Nossos Vídeos

sábado, 24 de abril de 2010

Hipertensão arterial é uma doença silenciosa

A cada cinco pessoas, uma é hipertensa no Brasil. Cuidados simples, como a redução do consumo de sal e de enlatados, podem diminuir os riscos

A cada cinco pessoas, uma é hipertensa no Brasil. A doença é silenciosa e é mais comum na terceira idade, em mulheres após a menopausa e em idosos, sendo que 75% das pessoas acima dos 70 anos são hipertensas. O alerta para os riscos da doença ganha força nesta segunda-feira, dia 26 de abril, Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial.

De acordo com a cardiologista e professora da Universidade Nove de Julho (UNINOVE) Josiane Motta e Motta, os sintomas aparecem muito tarde ou quando já existe o comprometimento de órgãos alvos, como os rins, o coração e o cérebro. “Há uma predisposição familiar, mas os chamados fatores de risco - como diabetes, obesidade, ingestão excessiva de álcool ou de sal, a descendência afroamericana e os aumentos do colesterol, do tabagismo, do sedentarismo e da idade avançada - aumentam a chance de a hipertensão arterial provocar um infarto agudo do miocárdio, um acidente vascular cerebral (derrame) e a falência dos rins”, explica a especialista.

Dor de cabeça logo ao acordar pode ser um sintoma de hipertensão grave e o diagnóstico, explica a professora, se dá após duas visitas em dias diferentes ao consultório. “Se o aparelho apresentar a pressão acima de 140 X 90 mmHg, o paciente é considerado hipertenso”, informa. Josiane lembra ainda que a Sociedade Brasileira de Cardiologia considera pré-hipertensas as pessoas com pressão arterial acima de 139 X 89 mmHg e recomenda a mudança do estilo de vida, com a prática de exercícios físicos por, pelo menos, 20 minutos ao dia.

Além da atividade física, a médica frisa que diminuir o sal é muito importante. “A recomendação é menos de cinco gramas de sal por dia. Portanto, devem ser evitados alimentos industrializados, responsáveis por 70% do sal que o brasileiro consome, e o saleiro à mesa”, orienta Josiane.

A docente diz ainda que cada nove gramas de sal geram retenção de um litro de água, o que sobrecarrega o coração. É recomendada uma dieta equilibrada, rica em frutas, verduras, potássio e em cálcio, com pouco sal e sem gordura saturada para diminuir a hipertensão.

VOCÊ CONHECE OS 7 PECADOS DOS MAIORES PERDEDORES DE TEMPO?

1- Não possuir uma agenda para otimizar o seu planejamento: esquecer os compromissos agendados durante a semana pode acontecer de vez em quando, mas, se você não obtiver nenhum meio de lembrar das suas atividades, tenha certeza que isso acontecerá com maior frequencia;

2- Mal organização da semana: as pessoas acreditam que planejar a semana significa agendar todos os compromissos para segunda-feira. Aí está o erro. Provavelmente você ficará tão acumulado em suas tarefas, que sua semana inteira será afetada pelo adiantamento delas;

3- Ambiente de trabalho desorganizado: você mal consegue encontrar sua agenda em meio a sua confusão da mesa de escritório? Então comece já uma limpeza, deixe a sua vista tudo o que realmente necessita para exercer o seu trabalho. Assim, não perderá tempo à procura de sua caneta;

4- Completar a agenda: engana-se quem acha que, quando o dia está completo de compromissos, o dia irá render. As pessoas tendem a se esquecer das urgências. E elas acontecem sempre. Não lote a sua agenda de compromissos, deixe sempre algumas horas reservadas para as atividades extras que possam surgir;

5- Uso indevido da internet: ela veio para agilizar nosso dia, e não para tirar nosso foco dos afazeres importantes. Navegar horas e horas na internet sem fins especificados pode se tornar uma das maiores perdas de tempo, em vão. Sempre que se conectar, tenha em mente o que procura e por que procura;

6- E-mail MSN: e-mail não foi feito para se trocar ideias e conversas. Seja objetivo ao escrever correspondências. Foque o assunto e solicite uma resposta. Se for urgente mesmo, por que não ligar? O e-mail deve e pode ser seu melhor aliado no trabalho, é uma ótima ferramenta para otimizar o cumprimento de suas atividades profissionais, mas é preciso saber usá-lo. Se você encaminha correntes, não está no caminho certo;

7- Sem tempo para você: deixar de cuidar da pessoa mais importante da sua vida pode não ser uma boa ideia. Separe um tempo para você, pode ser um curso que lhe traga satisfação, ou a prática de exercícios. O importante é lembrar que as pessoas à sua volta precisam de você e, para ajudá-las, você precisa estar bem consigo mesmo.

*Christian Barbosa - Maior especialista no Brasil em administração de tempo e produtividade, é fundador da Triad PS, empresa multinacional especializada em programas e consultoria na área de produtividade, colaboração e administração do tempo. Ministra treinamentos e palestras para as maiores empresas do país e da Fortune 100. Autor dos livros A Tríade do Tempo e Você, Dona do Seu Tempo, Estou em Reunião e co-autor do Mais Tempo, Mais Dinheiro.

http://www.triadedotempo.com.br/  e http://www.maistempo.com.br/

São Paulo instala grelhas de sarjeta feitas com plástico reciclado para evitar furtos e economiza R$ 1 milhão por ano

São Paulo instala grelhas de sarjeta feitas com plástico reciclado para evitar furtos e economiza R$ 1 milhão por ano

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras acaba de iniciar um projeto-piloto que pretende economizar cerca de R$ 1 milhão por ano. A pasta está instalando grelhas de sarjeta fabricadas com plástico reciclado em substituição às grelhas de aço. O objetivo é evitar furtos desses equipamentos.
Instaladas nas sarjetas de ruas e avenidas de São Paulo, as grelhas servem para auxiliar o escoamento das águas, impedindo que objetos caiam em galerias e ramais e prejudiquem o sistema de drenagem do Município.
As fabricadas com material reciclado - originadas de embalagens de detergente, amaciante e desodorante - não têm valor comercial e funcionam da mesma forma que as de aço. Anualmente, a secretaria repõe cerca de 4.000 grelhas por causa de furtos.
Os primeiros testes estão sendo realizados em 12 subprefeituras da Capital há cerca de seis meses: Aricanduva, Casa Verde, Jaçanã, Sé, Santana, Pinheiros, Perus, Mooca, Penha, Lapa, Freguesia do Ó e Vila Prudente. Como não houve mais ocorrências de furto ou problemas como quebra ou manutenção, a secretaria determinou que o projeto-piloto seja ampliado e estendido para outras regiões da Cidade, como as avenidas Zaki Narchi e Barreira Grande.
"Além da expectativa de que cessem os furtos, as grelhas de material reciclável têm vida útil superior às produzidas com outros materiais. A longo prazo, a economia para a Cidade pode ser ainda maior", afirma Domingos Oliveira, coordenador da área de drenagens da Secretaria de Coordenação de Subprefeituras.
O próximo passo do projeto prevê a instalação, até o fim de abril, de grelhas recicladas nas regiões de Vila Maria e Cidade Tiradentes. "É uma ampliação importante, com a qual poderemos averiguar o resultado em maior escala", diz Oliveira.

Prefeitura constrói AMA, UBS e conjuntos habitacionais no Complexo Paraisópolis

As obras de urbanização executadas pela Prefeitura, com a construção de unidades de saúde e conjuntos habitacionais, estão transformando a segunda maior favela de São Paulo em um bairro. Com 60 mil moradores e inserida na região do Morumbi, Zona Sul, Paraisópolis é beneficiada por um conjunto de obras que integram o maior programa de urbanização de favelas da América Latina. Foi o que o prefeito de São Paulo conferiu na terça-feira, 20, durante vistoria à construção de 657 unidades habitacionais, de uma creche e de três unidades de saúde.
"Nós estamos fazendo em Paraisópolis uma verdadeira revolução. As obras de habitação, saúde e educação estão avançando a cada mês e transformando Paraisópolis em um novo bairro. As pessoas continuarão vivendo aqui, mas não mais em favelas. Agora elas terão moradias onde poderão morar com mais dignidade", disse o prefeito. As obras no Complexo Paraisópolis começaram em junho de 2006. No ano passado, a Prefeitura entregou 126 unidades habitacionais no bairro. Outros 657 apartamentos estão em construção e devem ser concluídos no segundo semestre deste ano.
A Prefeitura já inaugurou no bairro um Centro Educacional Unificado (CEU), cedeu o terreno para a construção de uma Escola Técnica (Etec) e constrói uma nova Assistência Médica Ambulatorial (AMA), uma Unidade Básica de Saúde (UBS), um Centro de Apoio Psicossocial (Caps) e uma creche. Está em construção ainda nova avenida na região, a Perimetral, com 1,5 quilômetro de extensão. Quando concluída, a via será uma opção à avenida Giovanni Gronchi e ajudará a desafogar o trânsito na região.
O Complexo Paraisópolis é o segundo maior assentamento do Município. Os serviços são executados em parceria entre a Prefeitura de São Paulo, o Governo do Estado, a Eletropaulo e a Caixa Econômica Federal. A obtenção das áreas foi viabilizada com a criação de instrumento jurídico que possibilita a doação de terrenos particulares ao poder público. Entre esses instrumentos, a Lei nº 14.062/05 e o Decreto nº 47.144/06 permitem a doação de lotes à Municipalidade, com perdão de dívidas de IPTU.

Unidades habitacionais

Durante a visita, o prefeito inspecionou as obras dos condomínios residenciais A, B, C e D. Cada um é formado por sete prédios, que somam 28 edificações, com 657 apartamentos de 54 m² de área útil. Cada unidade é formada por sala, dois quartos, cozinha e área de serviço. As unidades no térreo, projetadas para pessoas com deficiência física, contam com amplo hall social para uso dos moradores.
O empreendimento tem projeto paisagístico, playground e mini-quadra poliesportiva.
As redes de água e esgoto, drenagem, energia elétrica e gás natural contam com medidores individuais. Optando pela verticalização, com prédios de seis a nove pavimentos, o projeto aproveitou características do solo acidentado para a criação de passarelas. Dessa forma, os moradores da parte baixa e alta se deslocam por, no máximo, quatro pavimentos. A solução evita a necessidade do elevador, cuja instalação torna a obra mais cara.
As intervenções no Complexo Paraisópolis têm atraído o interesse de arquitetos, urbanistas e autoridades internacionais que lidam com o tema habitação popular. Diversas vezes visitado por delegações estrangeiras, o Programa de Urbanização de Paraisópolis tem obtido repercussão na mídia mundial. Em 2009, foi exposto na 4ª Bienal Internacional de Arquitetura de Roterdã.

'O Flautista de Hamelin' - grátis no Centro da Terra

Fotos: Naná Lavander

O espetáculo infantil O Flautista de Hamelin, do grupo Furunfunfum, encerra a programação do I Festival Centro da Terra Para Crianças nos dias 1º e 2 de maio, sábado e domingo, às 16 horas. A entrada franca e os ingressos são distribuídos duas horas antes de cada apresentação.

O enredo de O Flautista de Hamelin fala de uma terrível invasão de ratos que assola a cidade, deixando o povo desesperado. Quando todas as tentativas de acabar com a praga parecem frustradas, surge um personagem estranho e misterioso – o Flautista – que promete livrar Hamelin da praga, mediante pagamento de certa soma em dinheiro. Ele cumpre sua promessa, mas quando vai receber seu pagamento é ridicularizado e enganado pelas autoridades. O Flautista decide se vingar de Hamelin tirando da cidade seu bem mais precioso. O grupo promete um final surpreendente para o Flautista de Hamelin.
O I Festival Centro da Terra Para Crianças - viabilizado por meio do projeto Caixa Cultural da Caixa Econômica Federal - foi idealizado por pela Kompanhia do Centro da Terra com curadoria de Luiza Jorge. A cada fim de semana uma montagem diferente entrou em cena: o primeiro espetáculo foi O Ilha do Tesouro (Kompanhia do Centro da Terra), seguido por Assembléia dos Bichos (Bendita Trupe), A Princesa Jia (As Meninas do Conto), Inzôonia (Cia. Circo de Bonecos) e, finalmente, O Flautista de Hamelin (Circo Teatro Musical Furunfunfum).

