ASSISTA OS NOSSOS PROGRAMAS

domingo, 21 de junho de 2009

AMERICANA reune especialistas voluntários para aprimoramento em atendimento

Encontro de especialistas e voluntários busca a melhoria do atendimento aos portadores de câncer de mama
No dia 23 de junho, terça-feira, acontece a 4ª Jornada de Aprimoramento do Trabalho Voluntário contra o Câncer de Mama, com a participação de voluntários de todo o País e até da América Latina Especialistas vão dar palestras, traçar um panorama atual da doença e discutir técnicas e recursos para a humanização do atendimento e tratamento a quem tem câncer de mama. A jornada acontece no Teatro do Sesi.

Para traçar um panorama atual sobre o Câncer de Mama e discutir as melhores formas para um atendimento mais eficiente e humanizado, especialistas e grupos de todo o país reúnem-se na 4ª Jornada de Aprimoramento do Trabalho Voluntário contra o Câncer de Mama. O encontro, promovido pela Americamama, acontece na próxima terça-feira, dia 23 de junho, das 8h às 18h, no Teatro do Sesi (av. Paulista, 1.313). Serão abordados assuntos ligados à prevenção, tratamento, perspectivas e combate do câncer de mama - o segundo tipo de câncer mais freqüente no mundo e o mais comum entre as mulheres A iniciativa tem apoio da Fiesp e do Sesi. Para participar é preciso preencher a ficha de inscrição que consta no site www.americamama.org.br e pagar a taxa de R$ 35,00.
O público-alvo da Jornada são os grupos voluntários e não filiados, do Brasil e da América Latina, que trabalham no atendimento aos portadores do câncer de mama. Estão confirmadas as presenças de grupos de cidades como Recife, Goiânia, Campo Grande, Porto Alegre, Uberaba, Belo Horizonte Presidente Prudente, Valinhos, Iracenópolis, Piracicaba, Praia Grande e Blumenau. Também vem ao Brasil voluntárias da Fundação de Câncer de Mama da Bolívia, para relatar as experiências vividas pelo grupo naquele país. “O evento também é procurado por profissionais que atuam na área, como fisioterapeutas, nutricionistas, teapeutas ocupacionais e mastologistas intereressados em conhecer mais de perto o que necessitam e sentem os pacientes”, conta Mônica Heinz Ar ruda, presidente da Americamama, associação que funciona como uma coalizão de grupos de trabalho voluntário contra o câncer de mama na América Latina.
Segundo Mônica, o objetivo principal da Jornada é “instruir e capacitar voluntários e profissionais, através de palestras e trocas de experiências, para um atendimento melhor e mais humanizado aos portadores de câncer de mama”. Ela afirma ainda que a Jornada é um “evento multiplicador”, porque quando retornam às suas cidades essas pessoas repassam os conhecimentos adquiridos nas palestras dos especialistas ou dos grupos. “O câncer de mama é uma doença tratável e a descoberta precoce é a chave para a sobrevivência. Por isso o trabalho de conscientização das mulheres é tão importante”, afirma Mônica.

Sobre a Americamama
A Americamama é uma ONG de projeção internacional que reúne mais de 20 mil mulheres associadas no Brasil e na América Latina. Conta com 120 grupos filiados, em 19 Estados do país. A cada ano, cerca de 50 mil mulheres são detectadas com câncer de mama no Brasil. É a forma mais comum de câncer em mulheres - afetando, em algum momento de suas vidas, aproximadamente uma em cada 13 mulheres que atingem os 90 anos no mundo ocidental. É a segunda maior causa fatal de câncer em mulheres.
A Americamama funciona como uma coalizão de grupos de trabalho voluntário. Esses grupos são formados por mulheres que estiveram doentes ou têm relação com a doença através alguém da família e, sensibilizadas, procuram ajudar no que for possível para que as pacientes se recuperem e levem uma vida mais harmoniosa e com qualidade durante o tratamento. Elas funcionam como um importante elo entre o médico e as pacientes .
A entidade surgiu em 2004, durante um Congresso Latino Americano de Mastologia, quando diversas delegações de médicos dos vários países participantes relataram que enfrentavam o mesmo tipo de problema: poucos grupos de trabalho voluntário contra o câncer de mama, ausência de voluntários capacitados e falta de troca de experiência entre os grupos. Diante do problema, o doutor Alfredo Barros idealizou, em conjunto com diversas outras pessoas presentes ao evento, a fundação de uma ONG, que pudesse atuar na prevenção do câncer de mama na América Latina. A intenção era montar uma organização não governamental, baseada nos mesmos modelos de outras organizações já existentes na Europa e Estados Unidos.
O objetivo principal da Americamama é colaborar com os grupos já existentes e formar outros em cidades ou regiões onde ainda não existam grupos de voluntários no atendimento aos portadores de câncer de mama, através de cursos de capacitação, encontros, simpósios, eventos e orientação médica.
A Americamama visa também servir de tribuna para sensibilizar autoridades públicas dos países latino-americanos a disponibilizarem recursos para implantação das mais modernas técnicas de prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação para toda a população, lutando por maior humanização da Saúde nas diferentes regiões através de ações voluntárias conjuntas, ativas e intensas.
Todo esse empenho tem a finalidade maior de envolver toda a sociedade e conscientizar homens e mulheres que o câncer de mama tem cura.

