terça-feira, 9 de março de 2010

Novidade na detecção precoce de herpes

85% da população brasileira adulta possuem o vírus e 10% apresentam a manifestação com bastante freqüência

Principal evento internacional da especialidade, o 68º Meeting da Academia Americana de Dermatologia, realizado em Miami no início de março, apresentou uma das evoluções mais consideráveis na última década nesta área: um novo teste genético que ajuda o dermatologista a prever com que frequência o paciente desenvolverá herpes.

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologista e maior especialista em herpes do Brasil, Dr. Omar Lupi, a presença deste vírus entre os brasileiros é mais comum do que se imagina: 85% da população adulta possuem o vírus e 10% apresentam a manifestação com bastante frequência.

“Sem dúvida, essa é uma novidade que não se via há muito tempo. Antes não era possível predizer a intensidade das crises de herpes de um paciente, o que causava uma certa tensão nas pessoas. Além de possibilitar a antecipação de como a manifestação se apresentará, o teste permite preparar um tratamento personalizado mais eficaz de combate ao vírus”, comemora o especialista.

Outra vantagem do teste é que ele parte de um procedimento não-invasivo e indolor, pois é realizado a partir da coleta de mucosa bucal.