ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

segunda-feira, 19 de abril de 2010

ADVOGADOS PODEM APRENDER FRANCÊS COM 40% DE DESCONTO

OAB-SP, CAASP (Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo) e Aliança Francesa assinaram convênio pelo qual os advogados poderão estudar a língua francesa em condições promocionais. Pela parceria, os advogados terão 40% de desconto em grupos constituídos especificamente para a OAB-SP, além de outras vantagens. “Trata-se de mais um benefício concreto que a Ordem e a Caixa oferecem ao advogado”, afirmou Fábio Romeu Canton Filho, presidente da CAASP. “A Aliança Francesa concede um diploma reconhecido internacionalmente, válido em qualquer lugar do mundo”, acrescentou.

Entidade de caráter privado sem fins lucrativos, a Aliança Francesa está presente no Brasil há 125 anos – na cidade de São Paulo, há 75 anos.

“Os colegas que desejarem aprender ou aperfeiçoar a língua francesa terão oportunidade de fazê-lo numa escola tradicional e em condições muito favoráveis”, observou o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso. “O francês é uma língua importante para as relações mundiais. Além disso, esta iniciativa não visa somente a trazer benefícios financeiros para o advogado: ela aproxima ainda mais o Brasil e a França”, salientou.

“Esta parceria é mais uma forma de trabalharmos juntos e nos conhecermos melhor, num esforço de aprendizado mútuo que poderá desencadear outras parcerias no campo do Direito”, destacou o cônsul-geral adjunto da França em São Paulo, Marc Peltot, que esteve presente à solenidade de assinatura do convênio. Para Maurice Nahory, diretor-geral da Aliança Francesa no Brasil, a parceria irá “favorecer o intercâmbio cultural entre o Brasil e França de forma mais ampla”. O diretor-geral da Aliança Francesa no Brasil inseriu a iniciativa na esfera de “uma relação muito antiga entre a França e outros países que têm a mesma matriz do Direito Romano-germânico”.

“Historicamente, nosso Código Civil tem influência do Código Civil francês, mas não só isso: vários outros instrumentos jurídicos, a questão dos direitos humanos, a questão tributária e a penal recebem influência do Direito francês”, comentou George Niaradi, presidente da Comissão de Relações Internacionais da OAB-SP. “Esse convênio inaugura um momento de consolidação das relações internacionais da Seccional paulista de Ordem. Estamos próximos dos franceses desde o ano passado, por conta do primeiro seminário jurídico franco-brasileiro. Agora, é a oportunidade de o advogado aprender a língua francesa”, salientou.