Veja a programação da Jornada
Terça-feira, 23 de junho

das 8h às 8h30 – Recepção e credenciamento
das 8h30 às 9h – Abertura

das 9h às 9h50 - O doutor Antonio Carlos Buzaid, diretor geral do Centro de Oncologia do Hospital Sírio Libanês, dá palestra sobre “Tratamento do Câncer de Mama em 2009”.

das 9h50 às 10h – Perguntas

das 10h às 10h30 – Gisele Brandt, vice-presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira do Câncer, fala sobre os “Cuidados com o braço do lado operado: linfonodo sentinela e dissecção axilar total”. A palestra abordará as definições de linfonodo sentinela (LS) e dissecção axilar total (DAT) nos tipos de câncer de mama e fisioterapia em DAT e LS (pré-operatório, pós-operatório e cuidados).

das 10h30 às 11h – Coffee break (incluso na taxa de inscrição)

das 11h às 11h30 – Fátima Canuto, da Rede Feminina Nacional de Combate ao Câncer, fala sobre as “Conquistas e Desafios” vivenciados pela entidade que presidente. A palestra será baseada em um documentário de quatro minutos sobre a realidade das mulheres mastectomizadas no Nordeste.

das 11h30 às 11h50 – O grupo Alicc, de Limeira, conta suas experiências.

das 11h50 às 12h10 – Rosana Soares Bonanho, supervisora do serviço social do Hospital Sírio Libanês, fala sobre “A atuação do Serviço Social no atendimento ao paciente com câncer de mama”.

das 12h10 às 12h30 – A terapeuta ocupacional Sandra Cavalcante Monteiro, terapeuta ocupacional, técnica em radiologia médica e pós-graduada em Gestão em Saúde e Saúde Pública, fala sobre a “Mamografia e seus cuidados”.

Das 12h30 às 12h40 – A doutora Cristina Abdala, dermatologista do Hospital Sírio Libanês, fala sobre a “Estética da pele no século 21”.

das 12h40 às 13h – A psicóloga Ivete de Souza Yavo, colaboradora e pesquisadora do Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde da USP disserta sobre “Saúde e Doença: a mulher na família de hoje”. O objetivo da palestra é abordar questões relacionadas à dinâmica familiar e o papel da mulher moderna, principalmente quando há um diagnóstico de doença grave. Também discute questões ligadas ao feminino, à sexualidade e a uma nova forma de posicionamento diante da vida.

das 13h às 14h – Almoço (incluso na taxa de inscrição)

das 14 às 14h30 – O doutor Rubens Prudêncio, coordenador da Residência Médica em mama do Hospital São Cristóvão, disserta sobre a “Humanização do tratamento de paciente com câncer de mama”. Em sua palestra, vai desmistificar conceitos relacionados a excesso de exames e sua periodicidade no acompanhamento de pacientes com câncer de mama. Busca também conscientizar sobre custos e valorizar o exame clinico e anamnese, como importantes para o controle da doença.

das 14h30 às 14h50 – Rosa Maria Añez, psicóloga organizacional e fundadora da Mi Refugio, espaço especializado para apoio dos pacientes de câncer de mama, na Bolívia, fala sobre “Experiência do Grupo Latino-Americano”. A palestra vai abordar o trabalho do grupo e orientará sobre os tratamentos e a melhoria da qualidade de vida nas pacientes com câncer de mama.

das 14h50 às 15h10 – Cristina Aparecida Gonzalez Babo fala sobre “O simbolismo do corpo e o câncer”.

das 15h10 às 15h30 – Coffee break (incluso na taxa de inscrição)

das 15h30 às 16h – A médica ginecologista, mastologista e diretora médica do Instituto Avon fala sobre “O sucesso do Projeto Avon”. A palestra vai informar sobre a atuação do instituto e apresentar seus resultados, além de ressaltar a importância da responsabilidade sócio-empresarial.

das 16h às 16h20 – Adenailde Alves Batista da Silva, de 34 anos, dá depoimento sobre como enfrentou o câncer de mama junto durante o período da gravidez.

das 16h20 às 16h40 – Exposição sobre as atividades da Americamama em 2009

das 16h40 às 17h10 – Entretenimento - Apresentação dos Contadores de histórias do grupo Sansakroma.

das 17h10 às 18h – Entretenimento – Show do cantor Jordão Santos, cover de Elvis Presley

Para fechar a jornada, haverá sorteio de um colar de pérolas.