Antes de cada espetáculo – às 15 horas – a escola de artes infantil Grão do Centro da Terra ministra uma Oficina de Artes (também grátis), inspirada no tema abordado pela montagem, e, após as sessões, um bate papo entre atores e público presente fecha a programação do dia.

I Festival Centro da Terra para Crianças
De 3 de abril a 2 de maio de 2010
Horários/espetáculos: sábados e domingos – às 16 horas
Horários/oficinas: sábados e domingos – às 15 horas
Local: Teatro do Centro da Terra – www.centrodaterra.com.br
Rua Piracuama, 19 – Sumaré/SP – Tel: (11) 3675-1595
Ingressos: Grátis (retirar na bilheteria 2h antes da sessão; até 2 ingressos por pessoa)
Acesso universal - Ar condicionado. Estacionamento grátis (vagas limitadas).
Capacidade: 100 lugares – Oficinas: p/ todas as crianças
1º e 2 de maio – espetáculo: O Flautista de Hamelin
Com Circo Teatro Musical Furunfunfum
Concepção, direção e atuação: Marcelo Zurawski e Paula Zurawski
Músicas: Marcelo Zurawski e Paula Zurawski
Cenografia: Silvia Gandolfi
Figurino: Naná Lavander e Jorge Constantino
Bonecos, adereços, fotografia e maquiagem: Naná Lavander
Iluminação: Sylvie Layla
Duração: 60 min – Classificação etária: 4 anos

Oficinas
3 de abril a 2 de maio - sábados e domingos (15 horas)
Coordenação: Lucília Franzini Chatton, Maria Cecília Franzini e Paula Ruggiero.
Professores: Professores do Grão do Centro da Terra
Inscrição: Grátis – Duração: 50 minutos – Vagas: Para todas as crianças presentes

As oficinas são oferecidas pela escola Grão do Centro da Terra, que é uma associação do Teatro do Centro da Terra com a Escola de Educação infantil Grão de Chão. A inspiração para o trabalho são os temas ou os elementos cênicos das montagens que estimulem a criação. A proposta contempla, dependendo do tema do dia, uma ou mais modalidades da linguagem visual (desenho, pintura, colagem ou construção).

1º DE MAIO UNIFICADO: CTB, NCST e UGT promovem maior concerto sertanejo de São Paulo

As centrais sindicais CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras Brasileiros), NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores) e UGT (União Geral dos Trabalhadores), que representam mais de 20 milhões de brasileiros espalhados pelo Brasil, realizam no dia 1º de Maio, na Praça Martins s/n°, na Barra Funda, o mega concerto sertanejo, com as mais importantes duplas do cenário sertanejo nacional, além de Luan Santana, Padre Fabio de Melo e Leci Brandão.

A festa, que terá abertura às 11 horas, com o show ‘Novos Talentos da Música Brasileira’ terá a presença do mais novo ídolo da música sertaneja Luan Santana, que subirá aos palcos às 14h. Além dele, se apresentam durante todo o dia, os mais destacados cantores e duplas sertanejas da atualidade, como Daniel, João Bosco & Vinícius, André & Adriano, Hugo Pena & Gabriel, Neuber & Alexandre, Guilheme & Santiago, Marco & Belutti e Lincon & Luan.

Às 16h30 ocorre ato político com os dirigentes das 3 centrais – UGT, CTB e NSTC – além de autoridades convidadas, dos poderes municipal, estadual e federal. O show de encerramento da grande festa está previsto para às 17h30, com apresentação exclusiva da dupla Fernando & Sorocaba, maior fenômeno da música sertaneja, que receberão no palco convidados como o Padre Fábio de Melo e Leci Brandão.

A intenção das centrais sindicais é, neste 1º de Maio de 2010, reunir cerca de 500 mil trabalhadores no show.

1º de Maio Unificado
Local: Praça Pascoal Martins s/nº, altura do nº 1500 da Av. Marquês de São Vicente, entre o Viaduto Pompéia e viaduto Antártica, próximo a Estação Terminal Barra Funda
Data: 1º de maio
Horário: a partir das 11h
Atrações: Fernando & Sorocaba, Luan Santana, João Bosco & Vinícius, Chrystian & Cristiano, André & Adriano, Hugo Pena & Gabriel, Gian & Giovani, Neuber & Alexandre, Guilherme & Santiago, Marcos & Belutti, Lincon & Luan.



PROGRAMAÇÃO SHOW 1º de MAIO UNIFICADO CTB-NCST-UGT 2010
11h – Abertura
11h às 14h – Show - Novos Talentos da Música Brasileira
14h – Abertura do maior concerto sertanejo de São Paulo, com Luan Santana
14h às 16h30 – Shows com as mais importantes duplas do cenário sertanejo nacional:
DANIEL
JOÃO BOSCO & VINÍCIUS
CHRYSTIAN & CRISTIANO
ANDRÉ & ADRIANO
HUGO PENA & GABRIEL
GIAN & GIOVANI
NEUBER & ALEXANDRE
GUILHERME & SANTIAGO
MARCOS & BELUTTI
LINCON & LUAN
16h30 – Ato Político com dirigentes das 3 centrais – UGT, CTB e NSTC -, Governador, Prefeito, Ministros, Candidatos à Presidência etc.
17h30 – Fernando Sorocaba e os convidados Padre Fábio de Melo e Leci Brandão.

rojeto cadaFalso apresenta instalação poético-performática, explorando o mote do "poeta engavetado"


O grupo projeto cadaFalso apresenta o espetáculo poesia inCômoda, dentro do programa Literatura em Revista, no auditório do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – 3º andar – fone: (85) 3464.3108), neste sábado, 24, às 18 horas, com entrada franca.
Nesta edição do programa, o projeto cadaFalso apresenta uma instalação poético-performática, explorando o mote do “poeta engavetado”, aquele que se “esconde” (ou é escondido) por timidez, imaturidade, misantropia, ignorância ou senso de clandestinidade.
Gavetas, portas e janelas servem duplamente para guardar e revelar. Basta uma ação... Inserido ativamente nesta cenografia, o público participa abrindo os vários armários, cômodas, baús e guarda-roupas: a cada “abertura”, uma revelação cênica e poética.
O projeto cadafalso é um canal de pesquisa e experimentação da multilinguagem. Ao grupo interessa, sobretudo, o caráter performático das várias artes. Desde 2007, o cadafalso vem desenvolvendo vários projetos estéticos, fazendo confluir o teatro, a dança, a música, a literatura e as artes visuais.
De acordo com Washington Hemmes, integrante do grupo, “nossa instalação também se propõe a explorar as várias possibilidades de manifestação física do poema. A idéia é reunir onze artistas que buscam experimentar diferentes suportes para o texto poético: voz, papel, corpo, areia, tecido, tela, projeção, gravação, madeira etc. Por vezes, o texto é o próprio suporte... E o meio também é mensagem...”, destaca.
Participam do projeto cadaFalso os seguintes poetas: Caio Dias, Dianton, Diego Landin, Fran Bernardino, Júlia Kilme, Liana Borges, Maria Vitória, Rami Alves, Sahmaroni Rodrigues, Tito de Andrea e Washington Hemmes.

Neste domingo, Festa do Trabalhador em Jundiaí deve reunir 40 mil pessoas

Cerca de 40 mil pessoas devem passar neste domingo (25 de abril) pelas dependências do Parque Comendador Antonio Carbonari (Parque da Uva), em Jundiaí. No local acontecerá a quarta edição da Festa do Trabalhador, realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Plástica de Jundiaí (Sindiplástico), com o apoio da Força Sindical e empresas da região. Além de shows artísticos e musicais a partir das 10h, a festa terá espaços reservados para ações de saúde, brinquedos para as crianças e ato político, em defesa da redução da jornada semanal de trabalho.
A Festa do Trabalhador de Jundiaí, que antecede o 1 de Maio, já virou uma tradição na região. Neste ano, ela será aberta às 10h, com uma mensagem religiosa, seguida do início dos 14 shows de artistas e músicos regionais e nacionais, como a dupla sertaneja Gian & Giovane. (veja programação completa abaixo).
Em vários pontos espalhados pelo recinto do Parque da Uva serão montadas estações de saúde, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Saúde, onde os trabalhadores, seus familiares e amigos poderão fazer consultas rápidas de batimento cardíaco e a retirada da pressão arterial. Nestes pontos também estarão sendo dadas informações sobre a importância da vacinação contra a gripe suína (vírus H1N1).
A Festa do Trabalhador, explica o presidente do Sindiplástico e coordenador regional Campinas da Força Sindical, João Henrique dos Santos, é um momento para homenagear e permitir o lazer a todos os trabalhadores da região, além de servir para a reflexão sobre o momento atual da política trabalhista no Brasil e no Mundo. “Neste ano, estaremos colocando na pauta das discussões a redução da jornada semanal de trabalho, de 44 para 40 horas, em discussão no Congresso Nacional, e que, se aprovada, deverá gerar a abertura de mais de 2 milhões de postos de trabalho, além de permitir ao trabalhador passar mais horas ao lado da família”, explica Santos.

CRIANÇAS - Uma das atrações da Festa do Trabalhador deste ano serão os espaços próprios para o lazer das crianças. Em vários pontos espalhados pelo Parque da Uva serão montados brinquedos para a garota se divertir, enquanto os pais e amigos se divertem com os shows musicais.
Além disso, empresas do setor de plástico de Jundiaí que patrocinam a Festa montarão estandes, onde vão apresentar ao público alguns dos produtos que fabricam. “É uma forma que encontramos para mostrar ao público que for ao Parque da Uva de conhecer um pouco mais sobre a atividade de nossas empresas e os produtos que elas colocam no mercado”, explica o presidente do Sindiplástico.

SHOW DE PRÊMIOS – Ao longo de todo o domingo, as pessoas que preencherem os cupons que estão sendo distribuídos pela cidade ou na entrada do Parque da Uva e que depositá-lo nas urnas, estão concorrendo a diversos prêmios oferecidos pela organização e seus patrocinadores.




PROGRAMAÇÃO DE SHOWS
Horário:
10 s Kadu & Kaike
10h15 Grupo Randaus (compositor de musicas dos artistas Chitãzinho & Xororó, Guilherme & Santiago, Zezé di Camaro & Luciano)
10h30 hs Larissa Tassi & Rafael
11h Carlos Gonzaga (jovem guarda)
11h30 Cesar & Paulinho
12h30 Sheila Brasil ( musicas de Ivete Sangalo ,Claudia leite , e rebolaiton )
13h30 Muleke Travesso
14h Ferramentas do Forró
14h40 Negritude jr
15h Cantora Eliana de Lima
15:30 Gian & Giovane
16h Marcelo & Mathias
16h30 SP Gaitta (estilo tradição, musica vucu vuco)
17h Banda Djavu

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E 3º SETOR NO CIEE

Da filantropia à cidadania: a contribuição do 3º setor para o desenvolvimento sustentável é o tema da palestra de Márcia Moussalem, professora da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV/SP) e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), na 64ª edição dos Encontros CIEE do 3º Setor, agendada para o próximo dia 30 de abril, às 8h30, no auditório Ernesto Igel, com café da manhã, no Centro de Integração Empresa-Escola - CIEE (Rua Tabapuã, 540 – Itaim Bibi, São Paulo/SP).




