doença de Parkinson se desenvolve devido à redução intensa da produção de dopamina, que auxilia na realização dos movimentos voluntários do corpo de forma espontânea. A falta ou diminuição desta substância afeta os movimentos dos pacientes, causando tremores, rigidez muscular, alterações na fala e na escrita. Muitas vezes, os sintomas podem ser confundidos com os sinais da idade. Portanto, a cada situação em que o idoso apresentar dificuldades na realização de atividades cotidianas como vestir as meias, sapatos ou camisas, os familiares devem procurar um neurologista, especialista no tratamento da doença, para adquirir mais informações.
Especialistas afirmam que a enfermidade não leva à morte, não afeta outros órgãos, nem é hereditária ou contagiosa. No entanto, é crônica, progressiva e deve ser tratada. A cura ainda não é conhecida e não há teste para identificá-la.
Atualmente, a substância Levodopa é a mais utilizada e eficaz para amenizar os prejuízos causados pela doença e controlar os sintomas motores desde o início. O Prolopa® (Levodopa + Benserazida), produzido pela farmacêutica Roche, atua no cérebro e se transforma em dopamina, permitindo assim maior controle dos movimentos e amenizando os sintomas. Vale ressaltar que o medicamento está disponível em toda a rede do SUS (Sistema Único de Saúde) e que o neurologista é o especialista correto para indicar um tratamento. Para consultas e mais informações: www.dialogoroche.com.br.

Sobre a Roche

Com sede em Basiléia, na Suíça, a Roche é uma das líderes mundiais na pesquisa de produtos para a saúde, atuando fortemente e de modo combinado nas áreas farmacêutica e de diagnóstico. A Roche é a maior empresa de biotecnologia do mundo, e tem medicamentos realmente diferenciados para as áreas de oncologia, virologia, inflamação, metabolismo e SNC. Além disso, a Roche é líder mundial em diagnóstico in vitro e no diagnóstico tecidual de câncer, e pioneira no tratamento do diabetes. A estratégia de medicina personalizada da Roche tem como foco o fornecimento de medicamentos e ferramentas de diagnóstico que possibilitem melhoras tangíveis na saúde, qualidade de vida e sobrevida dos pacientes. Em 2009, a Roche tinha mais de 80.000 funcionários em todo o mundo, e investiu quase 10 bilhões de francos suíços em P&D. O Grupo registrou vendas de 49,1 bilhões de francos suíços. A Genentech, nos Estados Unidos, é uma subsidiária integral do Grupo Roche. A Roche tem participação majoritária na Chugai Pharmaceutical, do Japão. Mais informações na página: www.roche.com.br.

Serviço:
Local: SESC Pompéia, Rua Clélia, 93, São Paulo, SP.
Data: 21/04/2010
Horário: 10h30 às 12h30