Palestrantes da jornada

Dr. Antonio C Buzaid
Graduado pela Universidade de São Paulo, recebeu o Prêmio Fundação Rockfeller de Melhor Aluno de Cadeiras Básicas, Fellowship em Hematologia e Oncologia na Universidade do Arizona e Prêmio Eleanor B Connel de melhor fellow. Também é ex-professor assistente da Universidade de Yale, diretor médico do Centro de Melanoma e co-diretor do Centro de Câncer de Pulmão desta universidade por quatro anos. Ainda foi professor associado do Hospital MD Anderson Cancer Center e diretor médico do Centro Multidisciplinar de Melanoma e Câncer de Pele por cinco anos. Atualmente é diretor geral do Centro de Oncologia do Hospital Sírio Libanês.

Gisele BrandtFisioterapeuta motora com atuação em oncologia desde 1990. Também é vice- presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira do Câncer.

Maria de Fátima Moreira Canuto RochaAdvogada e empresária, atualmente é presidente da Rede Feminina Nacional de Combate ao Câncer e da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Alagoas.

Rosana Soares BonanhoSupervisora do Serviço Social do Hospital Sírio Libanês, é graduada pela Faculdade de Serviço Social com pós-graduação em Administração Hospitalar pela Faculdade de Saúde Pública da USP e em Cuidados Paliativos pelo Hospital A.C. Camargo.

Sandra Cavalcante MonteiroTerapeuta ocupacional da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São Vicente. Também é técnica em radiologia médica no Hospital Dr. Luiz Camargo da Fonseca e Silva e livre docente da Escola Politécnica de Cubatão, ambos nesta cidade. Formada voluntária pela União e Apoio no Combate ao Câncer de Mama – Unaccam, atua como voluntária na ONG Estrela da Mama da Mama (Grupo de Apoio no Combate ao Câncer de Mama), em Praia Grande. Possui pós-graduação em Gestão em Saúde e Saúde Pública pela Universidade Santa Cecília

Dra. Cristina Martinez Zugaib Abdalla
Médica dermatologista do Hospital Sírio Libanês e mestre em dermatologia pela USP. Também é doutora em ciências pela USP.

Ivete de Souza Yavo
Psicóloga, mestre em psicologia da saúde, doutoranda em psicologia pelo Departamento de Psicologia Clínica da USP, também é pesquisadora e colaboradora do Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde da USP (Chronos IP/USP). Ainda é professora universitária e ministra disciplinas na área da saúde. Atuou como psicóloga no Centro de Onco-Hematologia de Osasco, no Instituto Paulista de Cancerologia (IPC) e em demais projetos de pesquisa em psico-oncologia.

Rubens Murilo de A. Prudêncio
Mastologista, tesoureiro da SBM - Regional de São Paulo - coordenador da residência médica em mama do Hospital São Cristóvão.

Rosa Maria AñezPsicóloga organizacional com orientação sistemática e formada em universidade brasileira, é docente de universidades de primeiro nível, graduação, pós graduação. Assessora empresas em temas de desenvolvimento da personalidade e talento humano. Psicóloga das Forças Armadas Bolivianas, é voluntária da Fundação de Câncer de Mama da Bolívia. É fundadora de Mi Refugio, espaço especializado para apoio dos pacientes de câncer de mama, na cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

Dra. Rita de Cássia de Maio DardesMédica ginecologista e mastologista e diretora médica do Instituto Avon. Também é professora afiliada do Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), coordenadora do ambulatório de alto risco no climatério da Unifesp. A doutora também possui mestrado em medicina pela Unifesp e doutorado em medicina pela Northwestern University Medical School, em Chicago, nos Estados Unidos.

Adenailde Alves Batista da Silva
Aos 32 anos, descobriu um câncer de mama. Na semana seguinte à descoberta, soube que estava grávida. Fez a primeira cirurgia de quadrante com três meses de gestação. Durante os meses seguintes, teve de passar pelo difícil equilíbrio entre as sessões de quimioterapia e os cuidados da gravidez. Fez a operação para retirada de um seio em maio de 2008. Em abril de 2009, fez a última etapa da reconstrução. Trabalhava na função de analista de atendimento. Hoje, aos 34 anos, continua afastada e faz um trabalho de conscientização junto às mulheres de sua comunidade sobre a importância de se fazer o auto-exame e mamografia.
*
*
*
Publicidade:
BRINDES ESCOLARES PARA FESTAS INFANTIS
Imas de geladeira, calendários, diplominhas
Acesse: www.kidbrinde.webnode.com.pt