O encontro será aberto ao público. O CIEE solicita a doação de 1 kg de alimento não perecível, que será entregue à instituição de caridade Projeto vida e luz de promoção social.




O evento é gratuito e as inscrições devem ser feitas pelo site www.ciee.org.br, clicando no ícone Institucional/Agenda de Eventos. Há estacionamento pago no local.




Serviço

GRATUITO

Palestra: Da filantropia à cidadania: a contribuição do 3º setor para o desenvolvimento sustentável.

Palestrantes: Márcia Moussalem, professora da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Data: 30 de abril, sexta-feira.

Horário: 8h30.

Local: Auditório Ernesto Igel (CIEE - Rua Tabapuã, 540 – Itaim Bibi, São Paulo).

Inscrições obrigatórias: pelo site www.ciee.org.br, clicando no ícone Institucional/Agenda de Eventos.

Estacionamento: Pago no local.

Sobre o CIEE

Fundado há 46 anos, o Centro de Integração Empresa-Escola - CIEE é uma organização não governamental (ONG), filantrópica e sem fins lucrativos, que tem como finalidade principal a inclusão profissional de jovens estudantes no mercado de trabalho, por meio de programas estágio e de aprendizagem, contando com a parceria de 250 mil empresas e órgãos públicos de todo o País. Mantido pelo empresariado, sua atuação se pauta pela legislação específica: a Lei 11.788/2008 para o estágio e a Lei 10.097/2000 para a aprendizagem.

Festival Cine Favela de Curta-Metragem

A 5ª edição do Festival pioneiro, que acontece dentro da Comunidade de Heliópolis, reuniu mais
de 50 títulos de filmes realizados por ONGs, Associações, Coletivos e Periferias. Sessões gratuitas.

O V Festival Cine Favela de Curta-Metragem apresenta, nos dias 30 de abril, 1º e 2 de maio, a Mostra Competitiva com os curtas que concorrem ao prêmio de melhor filme pelo júri popular. A premiação será no dia 8 de maio, às 20 horas, no encerramento do Festival na sede do Cine Favela, em Heliópolis. O Festival teve início em 2 de abril, no Cine Favela, e dia 6, a abertura foi no SESC Santana, co-realizador do projeto.

A Mostra Competitiva é formada por 24 títulos; o melhor filme (escolhido pelo público) receberá R$ 2.000,00 em dinheiro. Várias outras atrações movimentaram a programação do Festival: Mostra Itinerante (exibição de curtas ao ar livre em três pontos da Comunidade), Cine Recreio (exibição de uma grade infantil em 12 escolas públicas), debates e Oficina de Cinema para 30 jovens com a realização de um curta que será exibido no encerramento do Festival (8/5). A oficina foi ministrada por Luiz Adriano Daminello e teve participação de outros renomados profissionais do cinema (Braulio Mantovani, Thais Canjani, Monica Palazzo, Luciana Canton e Kira Pereira).


Um dos filmes da mostra - A Distração de Ivan - de Cavi Borges (Cavídeo) acaba de ser selecionado para o Festival de Cannes. O curta será exibido no primeiro dia da mostra. Outras obras do diretor estão na programação, totalizando 6 filmes.

Mostra Competitiva - V Festival Cine Favela de Curta-Metragem
Programação completa disponível no www.cinefavela.org.br/festival


• Mostra Competitiva – 1º dia
Data: 30 de abril – sexta-feira – às 20 horas
Local: Cine Favela
Duração da sessão: 75 minutos.


Pré-estreia: Efeito Social (SP, ficção, 15’16”), de Janf José Nunes. Projeto: Independente.
Filmes / Competitiva 1: Iraque – Terra da Esperança (AL, doc., 11’57”), de Douglas Nogueira (Coletivo Os Saudáveis Subversivos); Máicou Diéquison (ES, ficção, 8’50”), de Ramon Zagoto e Natanael de Souza (Cine Clube Kbça); Entrelinha (SP, ficção, 4’38), de Ariel Schvartzman e Pepe Mendes (Projeto Independente); Neguinho e Kika (RJ, ficção, 17’), de Luciano Vidigal (Nós do Morro e Cavídeo); D.O.R. (SP, experimental, 3’56”), de Leandro Goddinho (Cia de Teatro Os Crespos); Infância (RJ, anim., 3’), criação coletiva (Cinema Nosso); Sete Minutos (RJ, ficção, 7’), de Cavi Borges, Julio Pecly e Paulo Silva (Projeto Cavídeo).


• Mostra Competitiva – 2º dia
Data: 1º de maio – sábado – às 20 horas
Local: Cine Favela
Duração da sessão: 78 minutos.


Filmes / Competitiva 2: Desmemórias do Sr. D. (SP/MG, ficção, 11’50”), de Bruno Peixoto (Projeto Independente); O Melhor Lugar (SP, ficção, 12’53”), de Nildo Ferreira e Jefferson Paulino (Oficinas Querô); Bin Laden (MG, doc., 06’37”), de Arthur B. Senra e Edmar P. da Cruz (Favela é Isso Aí); Além do Olhar (Senegal, ficção, 05’24”), criação coletiva (Cinema Nosso); Quando a Parede Cai (MG, doc., 3’), de Marcelo Reis, Nilo Augusto e Patrícia Vieira (Audivisual Cufa BH); A Distração de Ivan (RJ, ficção, 16’), de Cavi Borges e Gustavo Melo (Cavídeo e Nós No Morro); Enchente – Reflexão dos Seus Atos (SP, doc., 04’), de Magda Gonçalves, Michael de Jesus, Paulo Cardoso e William Nunes (Oficinas Kinoforum); Tem Gente! (RS, ficção, 17’), de Evandro Berlesi (Alvoroço Nas Escolas).

• Mostra Competitiva – 3º dia
Data: 2 de maio – domingo – às 19 horas
Local: Cine Favela
Duração da sessão: 76 minutos.


Filmes / Competitiva 3: Cuidado! Palhaços. (DF, doc., 14’30”), de Pablo Peixoto (Produção Independente); Nymphalidae (RJ, experimental, 2’40”), de Felippe Xyu (projeto CIEM.H2); O Primitivo (RJ, ficção, 6’31”), de criação coletiva (Cinema Nosso); Um Dia a Mais (RN, ficção, 07’39”), de criação coletiva (Oficina de Vídeo Tela-Brasil); Picolé, Pintinho e Pipa (RJ, ficção, 14’), de Gustavo Melo (Nós do Morro e Cavídeo); Umburei (PE, ficção, 12’), de Fausto Filho (Projeto Independente); Dia das Crianças (RJ, doc., 5’), de Cavi Borges (Projeto Cavídeo); João e Genésia (SP, doc., 14’), de André Ferezini e Gildivan Felix (Projeto UNAS).

• Premiação
Data: 08 de maio - sábado – às 20 horas
Local: Cine Favela
Programação: Pré-estreia do curta-metragem realizado pelos alunos da Oficina de Cinema do Festival. Divulgação e premiação do Melhor Filme do V Festival Cine Favela de Curta- Metragem, escolhido pelo voto popular.


Serviço:
V Festival Cine Favela de Curta-Metragem
De 2 de abril a 8 de maio de 2010
Programação gratuita
Cine Favela - Rua da Alegria Popular, 63 C – Heliópolis/SP
SESC Santana - Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana/SP
Direção geral: Daniel Gaggini
Coordenação: Reginaldo de Túlio
Patrocínio: Petrobras
Co-realização: SESC São Paulo
Curadoria / Mostra Competitiva: William Hinestrosa e Daniel Gaggini; colaboração de Maria Cristina Villas Boas e Flávia Tonalezi.
Curadoria / Mostra Itinerante, Cine Recreio e Mostra Cine Favela : Daniel Gaggini
Direção de produção: Flávia Tonalezi
Assistentes de produção: Rebecca Salles, Liu Mr e Donizete Bomfim
Secretária: Geneci Ledo de Túlio
Diretor de arte: David Galasse
Vinhetas: Igor Sales e Leo Defenteo
Produção Gráfica: Camila Prado
Hotsite: BMGV
Consultora Internacional: Luciana Rossi
Promotores/Monitores: Jeane Tauvares, Silvana Silva, Rita Andrade, Jucélio Santos e Fabíola Santos.



Em apenas 23 dias de inscriçõeso V Festival Cine Favela de Curta-Metragem recebeu mais de 215 filmes (recorde do festival), provenientes de vários estados (RJ, BA, MG, SP, ES, TO, RS, PE, DF, AL e PR). São filmes realizados por Associações, ONGs, Coletivos e Periferias que utilizam o cinema como ferramenta de inclusão sociocultural. Entre elas, destacam-se: Nós do Morro, Boca de Filmes, Cavídeo, Cinema Nosso, Tela Brasil, Kinoforum, Projeto Arrastão, AnimaTV, Instituto Querô, Telinha de Cinema, Favela É Isso Aí, Cine Clube Clã Periférico, Cine Kbça e outros realizadores independentes.


Em cinco anos ininterruptos, o Festival já atraiu mais de 8.500 espectadores, exibiu mais de 95 títulos de filmes periféricos, beneficiou mais de 160 jovens em oficinas de cinema e distribuiu prêmios. Desde 2009, o projeto tem à sua frente o gestor cultural Daniel Gaggini, responsável pela reestruturação do Cine Favela, que, a partir deste ano, se transforma em um Ponto de Cultura do Governo do Estado de São Paulo e tem orçamento garantido até 2012 para desenvolver atividades ligadas à Sétima Arte.

Com mais de 130 mil habitantes, na maioria jovens, Heliópolis é uma das maiores comunidades carentes do mundo. O Cine Favela, uma iniciativa sem precedentes desde 2004, busca inserir o jovem tanto social como culturalmente por meio do cinema. O diferencial do Festival Cine Favela de Curta-Metragem, além do seu pioneirismo, é o de ser realizado dentro de uma das maiores comunidades da América do Sul e comprovar que ações desenvolvidas em camadas com baixa oferta de atividades culturais obtêm êxito de público e de resultados, além de contribuir para a integração social e cultural.

Fotógrafo e motociclista José Albano apresenta no CCBNB-Fortaleza o Manual do Viajante Solitário

O fotógrafo cearense José Albano apresentará o livro “Manual do Viajante Solitário: rodando de moto nas estradas do Brasil”, na próxima terça-feira, 27, às 18 horas, dentro do programa Troca de Ideias, no auditório do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – 3º andar – Centro – fone: (85) 3464.3108).
O livro é um estímulo ao uso da motocicleta, sobretudo a de baixa cilindrada, como uma solução prazerosa e de custo reduzido em viagens de trabalho ou lazer pelas estradas brasileiras. O manual cobre todos os aspectos das viagens de motocicleta, incluindo roteiros, hospedagem, alimentação, bagagem, conforto e os riscos inerentes a esse tipo de percurso, assim como aspectos emocionais e filosóficos vivenciados pelo viajante solitário sobre duas rodas.
Essa edição do programa Troca de Ideias será ilustrada com uma projeção das fotografias publicadas no referido livro. José Albano também fará uma leitura de textos selecionados de alguns capítulos da obra. O “Manual do Viajante Solitário” será lançado ainda neste semestre com o apoio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

