ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

terça-feira, 6 de abril de 2010

Brasil lidera estudos sobre Cirurgia do Diabetes

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, há mais de 20 pesquisas em andamento em vários Estados do país; resultados preliminares apontam eficácia do procedimento no controle da doença

O Brasil figura atualmente como um dos países que mais estuda o procedimento que vem sendo denominado mundialmente como Cirurgia do Diabetes. Enquanto vários países ainda estão na fase de desenvolvimento de protocolos científicos, os cirurgiões brasileiros já vem realizando o procedimento para tratar a doença em obesos com IMC (Índice de Massa Corpórea) acima de 35, conforme regulamentação do Conselho Federal de Medicina (CFM), há pelo menos 3 anos, quando foi publicado o *Consenso de Roma. “Os resultados dos estudos são bastante promissores. É importante frisar que não se trata de uma nova técnica, conforme vem sendo comunicado à opinião pública. Identificamos que as cirurgias realizadas para obesidade promovem um controle do diabetes tipo 2 bastante eficaz. Ou seja, os procedimentos demonstraram-se mais efetivos para controle da doença metabólica do que para perda de peso”, afirma Thomas Szegö, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), segunda maior associação da especialidade no mundo com quase 1000 filiados.

Três tipos de cirurgia são comprovadas como eficientes no controle do diabetes: a banda gástrica ajustável, o by-pass gástrico e as derivações bilio-pancreáticas. As técnicas que criam um atalho para o alimento, que é desviado do duodeno e chega antes à parte final do intestino, alteram a secreção de alguns hormônios intestinais, como p.e o GLP-1, cujo aumento estimula a produção de insulina, resultando na melhora ou até mesmo no controle do diabetes tipo 2.

Segundo Dr. Szego, os bons resultados da cirurgia para o controle do diabetes tipo 2 devem-se, basicamente, a dois fatores: a perda de peso do paciente e, principalmente, a alterações hormonais. “Ficou cientificamente comprovado que com estas técnicasconseguimos controlar o diabetes da grande maioria dos pacientes”, afirma o presidente da SBCBM.

No início pensava-se que o controle da doença era consequência apenas do emagrecimento do paciente, porém os índices ligados a diabetes eram normalizados poucos dias após a cirurgia, antes que houvesse uma perda significativa de peso. Portanto, concluiu-se que a alteração hormonal também tem um papel fundamental no êxito do tratamento.

No final do ano de 2009, a SBCBM divulgou o posicionamento oficial da instituição sobre a eficácia da cirurgia bariátrica no controle do diabetes tipo 2. Baseado em evidências científicas, o documento foi assinado com as sociedades americana de diabetes e de cirurgia bariátrica e foi publicado na revista “American Journal of Surgery”.

A cirurgia pode ser indicada no tratamento de pacientes diabéticos tipo 2, com IMC acima de 35. Ainda está em estudo pelo CFM a liberação do procedimento para pacientes com IMC entre 30 e 35. Para pacientes com o IMC abaixo de 30 a cirurgia ainda não é indicada, porém o Brasil desponta como o país que mais investe em estudos para adaptar o método que irá beneficiar pacientes não obesos.

Consenso de Roma

* Resultado de uma discussão que ocorreu durante o Diabetes Surgery Summit, realizado em Roma, em 2007, foi publicado um consenso similar ao apresentado pela SBCBM na publicação “Annals of Surgery”. O documento foi assinado por 22 associações médicas e científicas.

Para os autores, o texto se baseia em evidências que mostram que a cirurgia pode controlar o diabetes em obesos mórbidos mesmo antes de uma perda de peso significativa. Eles ressaltam a importância da segurança do paciente, mas legitimam a cirurgia como alternativa para diabéticos tipo 2.

Levantamento Internacional aponta controle do diabetes em cerca de 80% dos pacientes

Um estudo realizado pela Universidade de Minessota , nos Estados Unidos, e publicado no ano passado pela Revista The American Journal of Medicine analisou 621 estudos realizados entre 1990 e 2006 de vários Países, com mais de 135 mil pacientes que se submeteram a cirurgia bariátrica e descobriram que cerca de 80% dos pacientes controlaram completamente o diabetes tipo 2.

Henry Buchwald, do Departamento de Cirurgia da Universidade de Minnesota, explica que a revisão e a análise "demonstraram que a cirurgia bariátrica tem um poderoso efeito em pessoas com obesidade mórbida e diabetes tipo 2". O médico acrescentou que em cerca de 80% dos pacientes as manifestações da diabetes foram controladas nos primeiros dois anos transcorridos após a operação.