Nossos Vídeos

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Sacolas ecológicas

Sacolinhas de supermercado estão com seus dias contados.




Ao que tudo indica, a preocupação com a preservação do meio-ambiente está fazendo com que novas alternativas sejam tomadas.



Vários estados brasileiros já começaram a implementar projetos para utilização de sacolas ecológicamente corretas em todos os estabelecimentos comerciais.




O plástico que foi inventado por Alexander Parkes em 1862, demora aproximadamente 400 anos para deteriorar-se, aumentando a quantidade de fragmentos nos lixões por todos os lugares, pois é feito de resina sintética que é extraída do petróleo e por isso não é biodegradável.
Só aqui no Brasil, são lançados na natureza, mais de 200 toneladas de plásticos.





Nos países europeus, as pessoas levam suas sacolas para as compras. Quem não tiver, tem que pagar por elas. As empresas que querem prestigiar o cliente, só podem fornecer sacolas feitas de milho e papel.


Na Irlanda, os comerciantes beneficiam os clientes que levam suas próprias sacolas, com sorteios e brindes.


A prefeitura de Maringá, está utlizando na sua coleta de lixo, sacos oxi-biodegradáveis, que prejudicam menos a natureza, porque se decompõem em até 18 meses.

A Prefeitura de São Paulo, iniciou uma campanha para minimizar o uso de sacolas plásticas na Cidade, ao mesmo tempo que estuda possíveis medidas legais para promover a sua substituição gradual por material biodegradável. Modelos de sacolas de pano foram criados especialmente para a campanha e poderão ser usados por todos os segmentos interessados.

As organizações do meio-ambiente estão se mobilizando para criar campanhas e conscientizar a população em geral.
Faça você também a sua parte. Começe utilizando sacolas próprias quando for às compras, ou incentivando mais pessoas a colaborar com a campanha.


Fontes:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/portal/a_cidade/noticias/index.php?p=17767

Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=hSC-IhXSbV0

http://funverde.wordpress.com/2007/01/21/projeto-sacolas-ecologicas/

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Drogas - um caminho sem volta

Há muito tempo se ouve falar das consequências do consumo de drogas.
Famílias são destruídas, jovens morrem ou têm seus caminhos transformados pelo vício e a sociedade sofre com isso.
Muito se fala, mas as pessoas parecerem ignorar os recados. É como a questão do aquecimento global, entre outros.
O combate às drogas é feito de forma acirrada, mas os traficantes são mais organizados e protegidos do que os nossos combatentes.
O crime tem mais mídia, do que as nobres iniciativas. Os bandidos são mais bem tratados e têm mais direitos adquiridos, do que suas vítimas.
Crianças são colocadas de frente para o risco do consumo e da violência gerada por ele, o tempo todo.
Pais não dormem mais tranquilos e jovens não sabem mais qual caminho seguir.
É bom que não nos cansemos de mostrar os caminhos. A escolha será de cada um. Mas pelo menos, eles terão escolha e não poderão dizer que foram enganados.
As imagens a seguir são de certo modo chocantes, mas é bom que nos deparemos com esta realidade, antes que ela entre em nossas casas.







Entre os casos famosos sobre os estragos das drogas, está o de Christiane F, como ficou conhecida na década de 80, uma menina alemã que aos 13 anos, após o divórcio dos pais, se envolveu com um garoto que já era viciado em heroína e a conduziu para o mundo das drogas.




A garota se prostituiu, perdeu sua melhor amiga por overdose e mesmo ganhando milhões por ter tido sua vida transformada em filme e livros, hoje aos 46 anos, ainda não conseguiu se livrar das drogas e vive uma vida humilde e sem dinheiro porque gastou toda a fortuna que ganhou.
Christiane consumiu vários tipos de drogas, das mais leves até as mais pesadas, injetadas na veia e como saldo de sua dependência, herdou a doença Hepatite C.
Confessou em entrevistas que ainda tem problemas para ficar distante das drogas.
Após sua história ser descoberta e ela ficar famosa, tentou por várias vezes seguir em frente, mas o máximo que conseguiu ficar longe das drogas, foi por cinco meses. Tentou ser cantora e atriz sem sucesso.
Em entrevistas, Christiane disse que as drogas lhe davam um "incrível sentimento de poder" e que a fama não faz tão bem quanto ela imaginava. Ela está morando com uma tia e com seu filho, que segundo ela é o que a mantém viva, sua situação financeira piora a cada ano, pois o dinheiro dos royalties está diminuindo. A saúde é péssima. Sofre de Hepatite C que é incurável, tem problemas de circulação e toma metadona diariamente, para não ter recaídas com a heroína.

Veja a transformação das pessoas viciadas em drogas.






Agora, só pra descontrair um pouco!





segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

PAÍSES EVOLUÍDOS TRATAM BEM SEUS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO


Tóquio acompanhou neste sábado (12) um desfile de moda em que a principal atração não eram as belas modelos, mas sim cãezinhos fofos. O evento, batizado de "New Year's Dog Party", é a versão japonesa da "Pet Fashion Week", a semana de moda canina de Nova York.