História de vida e trajetória profissional
José Cordeiro Albano nasceu em Fortaleza em 13 de março de 1944. Começou a fotografar em 1967, enquanto cursava Letras na Universidade Federal do Ceará e ensinava português e inglês.
Em 1969, trabalhou como fotógrafo de retratos no Rio de Janeiro e na Editora Bloch no departamento Manchete Press Agency, editando fotografias para venda a publicações no Brasil e exterior.
Entre 1970 e 1972, com bolsa de estudos da Comissão Fullbrigh do Governo dos Estados Unidos da América, obteve o Mestrado em Fotografia na Newhouse School of Public Communications da Syracuse University, Nova York, percorrendo, em seguida, os Estados Unidos, o Canadá e 12 países da Europa em viagens fotográficas, experiência que gerou cinco exposições individuais: “Crianças das Américas”, “Itália”, “Alemanha”, “França” e “Barcelona de Gaudi” – assim como uma série de 43 reportagens para o jornal O POVO, em Fortaleza.
De volta ao Ceará em 1973, ministrou diversos cursos de iniciação à fotografia junto ao Serviço de Extensão da Universidade Federal do Ceará (Casa Amarela), entre outros. Atuou como fotografo publicitário para Scala Publicidade em Fortaleza, e depois como autônomo, posição mantida até o presente, realizando fotografia profissional para o comércio e indústria no Ceará, ilustração fotográfica de livros, restauração e reprodução de fotos antigas, retratos, documentação da paisagem, ecologia e turismo no estado do Ceará, sobrando ainda tempo para a fotografia de expressão pessoal e ocasionais retornos ao fotojornalismo.
Um de seus trabalhos mais conhecidos, encomendado em 1988, pela Pastoral Indigenista da Arquidiocese de Fortaleza, é a coleção de retratos “Criança Tapeba”, que resultou numa exposição individual, exibida várias vezes em Fortaleza e em outras cidades brasileiras, assim como no exterior, na Alemanha e Inglaterra, em exposições coletivas. Desta coleção, imagens foram adquiridas pelo Museu de Arte de São Paulo, integrando a coleção Pirelli/Masp de Fotografias e pelo fotógrafo e colecionador Joaquim Paiva para o seu acervo de fotografia brasileira contemporânea, além de agraciada com o 1º Prêmio no Salão Nacional de Fotografia sobre Racismo e Discriminação, promovido pelo Instituto Cultural Judaico Marc Chagall, em Porto Alegre, RS.
Ganhou Menção Honrosa no Concurso Internacional Nikon de Fotografia 92/93 e o Prêmio ACCU do concurso internacional “Living Together” da Asia/Pacific Cultural Center for Unesco, Tokyo, Japão em 1995, com imagens da coleção de fotografias do movimento alternativo no Brasil.
Em 1998, participou do “Projeto Brasil 500 Anos” de Paula Simas, com imagens da vida dos meninos de Sabiaguaba, mostradas na exposição “Vida de Menino”, em outubro de 2002, na galeria de arte do Centro Cultural Banco do Nordeste. Sua primeira exposição a marcar presença na Internet.
Foi premiado em reconhecimento ao conjunto de sua obra em 1998 com Troféu Iracema e o Prêmio Dragão do Mar de Arte e Cultura, na categoria Fotografia, promovido pelo jornal O POVO, Secretaria de Cultura do Estado do Ceará e Fundação Demócrito Rocha. E em 2004, recebeu da Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da FUNCET, o Prêmio Patativa de Arte e Cultura pelo conjunto da obra assim como à sua atuação no panorama sócio cultural da cidade.
Atualmente, já na sua fase digital, faz documentação fotográfica, junto ao irmão Maurício Albano, para o projeto “Comida Ceará” do Centro Cultural Dragão do Mar.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

MESOTERAPIA ou APLICAÇÃO DE ENZIMAS - Grande aliada na perda de peso

A mesoterapia foi muito utilizada há anos atrás. Há aproximadamente cinco anos, com o aparecimento de medicamentos a bases de enzimas. Começamos então a chamar esta técnica de aplicação de enzimas.

E é assim que a Dra Andréia leitão, prefere se referir ao tratamento, pois as “melanges” (misturas) que ela utiliza, são à base de enzimas. Mas, muitos utilizam ainda o nome mesoterapia, mesmo tendo na sua composição bases enzimáticas.

A aplicação de enzimas consiste em uma “melange” (mistura) de quatro a seis componentes diferentes, sendo eles lipolíticos.
Dependendo da enzima, ela age no corpo de dois a sete dias para a perda da gordura.

As enzimas fazem a quebra da gordura, tornando assim mais fácil para ser excretada, por via urinaria, sudorese e nas fezes. Dessa forma, elas não retornam, mas caso a pessoa comece a fazer uso de alimentação super calórica durante o tratamento, novos depósitos de gordura serão criados.
Os resultados dependem muito de organismo, idade e hábitos da pessoa, mas geralmente começam a surgir resultados visíveis a partir da primeira semana.

A alimentação deve ser mantida, somente as quantidades diminuídas. Álcool, refrigerantes e doces são extremamente calóricos, e durante o processo devem ser evitados e depois do termino do tratamento, estes alimentos devem ter seu consumo feito de forma esporádica. O carboidrato pode ser consumido normalmente desde que ate às 18h, pois depois desse horário as atividades do metabolismo diminuem muito, dificultando a queima do mesmo, que vira depósito de gordura.


Hoje existem milhões de medicamentos, mas o mercado fez com que a indústria farmacêutica fosse pra fora do país em busca de novas drogas, pois no exterior existe uma preocupação acelerada em sempre emagrecer e perder medidas de forma mais rápida.
As enzimas nada mais são do que drogas lipolíticas, com afinidades por células adiposas. E o tratamento de aplicação de enzimas é indicado para quem tem excesso de peso e gordura localizada.

Com o uso constante da mesma droga, o organismo passa a não responder com tanta eficácia, pois ele cria certa resistência como resposta ao mesmo. Por isso na Multiclinic, a Dra Andréia Leitão, durante o tratamento todo, independente da duração, sempre substitui uma enzima por outra diferente.

Existem enzimas IM (intramuscular) e ID (intra dérmica). A IM é utilizada para a perda de peso, e aplicada nos glúteos, para uma perda geral de gordura. Isso faz com que o peso tenha uma grande diminuição. A ID é aplicada direto na região de gordura localizada, fazendo assim a diminuição da mesma, mas somente na região aplicada. A ID não é indicada para perda de peso, só para quem quer eliminar os pneuzinhos.

Na Multiclinic, são utilizados os dois tipos de aplicação. Se a cliente deseja realizar os dois procedimentos ao mesmo tempo, ela perde peso e aumenta a perda de gorduras localizadas.

Hoje em dia as clinicas trabalham com avalistas treinadas, que vendem os pacotes, mas as aplicações têm que ser realizadas por um profissional habilitado para o mesmo.


Dependendo da droga utilizada, pode sim haver efeitos colaterais, mas as “melanges” que são utilizadas na Multiclinic, não têm efeitos colaterais.
A Multiclinic só trabalha com enzimas liberadas e com excelentes procedências.

Por isso também vai aí um alerta: Como dito anteriormente, as aplicações de enzimas seguem protocolos de mesclas (misturas) que devem ser respeitadas em dosagens e químicas ideais, para que não ocorram efeitos colaterais indesejáveis, como necrose de tecido, edema alérgico, nódulos, entre outros que sempre ocorrem nos casos de pessoas que fazem auto aplicações, ou mesmo em academias.
Vale sempre a pena ressaltar, que a aplicação de enzimas deve ser aplicada por um especialista capacitado, para que a segurança seja máxima e os resultados confiáveis.

Quanto ao tempo de aplicação das enzimas para a perda de peso, costumamos dizer que cada caso deve ser acompanhado individualmente, pois as aplicações de enzimas não têm restrições quanto a quantidades de aplicações.

Quanto ao intervalo da aplicação das enzimas, podemos dizer que as IM tem que ter um intervalo mínimo de três dias. A ID cinco a sete dias.

Junto à aplicação das enzimas, na Multiclinic, o paciente pode passar pelo Invel, um aparelho que provoca aquecimento e bioestimulaçao linfática no corpo a fim de perda de calorias e toxinas e também passa pela drenagem linfática, que ajuda muito no tratamento, pois liberando toxinas, ajuda na absorção e acelera o processo de lipólise. (degradação da gordura), tudo isso dependendo da indicação.

Dicas de Andréia Leitão para um bom resultado no emagrecimento:

Sempre que falamos a palavra EMAGRECER o cérebro já envia uma resposta automática: - ESTOU COM FOMEEEE!
Nesse caso devemos comer mais frutas, beber muita água e não se apegar no detalhe EMAGRECER.
Cada um tem seu tempo para comprar a idéia de que realmente quer emagrecer, e que quer sair por ai com muitos quilos a menos.
Coloquem no prato, muitas saladas em geral, as que mais te apetece, muitos legumes, verduras, cruas ou cozidas e ate refogadas.
Tente substituir alimentos calóricos pelos menos calóricos, no começo parece muito difícil. Não deixe seu psicológico escolher por você.


Dra Andréia Leitão é Fisioterapeuta com especialização em Dermato Funcional. Responsável pela Multiclinic.
http://www.multiclinic-saude.com.br/

LEI DO APRENDIZ É TEMA DE PALESTRA NO CIEE

O CIEE e a Fundação Roberto Marinho promovem dia 29 de abril, quinta-feira, palestra proferida pelo professor José Roberto de Melo, superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Estado de São Paulo, cujo tema será Lei do Aprendiz (10.097/2000): Esclarecimentos sobre questões controvertidas da contratação de aprendizes. O evento terá início às 8h30, será precedido de café da manhã e acontecerá no Teatro CIEE (Rua Tabapuã, 445 – Itaim Bibi – São Paulo).

Cada vez mais o espaço para o jovem aprendiz se abre no Brasil. O CIEE capacita atualmente cerca de 16 mil jovens no programa Aprendiz Legal e se mobiliza para que a Lei do Aprendiz seja ainda mais disseminada.

O evento é gratuito e as inscrições obrigatórias devem ser feitas pelo telefone (11) 3040-6541 ou (11) 3040-6542 ou pelo site www.ciee.org.br/portal/eventos.

Serviço
GRATUITO
Evento: Lei do Aprendiz (10.097/2000): Esclarecimentos sobre questões controvertidas da contratação de aprendizes.
Data: 29 de abril, quinta-feira.
Horário: 8h30.
Local: Teatro CIEE (Rua Tabapuã, 445 – Itaim Bibi – São Paulo).
Inscrições obrigatórias: tel. (11) 3040-6541 ou (11) 3040-6542 ou pelo site www.ciee.org.br/portal/eventos.

Sobre o CIEE

Fundado há 46 anos, o Centro de Integração Empresa-Escola - CIEE é uma organização não governamental (ONG), filantrópica e sem fins lucrativos, que tem como finalidade principal a inclusão profissional de jovens estudantes no mercado de trabalho, por meio de programas estágio e de aprendizagem, contando com a parceria de 250 mil empresas e órgãos públicos de todo o País. Mantido pelo empresariado, sua atuação se pauta pela legislação específica: a Lei 11.788/2008 para o estágio e a Lei 10.097/2000 para a aprendizagem.

ULBRA institui Comitê de Acessibilidade

A Universidade Luterana do Brasil realizou na manhã desta terça-feira, 20.04, a posse do Comitê de Acessibilidade, no campus Canoas. O comitê visa implementar uma política institucional da qual fazem parte as estratégias de acessibilidade, equiparação de oportunidades e inclusão da Universidade com as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

O objetivo do projeto é reduzir os empecilhos tanto dos espaços construídos, quanto das atitudes que possam impedir ou dificultar o direito ao estudo e o acesso ao trabalho. A partir da assinatura, a ULBRA cumpre o primeiro passo de adesão à Campanha Nacional de Acessibilidade, promovida pelo Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – CONADE, promovendo a humanização e adequando a Universidade para receber as pessoas com deficiência.


O reitor da ULBRA, Marcos Fernando Ziemer, comentou a importância de colocar o projeto em prática: “Nosso papel como instituição é ser o agente de transformação a partir da integração social. Com este primeiro passo, hoje, estamos no caminho para encontrar soluções viáveis para o melhor acesso de todos ao campus.” O presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Paulo Kroeff destacou que, com a instituição do Comitê e ações propostas, a Universidade cumpre um dever de justiça social, moral e legal. Lembrou que Canoas se destaca na atenção à acessibilidade sendo uma das 31 cidades que têm Conselhos Municipais dos Direitos da Pessoa com Deficiência no Rio Grande do Sul. Humberto Lippo, gerente de Acessibilidade do IPESA, disse que esse Comitê pode servir como projeto piloto para ser implantado por outras instituições, por sinalizar e apontar soluções inovadoras.

