ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

domingo, 1 de novembro de 2009

Anhembi Morumbi lidera esforço para disseminar procedimentos simples que salvam vidas


Dia Internacional de Ressuscitação Cardiopulmonar treinará mais de 1,3 mil pessoas nos procedimentos da American Heart Association (AHA) em seis escolas da rede internacional de universidades Laureate na América Latina; no Brasil, Anhembi Morumbi também discute como introduzir os cursos da AHA em seu currículo e nas escolas de ciências da saúde da Rede Laureate


A Universidade Anhembi Morumbi liderou em 27/10 o Dia Internacional de Ressuscitação Cardiopulmonar, que somou esforços de seis instituições de ensino superior da rede internacional de universidades Laureate, em 5 países da América Latina. Na ocasião foram treinados, no mínimo, 1.300 estudantes de saúde e leigos interessados nas técnicas de ressuscitação cardiopulmonares (RCP) da American Heart Association, principal organização internacional na cruzada da saúde do coração e que treina anualmente 12 milhões de pessoas para atuarem em emergências cardiovasculares em todo o mundo.

A Universidade Anhembi Morumbi é a única instituição de ensino superior privado no Brasil a ser membro da American Heart Association. A iniciativa de promover um treinamento em massa das técnicas básicas que salvam vidas de pessoas enfartadas -- enquanto o socorro especializado não chega -- partiu do Brasil e foi abraçada por outras universidades irmãs, que também fazem parte da rede internacional de universidades Laureate.

"A Sociedade Brasileira de Cardiologia calcula que 315 mil brasileiros morrem anualmente devido a doenças cardiovasculares, e entre essas mortes, o infarto lidera as estatísticas", comenta Sérgio Timerman, diretor da Escola de Ciências da Saúde da Universidade Anhembi Morumbi. "Cerca de 95% das vítimas do ataque cardíaco morrem antes de chegar a um hospital. Portanto, saber como proceder nestas horas pode salvar uma vida", acrescenta. De acordo com Timerman, os procedimentos defendidos pela American Heart Association são simples e fáceis de serem ministrados. Segundo ele, as técnicas de ressuscitação cardiopulmonar - que se resumem a massagens toráxicas e respiração boca a boca - ajudam a manter o fluxo sanguíneo pelo coração e cérebro e aumentam a janela de tempo em que o socorro de um desfibrilador (um equipamento que obriga o coração a se contrair, por meio de fortes descargas elétricas) pode ter sucesso.


Cada minuto contaTimerman ressalta que, após os três primeiros minutos de um ataque cardíaco, cada minuto extra sem assistência especializada diminui as chances de sobrevida do paciente entre 7% e 10%. Nesse período crítico, morrem 1,9 milhão de neurônios por minuto, informa a American Heart Association.
O Dia Global Internacional de Ressuscitação Cardiopulmonar é aberto ao público, desde que os interessados se inscrevam com antecedência. Em São Paulo, ele ocorrerá no Campus Centro, em quatro horários, pela manhã e à tarde.

Currículo obrigatório
A Universidade Anhembi Morumbi recebe Jo Haag, diretora de Treinamento Global de Programas de Emergências Cardiológicas e Cynthia Sanner, diretora de Educação e Desenvolvimento Global da Produção, ambas da American Heart Association, e especialistas como Antonio Carlos Lopes, presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica (BCM), para discutir a introdução de cursos de RCP da American Heart Association no currículo obrigatório de todos os cursos de Ciências da Saúde da rede Laureate, que reúne em todo o mundo 15 escolas de medicina e 20 escolas de ciências da saúde. O evento tem, ainda, o apoio da Associação Brasileira de Medicina de Urgência e Emergência (Abramurgem) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia.
"A rede Laureate quer oferecer a excelência dos cursos e programas da American Heart Association para o currículo das nossas Escolas de Ciências da Saúde ao redor do mundo", defende Timerman. Para ele, tanto o Dia Internacional de Ressuscitação Cardiopulmonar quanto a discussão da inserção nos currículos dos cursos da AHA são iniciativas que remetem ao compromisso da rede internacional de universidades Laureate com a qualidade acadêmica e a responsabilidade social.

Escola de vanguarda
No Brasil, a Escola de Ciências da Saúde da Universidade Anhembi Morumbi oferece 15 diferentes cursos. Ela baseia-se em três pilares, os quais contemplam uma sólida fundamentação acadêmico-científica, a ênfase nas práticas de simulação e o desenvolvimento contínuo das habilidades clínicas. Possui uma infraestrutura diferencida para aulas práticas e multidisciplinares desde o início dos cursos. Um exemplo é o seu Centro de Treinamento e Simulação da Escola de Ciências, no qual já formam investidos R$ 10 milhões e que é o maior e mais bem equipado da América Latina. Ele compreende 23 ambientes e mais de 70 equipamentos de realidade virtual, entre robôs com softwares, manequins e peças que simulam as reações do corpo humano e permitem diversos procedimentos médicos. Nele, a simulação é usada como uma ferramenta do ensino de práticas de saúde que permite que os procedimentos da área possam se repetir à exaustão, até se atingir a perfeição, sem risco do erro médico, desde o primeiro semestre de aulas.