Os cães menores acompanharam as beldades no colo, com roupinhas e perucas coloridas. Os maiores desfilaram de coleira ao lado das modelos.

Os organizadores esperam receber cerca de 50 mil fãs de cachorros durante os dois dias do evento.

Veja as fotos dos cãezinhos e seus modelitos:







Na cerimônia realizada na semana passada, numa feira no Japão, professores de ioga ensinavam os donos a levar seus cachorros a uma variante das aulas deste exercício oriental, que aumentariam os laços entre dono e animal de estimação.
A maior parte do público que participou da festa, celebrada em um dos mais importantes centros de exposições e feiras da capital japonesa, levou consigo seus mascotes nos braços, presos em coleiras e, em muitos casos, dentro de carrinhos parecidos com os de bebês. A vida do cachorro urbano no Japão passou de uma chateação para os donos, cada vez que eram obrigados a levá-los para fazer suas necessidades, ao status em que agora eles levam seus cãezinhos de táxis para salões de beleza. (Gente coisa é outra fina!)


Fonte: http://g1.globo.com

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

DOENÇAS DE PELE - Leishmaniose, Onicomicoses e a doença rara do HOMEM ÁRVORE


Leishmaniose Tegumentar Americana




É uma doença que faz ferida na pele e no nariz da pessoa, também conhecida como úlcera de Bauru ou ferida brava.









É causada por um parasita e transmitida por um mosquito chamado Flebotomíneo.

O Flebotomíneo é um mosquito muito pequeno, conhecido também como: birigüi, mosquito palha. Vive de preferência nas matas e boqueirões e pica animais, tais como: gambá, rato, raposa, para se alimentar de sangue. Em casa pode picar os animais domésticos (cães, cavalos etc.) e o homem. Ao picar uma pessoa ou animal doente, com leishmaniose, o mosquito fica contaminado e, picando outras pessoas ou animais sadios, transmite a doença.

Sintomas

O doente de leishmaniose apresenta febre, mal-estar e ferida de difícil cicatrização no local da picada de mosquito, parecendo inicialmente uma espinha.
A doença começa com ferida na pele e depois passa para o nariz e pode ficar assim:

Uma pessoa com essa aparência sofre com isso mas não passa essa doença para ninguém.

Prevenção

- Proteção individual, quando freqüentar a mata (usar roupas adequadas e repelentes);
- Tratamento dos doentes;
- Eliminação dos cães com feridas suspeitas;
- Controle dos mosquitos nas habitações, através de inseticida e tela nas casas.

Diagnóstico

Toda pessoa que apresentar ferida de difícil cicatrização deve procurar o serviço de saúde para fazer gratuitamente:
- Exame do material colhido da ferida;
- Exame clínico.

A leishmaniose tem cura, que será, mais rápida no início da doença.


Onicomicoses


1. O que são Onicomicoses? As onicomicoses são infecções das unhas causadas por microorganismos vulgarmente denominados por fungos.


Os fungos desenvolvem-se facilmente neste habitat, alimentando-se de queratina (substância responsável pela rigidez das unhas).

As onicomicoses, além de incómodas e de aspecto desagradável, podem tornar-se muito dolorosas.

Estima-se que esta doença atinja mais de 20 por cento da população europeia e mais de um milhão e meio de portugueses.

A unha do dedo grande do pé é, habitualmente, a primeira a ser afectada. No entanto, todas as unhas dos pés e das mãos podem ser afectadas. A unha afectada normalmente fica com uma cor amarela escura/acastanhada ou tem manchas brancas, torna-se fraca, quebradiça e tende a separar-se da base. A unha afectada pode também ter um odor estranho. A onicomicose limita as normais actividades das pessoas pois torna doloroso o uso de sapatos, condiciona o andar, para além de ser extremamente desconfortável, inconveniente e embaraçosa.


2. Como surge?

As infecções das unhas causadas por fungos, ou seja, as onicomicoses resultam do crescimento desses microrganismos na pele debaixo da unha.

Todas as pessoas podem contrair onicomicoses, contudo há pessoas com maior tendência para sofrer da infecção:

- Quem usa piscinas e/ou balneários públicos;

- Os praticantes de desporto e as pessoas mais idosas;

- Os que têm pé-de-atleta;

- Profissionais de limpeza e jardinagem;

- Quem tem problemas como a diabetes, obesidade, podológicos, doenças cardiovasculares e imunodeficiências, etc
As onicomicoses normalmente surgem por exposição directa aos microorganismos. Usualmente as unhas entram em contacto directo com o fungo ou são invadidas por contágio pela infecção (pé-de-atleta).



3. Primeiros sinais de onicomicose

Todas as alterações das unhas devem ser vistas pelo médico.