Fabio Luna faz show no SESC Pompéia, em SP

No dia 27 de abril, o baterista, flautista, cavaquinista e compositor Fabio Luna, se apresenta no Sesc Pompéia, às 21h, no projeto Prata da Casa.

Fabio Luna está na estrada há 18 anos. Já integrou as bandas de Zélia Duncan e Sivuca, entre outros tantos, e lançou, em tempos passados, dois projetos como instrumentista – um deles em parceria com o pianista Marcelo Caldi. No ano passado, resolveu fazer tudo diferente: compôs dez sambas, com letra e música e partiu para o microfone. Nascia um cantor.

E é para apresentar o resultado desse trabalho, que o artista se apresenta no Sesc Pompéia, em São Paulo, um show empolgante que fará o público dançar e se divertir. A entrada é franca.

O projeto Prata da Casa, do Sesc Pompéia, é um dos mais expressivos, quando se trata de mostrar novos talentos. Em dez anos de existência, a série é uma referência fundamental, por onde passaram artistas de incontestável qualidade musical.

Um pouco mais sobre o trabalho de Fabio Luna

Com a música “Vai filhão”, carro-chefe do CD, bem executada nas rádios e com milhares de acessos do clipe no YouTube – onde a participação do “casseta” Cláudio Manoel garante a diversão – o artista prepara um show marcante para São Paulo. “Estou muito feliz com o que tenho ouvido. Desde os músicos, jornalistas, compositores de velha guarda, amigos, pessoas próximas, até o porteiro do meu prédio veio dizer que adorou, que parece samba do morro! Eu achei um elogio maravilhoso!”, emociona-se Luna sobre a recepção de seu trabalho.
No repertório estarão algumas faixas de seu novo CD, como “Eu nunca me acostumo”, “Vem”, “Volta ou não”, “Basta querer”, “Eu vou”, “Coração”, “Vem que a lua ilumina”, “Deixa essa mágoa pra lá” e “Muito obrigado”.

O show será intercalado com treze músicas de outros compositores, como “Insensato destino” (Acyr Marques/Chiquinho/Maurício Lins), “Samba do grande amor” (Chico Buarque), “Ogum” (Claudemir/Marquinhos PQD) e “Chorinho em Cochabamba” (Eduardo Neves).

“O show já está ensaiado, mas nos encontraremos mais duas vezes antes da apresentação, só pra afinar as coisas!”, brinca Luna.

Fabio está cercado de músicos de primeira linha para o show: Gian Correa (violão de 7 cordas), Henrique Araújo (cavaco), Juninho Billy Joe (percussão), Leo Rodrigues (Percussão) e Zé Mario (Percussão).

“É o show de um novo compositor e intérprete de samba, acompanhado por músicos com bastante bagagem. Será uma noite de muito samba e alto astral!”, resume Luna.

Mais informações: www.fabioluna.com / http://www.sescsp.org.br/sesc/


Serviço:

Local: SESC Pompéia
Endereço: Rua Clélia, 93 – Pompéia - SP
Telefone: 11 3871-7700
Dia: 27 de Abril (terça-feira)
Horário: 21h
Entrada franca: Retirada de ingresso na bilheteria do SESC, no dia do show

Seminário discutirá desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho irá promover, no próximo dia 27, das 9 às 14h, no Auditório do CAT Luz (av. Prestes Maia, 913), o Primeiro Seminário de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho na Cidade de São Paulo. O evento tem como objetivo debater o desenvolvimento econômico, o mundo do trabalho, a qualificação dos trabalhadores, o empreendedorismo e o papel do Poder Público na geração de emprego, trabalho e renda.
Como debatedores, deverão participar autoridades e representantes dos governos federal, estadual e municipal como os secretários municipais de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Marcos Cintra, do Microempreendedor Individual, Natanel Miranda dos Anjos, superintendente regional do Trabalho e Emprego em São Paulo, José Roberto de Melo, presidente da Comissão Municipal de Emprego, Natal Léo, coordenador do PNBE- Pensamento Nacional das Bases Empresariais, Mario Ernesto Humberg, representante da Fundação Seade, Alexandre Loloian e o presidente do Conselho Administrativo da São Paulo Confia, Hugo Duarte.
O Primeiro Seminário será dividido nos seguintes temas: lançamento de projetos de qualificação e desenvolvimento econômico da Semdet para 2010; assinatura de parcerias com entidades, e os painéis sobre o papel do Poder Público na geração de emprego, trabalho e renda e sobre empreendorismo e microfinanças.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Acúcares do bem e do mal: será que isso existe?

O bom e velho açúcar refinado e cristal, proveniente da cana de açúcar ou da beterraba, perdeu seu espaço. Cedeu lugar a um produto que a indústria chama de “xarope de milho rico em frutose”, cuja sigla em inglês – HFCS

É notória a nossa impossibilidade de consumir apenas alimentos naturais. Este é um caminho sem volta, marcado pela intensa participação feminina no mercado de trabalho, onde a falta de tempo é a regra geral.
Assim, todos os dias, incorporamos às refeições um novo produto industrializado, prático, barato e muito saboroso. Sempre preparado longe das nossas cozinhas e com ingredientes descritos em rótulos com letras miúdas e de difícil compreensão. Realmente, precisamos nos entender com a indústria de alimentos e com seus rótulos nutricionais, uma vez que ela passou a produzir o nosso alimento diário.
Por conta da insegurança quanto ao que consumimos e devido a necessidade de saber o que pode nos fazer bem ou mal, temos alcançado, juntamente com os órgãos de vigilância sanitária, alguns avanços na legislação que obriga a indústria a informar com maior clareza e precisão vários ingredientes utilizados no preparo dos alimentos.
Assim, já sabemos quanto de sódio, gordura saturada e hidrogenada contém cada item que colocamos em nosso carrinho de compras. Entretanto, um ingrediente tem chamado a nossa atenção, nos últimos anos, pela pouca informação: o açúcar. Apesar da obrigatoriedade da discriminação do total de açúcar nos rótulos dos alimentos, não sabemos ainda que tipo de açúcar é esse.
Nos últimos 25 anos, a indústria de alimentos nos Estados Unidos tem alterado o tipo de açúcar utilizado na fabricação de seus produtos. O bom e velho açúcar refinado e cristal, proveniente da cana de açúcar ou da beterraba, perdeu seu espaço, cedeu lugar a um produto que a indústria chama de “xarope de milho rico em frutose”, cuja sigla em inglês – HFCS – é muito conhecida dos profissionais de Nutrição e dos engenheiros de alimentos.
Pois bem, esse xarope é mais barato, mais doce, mais solúvel nos alimentos e de mais fácil estocagem que o açúcar tradicional. Além disso, ele tem um poder adoçante maior do que o açúcar, podendo ser utilizado em quantidades proporcionalmente menores para alcançar um mesmo poder adoçante. Com todos esses atributos, é fácil compreender o porquê ele desbancou a sacarose em praticamente todos os segmentos dos alimentos industrializados na América do Norte.
No Brasil e na Europa, a sacarose, proveniente da cana de açúcar, ainda mantém seu espaço e continua sendo o açúcar preferencialmente utilizado pela indústria para adoçar seus alimentos, pois nesses locais, ele é mais barato do que a frutose.
A frutose, presente no xarope utilizado para adoçar os alimentos, é o mesmo açúcar encontrado nas frutas. Mas o fato preocupante é que a concentração desse açúcar é tão elevada na maioria dos produtos industrializados que é impossível não exceder às recomendações diárias de consumo dessa forma de carboidratos.
Nos Estados Unidos, o consumo médio de açúcar representa de 25 a 30% do total calórico ingerido diariamente, ultrapassando em muito os 7% recomendados para uma dieta saudável.
Quase todo esse açúcar é adicionado aos alimentos sob a forma de xarope de frutose. Atualmente, quase tudo que se fabrica em termos alimentares nos Estados Unidos tem lá sua parcela de xarope de milho rico em frutose. Os refrigerantes, pães, bolos, mufins, molhos como os de tomate, sucos de frutas e de soja, cervejas, iogurtes, cereais matinais e barras de cereais, tortas doces e sobremesas, hambúrgueres e até as sopas industrializadas.
Relação entre açúcar e obesidade
A coincidência do aumento dos casos de obesidade, principalmente entre crianças e adolescentes, nos Estados Unidos, com a opção da indústria de comercializar alimentos ricos em frutose, tem chamado a atenção de grande parte dos estudiosos de Nutrição para a possibilidade de causa e efeito entre eles.
Aparentemente, a frutose age no fígado aumentando a produção de gorduras chamadas triglicérides, que inunda esse órgão e chega em grande quantidade à corrente sanguínea. Assim, consumir comidas e bebidas batizadas com HFCS equivale a comer uma refeição altamente gordurosa. Ao fazer isso, não apenas ingerimos mais calorias, como também armazenamos mais dessas calorias sob a forma de gorduras.
Isso também ocorre, sem dúvida, quando consumimos açúcar da cana e beterraba, em grandes quantidades, mas com o HFCS da indústria americana, as alterações no peso corporal têm sido muito mais intensas, provavelmente devido ao maior teor de frutose concentrada no xarope.
O problema em potencial é muito maior, os relatos nos dão conta de que esse tipo de açúcar poderia estar relacionado com a epidemia de esteatose hepática (fígado gorduroso) e diabetes relacionada a uma maior resistência à ação da insulina.
Isso poderia ocorrer pela ação específica desse tipo de açúcar utilizado no preparo dos alimentos, mas, com certeza, pode ocorrer também devido ao grande volume de açúcar, ingerido em idades a cada dia mais precoces, conferindo a essas crianças grande quantidade calórica de açúcares de absorção rápida.
Um outro exemplo...
Quando a indústria de alimentos desenvolveu a gordura trans ou hidrogenada, ela também era mais barata e mais prática, do ponto de vista de estocagem e durabilidade dos alimentos, conferia, ainda, uma aparência saudável aos alimentos e melhorava o seu sabor.
Este tipo de gordura também foi desenvolvido com a boa intenção de substituir a deletéria gordura saturada. Demorou muito para descobrirmos e convencermos os órgãos de vigilância sanitária e a própria indústria de que a gordura trans era muito mais perigosa do que a gordura saturada, sendo responsável pelo aumento considerável do risco cardiovascular de seus consumidores.
Agora, levanta-se a possibilidade de estarmos diante de um fato semelhante com os açúcares. Podemos estar ingerindo não apenas açúcar demais, mas açúcares do mau.
Que tipo de açúcar você consome?
Apesar da rotulagem dos alimentos vir melhorando muito nos últimos anos, é importante que se defina para os açúcares a mesma regra definida para as gorduras: os rótulos de todos os alimentos devem descrever quais açúcares foram utilizados no preparo dos mesmos.
Isso nos ajudará a entender melhor a relação entre o consumo de açúcar e as doenças crônicas no Brasil, que, a cada ano, alcançam pessoas de faixas etárias mais precoces. Com esta informação em mãos, poderíamos, inclusive, propor a redução do consumo de alimentos industrializados, principalmente por crianças.
Dra. Ellen Simone Paiva, endocrinologista, e Dra. Amanda Epifânio, nutricionista.