Sobre a Anhembi Morumbi
A Universidade Anhembi Morumbi, uma universidade de fronteiras e mentes abertas, conta hoje com mais de 25 mil alunos e é a primeira instituição internacional de ensino superior do Brasil. Desde 2005 faz parte da rede internacional de universidades Laureate, a maior do mundo, presente em 20 países, com 45 instituições de ensino superior, cem campi, totalizando cerca de 550 mil alunos.
São oferecidos programas de graduação, graduação tecnológica e pós-graduação lato e stricto sensu. Possui sete escolas, abrangendo as áreas de Ciências da Saúde; Turismo e Hospitalidade; Negócios e Direito; Artes, Arquitetura, Design e Moda; Comunicação; Engenharia e Tecnologia; e Educação. Seus cinco campi estão localizados na Avenida Paulista, na Vila Olímpia, no Centro, no Morumbi e no Vale do Anhangabaú.
Prestes a completar 40 anos em 2010, a Universidade Anhembi Morumbi possui laboratórios de última geração e diferenciais como o International Office que já enviou, desde 2006, mais de mil alunos do Brasil em cursos no exterior e recebeu uma centena de estrangeiros em cursos em São Paulo. Outras vantagens são programas de dupla titulação - permitindo ao aluno ter diplomas validados no Brasil e em outros países -- e o Global Career Center, um portal com 65 mil oportunidades de estágios e postos de trabalho no Brasil e no exterior.


Sobre a American Heart Association e seus programas de Ressuscitação Cardiopulmonares (ECC)
Fundada em 1924, a American Heart Association é a maior mais antiga organização voluntária na área da saúde dos Estados Unidos, dedicada a construir vidas mais saudáveis, livres de doenças cardíacas e de infartos. Para ajudar na prevenção no tratamento e na derrota dessas doenças, a AHA financia pesquisas estado da arte, lidera programas educacionais junto a leigos e profissionais da área de saúde para salvar vidas e atua na defesa da saúde pública. A associação já traduziu alguns de seus produtos de ressuscitação cardiopulmonar em sete línguas e treina anualmente 12 milhões de pessoas nessas técnicas em mais de 100 países.
Acesse o site: http://www.americanheart.org/



Alguns fatos sobre as técnicas de Ressuscitação Cardiopulmonar

Morte súbita
• A morte súbita pode ocorrer a qualquer pessoa, a qualquer hora. Muitas vítimas podem ter a aparência de pessoas saudáveis e desconhecerem o fato de terem doenças cardíacas ou outros fatores de risco.
• A morte súbita não é a mesma coisa que um infarto. Ela ocorre quando impulsos elétricos no coração se dão muito rapidamente ou de forma caótica, o que causa uma interrupção súbita dos batimentos cardíacos. Um infarto ocorre quando o suprimento de sangue a parte do músculo do coração é bloqueado. Um infarto pode levar à morte súbita.

Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP)
• Se técnicas de ressuscitação cardiopulmonares ou o uso de um desfibrilador não forem providenciados logo após o colapso, em questão de minutos, pouquíssimas tentativas de ressuscitação têm sucesso.
• Para cada minuto sem a adoção de técnicas de ressuscitação cardiopulmonar, as chances de sobrevivência da vítima caem entre 7% e 10%.
• Técnicas de ressuscitação cardiopulmonares, quando providenciadas imediatamente nos casos de morte súbita podem dobrar ou triplicar as chances de sobrevivência da vítima.
• A American Heart Association treina anualmente 12 milhões de pessoas nas técnicas de ressuscitação cardiopulmonar, incluindo profissionais de saúde e leigos.
• O ritmo mais eficaz de compressão toráxica é de 100 vezes por minuto - o mesmo ritmo da batida da canção "Staying Alive", dos BeeGees.

Apenas massagem toráxica• Usar apenas a massagem toráxica nas técnicas de ressuscitação cardiopulmonar- sem a prática de respiração boca a boca - provou-se ser mais eficaz do que a prática tradicional de respiração boca a boca nos casos de morte súbita.

RCP a qualquer momento (CPR Anytime)
• CPR Anytime é um kit de treinamento da American Heart Association que inclui um DVD e um manequim inflável e reutilizável para a prática de RCP, o Mini Anne.

*
*
*
Publicidade:
Produtos e preços sujeitos à alteração de acordo com disponibilidade no estoque