Os primeiros sinais da doença correspondem à modificação da cor da unha (amarelada ou esbranquiçada), ao seu espessamento, com aparecimento de depósito (tipo farinha) por baixo da unha, com engrossamento progressivo e alteração da forma.



4. Que consequências?

As onicomicoses não são apenas uma questão estética, mas um problema de saúde pública podendo afectar seriamente a qualidade de vida dos doentes. Aliás, podem causar graves complicações se não tratadas a tempo, nomeadamente:

- Dor e desconforto ao andar e calçar os sapatos

- Reaparecimento de micoses na pele do pé (como o pé-de-atleta), após já terem sido tratadas;

- Aparecimento de infecções bacterianas;

- Agravamento do pé diabético;

- Redução das defesas do individuo para infecções por fungos;

- Contágio de outras pessoas.


Existem ainda os efeitos psicológicos da doença:

- Causa embaraço e vergonha;

- Provoca medo de contágio a outras pessoas;

- Pode ser responsável por vários problemas profissionais.

5. Como tratar?

Actualmente dispomos em Portugal de tratamentos práticos, seguros e eficazes. De acordo com a gravidade de cada situação, o médico poderá recomendar diferentes tipos de tratamento, nomeadamente:

- Tratamento tópico: antifúngicos em verniz. Após a aplicação na superfície da unha, penetram, destruindo directamente o fungo;

- Tratamento oral: antifúngicos em comprimidos ou cápsulas;

- Tratamento com associação de antifúngicos orais e tópicos.

Numa fase inicial a utilização adequada de alguns vernizes antifúngicos poderá ser eficaz em cerca de 75% das onicomicoses. Numa fase mais avançada, em que há envolvimento da raiz ou de mais de 50% da unha, para além da utilização destes vernizes, há necessidade de tratamento combinado com comprimidos ou cápsulas antifúngicas. O tempo de medicação oral, na maioria dos casos, varia entre 2 a 3 meses para as mãos e 3 a 4 meses para os pés, mas a medicação local é necessária até a unha ficar completamente bem, o que poderá durar, em média, 6 meses nas mãos e 12 meses nos pés.

A interrupção do tratamento favorece a persistência do fungo, ou a sua recaída, por vezes, com desenvolvimento de resistências.

6. O papel do médico

Em Portugal, os dermatologistas e os clínicos gerais estão atentos às evoluções nesta área. O acompanhamento de pessoas com onicomicose garante a utilização dos tratamentos mais eficazes, contribuindo desta forma para a melhoria substancial da qualidade de vida destes doentes.

Em particular, o papel do dermatologista é crucial neste domínio, já que ele tem conhecimentos e treino adequados que lhe permitem diagnosticar outras doenças das unhas que de outra forma seriam diagnosticadas erradamente como onicomicoses e formação para empreender uma estratégia terapêutica de nível individual e colectivo, essencial para dominar um problema crescente de saúde pública.

Por esse motivo, o aconselhamento médico é sempre a melhor opção para todos.
E SE VOCÊ FICOU CHOCADO COM ESTAS IMAGENS, ASSISTA ESTA REPORTAGEM:

mães e/ou MÃES?




Assim como no mundo dos humanos, existem alguns animais que não amam seus filhos.
Veja o caso dessa mamãe ursa:


Knutmania parte 2?
Knutmania parte 2?


Em compensação, assim como no mundo dos humanos, existem animais que respeitam os de outras espécies, adotando e cuidando com carinho:



Quem foi mesmo que disse que eles não pensam?...

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

ROSAS DE OURO COMEMORA O DIA DO ASTRONAUTA



Comemorado em 9 de janeiro, o Dia do Astronauta será registrado pela Sociedade Rosas de Ouro através de duas palestras com o nosso astronauta brasileiro, Marcos Pontes. O tema "No caminho das estrelas" retratará o conhecimento e a sensação adquiridos durante sua viagem fora da Terra. Além da comunidade da roseira e diversos convidados, o evento foi elaborado especialmente para o projeto social Samba se aprende na escola, que atende mais de cinco mil crianças durante todo o ano.



Pelo segundo ano consecutivo, Pontes desfilará na escola como destaque. "Participar do desfile da Rosas de Ouro em 2007 foi, para mim, uma experiência inesquecível. Poder trilhar esse caminho de luzes e cores, um caminho já percorrido por tantas estrelas", comenta. Essa experiência, somada à sua ida para outro planeta será relatada poucos dias antes do grande desfile que trará o enredo Rosaessência - o eterno aroma.



Evento

Palestra: No caminho das estrelas, com Marcos Pontes – astronauta brasileiro



Datas/Horários:

8 de janeiro, às 20 horas e 9 de janeiro às 9h30



Local:

Quadra Social

Rua Coronel Euclides Machado, 1066 - Freguesia do Ó / SP



Entrada Gratuita


Informações
3931-4555 / 3931-7555
www.sociedaderosasdeouro.com.br