CONTATO:
www.citen.com.br
faleconosco@citen.com.br
http://twitter.com/Citensp

SAÚDE BUCAL DOS BEBÊS: UMA LIÇÃO QUE SE APRENDE DESDE CEDO

A preocupação com a higiene bucal começa cedo. Os dentes começam a se formar ainda na vida intra-uterina, entre a 5ª e a 6ª semanas. Portanto, desde cedo a mãe deve se preocupar em ter uma alimentação balanceada, rica em nutrientes que colaborem com o desenvolvimento do bebê. “Sais minerais como o fósforo e o cálcio e vitaminas dos tipos A, C e D são essenciais para que a gestante e o bebê tenham uma saúde bucal satisfatória. É importante ter consciência que a alimentação é melhor que qualquer medicação, pois criança bem nutrida fica menos sujeita a doenças comuns, assim a necessidade do uso de medicamentos, diminui”, comenta o cirurgião dentista Flávio Luposeli.

Os cuidados seguem também nos primeiros meses após o nascimento. Como a dentição ainda não está exposta – os dentes ainda não passaram pelo processo de erupção – a limpeza da boca da criança é feita com uma gaze ou fralda umidecida, tomando cuidado para não machucar a gengiva. É aconselhável utilizar água destilada ou filtrada, podendo usar alguns produtos prescritos previamente pelo dentista de acordo com a idade do bebê.

Algumas complicações podem surgir se os hábitos de higiene não forem feitos com freqüência. É o caso das cáries de peito e cáries de mamadeira, provocadas pela fermentação do açúcar no meio bucal. “As >cáries nesta fase aparecem porque a mãe não segue recomendações importantes como não adoçar os líquidos, higienizar a boca após o uso e não oferecer a mamadeira ou o peito durante a noite”, observa Luposeli.

Os suprimentos de flúor, presente nas pastas de dente e distribuídos nas cidades com tratamento de água, é um grande agente de redução das cáries. Entretanto, quando ingerido em excesso poderá causar manchas e defeitos no dente das crianças, principalmente nos primeiros anos. Por isso, em crianças muito pequenas é contra indicado o uso de dentifrícios contendo flúor (em regiões onde há água fluoretada pelos órgãos de abastecimento público), pois crianças muito pequenas não coordenam muito bem a deglutição e podem ingerir as pastas com flúor. Como a água de abastecimento público já contém a dose certa de flúor, a ingestão em excesso pode causar sérios danos à saúde bucal.

Confira abaixo outras dicas importantes para manter seu filho com uma saúde bucal perfeita:
• Não adicione açúcar aos sucos e papas de frutas;
• Retarde a ingestão de alimentos cariogênicos, como doces, balas, iogurtes e refrigerantes;
• Siga a orientação de uma odontpediatra quanto à higienização correta dos dentes, a época de erupção dos dentinhos e seus sintomas, posição ideal de amamentação, época de desmame e os perigos da automedicação;
• Verifique qual o tipo de chupeta e bico de mamadeira correto para uma sucção ideal.
• Cuidado com remédios administrados durante à noite, pois a maioria dos xaropes contém açúcar. A criança deve ter sua boca higienizada após ingerir medicamentos líquidos. O mesmo vale para o leite noturno que ao fermentar na boca durante o sono, pode causar processos cariosos extremamente agressivos, trazendo sérios prejuízos à saúde bucal da criança.

Serviço:
Flávio Luposeli
Cirurgião dentista- Reabilitação oral estética.
11- 38858685
Rua Oliveira Dias, 38- Itaim – São Paulo
www.luposeli.com.br
http://blogdosorrisoperfeito.blogspot.com/


Sobre Flávio Luposeli:
Cirurgião Dentista, especialista em Estética do Sorriso. Pós graduado em Ortodontia pela SPO e Pós graduado em Disfunções Têmporomandibulares e Dor Orofacial pela UNIFESP, Escola Paulista de Medicina. Mestrado em Disfunções Têmporomandibulares e Dor Orofacial pela UNIFESP, Escola Paulista de Medicina. Fellowship em Reabilitação Oral com Próteses sobre Implante na University of Texas. Membro Diretor do Comitê de Empreendedorismo da Fiesp.

Os distúrbios do sono relacionados à obesidade: a apnéia e suas complicações

Conhecemos os fatores de risco para as doenças do coração. Tabagismo, diabetes, hipertensão arterial, obesidade, sedentarismo e níveis elevados de colesterol são os mais conhecidos. Nos últimos anos, temos tido evidências convincentes de que a apnéia do sono deve ser adicionada a essa lista

O sono normal é reparador e vital, como a alimentação e a respiração. Tem início com um quadro de sonolência superficial, evoluindo com o passar do tempo para estágios de maior profundidade, onde há total repouso do sistema nervoso central e relaxamento muscular completo, envolvendo não somente os músculos dos braços e pernas, mas também a musculatura do coração e dos vasos sanguíneos.

Aos poucos, há redução da pressão arterial e o trabalho cardíaco se torna menor. No estágio de sono profundo, descansamos e sonhamos. Todo o organismo repousa e se recupera do estresse e do trabalho diurno.

Um padrão de sono anormal – apnéia do sono

“Infelizmente, para algumas pessoas o sono não é tão harmônico. Entre os que reclamam, encontramos uma alta prevalência de obesos, trazendo à tona, mais uma complicação da obesidade: a apnéia do sono, uma forma de dificuldade respiratória, que cursa com obstrução parcial ou completa das vias aéreas superiores, resultando em períodos de parada respiratória, baixa oxigenação sanguínea e despertares noturnos freqüentes”, observa a endocrinologista Ellen Simone Paiva, diretora do Citen, Centro Integrado de Terapia Nutricional.

Em alguns casos ocorre apenas a superficialização do sono, sem a consciência do fato e sem o despertar repentino. Com a privação do sono normal, o organismo se ressente, há sonolência diurna, grande dificuldade em levar adiante as tarefas do dia. E o que é mais grave: vários problemas cardiovasculares.

Aparentemente, há um impedimento real à ventilação pulmonar, que ocorre várias vezes durante o sono. Os pesquisadores relatam um colabamento das partes moles da cavidade orofaríngea, por onde entraria o ar inalado. São episódios de gravidade variável, onde há uma real asfixia do paciente durante o sono, com frequência, duração e intensidade variáveis, “onde o paciente tenta inspirar forçadamente através das vias aéreas ocluídas, podendo até conseguir fazê-lo de maneira ruidosa, através de uma inspiração profunda, que consegue vencer o bloqueio, mobilizando todos os músculos respiratórios”, explica a médica.

Todo esse esforço para respirar causa um grande estresse ao paciente, com elevação da pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos e, recentemente, tem-se demonstrado que há inclusive alterações no metabolismo das gorduras, com elevação do colesterol.

Muitos pacientes não acordam durante os episódios de apnéia e ficam sem diagnóstico. Outros são acordados por seus parceiros, que presenciam as longas pausas respiratórias em seus períodos de sono e entram em pânico.

A obesidade como fator causal

“Há pacientes com apnéia do sono sem obesidade, mas eles são uma minoria. As estatísticas nos dão conta de que 70% dos pacientes com apnéia são obesos. Entre os pacientes obesos mórbidos, 80% dos homens e 50% das mulheres têm apnéia do sono’, revela a endocrinologista Ellen Paiva.

Nos pacientes com apnéia do sono e peso normal, os estudos revelam que há uma maior circunferência cervical e maior depósito de gordura na orofaringe, o que ocasiona uma diminuição do diâmetro para a livre circulação do ar para os pulmões. Também neles, depósitos anormais de gordura seriam os fatores desencadeantes.

“Além da obesidade, há outros fatores causais ou complicantes como malformações faciais ou mandibulares, causando algum tipo de obstáculo à ventilação pulmonar. Mas nenhum destes fatores é tão contundente quanto o excesso de gordura no tronco: a obesidade central, muito comum em pacientes obesos e diabéticos”, explica a diretora do Citen.

A provável apnéia de Dom Pedro II

A síndrome de apnéia obstrutiva do sono seria a causa mais provável da sonolência diurna excessiva do imperador Dom Pedro II (1825-1891). A conclusão é de um estudo feito por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), publicado nos Arquivos de Neuro-Psiquiatria.

Os estudiosos chegaram a tais conclusões, após realizarem um amplo levantamento bibliográfico em textos, fotos e outros documentos históricos, incluindo diários, cartas e reportagens de jornais e revistas da época. De acordo com os pesquisadores, D. Pedro II era bastante obeso e naquela época não havia muita preocupação em controlar a obesidade. A pesquisa aponta que o imperador dormia durante o dia em inúmeras situações, como no teatro e em palestras, o que teria ocorrido com grande freqüência e durante muitos anos.

Naquela época não se conheciam as doenças que levam à sonolência diurna excessiva, uma vez que o conhecimento desse tipo de distúrbio ocorreu na segunda metade do século 20 com o avanço da tecnologia. Havia, portanto, uma causa orgânica para a sonolência excessiva do imperador. Esse achado contraria a versão mais usada na época pelos opositores de D. Pedro II que diziam, e publicavam em inúmeras charges, que ele dormia demais por não se importar com o Brasil.

As conseqüências da apnéia do sono

“A apnéia do sono pode comprometer as relações interpessoais, a capacidade de raciocínio e o trabalho, a habilidade de dirigir e a saúde cardiovascular”, destaca a médica.

Não é pequeno o número de pessoas, que apesar de dizerem que dormem a noite toda, acordam muito cansadas, como se não tivessem dormido nada. Cochilam quando interrompem as atividades diárias, ou o que é pior, dormem durante as mesmas, em reuniões de trabalho, enquanto assistem aulas e até no volante de seus automóveis, com relatos de maiores índices de acidentes automobilísticos entre eles.

“Conhecemos muito bem os vários fatores de risco para as doenças do coração. Tabagismo, diabetes, hipertensão arterial, obesidade, sedentarismo e níveis elevados de colesterol são os mais conhecidos. Nos últimos anos, temos tido evidências convincentes de que a apnéia do sono deve ser adicionada a essa lista. Muitos trabalhos científicos têm revelado aumento da taxa de mortalidade cardiovascular em pacientes portadores da apnéia do sono”, informa a endocrinologista.
O papel do sono inadequado como fator de risco cardiovascular tem mudado a condução da consulta médica nos consultórios dos cardiologistas, que passaram a investigar o sono dos seus pacientes.

“Os pacientes com apnéia do sono apresentam grande variabilidade da pressão arterial durante o sono. Neles, pode deixar de ocorrer o descenso noturno observado nos indivíduos normais e até ocorrer elevações absolutas da pressão arterial durante o sono, mesmo nas situações em que há valores normais durante o dia”, conta Ellen Paiva.

Cerca de 40 a 90% dos pacientes com apnéia do sono tem hipertensão arterial e mais de 83% dos pacientes hipertensos, que não respondem ao tratamento, tem apnéia do sono. Assim, a apnéia do sono deve ser pesquisada em todos os pacientes hipertensos obesos e refratários ao tratamento da pressão alta.

Um diagnóstico preciso – a polissonografia

A polissonografia tornou possível o diagnóstico preciso da apnéia do sono, bem como a definição do grau de intensidade do distúrbio.

Para realizá-lo, o paciente deve dormir uma noite no laboratório, quando devem ser aferidos vários parâmetros, como o grau de oxigenação do sangue, pressão arterial eletroencefalograma, freqüência respiratória e pausas respiratórias, eletrocardiograma, e vários outros sinais clínicos que podem nos indicar a qualidade do sono.

As formas de tratamento da apnéia do sono

“A perda de peso deve ser sempre a primeira forma de tratamento a ser tentada. Ela melhora as condições respiratórias como um todo e, muitas vezes, é definitiva para a normalização do sono”, recomenda e endocrinologista Ellen Simone Paiva.

O uso de álcool e sedativos relaxa a musculatura das vias aéreas superiores e pode agravar ou mesmo causar a apnéia do sono e, portanto, devem ser evitados. Em alguns casos, a obstrução da via aérea ocorre mais frequentemente com o decúbito dorsal, sendo o decúbito lateral a posição mais favorável à respiração durante o sono.

