ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

quarta-feira, 7 de abril de 2010

As pulseirinhas do sexo preocupam pais e educadores

As “pulseirinhas do sexo” que deveriam ser apenas mais um acessório de moda para os adolescentes, viraram casos de polícia e de preocupação para pais e educadores. São pulseiras de silicone coloridas, e cada cor tem um significado erótico diferente.

A brincadeira é arrebentar a pulseira do outro para ganhar o carinho que a cor representa. Pode ser um simples abraço, um beijo de língua e até uma relação sexual. A febre das pulseirinhas é mundial e se espalhou pela internet rapidamente. Redes sociais como Orkut e Facebook têm comunidades dedicadas aos fãs das pulseiras, a maioria com perfis de crianças e adolescentes.
Casos de abuso sexual, inclusive estupros e duas mortes têm sido atribuídos pelo uso da pulseira e sua conotação sexual. Em algumas cidades a venda está proibida.
O Instituto Kaplan, que estuda a sexualidade humana e desenvolve métodos de ensino de educação sexual através de jogos interativos, faz um trabalho efetivo com adolescentes, em escolas e entidades, e seus profissionais ressaltam que o diálogo entre pais e filhos é fundamental.
“Normalmente, as dúvidas sobre sexo são tiradas com os amigos, que são tão inexperientes quanto eles. Os jovens iniciam a vida sexual cada vez mais cedo. A maioria sem orientação adequada. Se tornam pais, na época que deviam gastar o tempo com o estudo e edificando seu futuro”, afirma Cristina Romualdo, psicóloga e orientadora do Instituto Kaplan, que atende às dúvidas dos jovens no serviço SOSex, que o Kaplan mantém no MSN.
Com a preocupação de preparar pais e educadores, o Instituto Kaplan promoverá nos dias 23 e 24 de abril, em São Paulo, o curso "Sexo também é coisa de Criança", para ajudar a entender como encarar a sexualidade cada vez mais precoce e responder qualquer questão de maneira adequada e conforme o entendimento da criança. “Esse curso é o passo inicial para ter uma postura adequada, numa realidade de acesso à internet. Programas de políticas públicas em educação e saúde preventiva são essenciais para diminuir os índices de DST/AIDS e gravidez na adolescência”, ressalta Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan.

Curso "Sexo também é coisa de criança" - 23 e 24 de abril
Informações e inscrições pelo telefone (11) 5092-5854 ou vendas@kaplan.org.br
Instituto Kaplan - http://www.kaplan.org.br/


O significado das cores nas pulseiras de sexo:

•Amarela – um simples abraço


•Rosa – mostrar o peito

•Laranja – dentadinha de amor

•Roxa – beijo com a língua – talvez sexo

•Vermelha – dança erótica à curta distância

•Verde – sexo oral a ser praticado pelo rapaz

•Branca – a menina escolhe o que quiser

•Azul – menina faz sexo oral (“boquete”)

•Preta – sexo com a menina na posição “papai-mamãe”

•Dourada – sexo oral simultâneo (“meia-nove”)

•Listrada – sexo na posição “frango assado”

•Grená – sexo anal sem lubrificante

•Transparente – sexo com parentes consanguíneos

•Marrom – sexo escatológico (“brown shower”)