“Além da perda de peso, o tratamento de escolha na síndrome da apnéia do sono é o uso de máscara nasal durante a noite, com o intuito de causar pressão positiva contínua (CPAP), prevenindo o fechamento e estreitamento das vias aéreas durante o sono”, diz a médica. Os níveis de pressão da máscara devem ser ajustados através da polissonografia e da redução do índice de apnéia. O tratamento cirúrgico da apnéia do sono pode ser tentado em casos especiais, mas tem menor eficácia que o CPAP.

Para participar de um debate sobre obesidade e apnéia do sono, acesse:
http://www.citen.com.br/destaque-do-mes

CONTATO:
www.citen.com.br
faleconosco@citen.com.br
http://twitter.com/Citensp

Teatrokê - de Ricardo Karman

Ricardo Karman estreia o Teatrokê e leva o público para o palco do Centro da Terra

Fotos: Ana Fuccia
Consagrado por montagens ousadas e inusitadas, o artista multimídia Ricardo Karman estreia, dia 27 de abril (terça-feira, às 21 horas), o Teatrokê, sua nova criação que promete muito humor e diversão ao levar o público para o palco do Teatro do Centro da Terra. Esse espetáculo também faz parte das comemorações do aniversário dos 21 anos da Kompanhia do Centro da Terra.

Com formato inédito no Brasil, o Teatrokê de Karman tem como personagens principais voluntários presentes na plateia, que terão a oportunidade de participar da encenação de peças inéditas curtas, escritas especialmente para este projeto por dramaturgos da cena paulistana contemporânea, entre eles Marcelo Rubens Paiva, Samir Yazbek, Mário Bortolotto e o próprio Ricardo Karman. O cardápio teatral oferece também cenas e esquetes de diversos outros autores, adaptados especialmente para o espetáculo, entre eles Jô Bilac, Shakespeare, Karl Valentin e Ibsen.

O termo teatrokê já foi utilizado por outras companhias, mas a novidade introduzida pela Kompanhia do Centro da Terra - e que garante a eficiência do formato - é a utilização do ponto eletrônico sem fio que transmite as informações diretamente ao ouvido do público. Desta forma, qualquer espectador pode subir ao palco e transformar-se em ator principal e, como protagonista, interpretar personagens complexos ao lado de atores profissionais, devidamente ensaiados.

A produção é esmerada com cenário, figurino, iluminação, adereços e trilha sonora. O objetivo do diretor é proporcionar muita diversão para o público que, por sua vez, terá a oportunidade de realmente atuar diante de uma plateia de verdade. Experiência única para muitos que nunca a teriam de outra forma. O desejo de Karman sempre foi colocar o público atuando no palco. Agora, com o seu wireless Teatrokê, esse desejo foi realizado.

O Teatrokê dá continuidade a 18 anos de pesquisa em interatividade com o público que Karman, fundador da Kompanhia do Centro da Terra, desenvolve desde a sua histórica montagem de A Viagem ao Centro da Terra, no túnel sob o rio Pinheiros, em 1992. Para Karman o público é sempre o protagonista da aventura. O conceito de participador, ou do público-herói, como ele prefere chamar, é a idéia que está por trás de todos os seus trabalhos interativos inclusive do Teatrokê.

A Kompanhia do Centro da Terra, fundada em 1989 completa a maioridade este ano. E nesses seus 21 anos de idade tem desenvolvido um trabalho reconhecido e consistente na área das linguagens multimídia, produção de espetáculos, textos inéditos, debates e a manutenção de um espaço cultural que tem o mesmo nome do grupo.

O espetáculo

Um mestre de cerimônias recruta os voluntários da platéia (sempre respeitando os que não querem participar) e os conduz aos bastidores do teatro – ao mundo do Teatrokê – para serem brifados sobre o personagem e preparados cenicamente. O participante tem à sua disposição adereços, figurinos de diversos tamanhos e todos os recursos necessários para auxiliá-lo na interpretação. Os atores-faladores que passam, através do ponto eletrônico, as instruções e o texto para os voluntários no palco ficam em uma cabine acústica especial; eles conhecem os textos e ensaiaram os papeis. Estão, portanto, aptos a transmitir as falas na cadência adequada e dramaticamente preparada para o fácil entendimento do receptor. O público-receptor que sobe ao palco tem um nome especial: é o Outrokê!

Como o público reagirá é a grande incógnita; esta é a variável que fará de cada apresentação uma aventura. “É também aí que reside uma pesquisa maior do trabalho: o público e suas reações. O que fazer para aprimorar o resultado e melhor amparar o público?”. Diz o criador. A idéia é tão simples que pode ser facilmente banalizada, mas Karman rebate: “O Teatrokê não é tão simples quanto parece. O falador tem que entrar em sintonia com o seu avatar, o seu outrokê que está no palco. Uma relação de confiança tem que se estabelecer entre eles. É mais do que uma simples transmissão de palavras. É fundamental, que o ator-falador transmita ao seu receptor informações não verbais como intenções e emoções, por exemplo. É só pensarmos nos anos de ouro da Era do Rádio e suas novelas extraordinárias: quanta emoção era transmitida aos nossos ouvidos! O Teatrokê orbita esse mundo da transmissão e recepção oral. É aqui que reside uma parte importante dessa experiência artística: na íntima mimese do falador pelo receptor.”

A encenação do Teatrokê tem como pano de fundo a exaltação ao teatro - uma metalinguagem em que o teatro fala do próprio teatro. “Queremos que o público se divirta e conheça o mundo do teatro. Queremos que ele aproveite ao máximo a sua experiência cênica de forma que, além do desafio da atuação, ele também entenda os bastidores da montagem de uma peça teatral e aumente o seu interesse pelo teatro de uma maneira geral”, finaliza Karman.

A banalização da idéia é tão possível quanto seu aprofundamento teórico. Mas uma coisa não deixa dúvida: é uma experiência inédita, interessante e para lá de divertida!

Espetáculo: Teatrokê ®
Direção: Ricardo Karman
Textos inéditos: Marcelo Rubens Paiva, Samir Yazbek, Mario Bortoloto e Ricardo Karman.
Textos adaptados: Shakespeare, Karl Valentin e Henrik Ibsen e outros.
Elenco fixo: Yunes Chami, Mário De La Rosa, Vivian Bertocco, Gustavo Vaz, Xande Mello.
Cenografia e adereços: Otavio Donasci
Figurinos: Joana Porto
Iluminação e sonoplastia: Kompanhia do Centro da Terra
Assistente de direção: Bernardo Galegale
Produção de figurino e adereços: Helena Ramos
Produção: Rachel Brumana
Estreia: 27 de abril – terça – às 21 horas
Teatro do Centro da Terra – www.centrodaterra.com.br
Rua Piracuama, 19 - Vila Pompeia/SP – Tel: (11) 3675-1595
Temporada: terças-feiras – às 21 horas – De 27/04 a 31/08
Ingressos: R$ 10,00 (¹/2 entrada: R$ 5,00) – Duração: 75 min. – Gênero: comédia Capacidade: 100 lugares - Classificação etária: 14 anos
Ar condicionado e acesso universal. Serviço de bar. Bilheteria: seg. a sex. (10h às 12h e 13h às 17h ou 2h antes das sessões). Aceita cheque e dinheiro. Não aceita cartões. Estacionamento grátis (vagas limitadas). Ingressos antecipados: www.ingressorapido.com.br (tel.: 4003-1212).

Fórum orienta sobre a proibição da venda de bebida alcoólica a menores na Freguesia/ Brasilândia

No próximo dia 28 de abril será realizado na Casa de Cultura Salvador Ligabue, no Largo da Matriz, o “I Fórum de combate a comercialização de bebida alcoólica a menores de idade da região da Freguesia/ Brasilândia”.

O objetivo do fórum é orientar e conscientizar os comerciantes de bares, restaurantes e supermercados locais sobre o perigo que representa vender bebida alcoólica a adolescentes e crianças. Estarão presentes: comerciantes locais, dirigentes de escolas municipais e estaduais, conselheiros tutelares, representantes do Ministério Público, presidentes dos CONSEG’s (Conselhos de Segurança) locais, comando regional da Policia Militar, Civil e Guarda Civil Metropolitana, representantes do Instituto Sou da Paz, imprensa local, CMDCA (Conselho Municipal de Políticas Publicas de Drogas e Álcool), CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Supervisão de Saúde, entidades religiosas, alcoólicos anônimos e CRAS (Centro de Referencia em Assistência Social) Freguesia.

O evento que está sendo organizado pelo COMUDA (Conselho Municipal de Políticas Publicas de Drogas e Álcool), em parceria com a Subprefeitura Freguesia/ Brasilândia e CDR – Coordenadoria de Atenção às Drogas, também será importante para informar qual iniciativa deve ser tomada quando um jovem menor de idade é flagrado ingerindo bebida alcoólica. O encontro é aberto a sociedade civil que poderá tirar dúvidas sobre o assunto.


Serviço
Evento: I Fórum de combate a comercialização de bebida alcoólica a menores de idade da região da Freguesia/ Brasilândia
Data: 28/04/2010 – quarta feira
Horário: das 9h00 as 12h00
Local: Casa de Cultura Salvador Ligabue – Largo da Matriz, 215.
Para mais informações: 3981-5059 falar com Rubens Morais

Avenida recebe melhorias no Jardim Damasceno

A Subprefeitura Freguesia/Brasilândia está reformando 251 metros de guia e sarjeta da Avenida Deputado Cantídio Sampaio, na altura do número 4.400 no Jardim Damasceno. O trecho estava bem deteriorado e era alvo de reclamações de moradores da região.

Os trabalhos começaram dia 29 de março e tem previsão de término para o dia 30 de abril. A intervenção ainda prevê o recapeamento do leito carroçável (2 mil metros), reforma do passeio público (270 metros) e a adequação do sistema de captação das águas pluviais. Vale lembrar que depois dos serviços concluídos, o trecho será recapeado.

A Avenida Deputado Cantídio Sampaio é principal via de acesso entre Brasilândia e Pirituba, por isso recebe o trânsito pesado de milhares de veículos diariamente.

O Falecido estreia em comemoração aos 11 anos do N.Ex.T

Foto: Antonio Rocco
Para comemorar os 11 anos do N.Ex.T (Núcleo Experimental de Teatro), a companhia remonta seu maior sucesso, O Falecido, de Antonio Rocco, que estreia dia 7 de maio, sexta-feira, às 21h30.

Depois do enorme sucesso da primeira montagem, em 2002, O Falecido volta à cena para divertir o público de todas as idades. O espetáculo é composto de duas pequenas peças: Amor à Vista e O Falecido. Em Amor à Vista um casal se encontra na sala do Cartório à espera de seus respectivos noivos que estão atrasados. Na segunda peça, O Falecido, um homem acorda na sala de seu próprio velório.

Segundo o autor/diretor Antonio Rocco, a principal diferença desta nova montagem é “a atuação do ótimo elenco, composto por Lulu Pavarin, Antonio Destro, Luciana Caruso, Ivan Capúa e Mario Mathias; todos já participaram de várias produções do N.Ex.T, em 2008, no primeiro Festival do Teatro Grotesco e na A Loucadora de Vídeo, em 2009”.

O Falecido volta com o mesmo frescor de comédia inteligente, despretensiosa, criada para levar o bom humor às mais variadas plateias. “Procurei fugir da farsa. Considerando as devidas licenças poéticas, quanto mais de verdade for o trabalho, mais contagiante e mais divertido fica o espetáculo”. Comenta Antonio Rocco.

Sinopses

Amor a Vista tem 20 minutos de duração. Dois noivos, Berenice e Benedito, se encontram em um cartório à espera de seus respectivos pares. Ambos, nervosos com o atraso das caras metades, disputam quase que a tapa a única cadeira disponível. O Juiz de Paz aparece para comunicar que o cartório fechará em cinco minutos. A espera fica ainda mais aflitiva, quando descobrimos que milhões de reais estão em jogo.

O Falecido tem 40 minutos de duração. Hermelindo Saraiva acorda em seu próprio velório. Ao escutar passos no corredor, sem saber se está vivo ou morto, resolve ficar bem quietinho no caixão. Um a um, amigos e parentes aparecem para relatar os terríveis acontecimentos e as baixarias que motivaram a sua morte. Muito envergonhado, sem se lembrar de nada do que aconteceu na noite passada, Hermelindo ainda terá muitas surpresas nesta fúnebre e hilária manhã de ressaca.

11 anos do N.Ex.T

O espetáculo é só o pontapé inicial nas comemorações dos 11 anos do espaço. Além da estréia de O Falecido estará em cartaz as Sextas-Sexys: espetáculo de variedades, com artes plásticas, bandas, DJs, performances, Drops teatrais e muito mais. “Com mesma filosofia que lançamos, em 2001, a Terça Insana, é um show com convidados e amigos da casa que servirá também para revelar novos talentos. Um show de dança, artes plásticas, teatro, música, circo e o que mais acontecer”, explica Rocco, diretor do N.Ex.T. Para o segundo semestre está programado um festival de teatro com os principais autores da cena paulistana.

Em seus 11 anos, o espaço, além das produções próprias, viabilizou mais de 100 espetáculos de grupos teatrais e já viu passar por seu palco mais de uma centena de dramaturgos, tendo sido importante laboratório para a maioria dos atuais autores da cena paulistana. Entre os inesquecíveis da década, Rocco destaca o primeiro texto de Newton Moreno, que foi lido no N.Ex.T, e as várias peças de Mario Bortolotto, que também estrearam ali. Entre as produções próprias, além do Terça Insana, em 2001 e 2002, que mudou a cara do humor paulistano, Rocco recorda a peça de maior sucesso: O Falecido, com mais de 100 apresentações e 5.000 espectadores.

Sobre o autor e diretor

Antonio Rocco nasceu em São Paulo, em 1961. Escreve para teatro desde 1980. Iniciou seus estudos em dramaturgia com Renata Pallottini na ECA/USP. Estudou direção com Fernando Peixoto e Marcio Aurelio. Atuou no TECA - Teatro Experimental da ECA coordenado por Miroel Silveira. Escreveu crônicas para o jornal Diário Popular, em 1996 e 1997. Participou do grupo de dramaturgia Núcleo dos Dez, coordenado por Luís Alberto de Abreu. É autor dos livros O Teatro de Antonio Rocco – Coleção Aplauso/Imprensa Oficial; O Falecido e Outras Comédias (Editora N.Ex.T) e Três Peças Curtas / Teatro na Escola (Editora Aquariana). Escreveu para o projeto Teleconto da TV 2 – Cultura, sob coordenação de Chico de Assis. Em 2008, participou da equipe de roteiristas do seriado 9mm (Canal Fox). Criou e dirige o N.Ex.T (Núcleo Experimental de Teatro), fundado em 1999, espaço exclusivamente dedicado à apresentação da nova dramaturgia brasileira.

Encenou e dirigiu oito de suas peças em circuito comercial: Os Dez Mandamentos do Jogo dos Sete Erros (1994/1995 - com Grace Giannoukas, Luciene Adami e Cláudio Chakmat); A Alegria do Palhaço (2000 - com Carin Feres), O Falecido (2002 - com Grace Gianoukas, Otávio Mendes, Marat Descartes, Daniela Duarte, Roney Facchini, Luciane Adami, Sidnei Caria e Nilton Bicudo); A Um Passo da Tragédia (2003 - com Mila Ribeiro e Tatiana Thomé); A Estranha (2004 - com Newton Bicudo e Melissa Vaz, Lulu Pavarini/Arlete Montenegro, Sérgio Corsetti e Reinaldo Taunay, direção de André Garolli); Textículos - Textos Minúsculos Para Teatro (2006/2007 - com Lulu Pavarim, Daniela Castelini, Javert Monteiro, Antonio Destro, Ivan Capúa, Fernanda Pirondi, Gabriela Scarcelli, Elam Lima); A Alegria do Palhaço (2008 - com Roney Facchini) e Feriado Nacional no 1º Festival do Teatro Grotesco; em 2009 A Loucadora de vídeo, com Lulu Pavarin, Luciana Caruso e Ivan Cápua.

Sobre o N.Ex.T.

Centro de produção e difusão da nova dramaturgia brasileira em espetáculos experimentais de qualidade, sempre com preços populares, o N.Ex.T, acumula dez anos de existência, além de produções próprias como Terça Insana, O Falecido e o 1º Festival do Grotesco. Já viabilizou mais de 80 montagens de grupos convidados que não teriam espaço em teatros comerciais. O N.Ex.T, apresentando novos talentos, se transformou em um pólo de atração de público à região central de São Paulo. Além do público em geral e moradores da região, os espectadores do N.Ex.T são críticos, jornalistas, artistas, profissionais e estudantes de teatro que se interessam por novos caminhos e possibilidades nas artes cênicas. A abertura do N.Ex.T aconteceu em junho de 1999. Idealizado por Antonio Rocco e Celso Curi, estreou com a peça O Caderno Rosa de Lori Lamby, adaptação do livro de Hilda Hilst, com a atriz Iara Jamra e direção de Bete Coelho.

Desde então, diversos autores brasileiros contemporâneos tiveram seus trabalhos apresentados no N.Ex.T, entre eles, Pedro Vicente, Aimar Labaki, Clarice Lispector, Ângela Dip, Paulo Rogério, Gisela Arantes, Bianca Ramoneda, Alexandre Stockler, Dionísio Neto, Cristina Mutarelli, Alice K., Elias Andreato, Alcides Nogueira, Eliseu Paranhos, Alberto Guzik e Wolff Rothstein, Eduardo Figueiredo, Vange Leonel e Heloisa Pait, Newton Moreno, Patrícia Gaspar, Grace Gianoukas (Terça Insana), Lena Roque, Mário Bortolotto, Renata Melo, Antonio Rocco, Grupo Caixa de Imagens, Mário de Andrade, Silvia Rinaldi, Nelson Rodrigues, César Vieira, Otávio Mendes, Marcelo Médici, Marcelo Mansfield, Fernando Bonassi, Roberto Athaide, Alexandra Golik, Marcelo Fonseca, Mário Viana, Alessandro Marson, Leo Lama, Leo Chacra, Jorge Miguel Marinho, Maurício Paroni de Castro, Elzermann Neves, Paulo Moraes, Otávio Frias, Lena Whitaker, Lucianno Maza, Sérgio Roveri, Newton Cannito, Hugo Possolo...

Serviço

Para roteiro
Espetáculo: O Falecido - Estreia dia 7 de maio de 2009, sexta, às 21h30. Texto, direção e cenografia: Antonio Rocco. Assistência de direção: Jussara Felix. Produção: N.Ex.T. Figurinos: Cássio Brasil Arte gráfica: Nino Dastre. Trilha original: Tunica Preparação corporal: Helena Ciampolini. Cenotécnica e operação: Ivan Fagundes. Iluminação: Marcos Loureiro. Elenco: Antonio Destro, Lulu Pavarin, Luciana Caruso, Ivan Cápua e Mário Mathias. Temporada: sextas e sábados às 21h30, domingos às 19h30. Duração: 60 minutos. Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia). Classificação etária: 12 anos. Gênero: Comédia. Sinopse – Duas pequenas peças compõe o espetáculo, em O Falecido: Um homem acorda em seu próprio velório; em Amor à Vista: Um casal se encontra no cartório à espera de seus respectivos noivos que estão atrasados.

N.Ex.T – Rua Rego Freitas, 454 – Vila Buarque. Próximo à estação República do Metrô. Bilheteria 1h antes do espetáculo. Ar condicionado. Acesso universal. Capacidade: 70 lugares. Estacionamento conveniado no subsolo a R$ 5,00. Aceita cartão de crédito e débito, cheque e dinheiro. Telefone: (11) 3259-9636 e (11) 3255-3642.
Site: www.teatronext.com.br.

Temporada: de 7 de maio de 2010 a 25 de julho de 2010. Horários: sextas e sábados às 21h30 e domingos às 19h30.

PRESTAÇÃO DE CONTAS DA PREFEITURA

A Prefeitura de São Paulo disponibiliza em seu site, a partir desta segunda-feira (19), um espaço dedicado a prestar informações detalhadas sobre a Dívida Pública do Município.

Por meio do endereço http://deolhonascontas.prefeitura.sp.gov.br/, no link Dívida Pública, os contribuintes poderão acessar informações sobre os contratos vigentes, pagamentos e evolução das dívidas, além da composição, gastos, causas e histórico do endividamento público Municipal.

A Prefeitura reitera, com tal divulgação, seu firme compromisso de dar total transparência sobre a Administração Pública para os paulistanos. Neste caso, são fornecidos dados sobre os contratos de Dívida Pública, e sobre o destino do dinheiro pago pelos contribuintes em impostos e tributos, também redirecionado ao pagamento de tais acordos, como o da União, por exemplo, cuja previsão de pagamento, até o final de 2010, é de cerca de R$ 2,3 bilhões.

Dessa forma, a Prefeitura mais uma vez amplia e consolida suas ações na direção da transparência e respeito ao cidadão paulistano.

ADVOGADOS PODEM APRENDER FRANCÊS COM 40% DE DESCONTO

OAB-SP, CAASP (Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo) e Aliança Francesa assinaram convênio pelo qual os advogados poderão estudar a língua francesa em condições promocionais. Pela parceria, os advogados terão 40% de desconto em grupos constituídos especificamente para a OAB-SP, além de outras vantagens. “Trata-se de mais um benefício concreto que a Ordem e a Caixa oferecem ao advogado”, afirmou Fábio Romeu Canton Filho, presidente da CAASP. “A Aliança Francesa concede um diploma reconhecido internacionalmente, válido em qualquer lugar do mundo”, acrescentou.

Entidade de caráter privado sem fins lucrativos, a Aliança Francesa está presente no Brasil há 125 anos – na cidade de São Paulo, há 75 anos.

“Os colegas que desejarem aprender ou aperfeiçoar a língua francesa terão oportunidade de fazê-lo numa escola tradicional e em condições muito favoráveis”, observou o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso. “O francês é uma língua importante para as relações mundiais. Além disso, esta iniciativa não visa somente a trazer benefícios financeiros para o advogado: ela aproxima ainda mais o Brasil e a França”, salientou.

“Esta parceria é mais uma forma de trabalharmos juntos e nos conhecermos melhor, num esforço de aprendizado mútuo que poderá desencadear outras parcerias no campo do Direito”, destacou o cônsul-geral adjunto da França em São Paulo, Marc Peltot, que esteve presente à solenidade de assinatura do convênio. Para Maurice Nahory, diretor-geral da Aliança Francesa no Brasil, a parceria irá “favorecer o intercâmbio cultural entre o Brasil e França de forma mais ampla”. O diretor-geral da Aliança Francesa no Brasil inseriu a iniciativa na esfera de “uma relação muito antiga entre a França e outros países que têm a mesma matriz do Direito Romano-germânico”.

“Historicamente, nosso Código Civil tem influência do Código Civil francês, mas não só isso: vários outros instrumentos jurídicos, a questão dos direitos humanos, a questão tributária e a penal recebem influência do Direito francês”, comentou George Niaradi, presidente da Comissão de Relações Internacionais da OAB-SP. “Esse convênio inaugura um momento de consolidação das relações internacionais da Seccional paulista de Ordem. Estamos próximos dos franceses desde o ano passado, por conta do primeiro seminário jurídico franco-brasileiro. Agora, é a oportunidade de o advogado aprender a língua francesa”, salientou.